A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

maio 24, 2016

VLibras – Suíte de ferramentas computacionais para a tradução automática do Português para a Língua Brasileira de Sinais

Resolvi escrever esse post porque em meu trabalho muitas vezes me deparo com deficientes auditivos. Quer seja no atendimento em feiras como a do Estudante do CIEE, quer em outras, como a Bienal do Livro. O grosso mesmo é no atendimento da Reatech – Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade.

Mas antes, preciso explicar para vocês algo importante: é preciso que saibam que existe mais de um tipo de deficiente auditivo. Eles não são todos iguais!

vlibras

Existem os “verdadeiros” deficientes auditivos que, tal como diz o nome, tem algum tipo de perda auditiva de leve a moderada, o que geralmente se resolve com aparelhos auditivos. Com eles, basta você falar um pouco mais alto. Não é preciso que você fale como se estivesse falando num megafone, porque o aparelho já ajuda muito. E, mais importante, espere ele dizer para aumentar a voz, senão poderá incomodá-los e muito!

Além deles, existem os surdos sinalizados, mais conhecidos como Surdos. Muita gente acha que são mudos, embora a maioria tenha voz, apenas não costuma usá-la ou porque não aprendeu o necessário ou porque tem vergonha ou não gosta. Eles falam uma língua própria, chamada Língua Brasileira de Sinais ou simplesmente Libras. Uma boa parcela nasceu surda ou perdeu a audição antes da formação plena da fala. São também chamados de surdos pré-linguais.

Há também um grande grupo, mas menos conhecido e facilmente confundido com deficiente auditivo. São os surdos oralizados, que se comunicam através da fala oral, leem os lábios e o aparelho comum ou o implante coclear podem ou não resolver o problema de audição deles. Podem ser surdos adquiridos após a aquisição plena da fala (chamada surdez pós-lingual) ou surdos de nascimento que aprenderam a falar com fonoterapia. Quando esses também falam a língua de sinais, são chamados de surdos bilíngues. (more…)

GefeSP – Grupo de Educação Fiscal Estadual, na 19ª Feira do Estudante do CIEE

O GefeSP – Grupo de Educação Fiscal Estadual, participou da 19ª Feira do Estudante do CIEE realizada no Pavilhão de Exposições do Parque do Ibirapuera de 20 a 22 de maio.

Destinada a estudantes de ensino médio, médio-profissionalizante e superior, a 19ª Feira foi organizada com o objetivo integrar os jovens ao mercado de trabalho, oferecendo oportunidades de estágios em empresas privadas e órgãos públicos, além de capacitação profissional.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Quem visitou o estande do GefeSP recebeu informações sobre as iniciativas e temas desenvolvidos no Programa de Educação Fiscal, como a importância dos tributos e do controle social dos gastos públicos e dos cursos à distância Ética e Cidadania Fiscal e Orçamento Público, Controle Social e Cidadania Fiscal. Professores e estudantes puderam ter acesso ao conteúdo e estrutura de programas como Fazenda Aberta e Fazenda Vai à Escola oferecidos pela Escola Fazendária de São Paulo e puderem conhecer o jogo de tabuleiro “Caminhando com a Cidadania”, desenvolvido por estagiários do GefeSP na SRFB.

Na ocasião, foram distribuídos materiais didáticos como cartilhas e folders sobre educação fiscal e, pela primeira vez, o público pode ter contato com o mascote Gefe, criado para dar fortalecimento ao Programa Nacional de Educação Fiscal no Estado de São Paulo.

Além do atendimento ao público do evento, ainda foi ministrada a palestra “Educação Fiscal e Cidadania”. Vale registrar que durante o evento foram feitos importantes contatos com o objetivo de fomentar parcerias visando a ampliação do Programa de Educação Fiscal para a Cidadania junto a diversas entidades – públicas e privadas.

Abaixo alguns dados da organizadora do Evento.

Segue parte da repercussão de mídia espontânea televisiva do evento:

ABAIXO SEGUEM NÚMEROS OFICIAIS DA EXPO CIEE 2015:

  • 90 mil inscritos do Estado de SP para a feira;
  • Cerca de 60 mil visitantes durante os três dias de evento;
  • 70 expositores;
  • 156 ônibus de Instituições de Ensino visitaram o evento;
  • Mais de 56 Mil curtidas no www.facebook.com/expociee;
  • 100 Palestras foram realizadas durante os 3 dias de evento e 11.500 mil assistiram as palestras realizadas nos 5 auditórios;
  • 530 Estudantes participaram das 21 atividades de Simulação de Dinâmica de Grupo realizada pelo CIEE.
  • 585 Carteiras de Trabalho foram emitidas no evento pelo CRA/SAESP;
  • 6500 pessoas foram atendidas no Cyber CIEE sendo que 4000 foram encaminhados para vagas de estágio e aprendizagem;

 

Gentileza gera gentileza

Minha mãe dizia que gentileza cabe em qualquer lugar. Cada vez mais tenho a convicção de que a gentileza pode e deve existir no ambiente de trabalho, por mais hostil que ele seja. Respeitar o espaço dos outros, não tratar ninguém com desdém, dizer “bom dia”, “como vai”, “por favor” e “muito obrigado”! Com esse clima de gentileza, a disposição para executar as tarefas diárias será outra.

Em meu dia a dia, trabalhar em equipe é necessário, mas complexo. Trabalhar sozinho, no entanto, pode demonstrar egoísmo e incapacidade de se relacionar com as pessoas, de aceitar críticas e sugestões. Por isso, tenho me esforçado para conviver bem com os colegas de trabalho.

Aprendi com a vida que a humildade é uma das maiores virtudes da humanidade. Procuro não ser o tipo de pessoa que prefere engavetar um projeto só para não ter que pedir ajuda. Aceitar a colaboração dos colegas de trabalho é admitir que estou aberto a novas sugestões e criar possibilidades em cima disso.

Pensando em tudo isso, deparei-me com o texto abaixo escrito por Clarissa Oliveira do http://aleteia.org/e que tem muito a ver com aquilo que penso e pratico. Leiam! Acredito que gostarão também.

Ser gentil às vezes é uma tarefa exigente, mas a gentileza é algo fundamental para a manutenção do bem-estar e da qualidade de vida. Além de que a qualidade de vida também depende da gentileza. (more…)

maio 23, 2016

Perfil @aminhaempregada, no Twitter, escancara a doença do preconceito no Brasil

Filed under: Uncategorized — Augusto Martini @ 15:10

A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

Gosto muito de ler o jornal El País. Seus colunistas são fantásticos e há uma versão on line em português para aqueles que não dominam o Espanhol. Li ontem um texto intrigante – algo mais para a coleção das histórias de discriminação que acontecem em nosso País. Falava de um perfil criado no Twitter e que satiriza a herança escravocrata brasileira sob o codinome @aminhaempregada. A pseudo “brincadeira” toca em um assunto sério, a começar pela inclusão do pronome possessivo “minha” no codinome do perfil virtual, que demonstra um papel de posse de alguém que lhe serve. O autor, que preferiu ficar no anonimato, responde os posts preconceituosos de parte dos brasileiros, que em algum lugar de sua imaginação se acham seres superiores em relação a seus empregados.

empregada Twitter @aminhaempregada

 “Minha empregada não chega, disse que tá sem ônibus, minha casa tá imunda. Vadia, vem andando!”

Ver o post original 365 mais palavras

maio 13, 2016

Quando eu era menino…

Nunca pensei que sentiria falta dos pega-pegas da Rua M-1-A na Vila Martins, em Rio Claro/SP… quando eu era apenas um menino.

Nunca pensei que sentiria falta dos campeonatos de bolinhas de gude, bater bafo, rodar pneus… quando eu era apenas um menino.

Nunca pensei que sentiria falta das tardes de domingo e das matinês no Cine Tabajara que já não existe mais. Das séries cinematográficas de “Tarzan”, “Flash Gordon”, “Capitão Marvel”,  “Rim Tim Tim”, “Vigilante Rodoviário”… meus heróis dos anos 70. E dos Gibis… das histórias em quadrinhos… Pato Donald, Tio Patinhas, Professor Pardal, Pateta. Dos livros de Monteiro Lobato e Júlio Verne. Só de lembrar de tudo isso fico tonto, tonto de saudades, de uma melancolia gostosa… Sentindo falta de quando eu era apenas um menino.

17387378

Nunca pensei que sentiria falta das festas da escola, das festas juninas, da “festa das nações”, quando pela primeira vez percebi que havia um mundo com roupas e costumes diferentes – e acho que isso me levou a gostar tanto de Geografia e História. Falta dos bailes do Grêmio Recreativo da Companhia Paulista, das noites de discoteca da Sociedade Filarmônica Rio-clarense,  do som dos clarinetas, trombones e trompetes da Banda União dos Artistas Ferroviários… Artistas que eu admirava em minha infância, lembranças de quando eu já era… um pouco mais que um menino. (more…)

maio 12, 2016

Prêmio Nacional de Educação Fiscal 2016

A Edição 2016 do Prêmio Nacional de Educação Fiscal será realizada pela FEBRAFITE em parceria com a ESAF – Escola de Administração Fazendária com o apoio das associações filiadas e outras entidades de classe parceiras e patrocinadoras, tendo por principais objetivos:

  • Valorizar, promover e premiar ações que envolvam matérias específicas de Educação Fiscal, oportunizando a discussão sobre a importância social do tributo.
  • Incentivar o acompanhamento da qualidade dos gastos públicos por meio de mecanismos de controle social, como forma de efetivo exercício da cidadania.
  • Desenvolver atividades em parceria com suas associações filiadas e Administração Pública de qualquer esfera de governo, no sentido de aperfeiçoar conhecimentos teórico-práticos referentes à Educação Fiscal em todos os Estados brasileiros e no Distrito Federal.
  • Incentivar mecanismos de aprendizagem com propósito de permitir ao cidadão o acompanhamento da correta aplicação dos recursos materiais colocados à disposição da Administração Pública para atendimento das demandas sociais existentes.
  • Propiciar a participação do cidadão no funcionamento e aperfeiçoamento dos instrumentos de controle social e fiscal do Estado por meio de atividades de educação fiscal.
  • PNE

Poderão participar do Prêmio Nacional de Educação Fiscal escolas, universidades, órgãos públicos, dentre outras pessoas jurídicas que desenvolvam, diretamente, projetos voltados à área da Educação Fiscal em suas comunidades locais, excetuando-se entidades ligadas à categoria dos Fiscos. (more…)

maio 10, 2016

Aplicativos facilitam doação de créditos da Nota Fiscal Paulista

Em 2015, 9% dos 7 bilhões de notas fiscais emitidas no estado de São Paulo foram doadas para ONGs. O movimento ‘Doe Um Cupom’ facilita a captação de recursos para entidades.

“CPF na nota?” A pergunta ouvida diariamente é muitas vezes ignorada, mas não deveria. Por descrença no sistema, preguiça ou falta de tempo boa parte dos consumidores abre mão do direito de receber 20% do ICMS recolhido pelos estabelecimentos comerciais. Em 2009, o governo permitiu a doação destes créditos para Organizações Não Governamentais (ONGs), mas a adesão ainda é pequena. Para facilitar este processo, alguns aplicativos foram desenvolvidos e podem ser baixados gratuitamente em celulares.

Nota_fiscal_paulista_arte

Um dos apps é o Cupong.me. A ideia de desenvolver a plataforma surgiu quando os amigos Tiago Sciência e William Oliveira se ofereceram para trabalhar como voluntários na Associação de Apoio à Infância e Adolescência Nossa Turma e descobriram que passariam horas fazendo o cadastro manual dos dados das notas fiscais.

“Era um trabalho muito cansativo. Foi então que o Tiago teve a ideia de criar um aplicativo para ajudar na doação e uma plataforma de gerenciamento das notas arrecadadas. Queríamos ajudar uma ONG, mas acabamos abrindo o sistema para todas as outras. É um trabalho voluntário, 100% gratuito. Muita gente joga fora esse dinheiro, é um desperdício, e por isso iniciamos o movimento Doe Um Cupom”, explica William Oliveira. (more…)

maio 5, 2016

Hoje tudo é tratado como descartável

Quando estou muito agitado no trabalho eu falo sozinho, cantar sozinho é apenas o passo seguinte. Muitas vezes os colegas olham assustados para mim e quando percebo que estão olhando desviam o olhar.
Dia desses contei isso para um amigo que riu, em tom de gozação, mas ao rir saiu de sua boca um guincho parecido com aquele assovio dos amoladores de facas que passavam nas ruas de meu bairro, em Rio Claro, quando eu era criança. Sabem como é? Podia ter-lhe saído qualquer coisa, mas foi aquele som que saiu. Quando eu era pequeno e alguém fazia barulho semelhante ao rir, tinha uma vizinha que dizia que isso era sinal de que viria chuva. Sempre gostei destas crendices e mitos profundamente alicerçados em nada que é realmente concreto.
Resumindo: comecei a escrever isso porque hoje, ao ir a pé para casa, cruzei a praça da Sé e vi um senhor desmontando sua cadeira de engraxar sapatos e apetrechos para pequenos consertos e percebi como inúmeras profissões se tornaram descabidas nos dias de hoje. Já quase não há sapateiros… e nem amoladores de faca. Os padeiros e leiteiros que entregavam de porta em porta desapareceram do mapa. Isso porque estamos numa sociedade em que do velho não se aproveita, compra-se novo. Com a menor qualidade dos produtos e materiais, o preço fica mais baixo e, portanto, não compensa mandar arrumar. E penso: que ensinamentos estamos passando às crianças?! Quando formos velhos, o que nos acontecerá? Eu não tenho filhos, mas quero que os filhos de meus sobrinhos e de meus amigos saibam dessas antigas profissões e que o som dos amoladores de facas traz recordações.

Esculturas do artista Ha Schult, com humanóides feitos com lixo, geralmente latas em, Barcelona.

Esculturas do artista Ha Schult, com humanóides feitos com lixo, geralmente latas, em Barcelona.

É, infelizmente chegamos ao tempo em que tudo é mais fácil porque, quase tudo, se tornou descartável.
Mas não foram só os objetos que se tornaram descartáveis, os sentimentos também estão se tornando. É fácil ter centenas de amigos, mas são amigos virtuais, descartáveis, se perdem com o tempo, não fazem falta. São os amigos das redes sociais e dos interesses, nunca estão conosco quando precisamos. Não há laços de afinidade. As pessoas vivem uma vida descartável. Muitos corações estão cheios de ódio e, para eles, a vida não tem sentido, assim como não tem sentido a dignidade, o respeito, o amor e o perdão.  (more…)

abril 15, 2016

Curso EaD Ética e Cidadania Fiscal – gratuito

A Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo, por meio da Escola Fazendária – Fazesp – informa que estão abertas as inscrições para o curso autoinstrucional “Ética e Cidadania Fiscal”  – Turma 01 de 2016

O curso será realizado no próprio ambiente virtual da Fazesp e é direcionado a cidadãos interessados em conhecer e contribuir para a melhoria da compreensão pública sobre tributação, responsabilidades do Estado e exercício da cidadania, aperfeiçoando, assim, a transparência na gestão pública e na prática da responsabilidade fiscal.

É com muita satisfação que o Centro de Educação Fiscal da Escola Fazendária de São Paulo – FAZESP, apresenta o curso “Ética e Cidadania Fiscal”.

informativo_etica_1turma

Sabemos que a atuação do Estado na vida das pessoas é uma realidade, já que pagamos tributos quando consumimos, auferimos renda ou possuímos patrimônio, e o Estado tem que aplicar esses recursos para prover as políticas públicas e os serviços públicos que interessam à sociedade, como saúde, educação, segurança, entre outros. (more…)

abril 13, 2016

Curso Transparência e Direito de Acesso à Informação, oferecido pela UCRH

A Unidade Central de Recursos Humanos – UCRH tem por missão planejar, coordenar, orientar tecnicamente e controlar, em nível central, as atividades de gestão de Recursos Humanos da Administração Direta e das Autarquias do Estado de São Paulo. Cabe-lhe também promover a uniformização de procedimentos da área de Gestão de Recursos Humanos.

A Unidade Central de Recursos Humanos tem sua estrutura organizacional estabelecida pelo Decreto nº 51.463, de 1º/01/2007 e está subordinada à Secretaria de Planejamento e Gestão. Tem por missão institucional, na área de capacitação, contribuir para a profissionalização do serviço público paulista através da atuação na formação profissional e desenvolvimento dos servidores públicos do estado, tendo como princípio fundamental o compromisso com a qualidade pedagógica em suas ações.

trans

Trabalha na formação de servidores públicos com alta competência técnica e de lideranças transformadoras aptas a lidar com os desafios que a gestão pública enfrentará no futuro; busca a inovação pedagógica, com a construção de novas formas de aprendizagem; e na produção e disseminação de conhecimentos inovadores sobre gestão pública.

Desenvolve cursos em parceria com órgãos da Administração Direta e Autárquica para a formação de alta qualidade dos servidores públicos estaduais, acompanhando as diretrizes estratégicas emanadas pela Administração, conforme o Plano de Governo.

O curso abaixo – Transparência e Direito de Acesso à Informação – é de vital importância para todos os servidores públicos e como informativo para a população em geral. Acesse as aulas! Posso garantir que você não se arrependerá.

  • Aula 1. Transparência e Democracia
    Neste primeiro vídeo do curso Transparência e Direito de Acesso à Informação apresentamos a temática e conceitos relacionados à transparência, direitos humanos e acesso à informação.
    Especialistas: Fernando Meloni e João Gomes

  • Aula 2. A importância do direito de acesso à informação
    O vídeo traz conceitos e trata da importância do direito de acesso e da transparência para o funcionamento do estado democrático de direito e da administração.
    Especialistas: Fernando Meloni e João Gomes
    (more…)
Próxima Página »

O tema Rubric. Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 587 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: