A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

janeiro 23, 2017

Madri ou Madrid – encantadora

Tinha muita curiosidade para conhecer Madri. Já havia lido muito sobre ela e conversado outro tanto com pessoas que ali moraram. Embora possa parecer uma cidade antiga, Madri é uma cidade jovem se comparada com outras tantas da Europa.

No século IX, durante a ocupação por parte dos Árabes, o Rei Mohammed I mandou construir uma fortaleza junto ao Rio Al-Magrit, atualmente Rio Manzanares, a partir de onde podia avistar toda a cidade. Em 1085, a cidade foi reconquistada por Alfonso VI e a fortaleza tornou-se o Palácio Real. Inicialmente, os Árabes e os Judeus foram bem tolerados, embora as suas posses tenham sido confiscadas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Em 1492, os Reis Católicos, Fernando de Aragão e Isabel de Castela, acabaram a Reconquista, com a expulsão dos últimos Mouros, da cidade de Granada. Posteriormente, em 1561, o país foi reunificado pelo Rei Carlos I. O seu filho, Felipe II, transferiu a Corte Real de Valladolid para Madri, e desde essa época até aos nossos dias, tem sido a capital de Espanha.

Nos séculos XVI e XVII, séculos de ouro do Império Espanhol, a cidade cresceu, mas era ainda pequena, quando comparada com outras cidades, tais como Sevilha ou Cádiz.

O tempo passou e a situação foi mudando. Passaram os séculos de ouro da Espanha e chegamos ao século XVIII, com Carlos III, considerado por alguns como o melhor monarca da história de Madri, que culminou esta etapa dourada, muito embora os primeiros movimentos turbulentos não tenham verdadeiramente chegado antes do seu sucessor, Carlos IV, que presenciou a agitação em que o país se encontrava. Finalmente, com Fernando VII, conhecido como absolutista, acabou toda a prosperidade que tinha existido trazida pelos últimos monarcas. Tinha terminado um ciclo.

Em 1808, chegam as Invasões Napoleônicas, tanto em Madri, como em muitos outros pontos de Espanha. Estávamos no século XIX e a Europa agitava-se. Napoleão perdeu Madri e Espanha e o seu império capitulou no Inverno russo.

Na Espanha, o século XX começa também com revoltas e tensões, uma situação que resultou na Guerra Civil, entre 1936 e 1939. Nesta guerra, dois grupos, os Nacionalistas e os Republicanos, respectivamente autoritários e democratas, lutaram em todo o território espanhol até finalmente a parte republicana ter triunfado, tendo colocado Francisco Franco no poder – e que o deteve durante 40 anos.

Depois da morte de Franco, em 1975, a democracia foi instaurada em Espanha, sob um regime de Monarquia Parlamentar.

Com essa pequena introdução da História do país, vamos ao que interessa para um turista – os lugares a conhecer. E tendo poucos ou muitos dias tenho certeza que não se aborrecerá na cidade.

Em Madri há dois estádios de futebol para os fanáticos pelo esporte – o Santiago de Bernabeu e o Vicente Calderón – dois dos principais clubes de Madri, o Real Madri e o Atlético de Madri. Tendo sorte você poderá ver algum jogo – ou da liga dos campeões ou da liga espanhola. Além do mais pode fazer um tour pelo Santiago Bernabeu.

O Museu del Prado, localizado em pleno coração de Madri, no passeio do Prado, possui nas suas instalações obras dos principais artistas espanhóis e europeus entre os séculos XVI e XIX. Quadros de Goya, Velázquez, Rubens, El Bosco estão entre eles.

A Puerta del Sol é um lugar emblemático para todos os espanhóis. É onde eles comemoram a passagem do ano novo. Ali está o Km zero de Madri, o lugar que se diz ser o centro de Espanha e de Madri. Bem ao lado está a praça mais emblemática da cidade, a praça maior, que abrigou desde autos de fé da inquisição, corrida de touros e atualmente é cheia de restaurantes e lojas típicas para passear e tomar um aperitivo. Nessa época de final de ano ela é um tanto conturbada com barracas com produtos típicos das festas de final de ano e de Reis. Aliás, essa época é bem engraçada por lá. As crianças soltam traques nas ruas e avenidas. E adultos e crianças andam fantasiados – perucas coloridas, chapéus que lembram árvores de natal, outros com chifres de renas… Nessa época é a venda da loteria de Natal, o chamado “El Gordo”. O país para para ver o sorteio pela televisão  e que acontece em pleno Teatro Real, depois de muito treinamento por parte das crianças que cantam as bolas.

No Natal as frutas são substituídas por doces, como o polvorón e a Torta de Reis (uma delícia). A principal diferença fica por conta dos presentes: lá quem traz os presentes são os Reis Magos no dia 06 de janeiro e não o Papai Noel. A principal tradição é o presépio, que pode ser vendido completo ou separadamente. Há muitas exibições de presépios enormes e as filas também são bem grandes para vê-los.

Para ter sorte no Ano Novo há uma “simpatia” e bem simples.  Comer 12 uvas à meia-noite, quando o sino toca as 12 badaladas. Já em relação à roupa, não há nenhuma tradição porque é inverno.

A comemoração é na Puerta del Sol onde as pessoas vão com as suas garrafas de champanhe, suas 12 uvas e muita roupa de inverno para celebrar a virada.

No dia 06 de janeiro, dia de Reis,é quando as crianças encontram os presentes trazidos pelos Reis na madrugada anterior. Esse dia é feriado e muitas famílias almoçam junto. Além disso, no dia 05 acontece a Cabalgata de los Reyes, que é como um desfile de rua, em que os reis vão em carros alegóricos acenando para as crianças. Cada bairro tem o seu, mas no centro de Madrid, na Gran Vía, acontece a cavalgada mais importante.

Aliás, estar em Madri e ir a Gran Vía é uma obrigação –  é o coração do divertimento na capital espanhola, cinemas, teatros e restaurantes se entrecruzam nesta artéria de capital. A Gran Vía é Broadway de Madri.

O Parque do retiro é o autêntico pulmão de Madri, um parque em que você pode disfrutar de um agradável passeio. Não se esqueça de visitar a casa de cristal ou o palácio de Velásquez.

São Isidro é o padroeiro de Madri, e seu dia é 15 de Maio. Se estiver em Madri nessa época não se esqueça de visitar o centro histórico onde há comemorações – ou em qualquer outra oportunidade que por lá estive. Não deixe de conhecer a parte mais característica da capital.

Depende muito dos gostos e dos bolsos – eu nunca viajo para compras. Mas para quem gosta pode optar para ir à Rua Serrano – a rua com grandes marcas e grandes preços – esta é a frase que a poderia defenir. Para compras mais simples há a Rua Fuencarral – que tem as roupas de última moda com preços relativamente acessíveis.

El rastro é o maior mercado ao ar livre da Espanha. Acontece todos os domingos no bairro de La Latina, se espalha ao longo de 10 quarteirões e é um mercado ao ar-livre, onde se entrecruzam desde lojas tradicionais e vendedores ambulantes de todo o tipo de mercadorias, antigas e novas.

Na casa de Campo, localizada na parte mais oeste da cidade, está a maior zona verde de Madri e aonde se localiza a casa dos Reis de Espanha. Lá você encontrará um parque de atrações e o Jardim Zoológico em meio à plena natureza.

Um único post fica muito extenso para falar sobre Madri. No próximo darei algumas outras dicas de lugares a visitar e outros detalhes desses que citei aqui. Aguardem!

Anúncios

4 Comentários »

  1. Tenho muita vontade de conhecer Madrid.

    Curtir

    Comentário por Ana Teixeira — março 2, 2017 @ 22:35 | Resposta


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Obrigado por assinar o meu blog! Espero que goste!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: