A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

novembro 25, 2011

Yoga, meditação, equilíbrio, harmonia

São quatro palavras que envolvem um monte de coisas, mas que se você usá-las corretamente e na medida certa, é possível mitigar, mesmo que de forma lenta, mas centrada, todo o nosso sofrimento diário e de forma incisiva.

É verdade que, sem exceção, todos nós já tivemos o desejo de que as coisas funcionem com tranquilidade e calma, porém vamos ser sinceros –   realmente conseguimos isso? Conseguem controlar o “vuco, vuco” diário? Claro que não. A gente entra na onda da correria diária e até esquecemos de respirar corretamente.

Obviamente, cada pessoa tem sua idéia e sua posição em relação ao como quer  “andar pelas ruas da vida” e podem acreditar ou não nesses tipos de coisas, no entanto, de vez em quando se parássemos por alguns minutos para abrandar, repensar o processo, nos permitiria encontrar o nosso Eu Interior e, lentamente, modificaríamos as atitudes ante os choques que sofremos em nossas ações. Já praticou aquela máxima hoje: “respire fundo antes de explodir” ou “pense duas vezes antes de falar”? Pois é.

Lembro-me de uma frase de meu querido pai que sempre falava o seguinte: “uma vez por ano, obrigatóriamente,  você tem que visitar dois lugares: um cemitério e um hospital”. Segundo ele, isso seria essencial para darmos conta de qual é  a nossa situação perante o outro e o mundo! E minha mãe tinha também suas frases: “não cuspa para cima que pode cair em sua cara!” e, “antes de reclamar de sua vida, olhe para trás ou preste atenção nas pessoas da rua”.

Bem, comecei essa “conversa” para mostrar para vocês um vídeo lindo que recebi hoje. Trata-se de uma fórmula:  Arquitetura + Engenharia + Equilíbrio = sensacional

Vejam o equilíbrio e serenidade desse rapaz ao montar uma engenhoca com talos de folhas de coqueiro. Qual deve ter sido a persistência dele para chegar a tal resultado?

Muita Yoga, meditação, equilíbrio e harmonia em sua vida!

Namaskár! (A divindade em mim reconhece e saúda a divindade em ti!)

Você deve estar pensando “é Namastê” que se diz, e não Namaskar.  Ambas são formas de cumprimento comuns no norte da Ásia. A única diferença é que Namaskar é utilizado com mais formalidade que Namastê.

Anúncios

2 Comentários »

  1. Participei de uma aula de Yoga(de apenas um dia),na Instituição Palas Athena, onde se destacou a relação entre a força e o equilíbrio, tudo a ver com o que foi demonstrado no vídeo(observar o vídeo vale por um instante de meditação). O vídeo mostra também como somos seres de possibilidades infinitas, basta apenas nos conhecermos e utilizar o conhecimento para o Bem.

    Curtir

    Comentário por Emília — novembro 25, 2011 @ 14:46 | Responder

    • Oi Emilia. Interessantíssimo perceber no vídeo como a respiração foi fundamental para o rapaz chegar ao equilíbrio interior. Apesar de estar em um palco e com centenas de pessoas vendo-o executar a tarefa, ali, naquele momento, era ele, os galhos e o objetivo. Lembrei-me muito de Shiva o tempo todo. Ele construiu partindo de um graveto e, ao retirar esse mesmo graveto, ao final, tudo se desfez. Bjs. Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — novembro 25, 2011 @ 14:49 | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Obrigado por assinar o meu blog! Espero que goste!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: