A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

abril 15, 2016

Curso EaD Ética e Cidadania Fiscal – gratuito

A Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo, por meio da Escola Fazendária – Fazesp – informa que estão abertas as inscrições para o curso autoinstrucional “Ética e Cidadania Fiscal”  – Turma 01 de 2016

O curso será realizado no próprio ambiente virtual da Fazesp e é direcionado a cidadãos interessados em conhecer e contribuir para a melhoria da compreensão pública sobre tributação, responsabilidades do Estado e exercício da cidadania, aperfeiçoando, assim, a transparência na gestão pública e na prática da responsabilidade fiscal.

É com muita satisfação que o Centro de Educação Fiscal da Escola Fazendária de São Paulo – FAZESP, apresenta o curso “Ética e Cidadania Fiscal”.

informativo_etica_1turma

Sabemos que a atuação do Estado na vida das pessoas é uma realidade, já que pagamos tributos quando consumimos, auferimos renda ou possuímos patrimônio, e o Estado tem que aplicar esses recursos para prover as políticas públicas e os serviços públicos que interessam à sociedade, como saúde, educação, segurança, entre outros. (more…)

abril 13, 2016

Curso Transparência e Direito de Acesso à Informação, oferecido pela UCRH

A Unidade Central de Recursos Humanos – UCRH tem por missão planejar, coordenar, orientar tecnicamente e controlar, em nível central, as atividades de gestão de Recursos Humanos da Administração Direta e das Autarquias do Estado de São Paulo. Cabe-lhe também promover a uniformização de procedimentos da área de Gestão de Recursos Humanos.

A Unidade Central de Recursos Humanos tem sua estrutura organizacional estabelecida pelo Decreto nº 51.463, de 1º/01/2007 e está subordinada à Secretaria de Planejamento e Gestão. Tem por missão institucional, na área de capacitação, contribuir para a profissionalização do serviço público paulista através da atuação na formação profissional e desenvolvimento dos servidores públicos do estado, tendo como princípio fundamental o compromisso com a qualidade pedagógica em suas ações.

trans

Trabalha na formação de servidores públicos com alta competência técnica e de lideranças transformadoras aptas a lidar com os desafios que a gestão pública enfrentará no futuro; busca a inovação pedagógica, com a construção de novas formas de aprendizagem; e na produção e disseminação de conhecimentos inovadores sobre gestão pública.

Desenvolve cursos em parceria com órgãos da Administração Direta e Autárquica para a formação de alta qualidade dos servidores públicos estaduais, acompanhando as diretrizes estratégicas emanadas pela Administração, conforme o Plano de Governo.

O curso abaixo – Transparência e Direito de Acesso à Informação – é de vital importância para todos os servidores públicos e como informativo para a população em geral. Acesse as aulas! Posso garantir que você não se arrependerá.

  • Aula 1. Transparência e Democracia
    Neste primeiro vídeo do curso Transparência e Direito de Acesso à Informação apresentamos a temática e conceitos relacionados à transparência, direitos humanos e acesso à informação.
    Especialistas: Fernando Meloni e João Gomes

  • Aula 2. A importância do direito de acesso à informação
    O vídeo traz conceitos e trata da importância do direito de acesso e da transparência para o funcionamento do estado democrático de direito e da administração.
    Especialistas: Fernando Meloni e João Gomes
    (more…)

abril 7, 2016

Curso online de Disseminadores de Educação Fiscal

Em tempos de crise como este que vivemos agora, fica mais fácil perceber que uma sociedade consciente de seus direitos e deveres é uma sociedade com o poder de decidir seus rumos. Neste sentido, a Educação Fiscal visa conscientizar os cidadãos sobre a importância de pagar e cobrar a boa aplicação dos tributos para a manutenção das atividades do Estado, sem as quais nenhum progresso social seria possível.

O custo dos tributos está presente em praticamente toda atividade econômica: seja no salário do trabalhador, no preço das mercadorias e serviços, no cafezinho que você toma, no simples ato de possuir um imóvel ou um veículo, ou na própria produção da riqueza nacional. São estes valores que permitem ao Estado realizar serviços e obras públicas. Os tributos são, na verdade, o preço que os cidadãos pagam pela saúde, educação, segurança, pelo asfalto e limpeza das ruas, enfim pela civilização. Um não existe sem o outro, concordam?

Garantir que estes valores sejam realmente recolhidos aos cofres públicos e, em seguida, corretamente aplicados pelo Estado em prol da comunidade deve ser uma preocupação constante de um povo politicamente ativo.

DEF

A Educação Fiscal visa incutir nos cidadãos esta consciência. De que para termos ruas asfaltadas e coleta de lixo no bairro, uma cidade, um Estado e um país melhor, exigir a nota fiscal é o apenas primeiro hábito que devemos adquirir. E além dele, cobrar a boa aplicação do dinheiro público – que é de todos nós. E tudo isso fica muito mais fácil de compreender se você se inscrever no curso que divulgo abaixo.

Curso online de Disseminadores de Educação Fiscal – Inscrições para turma do 1º semestre estão abertas até 22 de abril

Estão abertas, até 22 de abril, as inscrições para a nova edição do curso Disseminadores de Educação Fiscal – Turma 01/2016, que apresentará aos participantes conceitos sobre gestão financeira, destinação das finanças públicas e orçamento, entre outros temas de interesse.

Serão oferecidas 600 vagas. Poderão participar, além de professores, os servidores de secretarias estaduais e municipais, ONGs, Conselheiros Municipais e a população em geral, bastando para tal ter o ensino médio. As inscrições serão feitas exclusivamente por meio de formulário online. Para acessar o formulário de cadastro, clique aqui.

Os participantes selecionados receberão um e-mail confirmando a sua participação no curso entre os dias 22 e 25 de abril.

As aulas serão a distância, com início no dia 22 de abril e término em 1º de julho. É imprescindível que o candidato tenha conhecimentos prévios de informática, um e-mail particular e acesso à internet.

O curso conta com cinco etapas (módulos) e ao final de cada uma haverá uma avaliação. Na última fase, os alunos poderão elaborar uma atividade prática dentro dos temas estudados. Para os aprovados (mínimo de 70% de aproveitamento) é emitido um Certificado correspondente a 120 h/a.

O curso é uma parceria entre Secretaria da Fazenda, Secretaria Estadual de Educação, Escola de Administração Fazendária, Receita Federal entre outros parceiros que fazem parte do GefeSP – Grupo de Educação Fiscal Estadual.

O curso é oferecido no intuito de abrir possibilidades para que os professores e gestores se aprimorem a cada dia mais no caminho da cidadania. Além disso, o tema educação fiscal faz parte do currículo escolar como disciplina transversal que será mais bem aplicado em sala de aula com o embasamento assimilado pelos professores que acompanharem o curso.

Acesse o Portal da Educação Fiscal www.educacaofiscal.sp.gov.br e conheça os materiais didáticos disponíveis para auxílio em sala de aula.

abril 4, 2016

Cursos gratuitos colocam um fim no mito dos impostos

Secretaria Estadual da Fazenda tem aulas a distância para aprimorar quem é especialista no assunto ou aqueles que pretendem ‘só’ fiscalizar o governo.

Matéria de Caio Colagrande para o Jornal Diário de São Paulo, 02/04/2016 caio.castro@diariosp.com.br

As recentes manifestações contra a corrupção no Brasil deram um recado claro: cada vez mais a população tem fiscalizado o uso do dinheiro público por parte de governantes.

CursoOrçamento2 CursoOrçamento3

E é possível aprimorar o conhecimento para fazer essa fiscalização. A Fazesp (Escola Fazendária do Estado de São Paulo) oferece cursos grátis que mostram como são calculados os impostos e o que é feito com o dinheiro que sai do seu bolso.

E apesar de ser um assunto complexo, o programa tem números que impressionam. As matrículas nas atividades tiveram aumento de 86% entre 2014 e 2015, passando de 19,9 mil alunos para 37 mil no ano passado. Desses, 29,1 mil são “pessoas comuns”. (more…)

março 31, 2016

Curiosidades do tempo de infância

Quando criança, o dia parecia interminável. Mesmo cheio de tarefas escolares, tinha o tempo para as brincadeiras, como o correr pelas ruas, soltar pipas, jogar bolinhas de gude, rodar pneus… as horas pareciam dar cria.

tanajura-15

Icá ou Tanajura

Na maioria das vezes andava com um saquinho dependurado no ombro, cheio de mamonas verdes e roxas e no bolso um estilingue. Moleques são bichos doidos e sem medida, cheios de traquinices. Mas isso faz parte da própria natureza desse ser, pois quando crianças somos envolvidos em um mundo mágico e fantasioso. Criamos coisas e causos e acreditamos em tudo que a mente pode alcançar, inclusive em coisas malucas, que depois, na fase adulta se tornam ações totalmente sem fundamento. Bolinhas de gude translúcidas eram como que mágicas. Quem as tinha quase sempre ganhava o jogo. Com a ponta do dedo indicador apontado para uma abelha conseguia-se domá-la e fazer com que voasse na direção apontada. Era como que um feitiço. Coisas bestas e sem sentido.  Catávamos Içás (formigas tanajuras, saúvas), retirávamos a bunda, torrávamos com óleo e sal e comíamos. Aquele que comesse mais se tornava forte e poderoso. Mas hoje sei que essas crendices só serviam para alimentar as lombrigas que moravam na minha barriga de menino. (more…)

março 30, 2016

Museu do Eucalipto, em Rio Claro/SP, foi reaberto

Hoje, às 10h00, aconteceu uma cerimônia para autoridades com a entrega do prédio reformado do Museu do Eucalipto, pela Fundação Florestal, da Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo.
O evento ocorreu ao lado do museu, no Solar Navarro de Andrade, com apresentação do Quinteto de Cordas da Orquestra Sinfônica de Rio Claro, e depois houve uma visita monitorada ao museu.

image

Foto Jornal Cidade de Rio Claro

Único no mundo
O Museu do Eucalipto foi inaugurado em 26 de março de 1916, por iniciativa do engenheiro Edmundo Navarro de Andrade, patrono da Floresta Estadual, antigo Horto Florestal de Rio Claro. (more…)

março 27, 2016

Mais algumas lembranças de minha infância e de minha vida… parte 3

Filed under: Uncategorized — Augusto Martini @ 12:02

Da casa que morávamos na Rua 3-A, na Vila Alemã, e dos vizinhos, tenho poucas lembranças. Lembro-me da Luiza, da Sandra, da D. Mariquinha que tinha alguns filhos com os quais brincávamos. Na casa d…

Fonte: Mais algumas lembranças de minha infância e de minha vida… parte 3

Fazendo arte na Páscoa! Ovos, por Ana Maria

Filed under: Uncategorized — Augusto Martini @ 11:58

Quando eu era criança não entendia muito bem a Páscoa. Só adorava procurar os ovinhos que o coelhinho escondia. Minha família era muito simples e os ovos nunca eram de chocolate. Eram ovos de galin…

Fonte: Fazendo arte na Páscoa! Ovos, por Ana Maria

março 24, 2016

A paçoca da Semana Santa no sítio de minha avó

Filed under: Uncategorized — Augusto Martini @ 15:03

A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

Já falei muito aqui sobre as casas da minha infância. Todas elas tinham o cheiro do pão quentinho saindo do forno e o gosto do queijo feito no sítio de minha avó. Para mim, a cozinha sempre é um lugar marcante para a família. E estávamos sempre em volta do fogão de lenha, feito de cimento queimado em um vermelho bem escuro e polido que refletia as cores do fogo da lenha queimando. Que sabor tinha tudo que era feito ali. Me lembro que ficava ansioso ali do lado esperando terminar o doce de leite, o arroz doce, o doce de abóbora… Em época de milho, a cozinha virava festa com toda a família reunida para preparo do curau, do bolo de milho e à noite, o milho assado na brasa da lenha. Que cheiro delicioso exala o milho assado!

Em casa tudo era um pouco artesanal – a manteiga minha mãe mesmo fazia. Nos fundos da casa haviam…

Ver o post original 392 mais palavras

Lembranças da Semana Santa de minha infância

Filed under: Uncategorized — Augusto Martini @ 15:01

A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

Na minha infância, final dos anos 60 e início dos anos 70, as modas e costumes do período da quaresma eram muito diferentes dos dias atuais. A Semana Santa era caracterizada por dias de seriedade, com tardes melancólicas, cinzentas, pesadas. Quase toda Sexta-Feira Santa chovia, havia um respeito e uma tristeza no ar, como se o tempo houvesse parado e todo o sofrimento de Jesus tivesse sido esparramado sobre a humanidade silenciosa. Não tínhamos aparelho de TV em casa, e no rádio só tocava música sacra ou clássica, com algumas transmissões religiosas e esperávamos pacientemente que o Domingo de Páscoa chegasse. Ah sim. Na Semana Santa não podíamos comer carnes ou beber leite e nem comer seus derivados. E minha mãe, na quinta para a sexta-feira, torrava amendoins no fogão a lenha e fazia a paçoca. Muitos homens não faziam a barba durante a quaresma. Os menos radicais não a fazia na…

Ver o post original 783 mais palavras

Próxima Página »

O tema Rubric. Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 570 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: