A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

setembro 4, 2015

IV SEMINÁRIO INTERNACIONAL ARQUIVOS DE MUSEUS E PESQUISA

A quarta edição do Seminário reunirá especialistas, profissionais e demais interessados no patrimônio histórico cultural internacional para dialogarem e apresentarem suas formações, seus conhecimentos e experiências multifacetadas no universo dos arquivos, bibliotecas, museus e instituições similares de interesse público. Esta interdisciplinaridade lida com desafios cotidianos de gestão de acervos e de capacitação contínua de seu corpo técnico em coleções de diversas tipologias, na maioria das vezes insubistituíveis, de natureza única ou híbrida. É sabido que tal tarefa é pouco provável a um único profissional.

cartaz

A cultura de rede e comunicação imediata potencializa uma horizontalidade e circularidade de conhecimentos e informações em múltiplas linguagens interconectando processos educativos e participativos nas instituições de guarda de acervos e de alcance do público. (more…)

agosto 16, 2015

XI Congresso de Arquivologia do MERCOSUL – facilidades para inscrições em grupo

Você está planejando vir ao XI Congresso de Arquivologia do MERCOSUL em grupo? Está montando uma caravana?
logo

Sim? Que ótimo! Então confira essa oportunidade:

Preços promocionais exclusivos para caravanas (grupos com 40 ou mais integrantes):
Estudantes de graduação (associado ou não): R$150,00
Profissional graduado (associado ou não): R$300,00
E o organizador da caravana ainda ganha uma cortesia!

Condições:
1. Valores válidos para pagamento realizado por meio de depósito bancário até o dia 10 de setembro de 2015, em parcela única referente ao valor total das inscrições, em conta corrente a ser informada pela coordenação do XI CAM.

(more…)

XI CONGRESSO DE ARQUIVOLOGIA DO MERCOSUL – “Entre tradição e modernidade”

Promoção: ARQ-SP – Associação de Arquivistas de São Paulo – ARQ/SP – São Paulo

A Associação de Arquivistas de São Paulo (ARQ-SP) tem a satisfação de convidar a comunidade constituída por profissionais que atuam em arquivos e centros de documentação e memória, docentes, pesquisadores e estudantes de Arquivologia do MERCOSUL e dos demais países latino-americanos, para o XI Congresso de Arquivologia do MERCOSUL – Arquivos, entre tradição e modernidade, que ocorrerá na sede da Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas (APCD), em frente ao Arquivo Público do Estado de São Paulo (APESP), em São Paulo, capital do Estado de São Paulo, Brasil, durante os dias 19, 20, 21 e 22 de outubro de 2015.

logo

OBJETIVO GERAL:

Reunir os profissionais da área, arquivistas, docentes, estudantes, diretores de arquivos municipais, estaduais/provinciais e nacionais, pesquisadores e todos aqueles que, de uma forma ou de outra, estão relacionados com a teoria e a prática arquivísticas, com a finalidade de transmitir conhecimento, compartilhar experiências, discutir problemas e apresentar novos desafios que possibilitem o crescimento tanto do profissional quanto da Arquivologia. (more…)

julho 16, 2015

Cidadania Italiana – um longo caminho a percorrer!

E tudo começou com Luigi Martini, quando emigrou para o Brasil, em abril de 1886. Chegou com seus pais e irmãos e contava com 16 anos. Um século e 3 anos mais tarde (em 1989) comecei minha saga para saber em que Comune nasceu, pois somente tinha a informação que era da região de Treviso, norte da Itália. Nenhum documento documento italiano havia sido preservado pela família. Nada. Apenas informações desencontradas dos parentes mais velhos. Muitas cartas foram enviadas para Paróquias e Arquivos da região de Treviso. Muito dinheiro foi gasto com idas e vindas em busca das certidões aqui no Brasil.

luigi martini

Luigi Martini

Somente em 2002 consegui localizar sua origem: Cornuda, cidadezinha pequena (é uma comuna italiana da região do Vêneto, província de Treviso, com cerca de 5.732 habitantes. Estende-se por uma área de 12 km², tendo uma densidade populacional de 478 hab/km².). Mas, os registros documentais da localidade foram destruídos e queimados durante bombardeios da primeira guerra mundial. (more…)

março 18, 2015

Os 123 anos do Arquivo Público do Estado de São Paulo

Em 10 de março de 1892 é criada na Secretaria do Interior a “Repartição Estatística e do Arquivo do Estado” pelo Decreto nº 30. Assim inicia a história do Arquivo Público do Estado de São Paulo (APESP), um dos órgãos públicos mais antigos da administração paulista.  Hoje a instituição comemora seus 123 anos com muitas mudanças e conquistas.

fotoarquivopublico1892

Até o ano de 1906, o Arquivo Público do Estado teve a sua sede instalada na Igreja e Convento do Colégio, onde também ficava o Palácio do Governo e diversas repartições públicas

O Arquivo Público é responsável pela formulação de políticas de gestão documental para o Governo do Estado.  Além disso, a instituição conta com um acervo com mais de 10 km de documentação (equivalente a 12 milhões, aproximadamente) sobre a história do Estado de São Paulo, disponível gratuitamente para consulta à população.

A atividade de arquivo na administração pública é bem mais antiga, surgindo em 1721, pouco tempo depois do desmembramento dos territórios de São Paulo e Minas Gerais. É quando surgem as primeiras notícias da formação de um acervo arquivístico para amparar as decisões de governo. (more…)

março 3, 2015

Hilda Hilst em ocupação no Itaú Cultural

“O teatro surgiu numa hora de muita emergência, em 1967, quando havia a repressão. Eu tinha muita vontade de me comunicar com o outro imediatamente. Como não podia haver comunicação cara a cara, então fiz algumas peças, todas simbólicas, porque eu não tinha nenhuma vontade de ser presa, nem torturada, nem que me arrancassem as unhas. Então fiz, por analogia, várias peças que qualquer pessoa entenderia o que se pretendia dizer numa denúncia. Fiz oito peças e, depois, parei. Era só uma emergência daquele momento em que eu desejava uma comunicação mais imediata com as pessoas. Mas também não deu certo. As pessoas vão ao teatro para se divertir, ninguém vai ao teatro para pensar.” (Um diálogo com Hilda Hilst. Entrevista concedida a Nelly Novaes Coelho, Rio Claro, Arquivo Municipal, 1989).

hilda-hilst

No mesmo evento uma ouvinte pergunta se Hilda havia aprendido pintura, ao que escuta como resposta: “Não, não aprendi pintura. Às vezes, quando fico muito tensa e não consigo escrever, aí eu pinto, desenho um pouco.”

Tive o prazer de conhece-la pessoalmente quando fui buscá-la em uma tarde chuvosa em Corumbataí/SP, onde estava hospedada em casa de amigos. Hilda seria entrevistada por Nelly Novaes Coelho em um ciclo de palestras, promovido em 1989, pela Profa. Dra. Ana Maria de Almeida Camargo e que recebeu o nome de “Feminino Singular”. O evento aconteceu no Arquivo Público e Histórico do Município de Rio Claro, onde trabalhei de 1985 até 2002. Adorava o meu emprego no Arquivo e só saí de lá por conta do baixo salário. Caso contrário estaria por lá até hoje! Hilda veio sentada ao meu lado, em meu Fuscão branco, ano 1975, falante, simpática e fumando muito. Durante os poucos quilômetros que separam Corumbataí de Rio Claro, conversamos sobre plantas e cachorros, sua paixão. Hoje ela está sendo homenageada e relembrada num grande evento aqui em São Paulo. (more…)

janeiro 28, 2015

O Fundo Plínio Salgado, que está sob a guarda do Arquivo Público e Histórico de Rio Claro/SP, recebeu o selo da UNESCO

A nota abaixo vem diretamente do Facebook do Arquivo município Público e Histórico de Rio Claro, que acaba de  receber o selo da Unesco pelo Fundo Plínio Salgado, que se encontra sob sua guarda. A cerimônia de outorga do título aconteceu no mês passado na sede do Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro.

O Arquivo Público de Rio Claro esteve representado na solenidade por sua coordenadora Ana Maria Penha Mena Pagnocca, que recebeu o certificado de inscrição do acervo de Plínio Salgado no Registro Nacional do Brasil, do Programa Memória do Mundo da Unesco – Memory of the World – MoW.

ana

Ana Maria Penha Mena Pagnocca, que recebeu o certificado de inscrição do acervo de Plínio Salgado no Registro Nacional do Brasil, do Programa Memória do Mundo da Unesco – Memory of the World – MoW.

Na condição de uma das primeiras funcionárias da autarquia, desde sua criação em 1979, Ana Maria Pagnocca acompanhou todo o processo de inscrição do fundo do líder integralista para concorrer a uma vaga de nominação como patrimônio documental da humanidade.

(more…)

janeiro 21, 2015

Arquivo Público do estado de São Paulo oferece nova plataforma de pesquisa

Reprodução
Pesquisadores e interessados já podem acessar a nova ferramenta de pesquisa

O Arquivo Público do Estado de São Paulo (APESP) acaba de disponibilizar em seu site uma nova ferramenta de pesquisa, o ICA-AtoM – um programa gratuito de descrição arquivística desenvolvido pelo Conselho Internacional de Arquivos (ICA na sigla em inglês) para disponibilização de acervos na internet.

Com este programa, o Arquivo Público do Estado cumpre uma de suas mais importantes missões: facilitar o acesso aos fundos documentais sob sua guarda, através de instrumentos de pesquisa mais eficientes e completos.

O trabalho de implantação do ICA-Atom partiu da revisão do Guia do Acervo que vem sendo realizada pelo Centro de Acervo Permanente do APESP, com o objetivo de adequar as descrições dos fundos e coleções aos padrões internacionais de tratamento arquivístico, assim, possibilitando a integração do acervo ao software.

Através do ICA-AtoM, o pesquisador tem uma visão geral do fundo, do seu conteúdo, da sua forma de arranjo e do contexto em que a sua documentação foi gerada, podendo pesquisar, imprimir relatórios, realizar buscas e cruzar informações, descontraidamente em casa ou no ambiente que preferir, e no horário que escolher.

(more…)

janeiro 16, 2015

Lembranças do meu passado e fotos que marcaram minha vida!

Quem visita o A Simplicidade das Coisas sabe que sou alguém que gosta de relembrar o passado.  Tenho reminiscências tão distantes que às vezes custo a lembrar com exatidão em qual circunstâncias ocorreram. Nossa memória é formada não só por imagens, mas por cheiros, sons, sensações e gostos. E ao longo de nossa vida tais coisas ficam arquivadas em caixinhas, que de vez em quando abrimos e tudo ressurge como em um filme.

No Velocípede

Nem sempre aquilo que me lembro da minha infância, das pessoas que povoaram minha existência, são as mesmas lembranças que povoam as mentes de minhas duas irmãs. E os eventos que eu vivi num certo momento podem não ter tido relevância naquela época, mas podem ter um significado maior para quem eu sou agora. É mais ou menos como um livro – a cada vez que o relemos terá um novo significado. O que está escrito ali não se modificou, mas o entendimento do que lemos sim – esse se modifica na medida em que o tempo passa. (more…)

dezembro 30, 2014

Bruges (brugge), na Bélgica – uma cidade medieval

A relíquia de um pedaço de tecido com uma mancha de sangue que acredita-se ser o sangue de Jesus.

A relíquia de um pedaço de tecido com uma mancha de sangue que acredita-se ser o sangue de Jesus.

Até parece que em Bruges o tempo parou. É como se você estivesse passeando pela Bélgica de alguns séculos atrás. Com sua majestosa praça central iluminada por grandes candelabros, carruagens indo e vindo, ruas estreitas com calçamento de pedras e canais bucólicos emolduram essa cidade medieval, romântica por natureza. Linda, fantástica, como num conto de fadas. O seu centro histórico foi merecidamente tombado como Patrimônio da Humanidade pela Unesco, em 2000 e logo depois, em 2002 ganhou o título de Capital Européia da Cultura.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Bruges chegou a ser uma das principais economias da Europa, entre os séculos XII e XV. A cidade era cheia de comerciantes que vinham dos quatro cantos do mundo. Até que o rio, que ligava a cidade ao mar, foi assoreado e os navios ficaram sem acesso. Nisso, a cidade viveu um período de repouso. E só aconteceu um novo renascimento depois de 400 anos pronta para brilhar mais do que nunca e receber levas e levas de turistas.

A praça central – Markt – é o coração de Bruges e ainda preserva boa parte de seu traçado original. Antigamente, o local era chamado de fórum. E, presenciou muitas cenas da história do povo belga, desde festas populares até grandes batalhas. Cada lado da praça é cheio de prédios em diferentes estilos, construídos ao longo de vários séculos. De um lado o Palácio Provincial e o antigo correio ocupam edificações neogóticas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Também é na praça central que fica o Campanário de Bruges, principal símbolo da cidade. Para subir tem que pagar e encarar uma pequena escadaria de 366 degraus para chegar ao topo,  de um onde você terá uma vista privilegiada da cidade e ver bem de pertinho o carrilhão e seu 47 sinos.  Tal Campanário foi feito em etapas. Inicialmente, no século XIV foram construídos o campanário e o corpo do prédio, como um complexo formado por duas partes. Alguns anos depois, um terceiro pavimento, de 80 metros, foi feito em pedras para ser usado como observatório para evitar que algum incêndio destruísse a cidade, coisa comum naquela época.

Bem ao lado da prefeitura fica Velha Casa dos Arquivistas, que exibe os ares da Renascença, construída em 1534.

Bem ao lado da prefeitura fica Velha Casa dos Arquivistas, que exibe os ares da Renascença, construída em 1534.

Ainda na praça há o santuário Heilig Bloedbasiliek, que fica numa entrada discreta e pequenina que pode até passar em branco para os menos avisados. O acesso é discreto, mas o interior da Basílica do Sangue Sagrado guarda uma relíquia poderosa: um frasco com o sangue de Cristo.  (more…)

Próxima Página »

O tema Rubric. Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 447 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: