A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

fevereiro 16, 2018

Os cães de minha vida…

Bubba Eduarda – saudades! Hoje ela completaria 20 anos.

Eu e Buba

Eu e a Buba, nos bons momentos felizes…

Leia mais no post Os cães de minha vida…

março 11, 2017

Lembranças, saudades e cheiros de infância…

“… As pessoas podiam fechar os olhos diante da grandeza, do assustador, da beleza, e podiam tapar os ouvidos diante da melodia ou de palavras sedutoras. Mas não podiam escapar do aroma. Pois o aroma é um irmão da respiração. Com esta, ele penetra nas pessoas, elas não podem escapar-lhe caso queiram viver. E bem para dentro delas é que vai o aroma, diretamente para o coração, distinguindo lá categoricamente entre atração e menosprezo, nojo e prazer, amor e ódio. Quem dominasse os odores dominaria o coração das pessoas.”   

Trecho do livro “O Perfume”, do escritor alemão Patrick Süskind

Minha mãe, aos dezesseis anos

Minha mãe, aos dezesseis anos

Os anos vão passando e a gente vai lembrando as coisas boas que aconteceram há muitos anos atrás. São memórias que fazem parte de nossas vidas… E se tais recordações trouxerem coisas boas, a isto chamamos de saudades. Tenho saudades de brincar na enxurrada da rua quando chovia. Tenho saudade de apanhar frutas direto do pé, de brincar nos bancos de areia que tinha em frente a minha casa. Tenho saudades dos meus amigos de infância; tenho saudades do cheiro dos lençóis limpos pendurados no varal e de quando passava correndo por eles… De olhos fechados, o pano deslizando sobre meu rosto enquanto eu corria… Tenho saudades de minhas idas ao barbeiro o qual recebia os clientes com aquela sua capa branca característica. Tenho saudades do cheiro da água velva que ele passava no “pé do cabelo” e que dava um friozinho por toda a cabeça.  (more…)

novembro 27, 2014

A infância dos anos 60 e seus sabores

No tempo de minha infância não havia nada, mas vivi com muito pouco e aproveitei tudo.

O auge de minha infância e adolescência foi nas décadas de 60 e 70. Era um tempo maravilhoso e quem visita o A Simplicidade das Coisas com frequência já sabe que eu sempre escrevo sobre ela.

Quando bem pequeno morei na Haras e Fazenda São José do Morro Grande – até meus 4 ou 5 anos – onde minha mãe era cozinheira, meu pai tratorista, meu avô paterno administrador e meus tios agricultores. Tais terras pertenciam ao Sr. Renato Mário Pires de Oliveira Dias, e que, além de plantações agrícolas tinha também um Haras. Segundo minha mãe, o Renatinho, como era chamado o filho do proprietário, gostava de fotografar (ou seja, “tirar retrato” como se dizia naquela época). E são de autoria dele as quatro únicas fotografias que tenho da época em que morei na Fazenda. Seguem abaixo, junto com uma “3×4”, a minha primeira nesse formato e com 7 anos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Olhando estas fotos antigas pude lembrar de alguns episódios e fiquei com saudades de minha infância. Então, tive a ideia de escrever alguns “fragmentos gustativos” daquela época. Neste texto trago à memória as coisas que eu mais gostava de comer e beber. Se você nasceu na década de 70 pode ser que se identifique com algumas delas. Seguem: (more…)

dezembro 24, 2013

Reflexões sobre o Natal… saudades…

Sim, eu já tive carnavais felizes, porém não me lembro de uma Noite de Natal muito feliz em minha infância de Rio Claro.

As noites de Natal perderam a delicadeza. Não temos mais chaminés nem ceias fartas. Temos o que é popular e fora da realidade da data – muitos churrascos! Em vez do saco de presentes do Papai Noel, temos as calamidades dos shoppings centers superlotados e abertos até a madrugada para dar conta da grande correria das compras. Hoje, em Belém, onde o menino Jesus recebeu os Reis Magos, nos lugares sagrados de Jerusalém, há explosões de mísseis, e homens-bomba que matam centenas de inocentes.

Nativity_tree2011

Lembro que no Natal da minha infância, enquanto os sinos tocavam eu via  as ceias nas casas dos vizinhos e os abraços frios e os votos de felicidades que eram trocados entre os familiares. O destino das famílias ficava evidente no Natal. Nós, os pobres se conformando com o prazer dos presentes baratos e os ricos querendo provar que seriam felizes. Papai Noel tem muitas conotações desde que foi inventado na Noruega, por causa de São Nicolau, que ajudava as pessoas carentes nos finais de ano. Papai Noel sempre foi uma imagem de perdão e carinho.  (more…)

Blog no WordPress.com.

DISCUTINDO CONTEMPORANEIDADES

Escrito por PROF RAFAEL PORCARI, compartilhando sobre futebol, política, administração, educação, comportamento, sociedade, fotografia e religião.

Saia de viagem

Em frente, sempre.

Mulher Moderna

Fazendo de tudo um pouco.

Memórias de Tereza

Um blog de memórias, recordações e lembranças familiares

Blog da Reforma

Um dia esta reforma acaba!

%d blogueiros gostam disto: