A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

julho 29, 2016

Abertas inscrições para o projeto “Aprendendo com a Mata Atlântica”

Escolas e grupos organizados já podem se inscrever para participar do projeto “Aprendendo com a Mata Atlântica” no segundo semestre de 2016. As escolas e organizações participantes terão atividades de educação ambiental e estudo do meio em visitas realizadas a partir de agosto, no Centro de Experimentos Florestais SOS Mata Atlântica – Brasil Kirin, localizado em Itu-SP. A iniciativa é da Fundação SOS Mata Atlântica, com apoio da Brasil Kirin.

Podem se inscrever escolas e grupos de estudantes do ensino Fundamental, Médio, Técnico e Superior, além de ONGs e outras instituições.

As visitas das turmas podem acontecer pela manhã (das 8h30 às 11h30) ou à tarde (13h30 às 16h30). É oferecido transporte gratuito para as escolas públicas de Itu e Salto; também é fornecido lanche a todos os participantes. (more…)

julho 25, 2016

Lembranças de infância

Quem passa aqui pelo A Simplicidade das Coisas sabe que gosto de escrever sobre minha infância. Perto da infância que meus sobrinhos tiveram, a minha aconteceu sem grandes diversões, mas hoje vejo que tudo teve muito valor.

Nasci em uma casa de colônia na Fazenda São José do Morro Grande, no Distrito de Ajapí, que pertence à Rio Claro/SP, onde meu avô era o administrador, meu pai o tratorista, minha mãe cozinheira e meus tios colonos. Tínhamos apenas um rádio. Nada de TV ou das modernidades que temos hoje. As casas não tinham muros – nem na colônia e nem na casa que fomos morar na Vila Alemã, depois que meus pais vieram morar na cidade. Podíamos conversar com os vizinhos, plantávamos as coisas no quintal, criávamos porcos e frangos e tínhamos uma horta. Nossa comida era natural, sem agrotóxicos, tirada ali, do nosso próprio quintal…O único problema era saber que a linguiça era tirada daquele porco do quintal o qual ajudei a criar. E que tantas vezes vi meu pai sacrificar bem ali, na minha frente. Idem para as galinhas e frangos…E isso me ensinou a dar valor da vida! E também foi isso que me fez ter optado por ser ovolactovegetariano por muitos anos!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Lembro que em muitas tardes tinha a missão de molhar a horta, e que no meio dos canteiros de verduras e árvores frutíferas tinha os canteiros de flores de minha mãe e avó. Eu ficava lá com a mangueira, borrifando a água e pensando nas coisas que iria fazer…Nos gibis que lia. Sim, eu lia muito. Era minha distração. Li também todos os livros do Monteiro Lobato e do Júlio Verne. Hoje existem outras distrações, lê-se pouco e escreve-se mal. (more…)

julho 18, 2016

Marcelo Rubens Paiva: Como assim, escola sem ideologia?

O professor de história tem que ser de esquerda. E barbudo. Tem que contestar os regimes, o sistema, sugerir o novo, o diferente. Tem que expor injustiças sociais, procurar a indignação dos seus alunos, extrair a bondade humana, o altruísmo.

Como abordar o absolutismo, a escravidão, o colonialismo, a Revolução Industrial, os levantes operários do começo do século passado, Hitler e Mussolini, as grandes guerras, a guerra fria, o liberalismo econômico, sem uma visão de esquerda?

A minha do colegial era a Zilda, inesquecível, que dava textos de Marx Webber, do mundo segmentado do trabalho. Ela era sarcástica com a disparidade econômica e a concentração de renda do Brasil. Das quais nossas famílias, da elite paulistana, eram produtoras.

A escola sem um professor de história de esquerda é como uma escola sem pátio, sem recreio, sem livros, sem lanchonete, sem ideias.

A escola sem um professor de história de esquerda é como uma escola sem pátio, sem recreio, sem livros, sem lanchonete, sem ideias. Charge: Andre Boitempo

Em seguida, veio o professor Beno (Benauro). Foi preso e torturado pelo DOI-Codi, na leva de repressão ao PCB de 1975, que matou Herzog e Manoel Fiel Filho. Benauro era do Partidão, como nosso professor Faro (José Salvador), também preso no colégio. Eu tinha 16 anos quando os vimos pelas janelas da escola, escoltados por agentes.

Outro professor, Luiz Roncari, de português, também fora preso. Não sei se era do PCB. Tinha um tique nos olhos. O chamávamos de Luiz Pisca-Pisca. Diziam que era sequela da tortura. Acho que era apenas um tique nervoso. Dava aulas sentado em cima da mesa. Um ato revolucionário.

Era muito bom ter professores ativistas e revolucionários me educando. Era libertador. (more…)

julho 14, 2016

CURSO DE DISSEMINADORES DE EDUCAÇÃO FISCAL – inscrições abertas

CURSO DE DISSEMINADORES DE EDUCAÇÃO FISCAL

Inscrições abertas – inscreva-se aqui

O curso Disseminadores da Educação Fiscal é o  principal produto do Programa Nacional de Educação  Fiscal – PNEF. Em 2012, foram capacitados 16.607 alunos, em 2013 foram capacitados 14.777 alunos, o que só foi possível graças à gestão descentralizada, que conta com uma forte e crescente parceria com Estados e Municípios. Ao final de 2014, o curso alcançou a marca de 126.137 disseminadores formados nos onze anos de sua existência, o que representa uma relevante contribuição da Escola para cumprir sua missão, otimizando a aplicação dos recursos públicos. A meta para os próximos anos é descentralizar ainda mais a gestão do curso e ampliar a oferta elevando-a substancialmente para 40 mil cursistas/ano. Para isso, a ESAF conta com a decisiva participação dos Estados e Municípios por meio de Acordos de Cooperação Técnica que nos permitam abrigar o curso nas respectivas escolas virtuais desses entes federados, além do crescente envolvimento dos Centros Regionais da Escola na promoção do curso.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O PNEF tem como objetivo promover e institucionalizar a Educação Fiscal para o efetivo exercício da cidadania, visando ao constante aprimoramento da relação participativa e consciente entre o Estado e o cidadão, concorrendo para a defesa permanente das garantias constitucionais.

Alicerça-se na necessidade de compreensão da função socioeconômica do tributo, da correta alocação dos recursos públicos, da estrutura e funcionamento de uma administração pública pautada por princípios éticos e da busca de estratégias e meios para o exercício do controle democrático.

A implementação do PNEF é de responsabilidade do Grupo de Trabalho de    Educação Fiscal – GEF, composto por representantes de órgãos federais, estaduais e municipais, a quem compete definir a política e discutir, analisar, propor, monitorar e avaliar as ações do Programa. (more…)

julho 11, 2016

Meu pai…

No fim da tarde, quando o meu pai chegava, estávamos todos em casa. Chegava quase sempre sisudo por conta dos problemas e das chatices que tinha vivido durante o dia. Mas o meu pai gostava de chegar a casa. E isso, para nós, estava bem. Ele gostava de nos ver, apesar de não demonstrar. Sentíamos isso.

Digitalizar0005 (2)

Ele tocava acordeão fazendo algumas caretas e também tocava violão abstraindo-se do frenesi típico de uma casa com três filhos e um ou outro primo ou prima agregados.
O meu pai ouvia o rádio sentado na cadeira que era só dele, apesar do burburinho de nossas conversas. Só nos mandava calar para ouvir “A Voz do Brasil” ou algum programa musical de interesse. Era de falar muito pouco. Nós éramos a sua casa, o seu mundo, a sua vida.
Tive a sorte de crescer assim. Cresci com um pai que apesar de não demonstrar trazia amor para casa, boa disposição, emotividade, verdade e sabedoria. Um pai que tinha preocupação de dar e não de receber, que gostava de partilhar e que tinha a preocupação de nos ensinar os valores nos quais acreditava. Ele achava importante os filhos aprenderem aquilo que ele aprendeu com a vida, mas não tinha o cuidado, penso que pela sua simplicidade, de aconselhar os filhos para um dia escolherem ser aquilo que quisessem. O meu pai não me perguntava pelas notas da escola, não opinava sobre as minhas roupas e não me questionava sobre os meus estados de alma. Como disse antes, ele era de poucas palavras. Em sua simplicidade, achava que bastava saber ler, escrever, fazer contas, para entrar no mercado de trabalho. Que muito estudo era bobagem. A vida é que ensinava. Assim, o caminho que percorri pós colégio, foi por minha conta.

(more…)

julho 8, 2016

Prorrogadas as inscrições para o Prêmio Nacional de Educação Fiscal

Interessados têm até o dia 22 de julho para inscrever seus projetos. Os dez melhores da edição participarão da festa da educação fiscal que acontece no dia 09 de novembro, na capital federal.

As inscrições para a quinta edição do Prêmio Nacional de Educação Fiscal estarão abertas até o dia 22 de julho. Lançada em maio deste ano, a Febrafite vai premiar no dia 09 de novembro, em Brasília, projetos desenvolvidos no país inteiro que valorizam a função social dos impostos e o acompanhamento dos gastos públicos no País.

mala direta prorrogadas-04

Com a prorrogação do prazo de inscrição, previsto para encerrar na próxima segunda-feira, dia 11, a coordenação do prêmio oferece mais uma chance para os disseminadores da educação fiscal disputarem as premiações: R$ 10 mil, R$ 5 mil e R$ 3 mil para os três primeiros colocados na categoria Escolas; e R$ 10 mil e R$ 5 mil para os dois primeiros lugares na categoria Instituições, e ainda mostrar o projeto para o Brasil.

As inscrições podem ser feitas no sitewww.premioeducacaofiscal.com.br

Sobre o prêmio Uma das mais significativas premiações no segmento, o Prêmio Nacional de Educação Fiscal é uma ação da Federação Brasileira de Associações de Fiscais de Tributos Estaduais (Febrafite), em parceria com a Escola de Administração Fazendária (Esaf). (more…)

julho 2, 2016

Único Museu do Eucalipto do Mundo fica no Brasil e completou 100 anos!

Você conhece o único Museu do Eucalipto do Mundo? Talvez não, não é mesmo? Mas ele existe. E está aqui pertinho, em Rio Claro (SP). E esse ano completou um centenário.

Isso mesmo!

Existe um único Museu do Eucalipto que fica no Brasil e existe há 100 anos!

Idealizado pelo engenheiro agrônomo Edmundo Navarro de Andrade para sistematizar e expor os resultados de pesquisas relacionadas à introdução de espécies de eucalipto no Brasil, ele foi fundado em 1916. Ele fica localizado dentro da Floresta Estadual Edmundo Navarro de Andrade, no município de Rio Claro (SP) e é tombado pelo CONDEPHAAT (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo) desde 1977.

imageFoto de Carlos Beduschi

CeluloseOnline – Qual a importância do Museu nos aspectos: regional, histórico e para o setor de florestas?

A divulgação das pesquisas de Edmundo Navarro de Andrade com o eucalipto e a ideia de disponibilizar seus resultados através de uma instituição museológica foram iniciativas pioneiras e significativas. Tornaram-se referência junto à comunidade científica e subsidiaram posteriormente as empresas que vieram a se dedicar ao plantio de florestas plantadas principalmente as voltadas à indústria do papel.

(more…)

junho 29, 2016

BonAppetour: o “AirBnb” de comida

BonAppetour – faça uma refeição com os moradores locais ao redor do mundo!

Há anos que as minhas hospedagens em viagens de férias são reservadas pelo Airbnb. Por ele você pode reservar um quarto em ambiente compartilhado, ou uma casa ou apartamento inteiro, mobiliado, com cozinha completa, roupa de cama e banho, etc. E há disponibilidade em todos os lugares do mundo. Eu, além de utilizar o site para minhas viagens, também sou anfitrião. Sempre que posso receber, alugo a suite do meu apartamento aqui em São Paulo para turistas.

Em minhas viagens gosto de conhecer a cultura local e a gastronomia.  Agora quem é fã do Airbnb como eu já pode juntar esses dois objetivos em um só. Esse é o propósito de um aplicativo chamado BonAppetour, uma espécie de AirBnB de comida.

Você pode ficar flanando o dia inteiro. Batendo perna e conhecendo todos os cantos do lugar que está visitando. No fim do dia, quando bate aquela fome, você tem várias opções: ir a um bom restaurante, o que pode ser muito caro, comer qualquer coisa na rua para enganar o estômago ou comprar algo no supermercado para fazer um lanchinho no quarto  do hotel, ou um jantar no apartamento que você alugou. Mas, agora, você tem a opção de visitar uma família desconhecida e ficar para o almoço ou o jantar.

Em todo o mundo há milhares de anfitriões cadastrados no BonAppetour para receber turistas para uma refeição típica. E não só isso: além de comer, você terá a oportunidade de conversar sobre a cidade e a cultura, e, se quiser, aprender a cozinhar um prato novo para servir aos seus amigos quando voltar para casa.

A ideia foi de três jovens de Cingapura (foto abaixo), inspirados no AirBnb. Assim como esse serviço, o BonAppetour também é pago: o preço é definido pelo próprio anfitrião e, além disso, é cobrada uma taxa de 15% que vai para o próprio aplicativo. O pagamento pode ser feito por Paypal ou cartão de crédito.

bonnappetur Equipe fundadora Bonappetour

Foto: http://s3.amazonaws.com/

Mas aconselho que fique atento ao preço para evitar surpresas na fatura do cartão. O preços variam muito de um país para outro. Em pesquisa feita no site, um jantar em Roma, com entrada, duas opções de prato principal e sobremesa tipicamente italianas não sai por menos que US$ 40 por pessoa. Já em Washington DC uma noite de hambúrgueres custa US$ 25 por convidado. (more…)

junho 28, 2016

DNA Journey – celebrando a diversidade do mundo

Descubra como o mundo é tão conectado, e como existem mais coisas que nos unem do que nos dividem. Junte-se à momondo em nossa DNA Journey.

É fácil pensar que há mais coisas dividindo-nos do que aquilo que nos une. Mas nós realmente temos muito mais em comum com outras nacionalidades do que você pensa.

momondo-dna-journey

Viajar abre as nossas mentes – e o nosso mundo.

Quando viajamos, mergulhamos em diferentes culturas e costumes. Ao abraçarmos novas experiências, ajudamos a quebrar as barreiras que existem hoje – as barreiras que nos levam a pensar que há mais coisas nos dividindo do que nos unindo.

Olhe além daquilo que sua visão alcança, dos sons e dos aromas de um outro país, e você descobrirá que somos todos muito parecidos. De fato, a maioria de nós é bem mais diversa e possui muito mais em comum com pessoas de outros países do que jamais poderíamos imaginar.

Em uma pesquisa independente com 7.292 pessoas em 18 países, descobrimos que mais da metade de nós acredita que haveria menos intolerância no mundo se as pessoas viajassem mais, e três quartos de nós pensam que viajar nos faz olhar de uma forma mais positiva sobre as diferenças e a diversidade.

A momondo foi criada sob a crença de que todo mundo deveria poder viajar o mundo, conhecer outras pessoas e experimentar outras culturas e religiões. Viajar é alimentar aquela curiosidade natural que nos leva a explorar, que nos leva a buscar novos caminhos e ver o mundo sob uma luz diferente todos os dias, pois quando vivenciamos algo diferente, começamos a ver as coisas de forma diferente também.

Leia mais

Saiba mais sobre em momondo

Fonte: momondo

junho 23, 2016

Nerdologia – aprendendo de forma divertida

Uma dica legal para quem tem filhos, sobrinhos e agregados em idade escolar ou não – o canal Nerdologia que faz uma análise científica da cultura nerd! São dois vídeos por semana, um às quintas-feiras, sobre temas gerais e um às terças-feiras, com conteúdo específico de História.

Guerra do Vietnã

Lá você encontra, de forma divertida, assuntos de diversas áreas/temas atuais, conceitos complexos, muitas vezes abordados fazendo ligação a lançamentos do cinema e dos quadrinhos, do tipo: Como os dinossauros faziam xixi? Robôs com inteligência artificial podem vir a dominar o mundo? O que são as ondas gravitacionais? Como fazer um sabre de luz?

Afinal, que formato a terra tem?

O canal já foi reconhecido pelo público e agora está sendo reconhecido pela imprensa internacional. (more…)

Próxima Página »

Tema Rubric. Blog no WordPress.com.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 616 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: