A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

setembro 19, 2019

Fontaneto d’Agogna – a terra dos Grazioli

MUNICIPALIDADE DE FONTANETO D’AGOGNA

Fontaneto d’Agogna é uma comuna italiana da região do Piemonte, província de Novara, com cerca de 2.741 habitantes. Estende-se por uma área de 21 km², tendo uma densidade populacional de 121 hab/km². Faz fronteira com Borgomanero, Cavaglietto, Cavaglio d’Agogna, Cavallirio, Cressa, Cureggio, Ghemme, Romagnano Sesia, Suno.

Brasão de Fontaneto d”Agogna

Nome dos residentes : Fontanetesi
Número de habitantes : 2741
Altitude : 0 msldm;
Área : 21 km²
Festival do Santo Padroeiro : 15/8/2019
Site oficial Sant’Alessandro : http://www.comune.fontaneto.no.it

HISTÓRIA E TERRITÓRIO

Os primeiros assentamentos remontam, na era neolítica, na Baragge del Monteregio, ao longo das colinas e cursos de água e, na época romana, ao longo dos rios Sizzone e Agogna. O nome de Fontaneto deriva de fontanili. Entre os destaques do lugar temos: a fundação se deu por volta de 908, oriunda de um castro e mosteiro beneditino; o sinodo per la condanna della pataria (movimento contra a corrupção eclesiástica); a construção em 1412 de um novo castelo pelos Visconti que, desde 1524 e por mais de cem anos, foi o epicentro das lutas entre espanhóis e franceses, até sua destruição em 1638 pelos espanhóis e nova reconstrução na segunda metade dos anos 1600. No século XVIII, o território passou para o comando dos Savoy. No século XIX, as propriedades do Visconte chegaram até os ramos da família e várias obras foram realizadas, como o cemitério.
Centro agrícola com muitas fazendas, no século XX, com o desenvolvimento industrial, sua estrutura produtiva e social mudou. Hoje se vê a presença de várias pequenas e médias empresas, algumas das quais também são de importância internacional no setor de alimentos e hidro-termo-sanitários.
Uma vila com áreas montanhosas e de várzea, é atravessada pelas torrentes dos rios Sizzone e Agogna e é rica em muitas nascentes.

PATRIMÔNIO E EMBLEMAS
Na colina fica a Torre del Mirasole datada do século XIX. Na vila, o castelo do século X, redefinido no século 15 e depois restaurado no século 18, cercado por um fosso; ao lado do Oratório dos Santos Fabiano e Sebastiano, reconstruídos no século XVII, está a abadia original em cujas paredes há vários murais. Há muitas igrejas: como a monumental BV Assunta, construída como uma capela do cemitério noa anos Mil e ampliada em nos 1800, com um painel do século XVI de Sperindio Cagnola, uma tela de Tanzio da Varallo e o scurolo neoclássico de Antonelli; a Anunciação reconstruída em 1751, com afrescos de 1516; S. Rocco (1514), com afrescos e um modelo de altar desenhado por Antonelli; S. Martino, já mencionada em 1347 e ampliada em 1800, vinculada ao culto da água por conta de uma fonte próxima.
É um município que faz parte da Reserva Naturale delle Baragge.
Fontaneto d’Agogna está incluída nos itinerários temáticos: arqueológicos, castelos, palácios, vilas e jardins históricos do século XVII na área de Novara, Antonelliani, com passeios a pé pelas colinas de Novara, trilhas da R Reserva Naturale delle Baragge, com pontos de observação de aves.
Os alimentos e vinhos produzidos na região incluem gorgonzola, mel, ensopados, tapulon, frituras, batatas da vinha e a produção de vinhos da linha Colline Novaresi DOC. No início do verão, acontece o tradicional festival de “Fontaneto Arte Sapori”.

Fontaneto d”Agogna é a terra natal do meu ramo familiar por parte de mãe: os Grazioli ou Gracioli (no aportuguesamento).

Giacomo Antonio Grazioli, nascido em Fontaneto D’Agogna, Piemonte, Província de Novara, Itália, em 08/05/1857, era filho de Angelo Grazioli e Maria Travaini. Emigrou para o Brasil em 01/08/1888, logo após o falecimento de sua primeira mulher, Angela Platini, (filha de Giuseppe Maria Travaini e  Vittoria Fioramonti, nascida em Fontaneto d’Agogna, em 06/08/1829) que contava com 59 anos na época de sua morte. Portanto, a menos que a data no documento esteja equivocada, quando se casaram ela era 28 anos mais velha que meu bisavô – bem incomum para a época.Quando Giacomo Antonio emigrou para cá, veio com 04 filhos:

  • Antonia GRAZIOLI, nascida em 08.04.1881
  • Angelo GRAZIOLI, nascido em 29.07.1883
  • Rosa Maria GRAZIOLI Rosa Maria, nascida em 14.11.1885
  • Francesco Alessandro GRAZIOLI, nascido em 11.02.1888

Casou-se em segundas núpcias com minha bisavó, Angela Pelosi. Eu não tinha a data e tampouco o local do casamento. Mas, ontem, descobri! Casou-se em Araras/SP, no dia 23/02/1889 (o registro do casamento no religioso foi em 02/03/1889), ou seja,  somente 6 meses após sua chegada.

2.png

Gostaria muito de saber como se deu isso tudo! Ele deve ter vindo para o Brasil como a maioria dos imigrantes – iludido com as propagandas divulgadas lá na Europa. Vendiam sonhos maravilhosos na nova terra. Vide cartaz abaixo.

propaganda

Mal sabia que viria para cá para substituir a mão de obra escravagista. E que cairia num conto do vigário – pois, aqui, a vida não era nada fácil. Penso que o casamento foi arranjado, como eram quase todos  na época. Ele, com 30 anos de idade, já tinha 04 filhos da primeira mulher. E depois, teve mais 06 filhos com a minha bisavó: Luiz, Antonio, Felipe, Angelina, Maria e João, o meu avô, que se casou com Thereza Bianchini. Parentes ligados a esse ramo da família, faço um desafio para vocês. Vamos falar com os mais velhos e tentar descobrir mais informações? Não tenho nenhum dado sobre o que aconteceu com os irmãos do João Grazioli, por exemplo. Tampouco sobre os pais dele. Se descobrirem algo, postem aqui nos comentários do blog!

Obrigado.

Leia também A Aventura da família Grazioli

6 Comentários »

  1. Olá Augusto, tudo bem? Tem alguma informação sobre o Luiz, que seria irmão do João? Suspeito que ele talvez seja o bisavô do meu marido. Mas não tenho nenhuma informação do nascimento dele. Se souber alguma informação a mais agradeço!

    Curtir

    Comentário por Susan gracioli — setembro 26, 2019 @ 21:54 | Responder

    • Bom dia Susan.Espero que tenha sucesso com os contatos que te passei.Abraços.Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — setembro 27, 2019 @ 8:18 | Responder

  2. Que legal,a família da minha esposa também é de Fontaneto vieram para Araras, pedi a certidão de nascimento deles me mandaram a certidão de nascimento e um livro contando a história de Fontaneto.Família Boca mss que com o passar dos anos mudaram para Bocca parente dos Zaninetti e Dos Galdini

    Curtir

    Comentário por Andrei Ferreira — dezembro 27, 2020 @ 18:47 | Responder

    • Olá Andrei. Tudo bem?Será que a família de sua esposa é do mesmo ramo da minha? Gostaria de saber.E achei interessante terem mandado um livro sobre a história de Fontaneto.Tem como escanear e me enviar, se não for pedir muito? Isso se não for grande.Um abraço. Mantenhamos contato.

      Curtir

      Comentário por Augusto Jeronimo Martini — dezembro 28, 2020 @ 12:00 | Responder

  3. Soy familia Grazioli de Argentina Santa Fe mis abuelos vinieron y nunca volvieron..Ellos eran Luigi Grazioli hijo de Rocco Grazioli y Luigia Grazioli nativo deFontaneto sus padrino Mario Angiolo Grazioli y madrina, Domenica Grazioli. Me encantaria saber que barco tomaron en Genova y la fecha,Estoy haciendo la ciudadania Italiana ,yo tengo 6 hijos y 16 nietos.Estoy muy conmovida por esta historia.Agradecere me informen.Adios

    Curtir

    Comentário por Dolly Lapalma Grazioli — setembro 15, 2021 @ 14:05 | Responder

    • ¡Buenas noches!
      Te busqué en la colección del Archivo Nacional de Río de Janeiro y encontré dos referencias de inmigrantes llamados Luigi Grazioli. Los documentos adjuntos a este mensaje son los siguientes. También encontré una referencia a un Luigi Grazioli que entró a Brasil por el Puerto de Santos, en el estado de São Paulo, en el Museo de la Inmigración de São Paulo. También he adjuntado el documento a este mensaje.
      Gracias por visitar mi blog.
      Augusto Jeronimo Martini
      PD. – Conozco la hermosa ciudad de Rosario. Estuve de vacaciones 15 días. También conozco muy bien Buenos Aires, Córdoba, Mendoza y La Plata.

      Curtir

      Comentário por Augusto Jeronimo Martini — setembro 15, 2021 @ 18:48 | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Obrigado por assinar o meu blog! Espero que goste!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

DISCUTINDO CONTEMPORANEIDADES

Escrito por PROF RAFAEL PORCARI, compartilhando sobre futebol, política, administração, educação, comportamento, sociedade, fotografia e religião.

Saia de viagem

Em frente, sempre.

Mulher Moderna

Fazendo de tudo um pouco.

Memórias de Tereza

Um blog de memórias, recordações e lembranças familiares

Blog da Reforma

Um dia esta reforma acaba!

%d blogueiros gostam disto: