A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

agosto 30, 2020

Benzedeiras

As pessoas esqueceram o poder da fé. Em um mundo tão tecnológico, onde todas as respostas podem estar na ponta dos dedos, se esquecem do coração. E a fé é um ato de coração, de amor. 

Antigamente, as benzedeiras eram referência nas comunidades quando o assunto era saúde. Suas orações trazidas do passado, com um teor simples, mas de grande força, além de ervas, chás e remédios caseiros, muitas vezes eram o único recurso acessível para muitas famílias.

Morei parte de minha infância na Vila Martins, em Rio Claro/SP. E bem pertinho de minha casa vivia a D. Cida, benzedeira. Ela tinha uma casa com corredor na lateral e quintal nos fundos. Lembro que tinha plantas medicinais que se espalhavam em todos os canteiros. E de planta ela entendia bem. Com ela, morava um irmão (que as mães diziam que virava lobisomem em noites de lua cheia) e sua sobrinha, Marivone.

Com tanto conhecimento sobre plantas e doenças, D. Cida recebia sempre a visita de gente atrás de cura. Uma hora procuravam por plantas medicinais, outras tantas vezes era um benzimento. Com um raminho de arruda e o terço na mão, ela ia benzendo quem a procurava. E sempre ao lado do fogão a lenha.

(more…)

agosto 23, 2020

Voltando-se para dentro

Filed under: amor,Coisas que eu gosto,Tarô,Uncategorized — Augusto Jeronimo Martini @ 12:25
Tags: , ,

Neo Tarô Oslho

Observe bem esta carta que se chama Voltando-se para dentro. Uma mulher repousa serenamente sobre suas pernas e assiste com um sorriso tranqüilo às cenas que sua mente e as mentes ao seu redor criam, emanam, bisbilhotam, informam, procurando penetrar no seu mundo interior e particular.

O autor descreve a figura desta carta dizendo que este ser apenas constata estes pensamentos sem julgá-los, tampouco identificando-se com eles. Limita-se a observá-los como se fossem o tráfego de uma estrada ou as ondulações das águas de um lago.

(more…)

agosto 14, 2020

Amedronte o medo

Filed under: amor,Coisas que eu gosto,Uncategorized,Yoga — Augusto Jeronimo Martini @ 11:39
Tags: , , ,

[…] Não leve as experiências da vida tão a sério. Não deixe principalmente que elas o magoem, pois na realidade, nada mais são do que experiências de sonho… Se as circunstâncias forem ruins e você precisar suportá-las, não faça delas uma parte de você mesmo. Desempenhe o seu papel no palco da vida, mas nunca esqueça de que se trata apenas de um papel. O que você perder no mundo não será uma perda para sua alma. Confie em Deus e destrua o medo, que paralisa todos os esforços para ser bem sucedido e atrai exatamente aquilo que você receia. Ria de todos os medos, pois o Pai-Mãe, amado Deus, está atentamente desperto e presente em toda parte, com o propósito deliberado de amar e acolher você. O devoto sábio deve ser prudente, nunca temeroso: deve cultivar um espírito corajoso, sem contudo se expor imprudentemente a situações que possam despertar apreensões. Não tema nada, mas tente amedrontar o medo… Lembre-se, sejam quais forem os seus testes, você já tem dentro de si a força necessária para enfrentá-los. Deus não permitirá que você seja testado além da sua capacidade de suportar.
Agora você sabe que é um leão de força cósmica. […]

Paramahansa Yogananda

agosto 10, 2020

Celebração – Tarot Zen – OSHO

Filed under: amor,Coisas que eu gosto,Saúde,Uncategorized,Yoga — Augusto Jeronimo Martini @ 18:30
Tags: , ,

A vida é um momento para ser celebrado, desfrutado. Torne-a divertida, uma celebração, e então você entzrará no Templo. Esse templo não é para os tristes e desanimados, nunca foi para eles. Olhe para a vida: você vê tristeza em alguma parte? Você já viu uma árvore deprimida? Você já encontrou um pássaro movido por ansiedade? Já viu um animal neurótico? Não, a vida não é assim, absolutamente. Só o homem é que seguiu um caminho errado, se desviou em algum lugar, porque ele se considera muito sábio, muito esperto.

Sua esperteza é o seu mal. Não seja sábio demais. Lembre-se sempre de parar; não vá a extremos. Um pouco de tolice e um pouco de sabedoria fazem bem, e a combinação certa faz de você um buda…

Osho I Celebrate Myself Chapter 4

Comentário:

Estas três mulheres dançando ao vento e na chuva, nos fazem lembrar de que uma celebração nunca precisa ficar na dependência de circunstâncias exteriores. Não é preciso esperar por um feriado especial ou por uma ocasião formal, nem por um dia de sol sem nuvens. A verdadeira celebração nasce de uma alegria que primeiro é experienciada profundamente dentro do seu ser, e que se derrama num transbordamento de canto e dança, de riso, e até mesmo de lágrimas de gratidão.

Quando você tira esta carta, é um sinal de que está se tornando cada vez mais disponível e aberto às muitas oportunidades que existem para celebrar na vida e contagiar outras pessoas. Não se preocupe em programar uma festa na sua agenda. Deixe o cabelo ao natural, tire os sapatos, e comece a pular nas poças d`água agora mesmo. A festa está acontecendo à sua volta, a cada momento!

agosto 8, 2020

O mantra da paz

Filed under: Uncategorized — Augusto Jeronimo Martini @ 19:41
Tags: , , , ,
Paz

OM
Que haja felicidade para todas as pessoas
Que os governantes governem o mundo no caminho da justiça
Que haja sempre o bem para os sábios e para os animais
Que todos os seres sejam felizes
Que a chuva venha no tempo certo
Que a terra seja fértil
Que o país esteja longe da agitação
Que os sábios estejam longe do medo


OM
Que todos sejam prósperos
Que todos tenham paz
Que todos tenham plenitude
Que todos estejam bem
Que todos sejam felizes
Que todos sejam saudáveis
Que todos vejam o bem
Que ninguém sofra
OM
Que se vá a mentira e venha a verdade
Que se vá a escuridão e venha a luz
Que se vá a morte e venha a imortalidade
OM
Aquilo é pleno
Isto é pleno
Tirando o pleno do pleno
Somente o pleno sobra
OM
Haja paz, paz, paz.
Namaskár🙏

Oração Védica

Filed under: Uncategorized — Augusto Jeronimo Martini @ 19:25
Tags: , , , ,

Para mim, devotado à Verdade, que o vento sopre suavemente.
Que os rios corram tranquilamente.

Foto por DE AR em Pexels.com


Que as plantas – na forma de alimento e remédio – sejam doces e benéficas.
Que o dia e a noite sejam agradáveis.
Que a terra, o céu, os pais, as árvores que dão frutos, o sol, as vacas, sejam benéficos para todos nós.

Namaskár🙏

As quatro leis da espiritualidade da cultura Indiana

Filed under: Uncategorized — Augusto Jeronimo Martini @ 19:04
Tags: , , , , ,

Na Índia, são ensinadas “As quatro leis da espiritualidade”:

• A primeira lei diz: “A pessoa que vem é a pessoa certa”.

Ninguém entra em nossas vidas por acaso. Todas as pessoas ao nosso redor, interagindo conosco, têm algo para nos fazer aprender e evoluir em cada situação.

• A segunda lei diz: “Aconteceu a única coisa que poderia ter acontecido”.

Nada, nada absolutamente nada do que acontece em nossas vidas poderia ter sido de outra forma. Mesmo o menor detalhe. Não há nenhum “se eu tivesse feito tal coisa…” Ou “aconteceu que um outro …”. Não. O que aconteceu foi tudo o que deveria ter acontecido, e foi para aprendermos a lição e seguirmos em frente. Todas e cada uma das situações que acontecem nas nossas vidas são perfeitas.

• A terceira lei diz: “Toda vez que algo se inicia é o momento certo”.

Tudo começa na hora certa, nem antes nem depois. Quando estamos preparados para iniciar algo novo nas nossas vidas, é que as coisas acontecem.

• E a quarta e última lei afirma: “Quando algo termina, termina”.

Simplesmente assim.
Se algo acabou nas nossas vidas é para a nossa evolução. Por isso, é melhor seguir em frente e enriquecer-se com a experiência. Não é por acaso que você está lendo este texto agora. Se ele veio à sua vida hoje, é porque estava preparada para entender que nenhum floco de neve cai no lugar errado!

Seja Feliz!!!

Comparação

Filed under: Uncategorized — Augusto Jeronimo Martini @ 18:59
Tags: , , , ,

A comparação gera inferioridade, superioridade. Quando você não estabelece comparações, toda inferioridade e toda superioridade desaparecem. Nessa condição você simplesmente é, você simplesmente está aí. Um pequeno arbusto ou uma grande árvore alta — isso não importa — você é você mesmo. Você é necessário. Uma folha de grama é tão necessária quanto a maior das estrelas. Sem a folha de grama, Deus será menos do que ele é. O pipilar de um pássaro é tão necessário quanto qualquer buda — o mundo será menos, será menos rico se esse pássaro desaparecer.

Carta: Comparação

Basta olhar à sua volta. Tudo é necessário e se encaixa em um todo. Trata-se de uma unidade orgânica: ninguém está acima, ninguém está abaixo, ninguém é superior, ninguém é inferior. Cada qual é incomparavelmente único.

Osho The Sun Rises in the Evening Chapter 4

Comentário:

(more…)

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

DISCUTINDO CONTEMPORANEIDADES

Escrito por PROF RAFAEL PORCARI, compartilhando sobre futebol, política, administração, educação, comportamento, sociedade, fotografia e religião.

Saia de viagem

Em frente, sempre.

Mulher Moderna

Fazendo de tudo um pouco.

Memórias de Tereza

Um blog de memórias, recordações e lembranças familiares

Blog da Reforma

Um dia esta reforma acaba!

%d blogueiros gostam disto: