A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

maio 29, 2012

Sincronicidade ou causalidade? Pequenas coincidências que podem ser de grande ajuda!

Já tive experiências notáveis sobre a forma como criamos nossa realidade, e hoje eu estou convencido de que as casualidades não são deste mundo, e que os eventos acontecem porque somos seres criativos que afetamos e modelamos o nosso entorno.

Quanto mais evoluída for a consciência de uma pessoa e mais alienada estiver com seu propósito, mais coincidências significativas ocorrerão.

Tudo o que vemos no mundo que nos rodeia surgiu inicialmente de um único pensamento. E esse pensamento se transformou em algo tangível, visível ou perceptível, e é a isso que chamamos de realidade. Tenho observado como o tempo entre o pensamento e o resultado tem sido constantemente reduzido de forma gradual que às vezes nos surpreendemos com os acontecimentos e por isso os chamamos de casualidade. Mas o que a experiência nos tem mostrado é a sincronicidade dos acontecimentos, algo que se assemelha a  mágica. 

Minha pequena história, é a constatação uma vez mais do poder manifestador que temos, e este é apenas um exemplo de um monte deles.

Em minha casa, os domingos sempre foram um bom dia para se reunir e almoçar com família – e acho que é a realidade de muita gente. Tenho uma família relativamente grande, onde cada qual anda absorto em suas atividades rotineiras e acho que essa ocasião sempre foi uma excelente oportunidade para compartilhar com a família. Hoje meus pais não estão mais vivos, não moro mais em Rio Claro, onde estão minhas irmãs, cunhados, sobrinhos, tios, primos… Mas, sempre que vou para lá passar finais de semana procuro encontrar o maior número de familiares possível.

Mas, esse relato aconteceu há algum tempo atrás, quando meus pais ainda faziam parte do meu convívio. Num domingo, depois do almoço, minha mãe me pediu o favor de encher uma jarra de vidro com água e colocar na geladeira. Tínhamos um grande filtro de barro. Como a água demorava a sair pela torneira, retirei a parte de cima do filtro, apoiei sobre a pia e ia virar a parte de baixo para encher a vasilha mais rápido. E quando estava fazendo isso, meu pai me alertou sobre o perigo de estar neste momento com a parte de baixo do filtro nos braços, sustentando todo aquele peso e o o virando sobre a jarra, e nada mais para me auxiliar  neste processo.

Uma de minhas irmãs concordou com ele, e comentou sobre alguém que fazendo a mesma tarefa deixou a jarra cair e teve vários cortes em seu corpo por conta dos estilhaços que voaram do chão.

No momento que estavam finalizando o comentário ouviram um Crashhhhhh seguido de um silêncio. A primeira coisa que me veio à mente era o relato que minha irmã acabara de fazer. Em seguida, todos levantaram da mesa e correram até mim.

Todos me vira de pé completamente molhado, eu não tinha cortes em braços e pernas, apenas água! Senti-me aliviado e surpreso, e olhando para todos, só conseguiu dizer: – O filtro escorregou das minhas mãos!

E você, tem algum relato pessoal sobre sincronicidade? Se quiser conte suas experiências sobre o assunto.

O importante é tomar consciência e compreender que não somos vítimas do mundo – somos tão poderosos que criamos com nossas mentes toda a nossa própria experiência… Portanto, se somos assim, criadores, convido-os a criar um mundo em paz.

Abaixo, um lindo texto da Rosemeire Zago, que fala exatamente sobre isso – sincronicidade. Boa leitura!

QUANDO O DISCÍPULO ESTÁ PRONTO, O MESTRE APARECE!
Rosemeire Zago
Esse antigo ditado chinês descreve uma idéia básica oriental, a conexão entre a psique humana e as ocorrências exteriores, o mundo interior e exterior. Alguma vez você pensou muito como resolver determinada situação, sem saber como deveria agir? E de repente teve uma intuição que deveria mudar o rumo das coisas ou o caminho a seguir, podendo ser logo depois de abrir a página de um livro que leu sem querer, ao ouvir uma conversa na fila ou após um sonho? Pensou em alguém que gostaria de falar ou encontrar e logo em seguida se encontrou ou recebeu um telefonema da pessoa que pensou? Essas situações podem se tornar comum em alguma época na vida de algumas pessoas, o que nos confirma que nada acontece por acaso.
Apesar de nós, ocidentais, termos muita dificuldade em entender esses eventos, muitas vezes acreditando que tudo aquilo que não pode ser percebido pelos cinco sentidos ou explicado pela razão, seja considerado de menor valor, na verdade a sincronicidade nos proporciona um vislumbre interior e que há de fato um elo entre nós e o Universo. Mas como os eventos significativos são manifestos em linguagem simbólica, podem dificultar seu entendimento e assim se tornam muitas vezes ignorados e desprezados. Mas talvez seja possível entender um pouco mais sobre as coincidências significativas tendo uma compreensão da teoria de Jung. A primeira vez que Jung utilizou o termo sincronicidade publicamente foi em 1930, mas a primeira publicação só ocorreu em 1952, quando ele tinha 75 anos. Como podemos perceber esses fatos já são estudados há algum tempo.
Muitos acontecimentos aparentemente casuais podem ser significativos. Quantas vezes você não se deparou com coincidências ou encontros e não pôde explicar como ocorreram? Ou seja, quando existe uma coincidência entre um sentimento ou um pensamento e acontece um evento externo do qual a pessoa sente como significativo, damos o nome de sincronicidade. As coincidências significativas mais comuns acontecem quando estamos num momento de maior reflexão sobre o sentido da vida, momentos que parecem de alguns modos diferentes, mais intensos e que não conseguimos muito explicar o que ocorre.
Não há explicação racional para situações em que uma pessoa tem um pensamento, sonho ou um estado psicológico interior que coincida com um acontecimento. Como nos casos em que pensamos em alguém, o telefone toca, e quem chama é a pessoa na qual estávamos pensando. E quando esses eventos tornam-se constantes é comum as pessoas ficarem assustadas, pois não entendem a profundidade desse processo. Quando entendemos e aceitamos a idéia de sincronicidade, qualquer acontecimento pouco comum é um convite para parar e pensar. Podemos sentir que algo está tentando nos dizer alguma coisa e essa sensação aumenta com cada novo acontecimento nesse sentido. Ter consciência de que as coincidências acontecem conosco é o primeiro passo para que passem a acontecer cada vez mais. Seja qual for o sinal, sentimos que é preciso decifrar uma mensagem e com isso tendemos a nos conhecer e crescer. É quando começamos a ter consciência de que algumas ocorrências podem mudar nossa vida. Para a sincronicidade, as coincidências dos acontecimentos significam algo mais do que mero acaso. Houve alguma coincidência que fez com que você chegasse até esse artigo e que agora percebe que foi significativa?
A sincronicidade pode nos dar a confirmação de que estamos no caminho correto, ou ainda, que devemos mudar o rumo que estamos indo. Algumas sensações como calafrio subindo pela espinha, de espanto ou calor, freqüentemente acompanham a sincronicidade.
Se quiser, poderá fazer um registro de informações em forma de diário. Formule as perguntas certas e fique atento que as respostas chegarão. Mais cedo ou mais tarde as coincidências vão ocorrer para levar você na direção indicada pela intuição. Quando passar a ouvir sua intuição, sua voz interior, logo perceberá que sua confiança proporcionalmente irá aumentar. Comece a ficar atento aos fatos de sua vida e em que circunstâncias eles ocorreram. Poderá ainda fazer um exercício construindo sua linha de tempo para aumentar seu autoconhecimento. Escreva eventos significativos de sua vida desde seu nascimento até o momento presente. Quais foram as situações mais marcantes em sua vida? Não precisa ser minucioso no relato, coloque eventos chaves que aconteceram de acordo com o ano ou com sua idade na época.
Depois analise e identifique as lições que cada fato pode ter trazido para você e que pode não ter percebido quando ocorreram. Tenha consciência que sua vida tem um objetivo e que tudo que te acontece pode ter uma mensagem e um aprendizado. O que podem ter te ensinado? Percebeu um padrão repetitivo de experiências? Qual parece ser o objetivo da sua vida até agora? É isso que ainda quer para você ou tem perseguido objetivos que foram impostos e você os aceitou como seus? O que você preferia estar fazendo? O que te impede de mudá-los? Essas são apenas algumas sugestões de perguntas que você poderá fazer e deixar sua intuição e a sincronicidade te guiarem. Como diz Richard Bach: Cada pessoa, todos os episódios de sua vida, aí estão porque você aí os colocou. O que você escolhe fazer com eles, depende de você! E o que fazer com eles pode ser indicado pela sua intuição e sincronicidade. E realmente acontecem, por isso fique atento!
Se quiser saber mais:
– Jung, Sincronicidade e Destino Humano. – Progoff, Ira – Ed. Cultrix
– A Sincronicidade e o Tao – Bolen, Jean Shinoda
– A Profecia Celestina – Redfield, James – Ed. Objetiva
Rosemeire Zago é psicóloga clínica, com abordagem junguiana e especialização em Psicossomática. Desenvolve o autoconhecimento através de técnicas de relaxamento, interpretação de sonhos, importância das coincidências significativas, mensagens e sinais na vida de cada um, promovendo também o reencontro com a criança interior.
Conheça meu eBook sobre interpretação de sonhos: Os Sonhos e Seus Significados.
Anúncios

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Obrigado por assinar o meu blog! Espero que goste!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: