A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

outubro 30, 2018

O Museu do Café, em Santos

Além de saborear ótimos cafés, você conhecerá o espaço cultural que conta a trajetória do grão até os dias atuais

Café como patrimônio e identidade nacional. A história desse produto agrícola é relatada na exposição “Café, patrimônio cultural do Brasil: ciência, história e arte”, no Museu do Café.

Instalado no edifício da antiga Bolsa Oficial de Café, na cidade de Santos, no litoral paulista, o espaço cultural visa preservar e divulgar a história do café no Brasil e no mundo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A exposição de longa duração contextualiza as particularidades da produção e comércio do grão ao longo da história até os dias atuais, por meio de objetos, imagens, vídeos e mapas.

Há opções de visitas especiais e mediadas que abordam, de forma didática, a história do café e curiosidades do edifício, com programas voltados para alunos e professores. Saiba mais.

 

Serviço

Bolsa Oficial de Café
Rua XV de Novembro, 95 – Centro Histórico, Santos – SP
Para mais informações: (13) 3213-1750 ou e-mail: museudocafe@museudocafe.org.br

BONDE CAFÉ

Fonte: http://www.museudocafe.org.br

O Museu do Café, em parceria com a Prefeitura de Santos, por meio da Secretaria de Turismo e a Companhia de Engenharia de Tráfego – CET Santos, lançou, no dia 9 de janeiro de 2015, o Bonde Café, a nova atração turística da cidade. O veículo temático é inédito na América Latina e fez parte das comemorações do 469º aniversário de Santos, passando a integrar a linha de bondinhos a partir da data de sua inauguração.

O diferencial do Bonde Café está na estilização criada durante sua restauração. Além de um layout exclusivo na adesivagem externa, o espaço interno do veículo é equipado com ar condicionado, duas televisões, elevador para pessoas com deficiência física, estrutura para preparação de café coado e mesas e cadeiras para acomodação e degustação gratuita de café gourmet. O bondinho comporta até 24 passageiros, além do guia, barista e maquinista.

Funcionamento

O Bonde Café sai da Estação do Valongo – Largo Marquês de Monte Alegre, 2 – Valongo,

  • às sextas, das 13h30 às 16h30, a cada uma hora;
  • aos sábados, das 11h50 às 16h50, a cada uma hora;
  • aos domingos, das 12h30 às 16h30, mantendo o mesmo intervalo.

Veiculação a partir de agendamentos

Saídas da Estação do Valongo, a cada uma hora.

  • às quintas e sextas, das 10h30 às 12h30.

O valor do ingresso é R$ 7,00.

Mais informações pelo telefone (13) 3201-8000 – Secretaria de Turismo de Santos.

Curso de Formação para Conselheiros Municipais de Guarulhos

São Paulo, setembro de 2018 

Nos dias 10, 11 e 12 de setembro, aconteceu no Adamastor Centro, em Guarulhos, o Curso de Formação para Conselheiros Municipais, com o intuito de capacitar conselheiros daquela localidade para que possam exercer seu papel nos Conselhos, por meio do acompanhamento e fiscalização cidadã das políticas públicas e da utilização de ferramentas de controle social, auxiliando a prefeitura na aplicação efetiva dos recursos públicos.

O treinamento, que faz parte do portfólio de ações do Grupo de Educação Fiscal Estadual – GefeSP, foi oferecido pelo Centro de Educação Fiscal – CEF, da Escola Fazendária do estado de São Paulo – Fazesp, em parceria com a Escola de Administração Pública de Guarulhos – ESAP, com a Receita Federal da 8ª Região Fiscal – município de Guarulhos e Prefeitura Municipal. Os 152 inscritos participaram de uma série de palestras e oficinas sobre assuntos como a Lei de Acesso à Informação, Portais de Transparência, Serviços de Acesso à Informação ao Cidadão, Planejamento e Execução Orçamentária, estrutura e funcionamento dos Conselhos de Políticas Públicas, entre outros temas. (more…)

outubro 16, 2018

Como funciona o trem que vai do centro de São Paulo ao Aeroporto de Guarulhos

O serviço começou a operar no dia 16 de outubro de 2018 e custa R$ 8,00

Fonte: O Estado de S.Paulo

16 Outubro 2018 | 03h00

Como funciona o trem que vai do centro ao Aeroporto de GuarulhosComposição fará trajeto em 35 minutos Foto: Gabriela Biló/Estadão

O serviço de trem que liga a Estação da Luz, no centro de São Paulo, ao Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, Guarulhos, começou a operar nesta terça-feira, 16 de outubro. O serviço havia sido prometido para agosto. Entenda como funcionará.

Qual é o preço?

Segundo a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), o bilhete do Airport Express vai custar R$ 8 e o embarque e o desembarque serão realizados em plataformas exclusivas.

Quando vai operar?

A composição vai funcionar de segunda a sexta-feira. Segundo a CPTM, o primeiro trem vai partir às 10 horas da Estação da Luz e não fará nenhuma parada durante a viagem. Lá, também haverá trens às 12, 14, 16 e 22 horas. Por sua vez, as composições na Estação Aeroporto-Guarulhos saem às 9, 11, 13, 15 e 21 horas.

Qual a duração do trajeto?

O trem cumprirá o trajeto em 35 minutos, sem fazer paradas. A composição chegará até a Estação Aeroporto-Guarulhos, da Linha 13-Jade, que dá acesso ao Terminal 1 de Cumbica, onde operam as empresas aéreas Azul e Passaredo. Já para chegar aos outros terminais é preciso pegar um ônibus gratuito, oferecido pela GRU-Airport, concessionária responsável pelo aeroporto.

Outro serviço

Outro serviço, o Connect, funciona desde o dia 3 de outubro e liga a Estação Brás a Cumbica. O trem, no entanto, para nas estações e a tarifa é comum, de R$ 4. No sentido Brás, as viagens do Connect são feitas, de segunda a sexta, às 6h20, 7h, 7h40, 18h, 18h40 e 19h20. Aos sábados, o trem sai às 6h20, 7h e 7h40. No sentido aeroporto, os horários são 6h25, 7h05, 7h45, 18h05, 18h45 e 19h25, de segunda a sexta; e 6h25, 7h05 e 7h45, aos sábados. O serviço não funciona aos domingos.

outubro 15, 2018

15 de outubro é o dia do Professor – conheça como surgiu a data

Meu ingresso na carreira do Magistério foi em Rio Claro/SP. Uma das primeiras  na qual ministrei aulas foi a EE Prof. João Batista Leme.

Tenho lembranças maravilhosas das Escolas por onde passei, mas outras nem tanto.

Início do ano letivo. Primeira aula no segundo ano do ensino médio noturno, na Batista Leme. Meu segundo ano como professor de Geografia.

Entro na sala, alunos em suas carteiras, menos um. Rapaz magro, alto, boné na cabeça, aba baixa, escondendo os olhos, em pé e na frente da sala. Cumprimento a todos, gentilmente peço a ele para que se sente. Ele fica bem próximo a mim, ergue a camiseta e vejo um revólver. A garota da primeira fila alerta-me: professor, melhor não se meter com o Reginaldo!

Repentinamente ele sai da sala. Alguns meses se passam, continua frequentando as aulas, mas sem demonstrar interesse, por mais que eu tentasse ajudá-lo. E assim foi em todas as disciplinas. Tempos depois desaparece da escola.

Era uma quarta-feira. Leio o jornal e lá estava o Reginaldo nas notícias policiais. Com um companheiro cometera um assalto na padaria do bairro. Assustado, disparou um tiro que acertou um dos rins de um dos proprietários. No mesmo dia fiquei sabendo que na hora do assalto estavam na padaria a cuidadora e a filha de uma das professoras da Escola.

Dias depois ele pediu para que uma das irmãs passasse no Batista Leme para pedir que a professora fosse ter com ele na cadeia. Queria se desculpar. Entregou à ela um bilhete destinado a mim, rascunhado em um pedaço de folha de caderno. Nele, escreveu um pedido de desculpas, dizendo que eu sempre o tentei ajudar e que nunca se interessou. Tenho esse bilhete guardado. Poucos meses depois soube que estava livre.

Nunca mais o vi, mas sinceramente espero que esteja bem e feliz.

 

Mulheres não devem ensinar matemática: o que dizia o decreto imperial que inspirou o Dia do Professor

 

Fonte: Folha, 14/10/2018 Edison Veiga

MILÃO

“O 15 de outubro faz alusão à criação das classes de primeiras letras no Brasil”, afirma a historiadora Katia Abud, professora da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. Mas as comemorações só tiveram início no século 20.Ficava na rua Augusta, 1520, em São Paulo, o Ginásio Caetano de Campos – apelidado de Caetaninho, já que desde 1894 existia a Escola Caetano de Campos, na época ainda no endereço da Praça da República. Ali, um grupo de professores teve a ideia de interromper o ano letivo com um dia de folga. E uma pequena comemoração, em que houvesse o reconhecimento pelo trabalho realizado. Sugeriram o 15 de outubro, oportunamente equidistante dos períodos de férias escolares e significativamente importante para a educação no Brasil, por causa do decreto imperial de 1827. Aos poucos, a ideia pegou. Outras escolas começaram a fazer o mesmo. Até que, em 14 de outubro de 1963, o então presidente João Goulart assinou o decreto nº 52.682 e criou o feriado escolar do Dia do Professor no Brasil.

Decreto imperial foi uma tentativa de organizar a educação no Brasil, explica o historiador Diego Amaro de AlmeidaDecreto imperial foi uma tentativa de organizar a educação no Brasil, explica o historiador Diego Amaro de Almeida – Divulgação/Secretaria de Educação Santa Catarina

EDUCAÇÃO IMPERIAL

Mas, afinal, o que era essa tal lei de 1827? “A lei foi uma tentativa de organizar a educação no Brasil”, resume o historiador Diego Amaro de Almeida, pesquisador do Centro Salesiano de Pesquisas Regionais. “O imperador acaba propondo um projeto de educação que tinha em sua base a promoção do próprio Brasil. Entretanto, devido ao momento e às condições materiais do país, o cumprimento integral da lei foi algo complicado de ser resolvido.”Em 17 artigos, o imperador Dom Pedro I (1798-1834) mandou “criar escolas de primeiras letras em todas as cidades, vilas e lugares mais populosos do Império”. “Dom Pedro, por graça de Deus, e unânime aclamação dos povos, imperador constitucional e defensor perpétuo do Brasil”, conforme relata o documento, decreto que “em todas as cidades, vilas e lugares mais populosos haverão as escolas de primeiras letras que forem necessárias”.”Mais do que uma lei relacionada à educação ou ao ensino, foi uma lei que definiu a instrução pública no Brasil”, comenta o pesquisador Vicente Martins, professor da Universidade Estadual Vale do Acaraú. A lei apresentava alguns pontos bastante curiosos. O artigo terceiro, por exemplo, estipulava que os professores deveriam ter salários anuais de 200 mil-réis a 500 mil-réis. “Com atenção às circunstâncias da população e carestia dos lugares”, pontua o decreto. (more…)

outubro 4, 2018

São Francisco de Assis

Hoje é o dia dele, meu santo de Fé, protetor de todas as horas. São Francisco de Assis. Acabei de passar em sua casa principal de São Paulo para tomar a benção. O Santuário está lindo, repleto de flores, pessoas com seus animais de estimação a igreja lotada para a primeira missa do dia.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Em minha mesa de trabalho ele sempre está. E hoje em patamar simples, mas especial. Com flores de manjericão colhidas em nosso jardim suspenso. Tomei a liberdade de reproduzir o texto e imagens abaixo do blog YOSHEH.

Paz e bem para todos!

    Um rico jovem, apaixonado pela vida noturna, roupas, música, bebida, aventuras e histórias de cavaleiros, foi sutilmente tocado por Deus para mudar o mundo.
Queria tornar-se herói, e tomou parte na guerra entre Assis e Perúgia, cidades italianas, mas foi preso por um ano e só libertado após um resgate pago por seu pai. Dessa prisão trouxe enfermidades de visão e de digestão que teve que suportar por toda vida.
    Depois alistou-se para lutar contra o Sacro-Império Germânico, que combatia os Estados Pontifícios, pertencentes à Igreja, mas teve algumas visões que o fizeram voltar para casa. Que nova realidade estaria contemplando agora? Que rumo daria à sua vida? Os amigos tentaram levá-lo de volta à boemia, mas Giovanni, seu nome de batismo, chamado de Francisco por gostar da arte e do estilo de vida francês, retirou-se para meditar numa caverna acompanhado de apenas um amigo. E aí pedia a Deus Sabedoria para entender overdadeiro sentido da vida.

outubro 3, 2018

Como minha mãe dizia: o que é do gosto, regalo da vida!

Hoje, vindo para o trabalho, vi uma cena muito estranha que prefiro não descrever aqui. Mas que fez eu lembrar de um jargão que minha mãe sempre repetia nas mais variadas situações: “O que é do gosto, regalo da vida!”

Minha mãe era uma sagitariana simples, trabalhadora, muito inteligente e sábia! Já naquela época eu andava lado a lado com minha tradicional ansiedade existencial, entrava em discussões desgastantes com meu pai, pois ainda eu não sabia o quão parecido eu era com ele em meu modo de agir. Discussões normais em uma família onde todos têm personalidade forte. Então lá vinha minha mãe com a frase:

– “Dinho, o que é do gosto, é regalo da vida! Não discuta com seu pai!”

Eu levei um certo tempo para concordar com minha mãe. Típico de quem se preocupa com o mundo, eu queria que tudo ficasse bem. O olhar dela, me acompanhou por muito tempo. Acredito que ela via em mim, um taurino turrão, nascido no primeiro dia do signo e com ascendente em leão, algo que ela aprendera a controlar, mas eu não. Sabia como lidar com as pessoas, sabia como agradar. Isso  é natural em pessoas deste signo.

Hoje tenho este ditado popular como alerta que soa em meus ouvidos, com a voz de minha mãe, em tom sonoro e claro! Sempre que sinto dificuldade em entender um comportamento humano, a escuto. Então, respiro fundo três vezes, e tento silenciar.

(more…)

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

DISCUTINDO CONTEMPORANEIDADES

Escrito por PROF RAFAEL PORCARI, compartilhando sobre futebol, política, administração, educação, comportamento, sociedade, fotografia e religião.

Saia de viagem

Em frente, sempre.

Mulher Moderna

Fazendo de tudo um pouco.

Memórias de Tereza

Um blog de memórias, recordações e lembranças familiares

Blog da Reforma

Um dia esta reforma acaba!

%d blogueiros gostam disto: