A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

novembro 6, 2017

Conheça a História e significado da árvore de Natal

Acredito que você também tem a sensação de que o Natal está chegando cada vez mais cedo, não é mesmo? Os shoppings, na ânsia de conquistar os clientes, acabam lançando suas decorações natalinas no final de outubro ou início de novembro! Um absurdo consumista! Sem contar quando você encontra lojas vendendo enfeites e guirlandas já em setembro… Tenho visto fotos de amigos e parentes que já montaram suas árvores! Mas saiba: há um motivo e dia certo para montar sua árvore de Natal e presépio! E em 2017 a data correta é o dia 03 de dezembro. Veja logo abaixo qual é a razão.

A árvore de Natal é um dos mais tradicionais símbolos cristãos relacionados ao nascimento de Jesus Cristo. De acordo com a Igreja Católica, ela representa a vida, já que, durante o inverno do Hemisfério Norte, época em que ocorre o Natal por lá, o pinheiro é única árvore que não perde suas folhas.  (more…)

Anúncios

Respeito e compaixão pelos animais vira matéria nas escolas da Índia

“A grandeza de uma nação e seu progresso moral podem ser julgados pela maneira como seus animais são tratados”— Mahatma Gandhi

Os animais são parte do mundo natural, no entanto, ao longo da história, muitas vezes as pessoas trataram os animais mais como coisas do que como seres.

Desde a pouca idade, a natureza aflora em nós um encantador universo de descobertas e autoconhecimento. Na Índia, essa ideia é levada a sério e foi incluída na grade escolar de colégios de todo o país como atividade extracurricular. Por meio do projeto educacional Compassionate Citizen, as crianças aprendem a ter compaixão pelos animais, ampliando seu engajamento ambiental.

Compassionate-Citizen

Fonte: Hypeness

Direcionado para a garotada entre 8 e 12 anos, o programa é uma parceria entre as ONGs Animal Rahat e PETA, que atuam na defesa dos direitos dos animais.

O intuito é desenvolver nessas crianças e adolescentes atitudes de respeito, empatia, gentileza e não violência para com os outros seres vivos. “A maioria das crianças sente naturalmente preocupação e afeição pelos animais, mas elas absorvem o comportamento cruel da sociedade e gradualmente perdem sua compaixão. A falta de respeito por outras espécies pode se traduzir em insensibilidade e crueldade – inclusive para com outros seres humanos”, explica um comunicado oficial sobre o projeto. (more…)

outubro 20, 2017

Fazesp – Escola Fazendária de São Paulo

 

Parte de uma série de construções escolares realizadas pelo Estado no início do século 20, a Escola do Carmo foi recuperada para abrigar a Escola de Administração Fazendária (Fazesp) – onde trabalho. Houve um primeiro projeto de recuperação que teve início em 1999 e que terminou em 2002 e outro, mais recente, que teve início em 2015 foi finalizado em 2016.

O edifício, de linguagem neoclássica com a inserção de elementos art nouveau, passou por metódico trabalho de recomposição. A área do terreno é de 1.068,25 m2 e a área construída é de 2.834,96 m2.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Exemplar representativo da arquitetura escolar do início do século passado, o conjunto foi projetado pelo arquiteto alemão naturalizado brasileiro Carlos Rosencrantz, funcionário, desde 1913, da antiga Diretoria de Obras Públicas da Secretaria da Agricultura.

A Escola do Carmo é um de seus primeiros projetos, feito com Achilles Nacarato. Retrato das alterações pelas quais passou a cidade, a edificação declinou junto com o centro e – curiosamente – ressurge no momento em que ele está sendo redescoberto.

(more…)

outubro 19, 2017

O que é um museu?

O da Santa Casa de São Paulo valoriza o ensino e a pesquisa, buscando aproximar os visitantes

*June Locke Arruda, O Estado de S.Paulo

Quem nunca ouviu o ditado popular que diz que “quem vive de passado é museu”? Isso vem do fato de que museu ainda está relacionado a um lugar que guarda coisas antigas, que não têm mais utilidade para ninguém, ou, num linguajar mais popular, coisas velhas mesmo!

museu

Contudo já paramos para pensar qual a origem dessa história? Quando e por que se começou a reunir peças e objetos em forma de coleções? Qual a relevância que essa instituição teve ao longo dos séculos e que magnitude ela tem nos dias de hoje? Vejamos.

A origem etimológica da palavra museu vem do grego e quer dizer musas. As musas eram entidades da mitologia grega, filhas de Zeus e de Mnemosine, a deusa da memória. A casa das musas era o mouseion, uma mistura de templo com instituição de pesquisa voltada para o saber filosófico, onde eram depositados objetos preciosos oferecidos às divindades em sinal de agradecimento. A partir de então, todo objeto reunido ou compilado num determinado espaço com o intuito de contar ou resgatar alguma área do conhecimento passou a ser relacionado à palavra museu. (more…)

outubro 17, 2017

Microsoft e sua casa na árvore, para funcionários

A Microsoft anunciou a casa da árvore em uma postagem em seu blog , onde revelou que se uniu ao construtor Pete Nelson do programa de televisão Treehouse Masters para criar o novo espaço de trabalho.

Ela fica há doze metros do chão, apresenta paredes de madeira reaproveitada e um teto  com uma claraboia redonda azul. 

Uma porta em folha dupla arqueada e esculpida à mão se abre quando o funcionário passa o seu crachá. Ao entrar, sente-se a fragrância do cedro. Dentro da pequena sala, há uma mesa simples, dessas do tipo das usadas em fazenda, com assentos vermelhos. Bancos confeccionados em madeira restaurada se alinham com as paredes de madeira de demolição.

A Microsoft diz que isso não é apenas um espaço de trabalho alinhado às novas tendências. A empresa diz que o verdadeiro motivo por trás da casa da árvore é baseado em estudos científicos que mostram que estar integrado a natureza estimula o cérebro e reduz o estresse, o que pode levar a uma maior produtividade.

 

outubro 11, 2017

Quem ganhou o prêmio Nobel da Paz no ano em que você nasceu

Fonte: El País

O Prêmio Nobel da Paz começou a ser oferecido no primeiro ano do século XX. Desde então, foram agraciadas 103 pessoas e 23 organizações. Eis um dado curioso: a idade média dos ganhadores é de 61 anos. Em 2017, o prêmio pacifista foi para a campanha internacional para proibir as armas nucleares, uma coalizão de organizações não governamentais de cerca de 100 países. Veja aqui quem ganhou o Nobel da Paz no ano em que você nasceu:

philip-noel-baker-baron-noel-baker-3.jpg

1901. Frédéric Passy (França) e Henri Dunant (Suíça)

1902. Charles Albert Gobat (Suíça) e Élie Ducommun (Suíça)

1903. William Randal Cremer (Reino Unido)

1904. Instituto de Direito Internacional (Bélgica)

1905. Bertha von Suttner (Áustria-Hungria)

1906. Theodore Roosevelt (Estados Unidos)

1907. Ernesto Teodoro Moneta (Itália) e Louis Renault (França)

1908. Fredrik Bajer (Dinamarca) e Klas Pontus Arnoldson (Suécia)

1909. Auguste Beernaert (Bélgica) e Paul d’Estournelles (França) (more…)

outubro 3, 2017

Veganos no Centro de São Paulo!

Os leitores frequentes desse blog sabem que moro no centro de São Paulo e que por ele tenho uma relação de amor e ódio (muito mais amor que ódio, convenhamos). Na semana passada uma amiga me apresentou a  startup  A Vida no Centro – um hub de inovação, lançado por Denize Bacoccina e Clayton Melo. Nele está sempre em foco a cultura e experiências sobre o centro de São Paulo. Segundo os idealizadores, o projeto tem como propósito ser um instrumento que, por meio de diferentes ações, ajude a melhorar a vida na região central da Metrópole e, assim, contribua para tornar São Paulo uma cidade mais aberta, sustentável e inovadora. A empresa atua por meio de diferentes ferramentas e serviços, como plataforma digital, curadoria de tendências e comportamento e experiências, como eventos temáticos ou outros projetos de marketing customizados para empresas.

Tenho muitos amigos veganos. Ontem, zapeando pelo site, encontrei um post muito bacana sobre os restaurantes veganos aqui do centrão. Escrevi pedindo autorização para colocar no blog e a Denize gentilmente liberou. Segue abaixo.

Assinem a newsletter  e fiquem por dentro de todas as iniciativas divulgadas por eles. Ou sigam no Facebook.

Vegano no centro de São Paulo? Veja aqui boas opções de bares e restaurantes
Procurando um lugar para almoçar ou jantar no centro de São Paulo? Fomos conferir e indicamos várias boas opções de restaurantes e bares veganos na região. Veja nossas dicas.

É possível ser vegano sem abrir mão de uma vida social, frequentar bares e restaurantes com a família ou amigos? Há alguns anos, talvez fosse difícil combinar na mesma frase veganismo e vida social. Muitas vezes era preciso levar comida de casa para o almoço ou ficar sabatinando o garçom e contar com a boa vontade do cozinheiro para ter certeza de que nenhum produto de origem animal seria de fato usado no prato.

Esse cenário mudou bastante nos últimos anos em São Paulo e hoje já é possível comer fora ou sair com os amigos sem ter que abrir mão da alimentação escolhida. Ainda é mais fácil encontrar restaurantes vegetarianos do que veganos, já que muitos restaurantes que não têm carne usam ovos e leite nos preparos. Mas já existem boas opções de veganos. Fomos conferir e indicamos aqui algumas boas opções no centro de São Paulo.

Subte Vegan, no mezanino da Galeria Boulevar do Centro

Subte Vegan, no mezanino da Galeria Boulevar do Centro

Subte Vegan

É um lugar relativamente novo neste endereço e faz parte do processo de reocupação do centro por uma moçada interessada em transformar a região em um lugar cada vez mais interessante. Fica instalada no mezanino de uma galeria que ainda não passou por um banho de loja e assusta à primeira vista. Mas não deixe de subir as escadas e caminhar até o restaurante. Lá dentro, o clima é outro. Comida maravilhosa (a feijoada vegana é a melhor que já provamos, com legumes reconhecíveis dentro do molho escuro e não imitações de salsichas), atendimento simpático e um clima acolhedor, com trilha sonora de primeira na vitrola. Tem feito bastante sucesso e em alguns dias tem fila para conseguir mesa. Os preços são muito camaradas. E as sobremesas também são excelentes. Promove happy hour com música alguns dias. Fique de olho na programação no Facebook.

(more…)

setembro 27, 2017

O Brasil e seus furacões

* por Augusto Bernardo Cecílio (Auditor fiscal da Secretaria da Fazenda do Amazonas)

Aqui e acolá escuto a comemoração de que “graças a Deus no Brasil não temos terremotos, furacões ou tsunamis”. Ledo engano. Temos sim, e dos mais arrasadores e violentos. Faz-se necessário usar esta comparação para buscar entender que a situação do Brasil, nas questões de saúde e educação, pode ficar pior.

Enquanto a Constituição Federal assegura a vida como sendo o bem maior dos direitos fundamentais, preceituando em seu artigo 196 que a saúde é um direito de todos e um dever do Estado, por outro lado o governo federal congela os gastos na saúde pública por 20 anos.

(more…)

setembro 22, 2017

A minha Primavera e a Primavera de Botticelli!

Quem não acorda com saudades de qualquer coisa?
Eu acordo sempre com saudade de ver os raios de sol entrarem pela janela em minha casa de infância, saudades do tempo perdido que uma pessoa não aproveitou como devia ser, saudades de um pouco de tudo…
A saudade é a luz viva e nítida que ilumina a estrada do passado. Hoje acordei com saudades da Primavera de antigamente… O tempo tem estado tão maluco que as estações do ano não são mais tão definidas.

De quanto criança, lembro da chuva, do nevoeiro, do  frio…

Mas hoje,  estamos na Primavera. A estação mais bela do ano! Céu claro, pássaros cantando, a vida florescendo. Luz para o corpo e alma.

Lembrei-me de partilhar com vocês este quadro de Sandro Botticelli. Porque o belo nos enche o peito! Porque a natureza nos devolve sentimentos adormecidos!

Feliz Primavera!

A Primavera vai entrando no jardim, lançando flores por onde passa, perfumando tudo, enchendo tudo de maravilha.

Esta obra foi criada no ano de 1482. Época em que os pintores renascentistas inspiravam-se em fábulas mitológicas para realizarem as obras destinadas a adornar edifícios. O quadro “A Primavera” foi encomendado por Lorenzo di Pierfrancesco de Médicis para ser colocado na villa Mediceia de Castello.  (more…)

setembro 20, 2017

Bueno Brandão – a joia da Mantiqueira!

Faz onze anos que escrevi aqui no blog sobre  Bueno Brandão. Depois que fiz o post estive mais duas vezes por lá. Sempre na Pousada Vale Verde, do amigo Carlos Eduardo Batagini, o qual se foi sem se despedir. Ser humano fantástico, arrebatado rapidamente por um câncer.

Tudo o que você ouvir falar sobre Bueno Brandão é verdade! Cidade pacata, de gente simples e 32 cachoeiras catalogadas. Pousadas rurais nas quais a gente se sente em casa. Não vou escrever mais nada. Leia e veja as fotos abaixo. O crédito do texto e das fotos são para Tales Azzi. A reportagem abaixo é do site vou contigo.

Se você é de São Paulo, aproveite o próximo feriado prolongado e vá conhecer BB! Não irá se arrepender. Eu garanto.

Das cidades mineiras da Serra da Mantiqueira, Bueno Brandão é uma das menos conhecidas. Sua fama turística ainda vai pouco além das cercas de suas pequenas fazendas que cultivam morangos. Mas suas paisagens de morros suaves, onde brotam dezenas de cachoeiras, são tão bonitas quanto as de outras cidades bem mais famosas da região, como Monte Verde ou Gonçalves.  É justamente por isso, que Bueno Brandão, a 170km de São Paulo, ou cerca de três horas de carro, rende uma viagem de final de semana deliciosa e cheia de surpresas.

bueno brandao

A primeira delas é o próprio caminho até lá. A estrada estreita e sinuosa que parte da vizinha Socorro-SP exibe um cenário pra lá de bucólico. Quando você ver apenas fazendas em ambos os lados da pista, vacas pastando e encostas tomadas por plantações de café, é sinal de que já cruzou a fronteira de Minas Gerais e está chegando a Bueno Brandão. Para ir entrando no clima pacato da região e observar melhor a paisagem, convém desacelerar o carro. Isso também ajudará a evitar os buracos da pista, que não são poucos. Após uma curva, avista-se a cidade, pequenina, no cocoruto de uma colina, cercada de araucárias.

bueno brandao

Bueno Brandão está a 1.100 metros acima do nível do mar. O ponto mais alto das redondezas é o Pico da Torre, que fica a 1.800 metros. O nome original da cidade era Campo Místico, em alusão a misteriosas luzes que, por vezes, eram avistadas no fundo dos vales. Só em 1938, com a emancipação do município, é que veio o nome atual, uma homenagem a Júlio Bueno Brandão, político mineiro que por duas vezes foi governador de Minas Gerais nos tempos da República Velha. (more…)

Próxima Página »

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: