A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

dezembro 4, 2013

Roma não é uma cidade barata!

Comer bem e pagar pouco,  em Roma, não é uma tarefa fácil. Roma é uma cidade grande e aqui pode se comer bem, mas você pode estourar o seu orçamento com comida. Não é possível comer bem em restaurantes e com pouco dinheiro. Fazendo piqueniques fica mais barato. O que de mais barato encontrei por aqui foram as pizzas al taglio (média de 2,50 euros por pedaço) e os kebabs, que custam em média 5,00 euros (é o nosso churrasquinho grego, só que aqui com muito melhor qualidade – e são deliciosos!). Estou aqui faz 9 dias e esta constatação estou fazendo in loco.

Uma refeição simples em restaurantes comuns não saem por menos de 12,00 a 15,00 euros (sem bebidas).
Algumas dicas:
– beber um café e comer o almoço ou lanche em pé. Quase sempre é mais caro sentar-se num café do que ficar em pé no bar, e muitas vezes, custa ainda mais para se sentar nas mesas ao ar livre. E o café expresso aqui é um quarto do tamanho do expresso no Brasil. E não sai por menos de 1,00 euro (taxa cambial de hoje: 1,00 euro = R$ 3,30).

Este slideshow necessita de JavaScript.

– compre nos mercadinhos ou “Alimentari” (lojas de alimentos), e faça piquenique quantas vezes forem possíveis. Você vai economizar muito dinheiro se fizer isso, pelo menos, em duas refeições ao dia. Se você tiver uma geladeira em seu quarto, melhor ainda. Não correrá o risco da comida estragar. 
– almoce em um bar de vinhos, ao invés de uma trattoria ou restaurante. Tem bares que oferecem uma seleção de sanduíches frios ou pratos que podem te satisfazer sem que você tenha que esvaziar a sua carteira. Mesmo assim, conforme-se – não é tão barato como no Brasil.  Muitas vezes, uma fatia de pizza para um almoço ou jantar é o mais barato. Experimente! As pizzas daqui são diferentes da pizza que você está acostumado a comer no Brasil e são deliciosas.
– nem pense em Mac’Donalds ou outra rede qualquer fast food. Um hambúrguer e batata frita não custam o mesmo preço ao qual você está acostumado. E não são bons, acredite. A comida local é muito melhor.
– sempre que viajo alugo um apartamento. Além de ficar mais barato que um hotel, você tem a comodidade de poder cozinhar em casa, entrar e sair a hora que quiser, entre outras vantagens. Se for optar por comer uma refeição nas ruas, opte pelo almoço – vai perceber que o menu de almoço em um restaurante é um pouco mais barato do que o menu de jantar.
– apesar de não serem baratos, tome gelato (sorvete). É possível encontrar o sorvete italiano em todos os lugares (e também não é barato – de 3 a 6 euros uma bola) e tem em uma variedade quase infinita de sabores. Pergunte aos habitantes locais sobre a sua “Gelaterie” preferida, ou consulte o seu guia de viagens para ter uma lista dos melhores da cidade.
– os restaurantes de bairro costumam ser mais baratos. Procure aqueles frequentados por  moradores locais. Lembre-se que as pessoas que vivem em uma cidade sempre sabem onde encontrar as melhores ofertas de alimentos.
– a questão do peso dos alimentos aqui é um pouco diferente que no Brasil. Quando você compra alimentos, como queijo ou fatias de presunto em peso, pode ser taxado pela “etto”, que é um hectograma (100 gramas) e muitas vezes comprar assim sai mais caro do que comprar um quilo.
– uma boa dica é fazer uma pesquisa na internet dos lugares que quer visitar e montar um guia personalizado, ao invés de ficar carregando vários guias pesados. Coloque nele a relação de restaurantes e cafés a preços acessíveis. Leve essas anotações com você.
– procure locais com menus turísticos, que geralmente são colocados na parte de fora dos restaurantes. Sempre é bom lembre-se que a maioria dos restaurantes da Itália inclui na conta uma taxa de cobertura, o que normalmente aparece no menu ou na conta como “coperto e pane”. Em muitos locais, a taxa de serviço (os nossos opcionais 10% no Brasil)  é automaticamente adicionado à conta. Dar gorjetas além de pagar a taxa de serviço é opcional, embora seja geralmente habitual deixar um pequeno troco em cima da mesa. Verifique a sua conta para ver se a taxa de serviço foi adicionado para que você possa dar a gorjeta de forma adequada.

Penso que todos deveriam visitar Roma pelo menos uma vez na vida. Mas, não quero deixar a impressão que você deve ficar com o olho preso na carteira a cada item que quiser comprar. Essas dicas são para que economize e aproveite sua viagem. Abaixo, mais algumas coisinhas que poderão ajudá-lo.

– Como chegar do aeroporto à cidade

Roma tem dois aeroportos: o de Fiumicino, utilizado pelas principais companhias aéreas regulares e low cost nacionais e internacionais, e o Aeroporto Ciampino.  A maioria dos voos chegam em Fiumicino.

Desde o aeroporto de Fiumicino a forma mais barata de chegar à cidade é o ônibus regional (Roma Ostiense) + metrô (linha B até Termini), com um custo total de 2,90 €.  Um modo mais prático é o ônibus que vai direto do aeroporto até o Termini e que custa 5 euros.

– Os bairros baratos para dormir

O jeito é escolher uma zona relativamente cêntrica e tranquila. Isso pode ser uma boa forma de poupar dinheiro e de conhecer profundamente os cenários mais autênticos da capital. Alguns dos bairros mais recomendados e que não são caros são: NomentanoSan GiovanniOstienseMonteverdeFlaminioTrieste e Monte Sacro. Eu aluguei um estúdio pertinho do Coliseu e que custou 69 euros a diária. Foi esse aqui, na Rua Frangipane, 27, locado da Rental in Rome. Recomendo! Pessoal sério, correto e não fazem propaganda enganosa. E ele têm imóveis para todos os gostos e em outras cidades italianas também.

O melhor conselho que você pode conseguir na cidade veem dos habitantes locais. Os romanos são amáveis e comunicativos, e seguramente vão indicar-te os melhores lugares onde se pode comer um bom prato de pasta, um saboroso gelato ou um bom copo de vinho. Em geral, os restaurantes mais pequenos sã0 a melhor opção, já que são mais baratos e oferecem comida caseira. Você pode escolher qualquer estação de metrô fora do centro da cidade e partir à descoberta da fantástica gastronomia local!

Há épocas do ano em que Roma está literalmente invadida pelos turistas e isto provoca um aumento considerável dos preços. No Natal, durante as festas do 1º de Maio, durante os eventos religiosos ou nos meses de verão, a sua viagem pode ficar um pouco mais cara que o habitual…

Visitar os museus de Roma, como o do Vaticano é, sem dúvida, uma parte importante da experiência desta viagem. Mas Roma tem tantos monumentos impressionantes para visitar, que você não precisará pagar uma entrada para sentir-te transportado à magia do passado. E os museus não são baratos! 16 euros, 25 euros, e por aí vai. Barato em Roma, meu caro amigo e minha cara amiga, é só pão e água (e água você não precisa nem pagar – pode tomar a vontade nas dezenas de fontes espalhadas pela cidade).

Aqui tudo é belo. Basta caminhar pelas ruas da cidade e observar os edifícios que te rodeiam. Ficará de boca aberta quando vir as igrejas e as praças encantadoras.

– o que é imperdível e grátis em Roma

– Visita a Ilha Tiberina e o bairro judeu, onde as  ruas empedradas e as praças mais populares escondem um grande número de cafés e fontes.

– Dar um passeio romântico às margens do rio Tibre.

– Subir a colina  Gianicolo, de onde poderá contemplar toda a cidade de Roma.

– Fazer um piquenique na Villa Borghese, um dos mais belos parques da cidade.

– Caminhar pela Via dei Fori Imperiali, Piazza Venezia até ao Coliseu e admirar as praças construídas pelos imperadores.

– Sentar-se, observa a vida passar, desfrutar dos espetáculos dos artistas de rua nas escadarias de  Trinità dei Monti, na Praça de Espanha.

– Perder-se pelas barracas e corredores do mercado mais famoso, Portaportese, onde poderá encontrar de tudo! E o melhor – a preço muito mais baixo que nas lojas. Encontrará por lá roupa usada muito boa e nova também, por preços fantásticos!

– Relaxar-se nos parques das vilas históricas, admirando os seus fantásticos jardins.

– Visitar o Jardín de Orange. No final do jardim há uma grande porta do priorado dos cavaleiros de Malta, que oferece uma vista fantástica sobre  a Basílica de San Pedro.

– Fazer companhia aos gatos no Cimitero Inglese, enquanto descobres as  lápides de alguns escritores famosos.

– Perder-se  no labirinto de ruas estreitas e pavimentadas de Trastevere e descobrir lugares que são desconhecidos para a maioria. Foi lá que Wood Allen gravou grande parte das cenas de Para Roma, com amor!

7 Comentários »

  1. ADORO LER OS SEUS POST. QUEM ESTÁ AFIM DE VIAJAR POR LÁ ..É SÓ SEGUIR SUAS RECOMENDAÇÕES …AI TEM TODAS AS DICAS DE UMA BOA VIAJEM , SEM GASTAR TANTO … TENHO CERTESA QUE NÃO SOU SÓ EU A PENSAR ASSIM … BJOS PRA VOCES , E BOM DESCANSO …AMO VOCES ….SAUDADES .

    Curtir

    Comentário por IVONE VERONICA MARTIN CHRISTOFOLETTI . — dezembro 4, 2013 @ 21:43 | Responder

    • Saudades tb! Bjs

      Em 4 de dezembro de 2013 21:43, A Simplicidade das Coisas — Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — dezembro 5, 2013 @ 6:35 | Responder

  2. Maravilha Augusto, informações ótimas, fui a pouco tempo em um circuito, que não dá para ver muita coisa, pretendo voltar, e com base em tudo isto, conhecer Roma do jeito que sonhei
    Abraços.( nem sempre comento, mas estou acompanhando”tudo”)

    Curtir

    Comentário por Filomena signorelli — dezembro 4, 2013 @ 21:44 | Responder

  3. MARAVILHA,,ADORO LER OS SEUS POSTS,PARECE QUE ESTOU AI COM VCS NESTA VIAGEM LINDA,ESTOU ACOMPANHANDO TUDO BJS, TERA .

    Curtir

    Comentário por tereza — dezembro 5, 2013 @ 15:31 | Responder

    • Bjs, Te. Obrigado. Gu

      Em 5 de dezembro de 2013 15:31, A Simplicidade das Coisas — Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — dezembro 6, 2013 @ 23:02 | Responder

  4. Essas fotos de hj são maravilhosas . Me sinto aí junto !!!
    AH!!! se der tras um pedaço de pizza pra mim,….. fiquei com vontade ….
    bjusss Rê

    Curtir

    Comentário por Regiane C. Christofoletti Gouveia — dezembro 5, 2013 @ 19:33 | Responder

    • Kkkkk. Ah, se pudesse, Re! Bjs

      Em 5 de dezembro de 2013 19:33, A Simplicidade das Coisas — Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — dezembro 6, 2013 @ 23:02 | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Obrigado por assinar o meu blog! Espero que goste!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

DISCUTINDO CONTEMPORANEIDADES

Escrito por PROF RAFAEL PORCARI, compartilhando sobre futebol, política, administração, educação, comportamento, sociedade, fotografia e religião.

Saia de viagem

Em frente, sempre.

alimmentos.wordpress.com/

congelados veganos

Mulher Moderna

Fazendo de tudo um pouco.

Memórias de Tereza

Um blog de memórias, recordações e lembranças familiares

Blog da Reforma

Um dia esta reforma acaba!

%d blogueiros gostam disto: