A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

junho 15, 2006

Um pouco sobre meio ambiente, Edmundo Navarro de Andrade e Floresta Estadual – Parte 2

Filed under: História,Memórias — Augusto Jeronimo Martini @ 18:43
Tags: , , , ,

No período em que Edmundo Navarro de Andrade esteve envolvido com o Horto Florestal (ele faleceu em 1941), e até a década de 60, o museu manteve suas características originais. Foi a época áurea do Horto. Com a estatização da Companhia Paulista de Estradas de Ferro e mais tarde com sua incorporação num organismo mais amplo e menos diferenciado chamado FEPASA (A FEPASA – Ferrovia Paulista S/A – foi criada pelo Governo do Estado de São Paulo através do Decreto 10.410, em 28 de outubro de 1971, a partir da fusão e centralização administrativa, numa única instituição, das cinco ferrovias estatais sob o seu controle: a Estrada de Ferro Araraquarense, a Estrada de Ferro São Paulo-Minas, a Estrada de Ferro Sorocabana, a Companhia Mogiana e a Companhia Paulista. Em 1998, visando à redução do déficit público estadual, o Governo Paulista transferiu a FEPASA para a União, sendo incorporada à RFFSA – Rede Ferroviária Federal S.A. – recebendo o nome de “Malha Paulista”. Incluída no PND – Plano Nacional de Desestatização, a concessão para a exploração da Malha Paulista foi transferida à FERROBAN, que, em 1º de janeiro de 1999, assumiu a gestão e a exploração comercial das linhas e dos serviços remanescentes. Parte do patrimônio imóvel e rodante da Malha Paulista permaneceu sob controle da União, que está aos poucos leiloando-o, em decorrência do processo de liquidação da RFFSA. Da antiga FEPASA, permanecem ainda sob controle do Governo do Estado de São Paulo os serviços, bens rodantes e imóveis das linhas de trens de subúrbio situadas na Região Metropolitana da Grande São Paulo, cujo patrimônio foi incorporado pela CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, por quem é atualmente operado), o Horto começaria seu declínio. Tanto é verdade que, no início dos anos 70, a comunidade rio-clarense já manifestava a sua insatisfação com a situação de decadência em que ele se encontrava. Muitas pessoas, inclusive de forma anônima, lutaram pela sua manutenção e preservação, dando início a uma campanha visando o tombamento, pelo CONDEPHAAT, como meio de preservação, o que viria a ocorrer somente em 1977. (more…)

maio 5, 2006

Um Pouco Sobre Meio Ambiente, Edmundo Navarro de Andrade e a Floresta Estadual – parte 1

Filed under: História,Memórias — Augusto Jeronimo Martini @ 18:40
Tags: , , , ,

Ultimamente, a preocupação com a questão florestal tem crescido significativamente em todos os meios. Todavia, o preocupar-se não levará ao encaminhamento definitivo do problema do rareamento dos recursos florestais e da degradação do meio ambiente.  Somente pensar o problema não nos leva para lugar algum. É preciso agir. A voracidade pelo lucro imediato presente na maioria de nossas sociedades apóia-se unicamente na dimensão econômica da relação homem/meio ambiente, cujas conseqüências apresentam-se de forma assustadora para as gerações futuras. Este tipo de atitude mudará somente quando percebermos quando esta autodestruição coletiva vir a representar uma ameaça iminente para cada um em particular e para a totalidade da sociedade.  Isso somente será revertido se e quando houver a ampliação do conhecimento, através da cultura, o que levará a humanidade a interferir na percepção e na valorização das relações de interação do Homem com a natureza. (more…)

dezembro 2, 2015

Lançamento do livro: “Trilhos e Eucaliptos: a Ferrovia e a Floresta em Rio Claro”

O livro “Trilhos e Eucaliptos: a Ferrovia e a Floresta em Rio Claro” apresenta oito artigos que foram enriquecidos com a pesquisa iconográfica feita pelo Arquivo e por fotógrafos profissionais, voluntários e participantes de concursos fotográficos e em projetos do Arquivo de Rio Claro. O lançamento ocorrerá na Floresta Estadual, dia 11 de dezembro, às 17h30! O evento é aberto para toda a comunidade. Paralelamente haverá o lançamento dos Cartões Postais – “Coleção Aspectos da Cidade”. Somente para os presentes haverá a distribuição de postais gratuitos.

Trilhos e Eucaliptos

O capítulo 5 do livro inspira-se em minha dissertação de mestrado em História Social pela USP. No texto que elaborei para esse livro, dividido em duas partes, abordo, em primeiro lugar, a especificidade de um acervo documental – o caso do Herbário da Floresta Estadual Edmundo Navarro de Andrade (FEENA). Tal acervo – o depositário do material científico das investigações que documentam as pesquisas do Serviço Florestal – registra as andanças profissionais de Edmundo Navarro de Andrade rumo à silvicultura moderna. Essa parte do texto também relata a importância ímpar da existência, manutenção e conservação do arquivo genético de plantas às investigações da ciência no passado, nos dias de hoje e para o futuro. Relata a degradação que o Herbário da FEENA sofreu e ainda sofre com a carência de verbas e de pessoas para maiores cuidados e preservação. (more…)

julho 13, 2005

Edmundo Navarro de Andrade e “A Volta do Mundo – Impressões de Viagem”

Filed under: História,Memórias,Viagens — Augusto Jeronimo Martini @ 18:17
Tags: , ,

Uma das propostas da dissertação que desenvolvi foi a de organizar o arquivo deixado por Edmundo Navarro de Andrade.  Encontrei grande dificuldade em levantar dados pormenorizados sobre o cientista e seu trabalho. A maior parte da documentação foi perdida. Sua vida em laboratório é uma incógnita. Na Floresta Estadual Navarro de Andrade pouco sobrou dos documentos produzidos/recebidos pelo Serviço Florestal da Companhia Paulista de Estradas de Ferro relativos aos anos em que Navarro esteve à frente. Diante das dificuldades, fiz o caminho inverso – (re) construí sua história.

No livro “A Volta do Mundo – Impressões de Viagem”, Edmundo Navarro de Andrade narra suas aventuras entre meados de abril de 1928 e 24 de fevereiro de 1929, quando visitou, a serviço do Governo Federal, diversos países, seus departamentos agrícolas e suas plantações (juta e eucalipto principalmente), aliando a isso incursões aos jardins botânicos, jardins zoológicos e museus. (more…)

abril 2, 2019

Dia Mundial de Conscientização do Autismo 2019 – 02 de abril

AMA – Associação de Amigos do Autista – a história da AMA começa em 1983, quando os transtornos do espectro do autismo (TEA), hoje tratados com certa familiaridade, eram totalmente desconhecidos. A palavra autismo, difundida em 1943/44 pelos estudos de Leo Kanner e Hans Asperger, constava apenas do vocabulário de alguns psicólogos e psiquiatras e, ainda assim, só os especializados.

Conheça a AMA

Mas, como diz Uta Frith, “um transtorno descrito recentemente não é necessariamente um transtorno novo”. O autismo já existia.

Em 1983, o Dr. Raymond Rosenberg tinha alguns clientes que viviam um momento de angústia: eles tinham filhos de 3 anos em média e há pouco tinham sido diagnosticados com autismo. Essa era toda a informação que esses pais tinham: a palavra autismo. Não havia qualquer pesquisa ou tratamento na cidade, estado ou país que pudesse ser utilizada para ajudar aquelas crianças. Os atendimentos para crianças com deficiência mental não eram adequados e nem mesmo aceitavam pessoas com autismo.

Foi então que esses pais decidiram se reunir para construir um futuro que amparasse seus filhos e proporcionasse a eles maior independência e produtividade. Com este objetivo em comum, fundaram a AMA – Associação de Amigos do Autista, a primeira associação de autismo no país.

(more…)

julho 2, 2016

Único Museu do Eucalipto do Mundo fica no Brasil e completou 100 anos!

Você conhece o único Museu do Eucalipto do Mundo? Talvez não, não é mesmo? Mas ele existe. E está aqui pertinho, em Rio Claro (SP). E esse ano completou um centenário.

Isso mesmo!

Existe um único Museu do Eucalipto que fica no Brasil e existe há 100 anos!

Idealizado pelo engenheiro agrônomo Edmundo Navarro de Andrade para sistematizar e expor os resultados de pesquisas relacionadas à introdução de espécies de eucalipto no Brasil, ele foi fundado em 1916. Ele fica localizado dentro da Floresta Estadual Edmundo Navarro de Andrade, no município de Rio Claro (SP) e é tombado pelo CONDEPHAAT (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo) desde 1977.

imageFoto de Carlos Beduschi

CeluloseOnline – Qual a importância do Museu nos aspectos: regional, histórico e para o setor de florestas?

A divulgação das pesquisas de Edmundo Navarro de Andrade com o eucalipto e a ideia de disponibilizar seus resultados através de uma instituição museológica foram iniciativas pioneiras e significativas. Tornaram-se referência junto à comunidade científica e subsidiaram posteriormente as empresas que vieram a se dedicar ao plantio de florestas plantadas principalmente as voltadas à indústria do papel.

(more…)

março 30, 2016

Museu do Eucalipto, em Rio Claro/SP, foi reaberto

Hoje, às 10h00, aconteceu uma cerimônia para autoridades com a entrega do prédio reformado do Museu do Eucalipto, pela Fundação Florestal, da Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo.
O evento ocorreu ao lado do museu, no Solar Navarro de Andrade, com apresentação do Quinteto de Cordas da Orquestra Sinfônica de Rio Claro, e depois houve uma visita monitorada ao museu.

image

Foto Jornal Cidade de Rio Claro

Único no mundo
O Museu do Eucalipto foi inaugurado em 26 de março de 1916, por iniciativa do engenheiro Edmundo Navarro de Andrade, patrono da Floresta Estadual, antigo Horto Florestal de Rio Claro. (more…)

junho 8, 2015

Os cães de minha vida… e a eutanásia!

Já falei aqui sobre ele – Tico, o cãozinho da foto que foi um dos preferidos que minha mãe teve aqui, nesta vida. Ele era um mestiço Cocker Spaniel. Quando ela se foi ele ficou muito triste. Ficava horas deitado nos lugares onde ela se sentava.

Mas não contei como ele veio a fazer parte de nossas vidas. Tenho um amigo, o Paulo Roberto Zanello. Lá pelos idos dos anos 80 casou-se com a Maristela. E ganharam a Maggie, uma Cocker Spaniel de presente. Em um dos cios escapou para a rua e engravidou de um “vagabundo”.

Tico

Tico

O Tico veio de uma ninhada de 9 filhotes. E ganhou o nome de Tico em homenagem a um grande amigo, Aristides, popularmente conhecido por Tico. E tal nome veio a calhar – o Tico “gente” era um tremendo galinha. Casado, “pulava o muro”. E o Tico “cão-gente”, cresceu e provou ser um exímio pulador de muro. Saltava o muro que tínhamos em frente de casa com enorme facilidade. O detalhe é que o muro tinha 1,80m! (more…)

fevereiro 27, 2015

O Museu do Eucalipto, em Rio Claro/SP e Pietro Maria Bardi

Esta semana estive envolvido com memórias antigas e prazerosas, que me remeteram a cheiros e sensações. Lembranças da infância e juventude, parte delas desfrutadas no Horto Florestal da Companhia Paulista, em Rio Claro/SP.

E tudo isso porque o Arquivo do Município de Rio Claro irá lançar um livro sobre a Floresta Estadual Edmundo Navarro de Andrade e me convidou a escrever um capítulo sobre o Herbário e o Museu do Eucalipto. Muitos aqui já sabem que Navarro de Andrade foi o tema central da minha dissertação de mestrado, pela FFLCH/USP e que depois virou livro.

lvro

Em meio aos papéis guardados durante o levantamento da minha pesquisa encontrei a cópia de uma carta de Pietro Maria Bardi, Diretor do MASP e datada de 27 de abril de 1982, enviada para Aniz Buchidid, então Chefe do Departamento Florestal, a qual transcrevo abaixo: (more…)

setembro 28, 2014

Você já saboreou uma fruta no pé?

No quintal das casas de minha infância tinha Camomila, Poejo, Hortelã, Erva Cidreira, Margaridas, Rosa e Alecrim, entre outras coisas. Gosto de lembrar da infância, quando tinha pés de frutas e horta  no quintal.

E sabem por que estou escrevendo isso? Sempre acontece todas as vezes que escrevo ou converso com alguém sobre frutas. Uvaia, pitanga, goiaba, jaboticaba, abacate, manga, laranja e muitas outras frutas remetem as pessoas à infância, quando subiam em árvores e comiam frutas no pé, sem lavar mesmo. Você é uma dessas pessoas que foi “solta”?  Eu sou, fui e sempre serei!

"Sossega, minha esperança factícia! Quem me dera nunca ter sido senão o menino que fui… Meu sono bom porque tinha simplesmente sono e não ideias que esquecer! Meu horizonte de quintal e praia! Meu fim antes do princípio!" Fernando Pessoa

“Sossega, minha esperança factícia!
Quem me dera nunca ter sido senão o menino que fui…
Meu sono bom porque tinha simplesmente sono e não ideias que esquecer!
Meu horizonte de quintal e praia!
Meu fim antes do princípio!” Fernando Pessoa

E é impossível não pensar naqueles que estão crescendo sem essas experiências tão gostosas, ou naqueles que formam os muitos adultos de hoje que beiram os 50 anos. (more…)

Próxima Página »

Blog no WordPress.com.

DISCUTINDO CONTEMPORANEIDADES

Escrito por PROF RAFAEL PORCARI, compartilhando sobre futebol, política, administração, educação, comportamento, sociedade, fotografia e religião.

Saia de viagem

Em frente, sempre.

Mulher Moderna

Fazendo de tudo um pouco.

Memórias de Tereza

Um blog de memórias, recordações e lembranças familiares

Blog da Reforma

Um dia esta reforma acaba!

%d blogueiros gostam disto: