A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

março 6, 2020

Simplicidade – Osho

Olhe para a imagem da carta que está estampada abaixo. E perceba o quanto ela se expressa por si só, sem ser preciso que falemos muito dela.

Um ser caminha pela natureza colhendo flores e nos remete à sensação do quanto o simples é belo. Tão simples que nos esquecemos de agradecer e contemplar a beleza que existe em pequenos gestos como colher uma flor, remover de um vaso as ervas daninhas, sentir o cheiro da terra ao receber a água que umedece e alimenta o solo.

Simplicidade

Na verdade, não é preciso que nada extraordinário nos aconteça para que haja união e integração dentro do nosso ser. Uma ação feita com amor e carinho pode nutrir profundamente nossa alma.

Vamos ler juntos o que o autor diz à pessoa que tirou esta carta:

“Neste momento, você passa por um período em que esta maneira cordata, natural e extremamente simples de encarar as situações que se apresentam trará resultados muito melhores do que qualquer tentativa de ser brilhante, perspicaz ou, de alguma forma, extraordinário. Deixe de lado toda pretensão de fazer alarde quanto a ter inventado mais alguma coisa útil, ou a vaidade de encantar seus amigos e colegas com seu talento de prima-dona. A contribuição especial que você tem para oferecer neste momento será maior se você encarar as coisas sem resistência e com simplicidade, um passo de cada vez”.

Se a descrição desta carta tocou seu coração e você tem sentido que está difícil ser feliz com pouco e na simplicidade, sugiro que faça este exercício com imagens mentais todos os dias, ao acordar, por 7 dias.

(more…)

outubro 18, 2012

Yôga ao seu alcance!

Quando alguém nos sugere que devemos tentar esta prática milenar, logo imaginamos algo sedentário, chato, típico de pessoas com capacidade de ficarem paradas por um longo tempo. Também se pensa em túnicas, Budas, incensos e outros coisas. Mas o Yôga é outra coisa. É muito mais que isso!

Muitas vezes, quando se fala em Yôga se pensa em algo quase sedentário. Ter que ficar parado numa posição tranquila, em lótus de preferência, com as palmas das mãos sobre os joelhos, juntar os dedos polegar e indicador… E cantar o mantra Ohm!

Imagina-se uma respiração superficial, de olhos fechados, roupas brancas ou laranja, incenso, uma imagem de Buda ou qualquer outra, ou alguém mais experiente fazendo o ásana da Vela com uma habilidade que parece, à primeira vista, de difícil acesso.

Se alguém lhe diz: “Por que não tenta fazer Yôga?”, logo nos sentimos condenados ao tédio e a mais triste e insuportável calma. E isso é um erro bem grande! Yôga, bem compreendido e bem praticado, é outra coisa.

Eu me aproximei do Yôga há mais de 20 anos. Havia passado por momentos de perda e tristeza que tudo o que era novo e que apareceria em minha frente me dava esperanças de levar para uma “cura”. Naquela época nem imaginava quanto poderia ser bom para eu beber dessa fonte, nem quão grande era a minha sede.  (more…)

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

DISCUTINDO CONTEMPORANEIDADES

Escrito por PROF RAFAEL PORCARI, compartilhando sobre futebol, política, administração, educação, comportamento, sociedade, fotografia e religião.

Saia de viagem

Em frente, sempre.

Mulher Moderna

Fazendo de tudo um pouco.

Memórias de Tereza

Um blog de memórias, recordações e lembranças familiares

Blog da Reforma

Um dia esta reforma acaba!

%d blogueiros gostam disto: