A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

agosto 7, 2019

Ipê roxo florido

E olhando o ipê florido dá para perceber a renovação que é a primavera: é como uma segunda chance para a natureza, as folhas caem no outono, morrem no inverno e na primavera renascem. É como se a natureza a nos dizer que todos merecem uma segunda chance. Mas será que essa segunda chance se aplica a todos, independentemente dos erros? E até onde vai o orgulho que me impede de perdoar? Até onde ele vale a pena? E se a direção correta for o caminho do amor? E se for necessário o perdão? Talvez o amor seja necessário, porque a vida é simplesmente tão bonita e tão passageira e ninguém sabe como será o dia seguinte. Amanhã a gente morre e não viveu, não lutou, não amou, tudo por orgulho. O orgulho é bom, mas em excesso, envenena o coração.
Fica a dica!🙏😘🥰

outubro 16, 2015

A Praça da República virou ponto de prostituição e tráfico de drogas

Moro no centro de São Paulo há alguns anos por pura opção: estou perto de tudo, consigo ir e voltar a pé do trabalho todos os dias, tenho acesso a teatros e restaurantes, transporte público na porta de casa… Mas, a cada dia que passa o centro apresenta maior degradação.

São moradores de rua por todos os lados vivendo no abandono. Edifícios invadidos. Na Praça da República, que deveria ser um dos cartões postais da cidade, há lixo acumulado no calçamento e nos lagos, crianças nadando na água suja, a iluminação é precária, enfim, há um total descaso da Prefeitura. Mas afirmo – a culpa não é só de nossos administradores. Minha mãe já dizia que cada lugar tem o morador que merece. Grande parte da população também é responsável por esse descaso. Falta segurança, habitação, transportes públicos, mas também falta educação e principalmente cultura por parte de muita gente.

Republica

Pela manhã, bem cedinho, dependendo da visão do fotógrafo (no caso a minha), consegue-se ver beleza na Praça da República.

Republica1

Na Praça da República a segurança é no mínimo questionável – é outra preocupação minha e dos moradores do entorno, já que uma unidade móvel da Polícia Militar fica ali sempre, mas só durante o dia. Há algum tempo atrás havia um posto da Guarda Municipal que também foi retirado. No período noturno não há qualquer policiamento e é um risco atravessar a praça. (more…)

abril 29, 2014

São Paulo e suas fontes e chafarizes abandonados!

Vários chafarizes da cidade de São Paulo estão secos e sujos. Os instalados na Praça da Sé e República estão funcionando, mas, servem de piscina para o banho de desocupados, para lavar roupas e depósito de sujeiras. Ponto positivo para os servidores da limpeza urbana, que tentam diariamente, e a todo custo, deixar os chafarizes e lagos limpos – mas, com uma população que parece ter saído da Idade Média, não é fácil manter tais equipamentos urbanos em condições desejáveis.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Símbolo de convivência comunitária no século 19, tais equipamentos agora refletem a degradação do espaço público em São Paulo em plena metrópole.
Não há água no chafariz da Ladeira da Memória nem em qualquer outro chafariz do Vale do Anhangabaú. Situação idêntica se encontra o chafariz da Avenida Nove de Julho. (more…)

abril 27, 2014

Aluguel de quarto (suite) no centro de São Paulo, para a Copa do Mundo!

Muitas pessoas aqui em São Paulo e em outros lugares do Brasil estão alugando as dependências de suas casas ou apartamento durante a Copa do Mundo.

No principais sites imobiliários, cresce o número de anúncios de aluguel para a época dos jogos. Com a esperança de se diferenciar dos concorrentes e, em alguns casos, faturar um dinheiro a mais, muitos proprietários estão anunciando serviços adicionais junto com seus imóveis. Então, resolvi entrar nessa jogada.

Veja o anúncio clicando aqui Tripadvisor

O preço da diária do quarto aqui em meu apartamento será de 87 Euros. Minha intenção é de receber norte americanos e europeus. Como sabem, moro no centro, pertinho da Praça da República. Além do ônibus para o aeroporto internacional estar há menos de 60 metro de onde moro, tenho também, quase na mesma distância, as entradas para as linhas três (vermelha) e quatro (linha amarela) do metrô. Portanto, meu hóspede não dependerá de táxi para chegar ao aeroporto e ao Itaquerão! Quer comodidade maior que essa?

Este slideshow necessita de JavaScript.

O quarto é grande – tem 21 metros quadrados. E tem banheiro! É uma suite. Meu hóspede terá internet wifi, cozinha, TV etc. entre outras comodidades. (more…)

março 28, 2014

A Avenida Dr. Vieira de Carvalho, República, centro de São Paulo

O nome da avenida em que moro – Avenida Dr. Vieira de Carvalho deve-se a Joaquim José Vieira de Carvalho, que nasceu em Santos em 1842. Formou-se em Direito pela Faculdade Largo São Francisco em 1862 e também foi juiz municipal em Campinas e depois advogado. Por decreto de 19 de novembro de 1881 foi nomeado catedrático de Economia Política da Faculdade. Após a proclamação da República foi deputado à Constituinte paulista e senador estadual. Em 1886, por decreto de 17 de setembro, foi jubilado. Homenagem merecida, não é?

vieira 2

bourbon

Mas, antes disso, esse logradouro público foi chamado de Rua do Pocinho e depois de Rua da Santa Cruz. Hoje é uma rua bem conhecida, bonita e já foi muito chique nos tempos de antanho. Ela sai da Praça da República e vai em direção ao Largo do Arouche, tem apenas duas quadras e é considerada um boulevard (uma via de trânsito larga, arborizada  e com qualidade paisagística superior).  (more…)

março 25, 2014

O Largo do Arouche, em São Paulo

O Largo do Arouche é uma praça tradicional da região central da cidade de São Paulo. Situa-se no distrito República e tem belas árvores, como o seu maravilhoso Chichá.

arouche

Durante os séculos o seu nome foi alterado várias vezes: já foi o Largo do Ouvidor, o Largo da Artilharia, a Praça Alexandre Herculano. O nome atual é uma homenagem ao Marechal José Arouche de Toledo Rendon, que foi marechal de e que, além de militar ilustre, como comandante de Armas e inspetor de Milícia, era engenheiro. Foi o primeiro diretor da Faculdade de Direito de São Paulo, o primeiro diretor do Jardim Botânico e o primeiro homem a plantar chá por aqui. Ele também foi escritor, deixando entre as suas obras de Direito o livro “Elementos do Processo Civil” e entre as suas obras agrícolas o compêndio sobre “A Colheita de Chá”.

(more…)

outubro 6, 2013

Santana de Parnaíba – um reduto colonial dentro da maior metrópole brasileira!

Um final de semana que não prometia muita coisa. Conserto do telhado da área externa e anexa a cozinha. No domingo, ir até a feira livre do bairro Santa Cecília… Isso, até a decisão de fazer uma visita à cidade de Santana de Parnaíba, que fica bem próxima da capital paulista (cerca de 40 km da Praça da República, onde moro). É uma cidade interessante para fazer turismo de um dia próximo a capital paulista. Suas construções históricas encontradas em três ruas principais no centro histórico da cidade chamam a atenção dos visitantes. O centro histórico foi tombado em 1982 pelo Conselho do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico. Hoje em dia a cidade luta para manter seu patrimônio tombado, fazendo restaurações em diversos casarões do centro histórico através do projeto Oficina Escola de Artes e ofícios. São cerca de 209 edificações que mantém as características dos séculos 17, 18, e 19.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Santana de Parnaíba fundada em 1580, foi uma importante cidade no período colonial – rota dos bandeirantes, foi pioneira na geração de energia elétrica com a construção da usina de Parnahyba, Primeira usina hidrelétrica feita pelos canadenses da “Light and Power” no Brasil. Atual Barragem Edgard de Souza. Então, dá para perceber que não é pouca a importância histórica do lugar.

A cidade fica às margens do rio Tiete e foi fundada pelo bandeirante André Fernandes e sua mãe, Suzana Dias. Teve seu nome originado pela palavra Tupi Pan-nei-i-bo (lugar de muitas ilhas, ou rio ruim) devido a uma queda d’agua que impossibilitava a navegação. E a santa de devoção de Suzana Dias, que era Sant’Anna. Por conta de sua localização estratégica (às margens do rio Tiete) e da antiga rota indígena de penetração para os sertões de Goiás e Mato Grosso, lhe valeu a ascendência a categoria de Vila em 1625, o que causou disputas com as Vilas de São Paulo e Santo André da Borda do Campo. Depois da Guerra Civil em São Paulo, muitos dos grandes senhores fixaram residência nesta Vila. (more…)

novembro 20, 2012

São Paulo – imagens do centro da capital paulista

No último sábado, no final da tarde, fiz estas fotos em algumas ruas do centro da cidade. A foto do Edifício Itália com o Copan ao fundo foi tirada da sacada do meu apartamento.

São fotos do Theatro Municipal de São Paulo, Vale do Anhangabaú, Centro Cultural Banco do Brasil, Mosteiro de São Bento, Páteo do Colégio, Praça da Sé, Estação Júlio Prestes, Praça da República, Largo do Arouche, Prefeitura Municipal, detalhes, entre outros edifícios emblemáticos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ao ver as fotos percebe-se que existem infinitas possibilidades, maneiras e ângulos de se fotografar o centro de São Paulo.  (more…)

setembro 28, 2012

Trud – uma imigrante romena de alma brasileira!

Quando decidi que queria ficar em São Paulo, optei morar no centro. Comecei a procurar apartamentos. Visitei vários até chegar ao da Avenida Dr. Vieira de Carvalho, onde moro. A Trud, uma simpática moradora do prédio e que habita o sétimo andar há 50 anos, foi quem me apresentou o imóvel. Estava com as chaves, a pedido do morador e proprietário, o Sr. Délcio. Contou que o edifício foi construído por Adhemar de Barros. Todos os edifícios daquela calçada foram construídos por ele. E cada um dos 5 imóveis leva o nome de suas irmãs.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Trud me chama de “Augustus” e fala sempre com saudade da rua onde moramos. Diz que o Índio Caçador, escultura que vejo da janela do meu apartamento, foi encomendada em 1939. O artista e autor escolhido foi João Batista Ferri. A obra fica sobre um pedestal de 1,20 metros de altura e, retrata em bronze, o índio durante a caça, atividade considerada essencial dentre os costumes indígenas. Desde então, ele está ali, imponente, como que esperando uma caça que nunca vem, com os olhos fixos na Praça da República. Quando chegamos perto, vemos a perfeição da escultura – as veias do braço saltadas mostram o esforço empreendido. Parece que se colocarmos a mão dá para sentir o sangue correndo num corpo de bronze.

(more…)

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

DISCUTINDO CONTEMPORANEIDADES

Escrito por PROF RAFAEL PORCARI, compartilhando sobre futebol, política, administração, educação, comportamento, sociedade, fotografia e religião.

Saia de viagem

Em frente, sempre.

alimmentos.wordpress.com/

congelados veganos

Mulher Moderna

Fazendo de tudo um pouco.

Memórias de Tereza

Um blog de memórias, recordações e lembranças familiares

Blog da Reforma

Um dia esta reforma acaba!

%d blogueiros gostam disto: