A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

abril 13, 2017

Lembranças de infância – a procissão do encontro

Na minha infância, final dos anos 60 e início dos anos 70, as modas e costumes do período da quaresma eram muito diferentes dos dias atuais. A Semana Santa era caracterizada por dias de seriedade, com tardes melancólicas, cinzentas, pesadas. Quase toda Sexta-Feira Santa chovia, havia um respeito e uma tristeza no ar, como se o tempo houvesse parado e todo o sofrimento de Jesus tivesse sido esparramado sobre a humanidade silenciosa. Não tínhamos aparelho de TV em casa, e no rádio só tocava música sacra ou clássica, com algumas transmissões religiosas e esperávamos pacientemente que o Domingo de Páscoa chegasse. Ah sim. Na Semana Santa não podíamos comer carnes ou beber leite e nem comer seus derivados. E minha mãe, na quinta para a sexta-feira, torrava amendoins no fogão a lenha e fazia a paçoca. Muitos homens não faziam a barba durante a quaresma. Os menos radicais não a fazia na Semana Santa.

ProcissaoDoSenhorMorto

Havia comemorações e celebrações religiosas em que toda a comunidade de Nossa Senhora Aparecida, a qual minha família pertencia. Morávamos na Vila Martins, em Rio Claro. Nessas comemorações os jovens e crianças também participavam. Lembro muito bem que a tradição católica da Semana Santa era uma coisa mágica, fantástica, inesquecível. Em Rio Claro presenciei celebrações da Semana Santa que marcaram minha infância. A procissão no Domingo de Ramos, que antecedia o Domingo de Páscoa era linda. E, na quarta-feira tinha a procissão do encontro. A Semana Santa era respeitada com silêncio e oração. (more…)

março 21, 2017

La Sagrada Familia, Barcelona

Quando falamos em Paris, logo vem em mente na nossa mente Torre Eiffel, em Dubai, o prédio Burj Khalifa e aqui no Brasil o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro.

Mas, ao falar em Barcelona, Espanha, a primeira imagem que vem em mente é o Templo Expiatório da Sagrada Família, ou somente Catedral da Sagrada Família. Ela é o símbolo da cidade.

Projetada inicialmente por Francisco de Paulo Del Villar, rapidamente a construção da magnífica estrutura passou para as mãos de um dos arquitetos mais reconhecidos e renomados do mundo, Antonio Gaudí, que a tocou até 1926, ano de sua morte. Frequentemente ele pedia que o trabalho fosse modificado e ajustado até que ficasse exatamente do jeito que queria. Porém, hoje, por conta da natureza dos desenhos existentes, seu trabalho está parcialmente aberto a interpretações. A interpretação dos desenhos por arquitetos atuais é bem desafiador porque as pedras da construção atual possuem um formato irregular.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O prédio ainda está sendo construído, então, ao visitá-lo, esteja pronto para ver muito trabalho sendo feito ali, ao vivo. E não deixe de conhecer o museu, dentro do prédio, no subsolo.

Independentemente de toda controvérsia ao redor da Sagrada Família (novos materiais de construção têm sido usados, os quais muitos acreditam que Gaudí não teria usado), é algo realmente magnífico e uma visita obrigatória quando você estiver em Barcelona.  (more…)

abril 21, 2014

Templo Zu Lai, o maior templo budista da América Latina

Em 2012 comemorei o meu aniversário no Solo Sagrado, da Igreja Messiânica. Esse ano, seguindo a mesma linha de meditação e contemplação da data, fui conhecer o Templo Zu Lai.

Ele fica pertinho de São Paulo – a cerca de 40 quilômetros da capital paulista, em Cotia –  cidade que abriga sítios e condomínios.  E é lá que está o maior templo budista da América Latina, inaugurado em 05 de outubro de 2003. Numa área de 150 mil metros quadrados, o Templo Zu Lai atrai centenas de pessoas por fim de semana — um número cada vez maior de budistas e também de curiosos em busca de relaxamento. O templo foi inspirando nos palácios da dinastia Tang, que comandou a China entre os séculos VII e X.

DSCF3342

Clique aqui Passeio virtual 360º e faça um passeio virtual pelo Templo Zu Lai.

 Além de contato com as tradições do budismo chinês, é possível meditar, ter aulas de Yoga e tai chi chuan, e diversos cursos, como o de filosofia budista, meditação, culinária vegetariana, ikebana, curso básico de chinês e caligrafia chinesa e se alimentar de comidas vegetarianas (o almoço sai por 20 reais). Lá é realizada a divulgação da prática de meditação e diversas cerimônias, como o Refúgio na Jóia Tríplice, Cinco Preceitos, Oito Preceitos e ainda rituais de casamentos e funerais. (more…)

abril 17, 2014

Lembranças da Semana Santa de minha infância

Na minha infância, final dos anos 60 e início dos anos 70, as modas e costumes do período da quaresma eram muito diferentes dos dias atuais. A Semana Santa era caracterizada por dias de seriedade, com tardes melancólicas, cinzentas, pesadas. Quase toda Sexta-Feira Santa chovia, havia um respeito e uma tristeza no ar, como se o tempo houvesse parado e todo o sofrimento de Jesus tivesse sido esparramado sobre a humanidade silenciosa. Não tínhamos aparelho de TV em casa, e no rádio só tocava música sacra ou clássica, com algumas transmissões religiosas e esperávamos pacientemente que o Domingo de Páscoa chegasse. Ah sim. Na Semana Santa não podíamos comer carnes ou beber leite e nem comer seus derivados. E minha mãe, na quinta para a sexta-feira, torrava amendoins no fogão a lenha e fazia a paçoca. Muitos homens não faziam a barba durante a quaresma. Os menos radicais não a fazia na Semana Santa.

ProcissaoDoSenhorMorto

Havia comemorações e celebrações religiosas em que toda a comunidade de Nossa Senhora Aparecida, a qual minha família pertencia. Morávamos na Vila Martins, em Rio Claro. Nessas comemorações os jovens e crianças também participavam. Lembro muito bem que a tradição católica da Semana Santa era uma coisa mágica, fantástica, inesquecível. Em Rio Claro presenciei celebrações da Semana Santa que marcaram minha infância. A procissão no Domingo de Ramos, que antecedia o Domingo de Páscoa era linda. E, na quarta-feira tinha a procissão do encontro. A Semana Santa era respeitada com silêncio e oração. (more…)

abril 15, 2014

Análises apontam que papiro que fala da esposa de Jesus é verdadeiro!

Um pedaço de papiro antigo descoberto em 2012 e que contém uma menção à esposa de Jesus não é uma falsificação, de acordo com uma análise científica do texto. Acredita-se que o fragmento seja proveniente do Egito e contenha escritos na língua copta, que afirmam: “Jesus disse-lhes: ‘Minha esposa…’”. Outra parte diz ainda: “Ela poderá ser meu discípulo”. Quando o fragmento do documento foi descoberto, houve muito rebuliço. Pelo fato de a tradição cristã afirmar que Jesus não era casado, o documento atiçou os debates sobre o celibato e o papel das mulheres na Igreja.

Depois de muitos questionamentos feitos pelo Vaticano em 2012, documento escrito entre os séculos 6 e 9 é analisado por especialistas de Harvard, MIT e Columbia, que garantem que ele não é uma farsa!

Depois de muitos questionamentos feitos pelo Vaticano em 2012, documento escrito entre os séculos 6 e 9 é analisado por especialistas de Harvard, MIT e Columbia, que garantem que ele não é uma farsa!

Em 2012 o jornal do Vaticano declarou que o papiro era uma farsa, juntamente a outros estudiosos, que duvidaram de sua autenticidade baseados em sua gramática pobre, com texto borrado e origem incerta. Nunca antes um evangelho se referiu a Jesus como se Ele fosse casado, ou tendo mulheres como discípulos. Mas uma nova análise científica do papiro e da tinta, bem como da escrita e da gramática, mostrou que o documento é antigo. (more…)

abril 13, 2014

Monte seu altar – um cantinho para oração e meditação!

Existem altares de todos os tipos e para todas as crenças. Desde a pré-história os humanos constroem altares para orações, sacrifícios e oferendas em torno de suas divindades. O cristianismo agregou essa prática cultural de outros povos e manteve um espaço dentro das igrejas, capelas e altares domésticos para as imagens de santos e anjos.

Até o século passado nada mais comum que encontrar nas casas um nicho com um oratório ou uma mesinha coberta com toalha de renda e muitas imagens de santos. Com a sociedade cada vez mais laica e o afastamento progressivo das pessoas do sagrado, há cada vez vemos menos esse tipo de espaço reservado para a oração e introspecção.

DSC06083

Além dos católicos, muitas religiões orientais como o budismo e o xintoísmo possuem altares. Nas religiões de culto afro, os altares são elementos de identidade e devoção ao orixá protetor. Eu acredito que a religião é um ato de ligação entre os humanos e as divindades e procuro praticar isso na minha mente e em meu dia a dia.

DSC06097,

Como dizia minha avó e minha mãe: não vivemos apenas de pão e água! Então, é melhor pensar em conversar mais com Deus e todas as boas energias, agradecer e pedir discernimento para entender aquelas que não saíram como idealizamos.

Pensando em tudo isso, resolvi montar um altar em meu apartamento, mas para respeitar meu multiculturalismo em relação as religiões, fiz dois espaços sincréticos mas muito especiais. Um com meus mestres espirituais, Francisco de Assis e Prabhat Ranjan Sarkar, também conhecido como  Shrii Shrii Anandamurtijii. No prédio onde moro, por ser um apartamento por andar, tenho dois halls: um do elevador, onde fiz o meu canto de meditação, e o outro, na entrada do apartamento, onde montei meu altar católico.  (more…)

dezembro 3, 2013

Cidade do Vaticano!

Hoje é terça-feira, meu ante penultimo dia em Roma. E haveria melhor maneira de quase terminar esta viagem do que visitar a deslumbrante Cidade do Vaticano? Acho que acertei. O dia estava mais quente que os anteriores, o sol brilhava com vontade e o céu estava azul.

Ah, a entrada na Cidade do Vaticano! Não pude deixar de sentir certa emoção por saber que é ali que se estabelece toda a base de uma das mais importantes religiões do Mundo, a católica.
Praça de São Pedro fica na frente da basilica e foi projetada por Bernini, no século XVII. Seu estilo clássico é representado pela coluna dórica que adorna a entrada para a Basílica de São Pedro envolvida por uma grande área oval. O estilo barroco está representando, por sua vez, no próprio espaço oval característico da praça, um reflexo da Contra-Reforma.
No centro da Praça de São Pedro tem um obelisco do Antigo Egito com mais de 40 metros de altura e com uma cruz no topo. É um monumento datada do século I e que foi trazido à Roma pelo imperador Calígula. Não havia a praça naquela época e o monumento foi colocado no local atual por ordem do papa Sisto V, em 1585, que teria colocado ainda alguns pedaços da cruz original de Jesus Cristo no obelisco.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Praça é um dos grandes símbolos do cristianismo no mundo, não só por representar a sede papal, mas por sua beleza e por seu impacto arquitetônico. Nessa praça são realizadas as principais celebrações católicas para os fieis, como as missas mais importantes do ano. É através do balcão que está de frente para a praça que o papa se comunica com o mundo.

 Não há nada nesse lugar que tenha sido feito ao acaso. Para qualquer lugar para onde direcionamos o olhar, tudo,  tudo foi pensado, projetado e trabalhado ao pormenor. É realmente um trabalho de arte fascinante e minucioso. (more…)

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: