A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

janeiro 23, 2017

Madrid – passeios imperdíveis

Como prometi, seguem algumas dicas de lugares imperdíveis em Madri. Algumas indicações são do blog Vamos para Espanha o qual vale muito a pena uma visita!

Fiz quase todos os trajetos a pé. Utilizei muito pouco o metrô. Mas, se você não é de andar, não desanime. O metrô de Madri tem 98 anos e muitas estações! Vejam que São Paulo tem muito a aprender com a cidade. Em 1919, quando foi inaugurado, a linha 1 de Madri tinha apenas 8 estações e 4 km.  Hoje é um dos melhores do mundo. Tem 301 estações e é a terceira cidade no mundo no ranking dos Metrôs. Somente Nova York e Paris a superam em número de estações. Tem 294 km de extensão (a quarta rede do mundo em extensão). Tem 13 linhas, sendo a maior parte subterrânea. Mas isso é assunto para outro post. Vamos para as dicas.

O Museo del Prado – é uma das maiores pinacotecas do mundo e, desde a sua inauguração em 1819 se tornou um dos primeiros museus de arte do mundo. O edifício, construído na década de 1780-90, foi projetado por um arquiteto neoclássico, Juan de Villanueva, o mesmo que desenhou a bandeira do Jardim Botânico.  O Museo del Prado tem mais de 9.000 obras em seu acervo exibe maravilhas como “As Meninas” de Velásquez, Rafael, El Greco, Rembrandt, Fra Angelico, etc.  Site Oficial

O Palácio Real, que começou como fortaleza, posteriormente o Antigo Alcázar e finalmente Palácio Real. Conhecido por ser a residência oficial da Vossa Majestade o Rei de Espanha, o certo é que o Rei Juan Carlos não mora lá. Imponente e ricamente decorado serve de cerimonial para eventos  e recepções oficiais do Estado, encontros diplomáticos, onde também é possível visitar seu museu.

As origens do palácio datam do século IX, quando o reino muçulmano de Toledo, preocupado pela sua defesa ante as investidas cristãs, edificou uma fortaleza que mais tarde seria usada pelos reis de Castela. No século XVI foi construído o forte sobre os mesmos alicerces.

O palácio foi incendiado no Natal de 1734 e reconstruído durante o governo de Felipe V. O edifício, cujas obras se realizariam entre 1738 e 1755, foi contemplado com uma estrutura abobadada, com pedras e tijolos, sem matérias inflamáveis. Carlos III foi o primeiro monarca que estabeleceu neste a sua residência em 1764. Imperdível!

Com um lindo jardim, o museu tem um magnífico acervo, com obras de   Juan de Flandres (Políptico de Isabel a Católica), Caravaggio (Salomé com a cabeça de João Batista), Velázquez e Goya, além de instrumentos musicais, como o quarteto realizado por Stradivarius, e as peças da Real Armaria. Visita virtual.  Site Oficial

Este slideshow necessita de JavaScript.

Catedral de la Almudena – ao lado do Palácio Real, esta igreja começou a ser construída no fim do séc. XIX , onde havia a antiga muralha árabe que rodeava a cidade e foi terminada em 1993 consagrada pelo Papa João Paulo II. Neoclássica por fora e gótica por dentro, é linda com pinturas coloridas no teto, tendo como destaque a  impressionante imagem da N. Sra. de la Almudena em madeira prata (veja sua história aqui) e o túmulo de San Isidro, padroeiro de Madrid. Em 2004 foi cenário do casamento dos Príncipes de Astúrias.

Real Jardim Botânico – estava fechado para restauro nos dias que estive em Madri, mas deve ser uma delícia passear pelas alamedas, descobrir suas flores, seus perfumes. Criado em 1755 por Fernando VI às margens do rio Manzanares, com mais de 2000 plantas foi transferido em 1744 para o Passeio do Prado, com projeto de Sabatini e Juan de Villanueva, com estufas, labirintos, e sua bela coleção de plantas ornamentais, aromáticas e medicinais. É um lugar imperdível para passear e apreciar plantas e flores do mundo todo, com  5000 espécies de árvores, plantas e rosas coloridas.  Site Oficial

(more…)

Madri ou Madrid – encantadora

Tinha muita curiosidade para conhecer Madri. Já havia lido muito sobre ela e conversado outro tanto com pessoas que ali moraram. Embora possa parecer uma cidade antiga, Madri é uma cidade jovem se comparada com outras tantas da Europa.

No século IX, durante a ocupação por parte dos Árabes, o Rei Mohammed I mandou construir uma fortaleza junto ao Rio Al-Magrit, atualmente Rio Manzanares, a partir de onde podia avistar toda a cidade. Em 1085, a cidade foi reconquistada por Alfonso VI e a fortaleza tornou-se o Palácio Real. Inicialmente, os Árabes e os Judeus foram bem tolerados, embora as suas posses tenham sido confiscadas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Em 1492, os Reis Católicos, Fernando de Aragão e Isabel de Castela, acabaram a Reconquista, com a expulsão dos últimos Mouros, da cidade de Granada. Posteriormente, em 1561, o país foi reunificado pelo Rei Carlos I. O seu filho, Felipe II, transferiu a Corte Real de Valladolid para Madri, e desde essa época até aos nossos dias, tem sido a capital de Espanha.

Nos séculos XVI e XVII, séculos de ouro do Império Espanhol, a cidade cresceu, mas era ainda pequena, quando comparada com outras cidades, tais como Sevilha ou Cádiz.

O tempo passou e a situação foi mudando. Passaram os séculos de ouro da Espanha e chegamos ao século XVIII, com Carlos III, considerado por alguns como o melhor monarca da história de Madri, que culminou esta etapa dourada, muito embora os primeiros movimentos turbulentos não tenham verdadeiramente chegado antes do seu sucessor, Carlos IV, que presenciou a agitação em que o país se encontrava. Finalmente, com Fernando VII, conhecido como absolutista, acabou toda a prosperidade que tinha existido trazida pelos últimos monarcas. Tinha terminado um ciclo.

Em 1808, chegam as Invasões Napoleônicas, tanto em Madri, como em muitos outros pontos de Espanha. Estávamos no século XIX e a Europa agitava-se. Napoleão perdeu Madri e Espanha e o seu império capitulou no Inverno russo.

Na Espanha, o século XX começa também com revoltas e tensões, uma situação que resultou na Guerra Civil, entre 1936 e 1939. Nesta guerra, dois grupos, os Nacionalistas e os Republicanos, respectivamente autoritários e democratas, lutaram em todo o território espanhol até finalmente a parte republicana ter triunfado, tendo colocado Francisco Franco no poder – e que o deteve durante 40 anos.

Depois da morte de Franco, em 1975, a democracia foi instaurada em Espanha, sob um regime de Monarquia Parlamentar. (more…)

outubro 30, 2012

Exposição virtual Leonardo Interactivo – toda a genealidade do mestre como jamais foi vista!

Em junho de 2010 a Biblioteca Nacional da Espanha perguntou a seus usuários qual seria a próxima obra que queriam ver em conteúdo digital, depois do lançamento de Don Quixote  – que foi para a rede de computadores em outubro de 2010, e que desde então, acumulou 2,3 milhões visitantes usuários do Facebook.  Os usuários votaram a favor dos Códices Madri I e II , em que Leonardo da Vinci recorre a textos e desenhos para mostrar suas ideias sobre  geometria e construção, bem como uma série de projetos de dispositivos mecânicos. O trabalho de valor inestimável, depois de ter ficado 150 anos no limbo, responde por 10% da produção escrita do gênio renascentista. Os dois volumes, que foram submetidos a um processo de restauração extensa, foram apresentados no início deste ano na sede d BNE, em uma mostra que ainda está disponível na Internet.

E a resposta ao questionamento já está no ar, com a apresentação de Leonardo interativo  um projeto fantástico, que mostra o conteúdo de formas diferentes e você pode acessá-lo nas redes sociais através de computadores ou celulares. A Telefônica que encabeçou o projeto, assinou um acordo em 2008 e se comprometeu  a aplicar 10.000.000,00 de Euros.  (more…)

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

DISCUTINDO CONTEMPORANEIDADES

Escrito por PROF RAFAEL PORCARI, compartilhando sobre futebol, política, administração, educação, comportamento, sociedade, fotografia e religião.

Saia de viagem

Em frente, sempre.

Mulher Moderna

Fazendo de tudo um pouco.

Memórias de Tereza

Um blog de memórias, recordações e lembranças familiares

Blog da Reforma

Um dia esta reforma acaba!

%d blogueiros gostam disto: