A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

maio 10, 2012

Os 400 anos dos Arquivos Secretos do Vaticano e a exposição “Lux in Arcana”

Lux in Arcana (Luz no Segredo)

Das profundezas dos Arquivos Secretos do Vaticano documentos foram selecionados para uma única exposição pública em Roma –  sua documentação, o grande período geográfico e cronológico que ele abrange, seu estado de conservação, a escrita, a tipologia – este é o objetivo da mostra que começou em fevereiro e terminará em 09 de setembro.

No Museu do Capitólio, em Roma, é onde está montada a exposição multimídia ‘Lux in Arcana’ (Luz no segredo, em latim), expondo pela primeira vez mais de uma centena de documentos dos Arquivos Secretos do Vaticano fora do pequeno Estado. O Capitólio, edifício que alberga as autoridades municipais de Roma, está aberto todos os dias, exceto às segundas-feiras, das 09h00 às 20h00.

Assinatura de Galileu Galilei

Entre os tesouros, encontra-se a bula ‘Inter Coetera’ (de 1493), do Papa Alexandre VI, na qual se delimitou os territórios descobertos por portugueses e espanhóis, posteriormente corrigida pelo Tratado de Tordesilhas (1494).

A mostra é organizada pelo próprio arquivo, por ocasião do quarto centenário da sua fundação (a criação dos arquivos secretos é obra do Papa Paulo V). Na exposição é possível encontrar documentos que vão do século VIII ao século XX e, segundo os organizadores, será talvez a única vez na história que vão passar as fronteiras da Cidade do Vaticano.

Os visitantes têm a possibilidade de ver o códice do processo (1616-1633) do físico italiano Galileu Galilei; a excomunhão de Martinho Lutero (1520); a carta em que Celestino V fez a “grande recusa”, renunciando ao papado (1294); a carta ao parlamento inglês, de Clemente VII, sobre o casamento do rei Henrique VIII (1530 – que é o pedido de anulação do casamento de Henrique 8º e Catarina de Aragão) e o ‘Dictatus Papae’ de Gregorio VII (1073-1085), que estabelecia a primazia do poder do Papa sobre o poder político, um dos documentos mais antigos da mostra.

Os documentos referem-se ainda a personalidades como o compositor Wolfgang Amadeus Mozart, o presidente norte-americano Abraham Lincoln ou o imperador francês Napoleão Bonaparte.

Também há um pergaminho de 60 metros, remontando a 1308, e contendo a confissão dos templários diante de três cardeais enviados por Clemente V ao castelo de Chinon (centro da França).

Pergaminho

EVENTOS HISTÓRICOS

Também foram revelados documentos que defendem a atitude do Papa Pio XII, criticado por ter mantido silêncio ante o Holocausto, durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Entre eles, está um relatório do núncio Francesco Borgongini-Duca que visitou sete campos de concentração na Itália, em 1941, e uma carta de agradecimentos de pessoas detidas nos campos, endereçada ao Papa.

Entre os outros documentos está a nomeação ao trono papal do eremita Pietro Morrone (século XIII), que se tornou Celestino V e foi o único papa da História a se demitir. Há também um documento do século XV no qual Alexandre VI divide o Novo Mundo entre Portugal e Espanha, após a “descoberta” da América por Cristóvão Colombo. Ou ainda o decreto do Papa Leão X que selou o cisma com os protestantes, conduzindo às guerras de religiões fratricidas na Europa.

Arquivos Secretos do Vaticano

Outros tesouros: as cartas de Michelangelo sobre a construção da Basílica de São Pedro ou um documento confeccionado em seda pela Imperatriz da China Helena Wang, convertida ao cristianismo.

Mais curiosa ainda é a carta do chefe da tribo indígena Ojibwa datando do século XIX a Leão XIII, a quem chama de “grande mestre das preces que cumpre as funções de Jesus”.

Outra raridade, uma carta de Maria Antonieta presa depois da Revolução, na qual se pode ler: “os sentimentos daqueles que partilham minha tristeza (…) são a única consolação que posso receber nestas tristes circunstâncias”.

Segundo arquivistas e historiadores, entre os documentos ilustres que fazem parte do arquivo, restam poucos que ainda hoje mereçam ser descritos como secretos. De fato, muitos dos estudiosos que atravessam a porta dessa instituição (são cerca de 1.500 visitantes por ano) buscam dados tão banais quanto informações genealógicas ou detalhes sobre a atividade de alguns pontificados.

Maiores informações sobre a exposição no site oficial.

Vou confessar uma coisa – se eu tivesse dinheiro sobrando não pensaria duas vezes em ir até Roma para visitar essa exposição! Já faz algum tempo que tive um sonho muito realista – estava trabalhando nesse arquivo! Será que isso poderá tornar-se realidade em um futuro próximo?

Anúncios

3 Comentários »

  1. Quem sabe “já foi” uma realidade?! Vidas passadas, baby!

    Curtir

    Comentário por Imaculada — maio 10, 2012 @ 16:29 | Responder

    • Oi Imá!

      É, quem sabe. Mas, se foi realidade, poderia repetir. Deve ter valido a pena. Rs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — maio 10, 2012 @ 16:39 | Responder

  2. […] Click on: Os 400 anos dos Arquivos Secretos do Vaticano e a exposição “Lux […]

    Curtir

    Pingback por Os 400 anos dos Arquivos Secretos do Vaticano e a exposição “Lux | Vatican Report — janeiro 7, 2014 @ 12:49 | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Obrigado por assinar o meu blog! Espero que goste!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: