A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

junho 2, 2012

Indisciplina nas escolas? O que fazer?

Desde que a violência tenha sido instalada nas instituições de ensino, temos que nos perguntar por que aconteceu, e porque não encontramos uma explicação válida que possa reverter este flagelo que é a falta de respeito, ordem, docilidade, em muitos alunos.

Indisciplina

Defecam onde não devem, brigam, explodem bombas caseiras, quebram o mobiliário e muito mais. Enfrentam e agridem os professores. Verbalmente e fisicamente. O que fazer diante destas condutas?

Muitas vezes a direção aplica uma suspensão. Em seguida, aparecem os pais dos transgressores e criticam a atitude “desproporcionada”. Tenho um amigo, diretor de escola, que diz que apesar das lamúrias dos pais, nesses casos ele tem que ser duro. Se não for assim, não há convivência nem relações dignas.

É hora de terminar com a permissividade excessiva. Os diretores e professores vivem atordoados com tanta teoria, porém não sabem o que fazer na prática. A suspensão ou explusão em alguns casos irá fazê-los reflexionar, porém não só eles ou os colegas de classe, mas também a seus pais. A suspensão ou a expulsão é uma resposta reflexiva para uma conduta sem razão.

Devemos acabar com os excessos de permissividade. Muitos defendem a aplicação de uma provação, como por exemplo, castigo e prêmio. Uma ação onde os alunos devolvem algo para a comunidade em reparação ao que fizeram.

A violência e o mau comportamento no ambiente escolar é uma consequência de um sistema educativo com elementos do século passado. Vemos exemplos perversos no ensino médio e nele não padecem somente os alunos, também os pais, professores e diretores. Temos que diferenciar domesticação de educação.

Muitos professores amigos meus dizem que pode haver uma luz no fim do túnel. Um bom exemplo disso é que a Comissão de Seguridade Social e Família aprovou no dia 28 de março desse ano uma proposta que prevê punição para estudantes que desrespeitarem professores ou violarem regras éticas e de comportamento de instituições de ensino.

Pelo Projeto de Lei 267/11, da deputada Cida Borghetti (PP-PR), o estudante infrator ficará sujeito a suspensão e, na hipótese de reincidência grave, será encaminhamento à autoridade judiciária competente. A proposta muda o Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 8.069/90) para incluir o respeito aos códigos de ética e de conduta das escolas como responsabilidade e dever da criança e do adolescente estudante.

O relator, deputado Mandetta (DEM-MS), destacou que a violência contra professores do ensino médio e do fundamental é uma das causas da falta de qualidade da educação brasileira. “Professores com medo de sofrer violência ou represálias verbais e físicas, principalmente por parte de alunos, somado à falta de punição administrativa e/ou judicial dos estudantes indisciplinados ou violentos somente corroboram a existência de sérios problemas educacionais”, afirmou.

O parlamentar disse ainda que um estatuto que assegura apenas direitos, sem determinar deveres, desrespeita uma das regras básicas da educação, que é o respeito aos direitos dos outros. “É fato que há uma crescente violência contra professores e diretores em sala de aula, que não vem sendo coibida adequadamente pelas normas hoje em vigor. Cremos que o sistema de proteção integral determinado pela Constituição Federal às crianças e adolescentes também passa por imposição e cumprimento de deveres”, concluiu.

A proposta, que tramita em caráter conclusivo, ainda será analisada pelas comissões de Educação e Cultura; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Vamos aguardar! Se aprovada, os professores agradecem.

Anúncios

4 Comentários »

  1. É difícil, suspensão…não funciona, o que a escola chama de punição o aluno chama de prêmio, geralmente os pais trabalham e a criança “suspensa” fica em casa sem fazer nada ou se divertindo, particularmente conversei com meu filho (10 anos) depois da terceira suspensão, segundo a escola, por agressão, segundo meu filho, defesa, solicitei ao (ótimo) diretor Sr J.Carlos que observássemos a hora do intervalo de um ponto estratégico, constatamos que na verdade as pessoas responsáveis pelas crianças ficam conversando entre sí e só aparecem quando a confusão está estabelecida, aos gritos e puxões, quando na verdade se estivessem exercendo suas funções teriam evitado qualquer confronto, pedi e fui prontamente atendido pelo diretor que meu filho quando envolvido em falta de disciplina fosse punido com a proibição de frequentar as aulas de educação física (que é o que ele mais gosta), isso no início do ano, o garoto cometeu apenas um deslize, ficou punido em uma semana sem educação física e nunca mais se envolveu em problemas, devemos privar os alunos do que eles gostam e não afasta-los do ambiente estudantil, bem essa é minha humilde opinião.

    Curtir

    Comentário por carlos lima — junho 3, 2012 @ 11:51 | Responder

    • Bom dia Carlos.

      Agradeço pelo seu depoimento. Essa questão é algo que precisa ser muito discutida para se tentar chegar a um ponto de equilíbrio. Abrs e bom domingo.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — junho 3, 2012 @ 13:12 | Responder

  2. as pessoas so pensam na agressão contra o professor e não pensam no profesor agredir o aluno oq fazer com um agressão verbal pesada de uma professora pq quando eu estourar eu vou sentar a mão na cara dela ha alguma lei contra isso??

    Curtir

    Comentário por guilherme barroso — junho 26, 2012 @ 23:56 | Responder

    • Oi Guilherme.

      Não concordo com violência contra professores e não concordo com violência contra alunos. Nenhuma deve ser vista com bons olhos.
      É verdade que há alunos que conseguem deixar os professores furiosos, mas da mesma forma existem professores insuportaveis, ofensivos, preconceituosos.
      Quando eu era pequeno, era “normal” professores baterem em alunos, até era aconselhado pelos pais do gênero “se ele se portal mal, dê-lhe uma correção”. Na minha sala de aula todo mundo apanhava. Todos os dias. Por coisas absurdas, por não aprender, por não saber. Os professores não entendiam que todos temos diferentes níveis e dificuldades de aprendizagem. Se não aprendia logo, apanhava. Violência nunca é aceitável, seja contra alunos, seja contra professores. Da mesma forma que é errado um aluno bater na professora, o contrário também o é. Ser mais novo, ser apenas aluno, não pode ser justificativa para aceitar isso. É errado sempre!

      As mudanças têm de vir de raíz… E isso demorará a acontecer.
      Respondendo a sua pergunta, se vc for menor de idade, mesmo assim pode ser acionado e seus pais podem ter que arcar com uma multa. Veja noícias recentes na mídia.
      A agressão nunca será solução.
      Abraços.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — junho 27, 2012 @ 0:17 | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Obrigado por assinar o meu blog! Espero que goste!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: