A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

dezembro 7, 2018

Escola de SP usa música e meditação em projeto para acalmar e incentivar alunos

Professores criam campanha pela vida após adolescentes falarem em suicídio e mutilações

Folha 6/12/2018 – Thaiza Pauluze – SÃO PAULO

Quando a professora Daniela Zanoni chegou à sala de leitura da escola Major Arcy, ela se assustou com o relato dos alunos. “Vou me matar. Meu pai não aceita minha sexualidade”, disse uma adolescente. “Quero morrer. Eu queria morar com a minha mãe”, se queixou outra aluna, que vive com a tia. A mãe é moradora de rua. 

Alguns já haviam se cortado com estilete, outros quebraram o apontador para fazer de objeto cortante. As histórias não são exclusivas desse colégio estadual na Vila Mariana, bairro de classe média da zona sul paulistana. Mas foi lá que os professores ligaram o alerta e decidiram criar o projeto Há Vida para jogar luz sobre o tabu. Ele se soma a outras ações de melhoria da autoestima dos estudantes

No caso da primeira aluna, a solução foi a conversa aberta sobre sexualidade. No segundo caso, foi a música —a menina ama cantar e entrou para o coral da escola.


Entrada da escola estadual Major Arcy na Vila Mariana, zona sul de SP – Ronny Santos/Folhapress

meditação fica a cargo da professora de sociologia Laura Sanches. Ela entra na sala e, em no máximo cinco minutos, acalma a turma —levada a se imaginar numa montanha ou numa boia no meio do oceano. Sem o método, “tem professores que levam 20 minutos até a classe fazer silêncio e focar”. 

Com uma aluna que tem fortes crises de ansiedade, só Laura dá jeito. A menina sai da sala sem conseguir respirar, chorando. “Cinco minutos de meditação, ativando os pontos neurais, e ela entra no eixo”, diz a professora. Outra chegou rebelde, intocável, xingava todo mundo, não tirava o boné. Laura diz ter simplesmente escutado ela, que deixou a revolta de lado, e já abraça a todos sem embaraço.

Quem entra na escola Major Arcy ouve “As Quatro Estações” de Vivaldi. A estrondosa sirene do intervalo deu lugar também a MozartBeethoven e, por vezes, a Michael Jackson

A escola é parte do projeto de ensino integral do estado, e os alunos, de 10 a 17 anos, têm rotina puxada: de 7h às 16h. A maioria é de longe dali, vem do extremo zona sul da capital, e levam até três horas para chegar. São, principalmente, filhos dos funcionários do Hospital São Paulo, distante 3 km dali. 

“O ensino integral tira a criança da rua, possibilita sonhar”, diz a diretora Eliane Dantas. Essa ideia, de almejar além da marginalidade que ronda os jovens da periferia, é trabalhada em disciplinas como projeto de vida, protagonismo e mundo do trabalho.

Na rede pública brasileira, só 4 em cada 10 estudantes miram o diploma universitário, segundo dados do Pisa, teste internacional de aprendizagem. Bem, não na escola estadual da Vila Mariana. Lá, a imensa maioria dos que chegam ao nível médio buscam o ensino superior. A diretora calcula que 60% tenha ingressado numa universidade.

“Nos importamos com o currículo, mas acima disso está o ser humano que queremos formar: autônomo e empático”, diz Eliane. 

Nas notas, a Major Arcy vai bem. É a quinta melhor escola estadual de São Paulo, segundo o Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). Mas o que entusiasma a todos lá são as ideias fora da caixinha. Um exemplo são os clubes, onde alunos de todas as idades se dividem por interesse. Tem a galera do xadrez, do teatro, da literatura. E até uns de 10 anos conduzindo reunião com aqueles quase formados. 

O Há Vida foi criado a partir da iniciativa em homenagem ao profeta Gentileza —como era conhecido José Datrino. Ele foi uma espécie de pregador, famoso por suas inscrições como “Gentileza gera Gentileza”, nas pilastras do viaduto do Gasômetro, no Rio. Seus desenhos e frases, pregando amor, paz e, claro, gentileza, foram reproduzidos pelos alunos nos muros da escola paulista. 

A ideia de discutir racismo —outro tema intimamente ligado à baixa autoestima— partiu dos alunos. Numa aula, um mediador debochou da expressão “nigga” (gíria do inglês, usada entre os afro-americanos e tida como pejorativa quando falada por brancos). Os estudantes não aceitaram. 

“Parecia que falar sobre negros era difícil, um tabu, mas é o que eu sou”, critica Ana Luiza Pinheiro, 14. 

No último colégio em que Clara Marques, 16, estudou, ela não se sentia bem. Na sala da particular, só dois eram negros. “Falavam muito do meu cabelo, aí ou eu brigava ou chorava. Agora estou aprendendo a reagir com argumentos.”

Ela alisou as mechas crespas aos 11 anos e só voltou ao natural no ano passado. Mas as marcas da época ficaram. “Eu não conversava mais, não saía de casa. Tive crise de ansiedade, fiz terapia vários anos.”

Para Ana Luiza, o preconceito deu as caras quando ela tinha seis anos. “Estava brincando de barbie. Uma menina da escola tirou a boneca da minha mão e disse que eu nunca seria como ela: branca, loira, de cabelo liso. Disse que eu era feia.”

Para os meninos é um tanto mais fácil, diz Gustavo Gustavo Felipe de Oliveira, 14, campeão estadual de basquete com o time da Major Arcy este ano —a escola acumula troféus do esporte. “A gente corta o cabelo baixinho, passa gel.” Foi assim que ele chegou a Major Arcy em 2015. De lá para cá, deixou nascer o black power que hoje ostenta orgulhoso. “Você vai descobrindo sua beleza e aí fica mais fácil.” 

Outro que passou pelo mesmo processo foi Gabriel de Jesus, 14. Tanto num colégio público, quanto no particular, foi rejeitado. “Era o último a ser escolhido. Antes eu até alisava o cabelo, mas quando cheguei aqui, comecei a deixar crescer.” Foi em 2016.

Ana Luiza quer ser artista. Faz teatro na escola e balé numa academia de dança. Clara se divide entre psicologia e arquitetura. “Pretendo fazer os dois. Já fiz testes vocacionais aqui na escola.” Gabriel também está declinado a cursar psicologia “por querer ajudar as pessoas”. Já Gustavo pretende seguir jogando basquete. Já faz parte do Instituto Superação e da LBE (Liga de Basquete Escolar).

No dia da Consciência Negra, 20 de novembro, eles resolveram expandir a conversa sobre racismo para os 300 alunos do colégio. Mas não com as tradicionais palestras dos expertos no assunto. Deram eles mesmos os próprios depoimentos. 

Anúncios

novembro 27, 2018

I Seminário Arquivo e Memória Escolar

Data: 3 e 4 de dezembro de 2018 (oficina + seminário)

Local: Instituto Federal de São Paulo – IFSP – Rua Pedro Vicente, 625 – Canindé (próximo à estação de metrô Armênia)

(antiga Escola Técnica Federal – campus São Paulo)

Promoção conjunta:

Associação de Arquivistas de São Paulo – ARQ-SP

Instituto Federal de São Paulo – IFSP

Objetivo geral:

Incentivar a preservação da história das instituições de ensino por meio de seus arquivos e centros de memória.

PROGRAMAÇÃO

DIA 3/12 (segunda-feira)

OFICINA – IMPLANTAÇÃO DE CENTROS DE MEMÓRIA ESCOLAR

Ana Maria de Almeida Camargo (FFLCH-USP)

Horário: das 10:00 às 13:00 e das 14:00 às 17:00 horas

Vagas limitadas

DIA 4/12 (terça-feira)

I SEMINÁRIO ARQUIVO E MEMÓRIA ESCOLAR

MANHÃ

9:30 – Credenciamento e café de boas-vindas

10:00 às 10:15 – Abertura

Ana Célia Navarro de Andrade (presidente da Associação de Arquivistas de São Paulo)

Representante a ser confirmado (Instituto Federal de São Paulo)

10:15 às 11:00 – Conferência – Arquivos e fontes na escrita da história da educação brasileira 

Conferencista: Bruno Bontempi (FE-USP)

11:00 às 12:30 – Primeira Mesa – Gestão de arquivos escolares

Palestrantes:

Ana Célia Navarro de Andrade (CEDIC-PUC-SP; UNIFAI)

Gestão escolar eficiente ↔ arquivo escolar preservado.

Renato Júdice de Andrade (Colégio Rio Branco)

As tecnologias e a gestão escolar.

12:30 às 14:00 – Intervalo (almoço)

TARDE

14:00 às 15:30 – Segunda Mesa – Os desafios da preservação da memória escolar

Palestrantes:

Maria Lucia Mendes de Carvalho (Centro Paula Souza)

A educação profissional em São Paulo: história e memória

Daniel Ferraz Chiozzini (PUC-SP)

A memória do Ensino Vocacional de São Paulo

15:30 às 15:45 – Intervalo (café)

15:45 às 17:15 – Terceira Mesa: Sistemas e redes de memória: perspectivas

Palestrantes:

Iomar Barbosa Zaia (Universidade Brasil)

A implantação de centros de memória: balanço de uma experiência

Ricardo Tomasiello Pedro e Raquel Quirino Piñas (Colégio Marista Arquidiocesano)

Memorial do Colégio Marista Arquidiocesano: constituição, acervos e perspectivas.

17:15 às 17:30 – Encerramento e entrega dos certificados de participação.

Investimento:

OFICINAProfissionalEstudante**Empenho***
Associados ARQ-SP*R$ 70,00R$ 35,00R$ 70,00
Não associadosR$ 100,00R$ 50,00R$ 100,00
SEMINÁRIOProfissionalEstudante**Empenho***
Associados ARQ-SP*Profissionais da EducaçãoR$ 100,00R$ 50,00R$ 100,00
Não associadosR$ 130,00R$ 65,00R$ 130,00
OFICINA+SEMINÁRIOProfissionalEstudante**Empenho***
Associados ARQ-SP*Profissionais da EducaçãoR$ 150,00R$ 75,00R$ 150,00
Não associadosR$ 200,00R$ 100,00R$ 200,00

(*) Para ter direito ao desconto, os associados devem enviar para diretoria@arqsp.org.br cópia do comprovante de pagamento da anuidade vigente (referente ao ano 2018) ou solicitar boleto para pagamento.

(**) A categoria “estudante” se aplica apenas a alunos regularmente matriculados em cursos técnicos (ensino médio) e de graduação. Alunos de pós-graduação (especialização, mestrado ou doutorado) devem se inscrever na categoria “profissional”. No ato da inscrição, é necessário anexar cópia do atestado de matrícula no sistema. O desconto para estudantes não é válido para pagamento por empenho.

(***) O desconto oferecido a associados será aplicado apenas para instituições em dia com a anuidade vigente (referente ao ano 2018). Pagamento por empenho: antes de realizar a inscrição, entrar em contato com o e-mail diretoria@arqsp.org.br para confirmação dos trâmites a serem seguidos.

Informações sobre pagamento:

O pagamento deverá ser realizado exclusivamente por meio da Loja da ARQ-SP, exceção feita a empenhos. Pedidos de empenho serão aceitos até as 12 horas do dia 30 de novembro.

Nossas cobranças são processadas pelo PagSeguro e o pagamento poderá ser efetuado por meio de boleto bancário (à vista) ou por cartão de crédito (com opções de parcelamento).

Para solicitar nota fiscal, os interessados deverão entrar em contato com secretaria@arqsp.org.br

VAGAS LIMITADAS!

SERÁ CONFERIDO CERTIFICADO DE PARTICIPAÇÃO

A CONFIRMAÇÃO DA VAGA ESTÁ CONDICIONADA AO PAGAMENTO DA TAXA DE INSCRIÇÃO

INFORMAÇÃO IMPORTANTE – INSTRUÇÕES PARA A INSCRIÇÃO:

  1. Faça o cadastro no site da Associação de Arquivistas de São Paulo (arqsp.org.br). Clique em MINHA CONTA no menu superior e preencha as informações solicitadas.
  2. Após realizar seu cadastro, saia do sistema para validar os dados.
  3. Acesse a LOJA da ARQ-SP, clique em CURSOS, e depois na opção adequada, de acordo com a categoria desejada (Selecione pelo código SAME_2018).
  4. Realize a compra do seminário, seguindo o passo a passo informado pelo site.
  5. “Estudantes” devem anexar o comprovante de matrícula no sistema durante o processo de inscrição.

novembro 15, 2018

Relíquias Franciscanas – expostas em São Paulo

Hoje é o último dia da exposição de Relíquias de Santos Franciscanos
no Convento e Santuário São Francisco, de São Paulo.
A exposição ‘Relíquias Franciscanas – Transcendência e Sacralidade na vida e no corpo dos Santos’ conta com cerca de 60 peças, a maioria apresentada em relicários – usados para preservar os fragmentos. Destacam-se a relíquia da verdadeira Cruz de Cristo, recuperada por Santa Helena, mãe do Imperador Constantino, o mesmo que cristianizou o Império Romano no século IV. Santa Helena também foi a responsável pela chegada das várias relíquias vindas de Jerusalém e que hoje estão espalhadas por Roma, entre elas este fragmento que hoje pertence ao acervo dos franciscanos.

De acordo com o Frei Alvaci Mendes da Luz, OFM, Reitor do Santuário São Francisco, trata-se de uma oportunidade única de se aproximar de um tesouro histórico e de grande importância para os fiéis. “Sabemos da importância e da força espiritual de podermos ver, tocar e venerar o que sobrou do corpo terreno desses homens e mulheres que nos antecederam no seguimento de Jesus e que nos ensinam a fazê-lo de maneira mais intensa”, afirmou o religioso.

Aberta ao público e gratuita, a exposição ‘Relíquias Franciscanas’ poderá ser visitada até hoje, dia 15 de novembro,  das 9h às 16h. O Convento e Santuário São Francisco estão localizados na capital paulista, no Largo São Francisco, 133, Sé.

outubro 30, 2018

Curso de Formação para Conselheiros Municipais de Guarulhos

São Paulo, setembro de 2018 

Nos dias 10, 11 e 12 de setembro, aconteceu no Adamastor Centro, em Guarulhos, o Curso de Formação para Conselheiros Municipais, com o intuito de capacitar conselheiros daquela localidade para que possam exercer seu papel nos Conselhos, por meio do acompanhamento e fiscalização cidadã das políticas públicas e da utilização de ferramentas de controle social, auxiliando a prefeitura na aplicação efetiva dos recursos públicos.

O treinamento, que faz parte do portfólio de ações do Grupo de Educação Fiscal Estadual – GefeSP, foi oferecido pelo Centro de Educação Fiscal – CEF, da Escola Fazendária do estado de São Paulo – Fazesp, em parceria com a Escola de Administração Pública de Guarulhos – ESAP, com a Receita Federal da 8ª Região Fiscal – município de Guarulhos e Prefeitura Municipal. Os 152 inscritos participaram de uma série de palestras e oficinas sobre assuntos como a Lei de Acesso à Informação, Portais de Transparência, Serviços de Acesso à Informação ao Cidadão, Planejamento e Execução Orçamentária, estrutura e funcionamento dos Conselhos de Políticas Públicas, entre outros temas. (more…)

outubro 16, 2018

Como funciona o trem que vai do centro de São Paulo ao Aeroporto de Guarulhos

O serviço começou a operar no dia 16 de outubro de 2018 e custa R$ 8,00

Fonte: O Estado de S.Paulo

16 Outubro 2018 | 03h00

Como funciona o trem que vai do centro ao Aeroporto de GuarulhosComposição fará trajeto em 35 minutos Foto: Gabriela Biló/Estadão

O serviço de trem que liga a Estação da Luz, no centro de São Paulo, ao Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, Guarulhos, começou a operar nesta terça-feira, 16 de outubro. O serviço havia sido prometido para agosto. Entenda como funcionará.

Qual é o preço?

Segundo a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), o bilhete do Airport Express vai custar R$ 8 e o embarque e o desembarque serão realizados em plataformas exclusivas.

Quando vai operar?

A composição vai funcionar de segunda a sexta-feira. Segundo a CPTM, o primeiro trem vai partir às 10 horas da Estação da Luz e não fará nenhuma parada durante a viagem. Lá, também haverá trens às 12, 14, 16 e 22 horas. Por sua vez, as composições na Estação Aeroporto-Guarulhos saem às 9, 11, 13, 15 e 21 horas.

Qual a duração do trajeto?

O trem cumprirá o trajeto em 35 minutos, sem fazer paradas. A composição chegará até a Estação Aeroporto-Guarulhos, da Linha 13-Jade, que dá acesso ao Terminal 1 de Cumbica, onde operam as empresas aéreas Azul e Passaredo. Já para chegar aos outros terminais é preciso pegar um ônibus gratuito, oferecido pela GRU-Airport, concessionária responsável pelo aeroporto.

Outro serviço

Outro serviço, o Connect, funciona desde o dia 3 de outubro e liga a Estação Brás a Cumbica. O trem, no entanto, para nas estações e a tarifa é comum, de R$ 4. No sentido Brás, as viagens do Connect são feitas, de segunda a sexta, às 6h20, 7h, 7h40, 18h, 18h40 e 19h20. Aos sábados, o trem sai às 6h20, 7h e 7h40. No sentido aeroporto, os horários são 6h25, 7h05, 7h45, 18h05, 18h45 e 19h25, de segunda a sexta; e 6h25, 7h05 e 7h45, aos sábados. O serviço não funciona aos domingos.

agosto 21, 2018

Prêmio Tesouro Nacional – 2018 – Inscrições abertas!

Premio Tesouro Nacional 2018

Idealizado pela Secretaria do Tesouro Nacional, o concurso tem a finalidade de estimular a pesquisa na área de Finanças Públicas, reconhecendo os trabalhos de qualidade técnica e de aplicabilidade na Administração Pública. Poderão concorrer trabalhos individuais ou coletivos,  de candidatos de qualquer nacionalidade e formação acadêmica (graduação ou pós-graduação).

Temas:

  1. EQUILÍBRIO, TRANSPARÊNCIA E PLANEJAMENTO FISCAL DE MÉDIO E LONGO PRAZO
  2. GESTÃO DE TESOURARIA, COMPOSIÇÃO, RIGIDEZ E ALOCAÇÃO EFICIENTE DO GASTO PÚBLICO
  3. FEDERALISMO FISCAL

(more…)

agosto 9, 2018

Centro de Educação Fiscal-CEF, da Fazesp, promove curso gratuito sobre Orçamento Público, Controle Social e Cidadania fiscal

orçamento

O Centro de Educação Fiscal – CEF, da Escola Fazendária do Estado de São Paulo (Fazesp) informa que abrirá inscrições para a 3ª turma de 2018 do curso Orçamento Público, Controle Social e Cidadania Fiscal. O conteúdo é de interesse de professores, estudantes, membros de organizações sociais interessados na temática, servidores públicos e cidadãos em geral que poderão se inscrever, via internet, no período de 13 de agosto a 03 de setembro, ou até o término das vagas, o que acontecer primeiro.

O curso é gratuito e será realizado no próprio ambiente virtual da Fazesp de 03 de setembro a 15 de outubro. O conteúdo é direcionado a cidadãos interessados em compreender as políticas públicas do Estado, em especial a importância do orçamento público e os instrumentos disponíveis para o exercício do controle social.

Com uma carga horária de 40 horas, o curso possui três módulos: Estado e Sociedade no Brasil, Orçamento Público e Controle Social e Transparência.

Para aprovação e emissão de certificado será necessário alcançar no mínimo 70% de acerto nas questões ao final de cada módulo. Para mais informações e para realizar a inscrição acesse a página do curso na Escola Virtual Fazesp.

Informações

Curso: Orçamento Público, Controle Social e Cidadania Fiscal – Turma 3/2018

Modalidade: Educação à Distância

Período de inscrições: 13 de agosto a 03 de setembro, ou até o término das vagas, o que acontecer primeiro.

Período de realização: 03 de setembro a 15 de outubro.

Público-alvo: estudantes, membros de organizações sociais interessados na temática, servidores públicos e cidadãos em geral

Carga horária: 40 horas

Vagas: 500

agosto 2, 2018

Concurso #minhaartenacapa – prorrogação

As inscrições para a primeira fase do concurso Minha Arte na Capa (fase de produção), da Secretaria Estadual de Educação, que iriam até dia 3 de agosto, foram prorrogadas até o dia 15 de agosto. Nessa fase, as diretorias regionais recebem das unidades de ensino as sugestões de desenhos de estudantes matriculados em classes do Fundamental (Anos Inicias e Finais), Médio e Educação de Jovens e Adultos. As 10 melhores ilustrações vão estampar o kit escolar de 2019. O resultado sai em 29 de outubro.

Neste ano, os candidatos escolhem um dos dois temas: Cidadania e Ação ou Alimentação Consciente. Serão aceitos trabalhos individuais ou de equipes com até três alunos orientados por um professor de qualquer disciplina. Já as ilustrações devem seguir o seguinte padrão: em papel sulfite, tamanho A4, sem bordas e margens e sem nenhum tipo de identificação. Podem utilizar técnicas com lápis de cor, guache, hidrocor, aquarela, pastel, nanquim, crayon ou cera. O regulamento completo está disponível aqui. (more…)

julho 31, 2018

Memorial da Imigração Judaica de São Paulo

Integrado ao circuito histórico cultural da Luz, composto pelo Parque da Luz, a Pinacoteca, a Estação Ferroviária, o Museu da Língua Portuguesa, o Museu de Arte Sacra e a Oficina Oswald de Andrade, surge hoje o “Memorial da Imigração Judaica”. Localizada na 1ª Sinagoga do Estado de S. Paulo, fundada em 1912, o museu guarda um amplo e valioso acervo documental destinado a valorizar a contribuição dos judeus ao desenvolvimento do Brasil.

Mais de um século depois – após reinauguração em 23 de fevereiro de 2016 – o Memorial visa preservar a memória judaica e apresentar ao público a chegada dos judeus ao país desde o período colonial, durante a presença holandesa no Recife do século 17, no Império e nos demais períodos da história nacional, incluindo um andar inteiro destinado ao Holocausto.

Atualmente, o bairro do Bom Retiro, berço das mais diferentes levas migratórias, passou a ser uma nova opção de roteiros histórico-culturais na cidade. Assim, o visitante encontrará no Memorial um espaço ímpar para honrar a memória daqueles imigrantes judeus engajados na construção do Brasil.

Entre as inúmeras peças expostas, o Memorial traz verdadeiras preciosidades, como o “Diário de Viagem de Henrique Sam Mindlin”, texto escrito em 1919, quando o garoto de apenas 11 anos; já no navio, narra sua jornada de Odessa até o Rio de Janeiro. Outra valiosa peça do acervo é o livro “Diálogos de Amor” (1558) de Leon Yehudá Abravanel de Veneza, um poeta da ascendência do apresentador Sílvio Santos. Nas vitrines é exposto um documento de mais de 250 anos, utilizado pelos judeus marroquinos como talismã, contendo algumas frases cabalísticas pedindo proteção e saúde. (more…)

Ética e Cidadania Fiscal – curso (EaD) gratuito

ETCF

A Escola Fazendária do Estado de São Paulo (Fazesp), por meio do Centro de Educação Fiscal (CEF) informa que de 23 de julho a 20 de agosto (ou até esgotarem-se as vagas) receberá inscrições para a terceira turma de 2018 do curso Ética e Cidadania Fiscal. O curso é gratuito e será realizado no próprio ambiente virtual da Fazesp de  20 de agosto a 26 de outubro. O conteúdo é direcionado a cidadãos interessados em obter conhecimentos sobre tributação, responsabilidades do Estado e exercício da cidadania, além de contribuir para a transparência na gestão pública e na prática da responsabilidade fiscal.

EtCidF

Entre os temas abordados estarão o Brasil e seus desafios; o papel da educação na transformação da sociedade; a estrutura dos poderes e suas atribuições; a classificação dos tributos; o panorama da sociedade brasileira atual; controle, transparência, lei de acesso à informação e participação social, o que é Ética e a diferença entre ética e moral. (more…)

Próxima Página »

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: