A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

janeiro 2, 2018

Arquivos de Estado na Itália e suas fontes documentais para pesquisa genealógica

As fontes de séries documentais armazenadas nos arquivos estatais da Itália, úteis para pesquisas pessoais e genealógicas podem ser identificadas principalmente em dois tipos:

1. estados civis , que datam do início do século XIX;
2. Documentação militar ( Listas e Matrículas ) mantida desde a primeira metade do século XIX em diante.

O Estado civil napoleônico, da Restauração, italiano

O Stato civile Napoleonico (SCN)  foi introduzido na Itália a partir de 1806, após a anexação de muitas regiões ao Império Francês, e permaneceu em vigor até 1815; A manutenção do estado civil pelos municípios, produziu uma série de registros de nascimento, casamento e morte, cujo duplo original, após vários eventos, de acordo com os lugares e horários, foi mesclado com os Arquivos de Estado das respectivas províncias. Muitas vezes, ao lado dos registros, há inúmeros anexos para registros que contenham informações interessantes que não podem ser encontradas em outros lugares, como paternidade e maternidade, ou consentimento para o casamento das partes contratantes, possibilitando rastrear as gerações anteriores que viveram no segundo semestre ou no final do século XVIII.

(more…)

Anúncios

Pesquisa Genealógica italiana – por onde começar?

Por onde começar?

A busca por dados pessoais de uma pessoa deve partir de referências geográficas, tempo e relacionamento parental (pai, cônjuge, filho), avançando para trás. Os dados iniciais constituem a chave para acessar as informações úteis e para delinear os perfis pessoais das fontes documentais.
Tendo que realizar uma pesquisa, é necessário distinguir entre o estado civil e o local de registro. O status civil diz respeito ao registro de nascimentos, óbitos e casamentos, enquanto o local do registro (Anagrafe – do verbo grego para se registrar, registrar) diz respeito aos movimentos da população, residências e mudanças relacionadas, censos, imigrações e emigrações.

Onde estão as fontes?

(more…)

Antenati – um portal para você pesquisar seus antepassados

Conforme outros portais nacionais sobre história familiar, promovidos em muitos países, o Portal antenati.san surge da necessidade de organizar e disponibilizar o enorme patrimônio documental dos registros de estado civil existentes nos Arquivos do Estado da Itália onde você pode realizar pesquisas pessoais e genealógicas, destinadas a reconstruir a história das famílias e das pessoas, mas também a história social em um sentido amplo. Graças a um acordo assinado com a FamilySearch International, em 2011 ,por Luciano Scala, Diretor Geral de Arquivos, o objetivo do Portal é publicar progressivamente milhões e milhões de imagens de registros de estado civil (alguns dos quais são convertidos por microfilmes realizados nos Arquivos de Estado da Sociedade Genealógica de Utah desde meados dos anos setenta do século passado, sendo que parte foi recém-adquirida), para que os interessados possam fazer pesquisas na seção Sfoglia i registri (navegue pelos logs) . Cada imagem é acompanhada da respectiva descrição do arquivo do documento que mostra o nome do instituto que preserva a fonte, o fundo, a tipologia do ato (nascimentos, casamentos, óbitos e anexos relacionados), a localização, a data, o número progressivo do registro ou envelope quando existente. (more…)

dezembro 29, 2017

Poemas para o Ano Novo

 

bem-vindo-2018

Quero agradecer suas visitas ao blog. Também quero agradecer pela vida e tudo o que temos nela. Tudo Mesmo! Até mesmo as dificuldades e adversidades que se apresentaram em 2017. Elas são as grandes oportunidades de testarmos o quanto somos capazes.

Que em 2018 você ame tudo que você faz e faça com amor! Siga suas paixões! Escute seu coração! Crie sua realidade! Conheça suas habilidades! Confie em você e na sua intuição!
Faça seus dias felizes!

Beijos e abraços.

Augusto

Fiquem em companhia de belos e fascinantes poemas. Até janeiro!

Ano Novo
Fernando Pessoa

Ficção de que começa alguma coisa!
Nada começa: tudo continua.
Na fluida e incerta essência misteriosa
Da vida, flui em sombra a água nua.
Curvas do rio escondem só o movimento.
O mesmo rio flui onde se vê.
Começar só começa em pensamento.

Receita de Ano Novo
Carlos Drummond de Andrade

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)

Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

Ano Novo
Mário Quintana 


Lá bem no alto do décimo segundo andar do ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas buzinas
Todos os tambores
Todos os reco-recos tocarem:
– Ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada – outra vez criança
E em torno dela indagará o povo:
– Como é o teu nome, meninazinha dos olhos verdes?
E ela lhes dirá
( É preciso dizer-lhes tudo de novo )
Ela lhes dirá bem alto, para que não se esqueçam:
– O meu nome é ES – PE – RAN – ÇA …

Ano Novo
Ferreira Gullar

Meia noite. Fim
de um ano, início
de outro. Olho o céu:
nenhum indício.

Olho o céu:
o abismo vence o
olhar. O mesmo
espantoso silêncio
da Via-Láctea feito
um ectoplasma
sobre a minha cabeça:
nada ali indica
que um ano novo começa.

E não começa
nem no céu nem no chão
do planeta:
começa no coração.

Começa como a esperança
de vida melhor
que entre os astros
não se escuta
nem se vê
nem pode haver:
que isso é coisa de homem
esse bicho
estelar
que sonha
(e luta)

Ano Novo
Fernando Pessoa

De tudo, ficaram três coisas:

A Recomeça…
Se puderes
Sem angústia
E sem pressa.

E os passos que deres,
Nesse caminho duro
Do futuro
Dá-os em liberdade.

Enquanto não alcances
Não descanses.
De nenhum fruto queiras só metade.

E, nunca saciado,
Vai colhendo ilusões sucessivas no pomar.
Sempre a sonhar e vendo
O logro da aventura.

És homem, não te esqueças!

Só é tua a loucura
Onde, com lucidez, te reconheças…
certeza de que estamos sempre começando…
A certeza de que precisamos continuar…
A certeza de que seremos interrompidos antes de terminar…

Portanto devemos:

Fazer da interrupção um caminho novo…
Da queda um passo de dança…
Do medo, uma escada…
Do sonho, uma ponte…
Da procura, um encontro…

dezembro 17, 2017

Monumentos da Praça Ramos de Azevedo e Fonte dos Desejos foram restaurados

Depois de quase 100 anos de sua inauguração, o monumento a Carlos Gomes, e toda área de um dos espaços mais belos do centro, a Praça Ramos de Azevedo e Fonte dos Desejos – Glória, foram entregues no sábado.

A Praça Ramos de Azevedo, cartão postal da região central, foi entregue à população  o último sábado, dia 16 de dezembro, depois da revitalização de todos os seus monumentos que fazem homenagem ao compositor de ópera, Carlos Gomes, como também, a famosa “Fonte dos Desejos”.

A nova “Fonte dos Desejos – Glória” (1922): Escultura em bronze, do artista italiano Luigi Brizzolara (1868-1937), que foi inaugurado no ano do centenário da independência do Brasil. Tem destaque um conjunto de três impetuosos cavalos alados que arrastam a Glória do Brasil através dos oceanos. Em 1957, o prefeito Adhemar de Barros recebeu a escritora italiana Mercedes La Valle, que lhe entregou um frasco contendo água da Fontana di Trevi, de Roma. Durante cerimônia no Monumento a Carlos Gomes (localizado acima da fonte), o prefeito despejou a água na fonte, como num ato de batismo, dando-lhe o nome de “Fonte dos Desejos”.

A parceria entre a Prefeitura e empresários ligados à comunidade italiana, pelo Italia Per San Paolo (ITA Brasil), recuperou este importante conjunto de esculturas localizado no Vale do Anhangabaú, uma área total de 4,5 mil metros quadrados que foi completamente restaurada.

Cada monumento recebeu atenção especial durante a limpeza, com produtos específicos para cada material. Para remover as pichações foram usadas várias técnicas que não danificasse o aspecto da escultura, pois tudo foi feito para não tirar a originalidade da obra.

(more…)

novembro 6, 2017

Respeito e compaixão pelos animais vira matéria nas escolas da Índia

“A grandeza de uma nação e seu progresso moral podem ser julgados pela maneira como seus animais são tratados”— Mahatma Gandhi

Os animais são parte do mundo natural, no entanto, ao longo da história, muitas vezes as pessoas trataram os animais mais como coisas do que como seres.

Desde a pouca idade, a natureza aflora em nós um encantador universo de descobertas e autoconhecimento. Na Índia, essa ideia é levada a sério e foi incluída na grade escolar de colégios de todo o país como atividade extracurricular. Por meio do projeto educacional Compassionate Citizen, as crianças aprendem a ter compaixão pelos animais, ampliando seu engajamento ambiental.

Compassionate-Citizen

Fonte: Hypeness

Direcionado para a garotada entre 8 e 12 anos, o programa é uma parceria entre as ONGs Animal Rahat e PETA, que atuam na defesa dos direitos dos animais.

O intuito é desenvolver nessas crianças e adolescentes atitudes de respeito, empatia, gentileza e não violência para com os outros seres vivos. “A maioria das crianças sente naturalmente preocupação e afeição pelos animais, mas elas absorvem o comportamento cruel da sociedade e gradualmente perdem sua compaixão. A falta de respeito por outras espécies pode se traduzir em insensibilidade e crueldade – inclusive para com outros seres humanos”, explica um comunicado oficial sobre o projeto. (more…)

outubro 20, 2017

Fazesp – Escola Fazendária de São Paulo

 

Parte de uma série de construções escolares realizadas pelo Estado no início do século 20, a Escola do Carmo foi recuperada para abrigar a Escola de Administração Fazendária (Fazesp) – onde trabalho. Houve um primeiro projeto de recuperação que teve início em 1999 e que terminou em 2002 e outro, mais recente, que teve início em 2015 foi finalizado em 2016.

O edifício, de linguagem neoclássica com a inserção de elementos art nouveau, passou por metódico trabalho de recomposição. A área do terreno é de 1.068,25 m2 e a área construída é de 2.834,96 m2.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Exemplar representativo da arquitetura escolar do início do século passado, o conjunto foi projetado pelo arquiteto alemão naturalizado brasileiro Carlos Rosencrantz, funcionário, desde 1913, da antiga Diretoria de Obras Públicas da Secretaria da Agricultura.

A Escola do Carmo é um de seus primeiros projetos, feito com Achilles Nacarato. Retrato das alterações pelas quais passou a cidade, a edificação declinou junto com o centro e – curiosamente – ressurge no momento em que ele está sendo redescoberto.

(more…)

outubro 17, 2017

Microsoft e sua casa na árvore, para funcionários

A Microsoft anunciou a casa da árvore em uma postagem em seu blog , onde revelou que se uniu ao construtor Pete Nelson do programa de televisão Treehouse Masters para criar o novo espaço de trabalho.

Ela fica há doze metros do chão, apresenta paredes de madeira reaproveitada e um teto  com uma claraboia redonda azul. 

Uma porta em folha dupla arqueada e esculpida à mão se abre quando o funcionário passa o seu crachá. Ao entrar, sente-se a fragrância do cedro. Dentro da pequena sala, há uma mesa simples, dessas do tipo das usadas em fazenda, com assentos vermelhos. Bancos confeccionados em madeira restaurada se alinham com as paredes de madeira de demolição.

A Microsoft diz que isso não é apenas um espaço de trabalho alinhado às novas tendências. A empresa diz que o verdadeiro motivo por trás da casa da árvore é baseado em estudos científicos que mostram que estar integrado a natureza estimula o cérebro e reduz o estresse, o que pode levar a uma maior produtividade.

 

outubro 11, 2017

Quem ganhou o prêmio Nobel da Paz no ano em que você nasceu

Fonte: El País

O Prêmio Nobel da Paz começou a ser oferecido no primeiro ano do século XX. Desde então, foram agraciadas 103 pessoas e 23 organizações. Eis um dado curioso: a idade média dos ganhadores é de 61 anos. Em 2017, o prêmio pacifista foi para a campanha internacional para proibir as armas nucleares, uma coalizão de organizações não governamentais de cerca de 100 países. Veja aqui quem ganhou o Nobel da Paz no ano em que você nasceu:

philip-noel-baker-baron-noel-baker-3.jpg

1901. Frédéric Passy (França) e Henri Dunant (Suíça)

1902. Charles Albert Gobat (Suíça) e Élie Ducommun (Suíça)

1903. William Randal Cremer (Reino Unido)

1904. Instituto de Direito Internacional (Bélgica)

1905. Bertha von Suttner (Áustria-Hungria)

1906. Theodore Roosevelt (Estados Unidos)

1907. Ernesto Teodoro Moneta (Itália) e Louis Renault (França)

1908. Fredrik Bajer (Dinamarca) e Klas Pontus Arnoldson (Suécia)

1909. Auguste Beernaert (Bélgica) e Paul d’Estournelles (França) (more…)

setembro 27, 2017

O Brasil e seus furacões

* por Augusto Bernardo Cecílio (Auditor fiscal da Secretaria da Fazenda do Amazonas)

Aqui e acolá escuto a comemoração de que “graças a Deus no Brasil não temos terremotos, furacões ou tsunamis”. Ledo engano. Temos sim, e dos mais arrasadores e violentos. Faz-se necessário usar esta comparação para buscar entender que a situação do Brasil, nas questões de saúde e educação, pode ficar pior.

Enquanto a Constituição Federal assegura a vida como sendo o bem maior dos direitos fundamentais, preceituando em seu artigo 196 que a saúde é um direito de todos e um dever do Estado, por outro lado o governo federal congela os gastos na saúde pública por 20 anos.

(more…)

Próxima Página »

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: