A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

outubro 30, 2018

O Museu do Café, em Santos

Além de saborear ótimos cafés, você conhecerá o espaço cultural que conta a trajetória do grão até os dias atuais

Café como patrimônio e identidade nacional. A história desse produto agrícola é relatada na exposição “Café, patrimônio cultural do Brasil: ciência, história e arte”, no Museu do Café.

Instalado no edifício da antiga Bolsa Oficial de Café, na cidade de Santos, no litoral paulista, o espaço cultural visa preservar e divulgar a história do café no Brasil e no mundo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A exposição de longa duração contextualiza as particularidades da produção e comércio do grão ao longo da história até os dias atuais, por meio de objetos, imagens, vídeos e mapas.

Há opções de visitas especiais e mediadas que abordam, de forma didática, a história do café e curiosidades do edifício, com programas voltados para alunos e professores. Saiba mais.

 

Serviço

Bolsa Oficial de Café
Rua XV de Novembro, 95 – Centro Histórico, Santos – SP
Para mais informações: (13) 3213-1750 ou e-mail: museudocafe@museudocafe.org.br

BONDE CAFÉ

Fonte: http://www.museudocafe.org.br

O Museu do Café, em parceria com a Prefeitura de Santos, por meio da Secretaria de Turismo e a Companhia de Engenharia de Tráfego – CET Santos, lançou, no dia 9 de janeiro de 2015, o Bonde Café, a nova atração turística da cidade. O veículo temático é inédito na América Latina e fez parte das comemorações do 469º aniversário de Santos, passando a integrar a linha de bondinhos a partir da data de sua inauguração.

O diferencial do Bonde Café está na estilização criada durante sua restauração. Além de um layout exclusivo na adesivagem externa, o espaço interno do veículo é equipado com ar condicionado, duas televisões, elevador para pessoas com deficiência física, estrutura para preparação de café coado e mesas e cadeiras para acomodação e degustação gratuita de café gourmet. O bondinho comporta até 24 passageiros, além do guia, barista e maquinista.

Funcionamento

O Bonde Café sai da Estação do Valongo – Largo Marquês de Monte Alegre, 2 – Valongo,

  • às sextas, das 13h30 às 16h30, a cada uma hora;
  • aos sábados, das 11h50 às 16h50, a cada uma hora;
  • aos domingos, das 12h30 às 16h30, mantendo o mesmo intervalo.

Veiculação a partir de agendamentos

Saídas da Estação do Valongo, a cada uma hora.

  • às quintas e sextas, das 10h30 às 12h30.

O valor do ingresso é R$ 7,00.

Mais informações pelo telefone (13) 3201-8000 – Secretaria de Turismo de Santos.

outubro 19, 2017

O que é um museu?

O da Santa Casa de São Paulo valoriza o ensino e a pesquisa, buscando aproximar os visitantes

*June Locke Arruda, O Estado de S.Paulo

Quem nunca ouviu o ditado popular que diz que “quem vive de passado é museu”? Isso vem do fato de que museu ainda está relacionado a um lugar que guarda coisas antigas, que não têm mais utilidade para ninguém, ou, num linguajar mais popular, coisas velhas mesmo!

museu

Contudo já paramos para pensar qual a origem dessa história? Quando e por que se começou a reunir peças e objetos em forma de coleções? Qual a relevância que essa instituição teve ao longo dos séculos e que magnitude ela tem nos dias de hoje? Vejamos.

A origem etimológica da palavra museu vem do grego e quer dizer musas. As musas eram entidades da mitologia grega, filhas de Zeus e de Mnemosine, a deusa da memória. A casa das musas era o mouseion, uma mistura de templo com instituição de pesquisa voltada para o saber filosófico, onde eram depositados objetos preciosos oferecidos às divindades em sinal de agradecimento. A partir de então, todo objeto reunido ou compilado num determinado espaço com o intuito de contar ou resgatar alguma área do conhecimento passou a ser relacionado à palavra museu. (more…)

setembro 10, 2014

MI – Museu da Imigração participa da 8ª Primavera dos Museus

Quem leu o post que fiz sobre a reinauguração do Museu da Imigração (antiga Hospedaria do Brás), soube que suas instalações passaram por transformações. Reaberto em maio passado e após quatro anos de restauro, a instituição traz também um novo olhar sobre a imigração no Brasil. Com acervo mais variado, que reúne registros da chegada de europeus e asiáticos, ocorrida nos séculos XIX e XX, à recente chegada de bolivianos e haitianos, entre outros povos, o fenômeno do deslocamento humano é apresentado para além de seu caráter histórico.

Primavera_dos_Museus

E, no próximo dia 23 de setembro, o Museu da Imigração, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, inicia a programação da 8ª Primavera dos Museus, que esse ano aborda o tema “Museus Criativos”.

A 8ª Primavera dos Museus é uma iniciativa do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e este ano acontecerá entre os dias 22 e 28 de setembro, envolvendo diversas instituições museológicas do país. A programação no Museu da Imigração de São Paulo, que irá até o dia 27, contará com três atividades especiais que fomentam a ideia de museus participativos: oficina de narração e escrita de memórias de vida, atividade educativa Caixa de Construção e a oficina e mostra “Traços e visões sobre o Museu”. (more…)

julho 4, 2014

São Paulo e seus grafites!

São Paulo já é considerada a capital mundial do grafite.  Os grafites e pichações vêm tomando conta de mais de 1.500 quilômetros quadrados de paredes e muros da cidade.

Obra de Os Gêmeos

Obra de Otávio e Gustava Pandolfo, mais conhecidos como Os Gêmeos

Esse tipo de arte pode não agradar a todos os gostos. Mas todos têm a mesma opinião: São Paulo é uma cidade cinza, e o grafite insere cor a esse cenário!

Os irmãos Otávio e Gustava Pandolfo, mais conhecidos como “Os Gêmeos”,  podem até não ter o devido reconhecimento que a dupla de artistas merece por parte da cidade. São conhecidos, ao redor do mundo, pelos trabalhos que misturam um certo realismo fantástico com personagens bem característicos, sempre com cores e figuras geométricas parecidas. Começaram a grafitar em 1987 no bairro do Cambuci, na zona sul da capital paulista. Quatro anos depois da última grande exposição que fizeram por aqui,  voltam a abrir seus trabalhos ao público, desta vez, entre quatro paredes. A partir do último dia 1º de julho, a galeria Fortes Villaça, na Barra Funda, abriu para o público a exposição A Ópera da Lua, com obras inéditas e ambiente interativo. A mostra, que fica em cartaz até o dia 16 de agosto, é feita por 30 pinturas, três esculturas e uma vídeo-instalação 3D.  (more…)

maio 28, 2014

Museu da Imigração do Estado de São Paulo

Acabo de ler uma notícia a qual me deixou muito feliz – no próximo sábado será reaberto o Museu da Imigração do Estado de São Paulo (antiga Hospedaria de Imigrantes e Centro Histórico do Imigrante).

Os registros da passagem de meus ancestrais, imigrantes italianos, tanto do lado de pai quando do lado de mãe – pobres e humildes, embora extremamente corajosos – está registrada lá. Em meados dos anos 1800 e início do século 20, milhões de imigrantes italianos chegaram ao porto de Santos para trabalhar nas plantações de café.  Era um período em que a Itália inteira enfrentava um grande período de crises quando o triste episódio da emigração se iniciou.

Detalhe da fachada do Museu da Imigração do Estado de São Paulo

Detalhe da fachada do Museu da Imigração do Estado de São Paulo

Não os conheci em vida. Mas tenho comigo o relógio de bolso que Luigi Martini, meu bisavô, trouxe da Itália e a sua Bíblia. Esse Roskopf Patente não foi, com certeza, o único bem que herdei deles. Há outros mais preciosos que carrego comigo e que nunca serão roubados. Entre eles está esse amor incontido que devoto aos humildes e puros de coração. (more…)

junho 16, 2013

Santiago do Chile – Museo de la Memoria e de los Derechos Humanos

Hoje é o meu penúltimo dia em Santiago, no Chile. E deixei esse dia reservado para visitar o Museu da Memória e dos Direitos Humanos (Museo de la Memoria e de los Derechos Humanos), que é um projeto bicentenário, que foi inaugurado em janeiro de 2010 pela ex-presidenta socialista Michelle Bachelet, e que agora é novamente candidata para as eleições no final de ano e que está sendo cotada para ganhar. Em seus espaços estão guardados registros das violações a direitos humanos ocorridas no Chile entre os anos de 1973 e 1990.

Já conhecia Memorial da Resistência, em São Paulo e o Espacio Memoria y Derechos Humanos em Buenos Aires. Mas, nada se compara ao que vi hoje!

Este slideshow necessita de JavaScript.

O museu busca facilitar à comunidade o conhecimento do que ocorreu no país, reivindicar a dignidade das vítimas, contribuir para a construção de uma sociedade sustentada nos valores da tolerância, da solidariedade, do respeito à diversidade, e impulsionar iniciativas educativas que convidem ao conhecimento e à reflexão dos que visitam aquele espaço.

(more…)

dezembro 29, 2012

Manuscritos do Mar Morto on line

Agora, os milhares de manuscritos do Mar Morto, que remontam há dois mil anos, foram fotografados e podem ser consultados online. 65 anos depois de serem descobertos estão agora ao alcance de todos.

​Entre os manuscritos estão alguns fragmentos do Antigo Testamento, como os Dez Mandamentos, o capítulo de Gênesis, Salmos, ou o Livro de Isaías.

Manuscritos_jpg

Os Manuscritos do Mar Morto foram descobertos no ano de 1947 e são os mais velhos manuscritos bíblicos até o momento. Possuem importância histórica e religiosa. Eles foram fotografados em até 1.200 megapixels, resolução suficiente para que você possa ampliar e ver rachaduras e descolorações. Esta é uma iniciativa firmada em 2011 numa parceria entre o Museu de Israel e o Google.

Muitos anos depois de terem sido descobertos, e milhares de anos depois de terem sido escritos, os documentos Manuscritos do Mar Morto já estão na rede mundial de computadores, através de uma colaboração entre o Google e a Autoridade de Antiguidades de Israel. No total, são mais de cinco mil  documentos e imagens disponíveis em alta resolução desde o dia 18 de dezembro e podem ser consultados à distância em um clique.  (more…)

novembro 23, 2012

Jardim Botânico de Montevidéu – um passeio que revela 600 diferentes plantas do mundo

O Jardim Botânico de Montevidéu é o primeiro e único jardim botânico do país. São 600 espécies espalhadas por três grandes áreas. É conhecido por seu importante trabalho no que diz respeito ao ensino de Botânica.

O Jardim funciona como um centro de atividades científicas, bem como de informação e formação em Ciências Botânicas para o público em geral.

Por suas trilhas pode-se fazer vários passeios temáticos –  há um roteiro ecológico, outro geográfico e um de botânica sistemática – o visitante pode conhecer a flora das diferentes áreas geográficas do mundo e uma extensa exposição de plantas aquáticas, outra de plantas de lugares secos e outra ainda com plantas de sombra.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Jardim Botânico foi criado em 1902 com o intuito de dar contribuição cultural para as pessoas em uma área específica do conhecimento.

No início, apenas um hectare era ocupado pelo Jardim Botânico e possuía infra-estrutura sofrível. Mais tarde foi ampliado para 13 hectares e um quarto, pois foi incorporado o terreno de propriedade do viveiro municipal, superfície que mantém até os dias de hoje.

As três grandes áreas e suas plantas estão agrupadas por parentesco botânico, seus lugares de origem, por grandes regiões ou países, ou suas exigências ecológicas de acordo com as condições ambientais (plantas de sombra, de clima seco e quente ou de água).   (more…)

Blog no WordPress.com.

DISCUTINDO CONTEMPORANEIDADES

Escrito por PROF RAFAEL PORCARI, compartilhando sobre futebol, política, administração, educação, comportamento, sociedade, fotografia e religião.

Saia de viagem

Em frente, sempre.

Mulher Moderna

Fazendo de tudo um pouco.

Memórias de Tereza

Um blog de memórias, recordações e lembranças familiares

Blog da Reforma

Um dia esta reforma acaba!

%d blogueiros gostam disto: