A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

julho 30, 2011

De Mendoza a Santiago de ônibus – cruzando a grande barreira Andina!

Neste post pretendo escrever algumas impressões da travessia dos Andes, desde Mendoza, Argentina, até Santiago, no Chile, e mostrar algumas fotos da fantástica viagem que é atravessar a grande barreira dos Andes e que espero que gostem.

Já retornando, os Andes visto do avião

Descrição geográfica

A geografia em ambos os lados das montanhas é bem diferente. Santiago do Chile e Mendoza estão ao pé da montanha a 520 metros e 760 metros, respectivamente, acima do mar. O ponto mais alto é o caminho que leva ao túnel na fronteira internacional aonde a altitude chega a 3.185 metros.

A seção Andina Argentina é três vezes maior que a do Chile. Isso é refletido com precisão nas estradas, que do lado chileno é muito montanhosa e com tráfego lento, enquanto as encostas do lado argentino têm curvas mais suaves e o tráfego é mais rápido.

A estrada com neve por todos os lados

Outra particularidade se produz pela diferença de precipitação (chuva ou neve) provenientes dos sistemas de baixa pressão subpolares dos sistemas do Oceano Pacífico, que avançam desde Uspallata, do lado da Argentina situado a 90 kms a leste da linha dos altos picos, formando uma barreira climática (fronteira internacional). A maior parte da umidade fica retida no lado chileno, o que provoca profundas mudanças na paisagem, e no Chile as rochas e sedimentos são todos lavados e fortemente erodidos.  No lado argentino ficam os picos e encostas suaves onde se acumula muito material sedimentar, criando um belo contraste de cores.

El paso com a fila de caminhões

Do lado chileno o rio Aconcágua forma corredeiras que caem sobre pedras por uma encosta íngreme, e do lado argentino o rio Mendoza mais longo, abre-se em um canal o qual tem um enorme depósito de sedimentos acumulados no vale.

Assim vemos como a barreira andina do continente americano cria mundos diferentes em ambos os lados.

El paso fechado por conta da nevasca

Agora, vamos deixar de lado a visão do Augusto geógrafo para dar vasão ao olhar do Augusto turista.

Os 380 kms que separam as duas cidades, mostraram-me cenários espetaculares e muitos centros de esquí em ambos os lados da fronteira

Apenas 380 km de distância separam a cidade de Mendoza de Santiago de Chile. No entanto, a viagem através dos Andes, pelo Paso Los Libertadores, dura mais tempo do que o esperado: a estrada é sinuosa, as atrações são as cidadezinhas à beira da estrada, e  todo o belo da paisagem nos fazem sentir perto do céu, como se estivéssemos vendo os mundo com os olhos de Deus.

Uspallata, no caminho para Santiago e subindo os Andes

Cruzar a fronteira no inverno tem o charme adicional de vislumbrar as montanhas nevadas, mas requer a tomada de precauções por parte dos motoristas. Depois de uma tempestade de neve, a passagem pode ficar fechada por horas ou dias, por isso é aconselhável entrar em contato com a polícia de fronteira (Gendarmería) antes de sair. Também, mesmo sem as nevascas, existe o viento blanco, que carrega partículas da neve e congelam o asfalto da estrada.

Vista dos Andes, desde Uspallata

Vou relatar aqui a aventura que aconteceu conosco antes de fazer a travessia. Tínhamos já tudo pré-reservado antes de sairmos do Brasil. Aluguel de apartamentos em Buenos Aires, Mendoza e Santiago. E tudo já pago. Sairíamos de Mendoza no dia 15 de julho, no ônibus do El Rápido Argentino, com passagens marcadas para as 9h00. Antes disso, 8h00, já estávamos na rodoviária de Mendoza e de prontidão. Passou uma, duas, três, quatro, cinco horas. E nada. A única informação que nos davam é que o El Paso esta cerrado e que teríamos que aguardar a Gendarmería liberar a estrada. Eram perto de 14h00 quando informaram que os ônibus não sairiam. O problema era o que fazer, pois o apartamento já havia sido entregue. Por sorte, através do bate papo do Gmail, conversamos com Elena, a proprietária, que nos disse que o apartamento estaria livre, pois os Chilenos que chegariam não conseguiram atravessar o El Paso. Assim, pagamos mais 200 pesos argentinos de diária. E lá em Santiago já estava correndo a diária do apartamento do Vegas Hotel que havíamos reservado – mais 54 dólares de diária!   

Hotel Pukarainca, em Uspallata

Voltamos para a rodoviária as 8h00 da manhã do sábado. Novo chá de cadeira! E lá ficamos sabendo por alguns chilenos que o El Paso estava fechado há 3 dias. Muitas pessoas estavam dormindo na rodoviária. Tinham ido para Mendoza assistir ao jogo do Chile, pela Copa América. Bem, nesse dia o ônibus saiu, começou a subir os Andes, e quando estávamos já há 3 horas de viagem, embasbacados com a bela paisagem, fazendo fotos e mais fotos, paramos em Uspallata. Uma hora e meia estacionados e pasmem – o ônibus voltou para Mendoza! Agora não tínhamos mais o apartamento. A solução foi ficar num hotel bem simples, onde também pagamos 200 pesos para dormir.

Domingo, dia 17 de julho. De novo na rodoviária as 8h00 da manhã. Estava um caos! Pessoas pelos corredores dormindo, e lotando também os escritórios das companhias. Pensamos até em tentar um vôo para Santiago, mas não havia. Os 46 mil chilenos que estavam na cidade por conta do jogo compraram todas as passagens. E centenas deles estavam ali, na rodoviária, esperando a abertura da estrada. Aproximadamente as 11h00 nos disseram que os ônibus começariam a subir. E assim foi. A previsão era que a viagem duraria 6 horas. Foram 14h30!!!

Bem, voltemos a algo mais prazeroso. Se você fizer a travessia de carro e pretende passar a noite em um dos resorts de esqui, como o Penitentes em Mendoza ou o  Portillo  no país vizinho, é importante comprar anticongelante para o motor do carro. A Cordilheira Tem uma altitude média de cerca de 2500 metros, e a temperatura cai a -4 ° C ou -5 ° C.

Além do tempo, a viagem deve ser iniciada precocemente: como disse acima, dizem que a viagem dura cerca de seis horas para chegar a Santiago em época de bom tempo. Mas é bom  ter em conta que o túnel está fechado das 21h00 até 8h00.

A travessia

A viagem começa a 60 quilômetros da cidade de Mendoza, nas margens da rota nacional 7, que leva à fronteira com o Chile. Nesse local está a barragem de Potrerillos que é colossal e que forma um lago de águas impressionantemente azul, onde desemboca o rio Mendoza. Este rio, pouco caudaloso no inverno, é uma grande atração para os amantes de rafting no verão. Após a barragem, o rio começa a correr rápido, ao longo da rota durante o resto da viagem.

Cerca de 40 quilômetros depois, a paisagem é povoada por álamos e salgueiros. Sinais de boas-vindas a Uspallata, no vale do mesmo nome. Marco da campanha Sanmartiniana (San Martín, herói nacional), os mendocinos também recordam que nesse local foi filmado boa parte do longa metragem Sete Anos no Tibet, estrelado por Brad Pitt. Além das histórias para os cinéfilos, a cidade tem as las Bóvedas, construções do século XVIII feitas em adobe, declaradas Patrimônio Histórico Nacional.

Uma dica – para quem for de carro, é o local ideal para uma parada para esticar as pernas, completar o tanque com gasolina ou admirar a paisagem. Dalí a viagem continua até a estação de esqui Los Penitentes, já em plena Cordilheira. É um complexo pequeno, de oito elevadores por teleférico, com a vantagem de ser consideravelmente econômico: na alta temporada, o passe de um dia custa 120 pesos e aluguel de equipamentos de esqui saem por 80 pesos. É bem ao lado da estrada, por isso é curioso ver os carros e caminhões que se movem tão perto das pistas de esqui. A Los Penitentes vão especialmente os mendocinos, mas também lá se ouve um pouco de Inglês e muito Português. Os brasileiros invadiram a neve! O alojamento é no pé do morro, e inclui hotéis, apartamentos e pousadas.

Só faltam 30 quilômetros até a fronteira, mas a estrada ainda promete muitas atrações. Los Penitentes é perto da Puente del Inca, um monumento natural formado pela erosão das águas minerais do rio Las Cuevas, que deram ao local uma sombra peculiar no tom de laranja e amarelo nas formações rochosas. Dizem que os Incas freqüentavam a área para tirar proveito das propriedades térmicas da água. Para a mesma finalidade foi construído em 1925, um hotel de luxo. Quarenta anos depois, em 1965, uma avalanche o destruiu quase que completamente e agora restam apenas ruínas.

Uma das estações deesqui que encontramos pelo caminho

Alpinistas e cemitério

Em ruínas também estão os mais de 200 quilômetros de trilhos do antigo trem transandino, que deixou de circular em 1984. Os galpões que protegiam a estrutura da ferrovia estão corroídos, enquanto pontes e túneis estão desmoronando.

O cemitério dos alpinistas dos Andes é outra curiosidade. Nele encontram-se as flores e cruzes de madeira, os restos dos alpinistas que se atreveram a chegar no cume do Aconcágua. É o pico mais alto da América, com 6962 metros, que você pode ver a partir da estrada principal, e que a partir desta se abre uma outra de 18 km que conduz ao Aconcágua National Park. Nesse período do inverno a estrada está coberta por uma espessa camada de neve, por isso os turistas menos aventureiros têm que se conformar com uma foto da montanha ao longe e feita desde a rodovia.

Chegando perto da travessia da fronteira - Los Libertadores

Chegamos agora perto da fronteira, onde caminhões incontáveis ​​começam a aparecer estacionados no acostamento. Depois de alguns minutos de confusão mental, percebemos que se alinham por quilômetros a esperar sua vez para a inspeção na alfândega. Mas os carros, também devem esperar? Sim. A estrada é estreita, de mão dupla. A poucos metros está a entrada para o túnel de 3080 metros de extensão através dos Andes e do lado argentino se conecta com o chileno. Não é perigoso para continuar? pensamos. É muito perigoso! Mas se você estiver dirigindo seu próprio carro tem que atravessar! Assim, de forma prudente, cautelosa e confiante de que ninguém virá ao contrário, você tem que se mover ao longo do túnel. Uma vez fora, já no Chile e na Rota 60, a alfândega te espera. E para chegar até ela, uma longa espera! Ficamos parados ali umas 4h30!

Documentos, papéis

O controle aduaneiro chileno é rigoroso e tedioso. Primeiro uma fila para apresentar a documentação: o registro do carro ou ônibus, uma outra para mostrar a carteira de identidade ou passaporte, e uma terceira e última para recolher o formulário de declaração aduaneira. Uma vez preenchido o formulário, apresentar à um dos policiais, acompanhados por um cão de raça que inspira medo. O animal imediatamente começa a cheirar os ônibus e carros. Duas coisas podem acontecer neste caso: o cão não sentir cheiro de qualquer coisa, então os policiais passam sua bagagem de mão no raio X e vasculham seus pertences, não acham nada e você está livre para seguir em frente e, ou então podem detectar qualquer alimento não declarado. Se isso acontecer, a polícia vai confiscar e destruir tudo na visão dos viajantes. Nesse momento, a polícia mostra sua cara mais rude: sobre uma mesa, cortam a comida em dois pedaços e, como em um filme de ficção científica, começam a derramar sobre o alimento um veneno verde brilhante de modo que ninguém possa comê-lo, colocam em um saco plástico e jogam-no em um recipiente.

O passeio continua. Desta vez é o centro de esqui Portillo que atrai a atenção, especialmente quando se descobre que a pista de esqui passa por cima do túnel, ou, visto de outra forma, estamos abaixo dos esquiadores. Mas o caminho que começa é em declive e serpenteante, o que o forçará, se estiver dirigindo seu próprio carro, a olhar sempre para o asfalto. Melhor mesmo é ir em ônibus! A paisagem é fantástica! As montanhas altíssimas faz nos sentir uma formiguinha! O céu é azul e as montanhas todas brancas.

A fantástica descida de Los Caracoles

O resto do caminho até Santiago é só descidas. Tem o Los Caracoles, que vai merecer aqui um post só para ele. Uma infinidade de curvas fechadas que vão nos fazendo descer e descer. Os ouvidos, antes como se tapados pela pressão e pelas alturas dos Andes são destampados e a neve está por todo o caminho, como uma paisagem que se não tivesse a neve acredito seria toda verde. Há muitas árvores cobertas de neve e são lindas! Algumas casas de madeira começam a aparecer ao lado da estrada, com os telhados todos brancos e montes de neve que obrigam os moradores a cavarem um caminho até a porta de entrada. É um sinal de que nos aproximamos dos primeiros povoados no lado chileno. Entre eles, Los Andes, com mais de 60.000 habitantes. Ao contrário do lado argentino, em Mendoza, que é seco e árido, a geografia do Chile é surpreendentemente verde e fértil. Apesar deste contraste, ambos compartilham áreas que são cobertas por vinhedos.

Desde os Andes sai a Rota 57, que termina na capital chilena. A vista panorâmica de campos cultivados e pequenas casas baixas desaparecem, ficando a distância, conforme nos inserimos na região metropolitana. A cidade é grande, mais comprida que larga, e está situada em um vale que é coberto por uma camada de poluição que dilui os seus contornos. Mas não importa, porque chegamos ao nosso destino. E a cidade, como já disse no post anterior, é maravilhosamente bela, aconchegante e simpática!

Acabo de ver no relógio que já é madrugada – 1h44 da manhã. As fotos terão que ser postadas depois!

Abraços.

Anúncios

59 Comentários »

  1. Só uma correção:
    Penitentes fica do lado argentino e Portillo no lado chileno. (no trecho “como o Portillo em Mendoza ou o Penitentes no país vizinho”)

    parabéns pela viagem. Impossível esquecer essa travessia. Fizemos em pouco mais de 5h o percurso, em julho também, mas sem muita neve.

    Curtir

    Comentário por Cleber — agosto 11, 2011 @ 5:14 | Responder

  2. Uau, foto de tirar o fôlego. Parabéns pelo blog fantástico.

    Curtir

    Comentário por Adriana — agosto 11, 2011 @ 23:29 | Responder

  3. Adorei o seu relato. Farei a mesma viagem em 8.9.2011.Gostaria de saber qual lado do onibus é melhor para tirar fotos. Um abraço
    Manuel Gomes-Rio de Janeiro.

    Curtir

    Comentário por Manuel Gomes — agosto 27, 2011 @ 18:47 | Responder

    • Boa tarde Manuel.

      Agradeço pela visita.
      Olha, nós ficamos do lado direito do ônibus (indo sentido Mendoza a
      Santiago). E a vista foi linda durante todo o trajeto. Acredito que
      independentemente do lado que vá terá uma bela visão de tudo.
      Abraços.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por augustomartini — agosto 27, 2011 @ 21:00 | Responder

      • obrigado pela pronta resposta. grato Manuel

        Curtir

        Comentário por Manuel Gomes — agosto 27, 2011 @ 22:44

      • Imagine, Manuel. Sempre à disposição.

        Abraços. Augusto

        Curtir

        Comentário por augustomartini — agosto 28, 2011 @ 15:45

  4. departamento guaymallenprovincia de mendoza a oferta se hasta las 15:00 por el valor160 160 de 100 pesos.

    Curtir

    Comentário por Kaitlyn punuhotu — novembro 17, 2011 @ 16:02 | Responder

  5. PARABÉNS , MUITO LEGAL , VOU FAZER COM MEU CARRO EM MARÇO , SÓ UMA CORREÇÃO O TUNEL TEM
    3 KM E NÃO DEZ !!
    ABRAÇOS

    Curtir

    Comentário por EURICO — janeiro 4, 2012 @ 17:50 | Responder

    • Obrigdo, Eurico.
      Já fiz a correção. O túnel tem 3080 metros de extensão!
      Abraços.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — janeiro 5, 2012 @ 8:39 | Responder

  6. Olá, vou de carro com minha esposa em julho. É tranquilo?? Não é perigoso?? Preciso colocar correntes nas rodas e anti-congelante no motor notrecho das montanhas?? Fizemos essa viagem em 2010, mas foi no verão… Abraços!!!

    Curtir

    Comentário por Hélio Seibel — julho 9, 2012 @ 17:31 | Responder

    • Boa noite Hélio.
      Olha, não sou a melhor pessoa para responder sobre isso. Mas, quando atravessei o trecho no ano passado, em ônibus, não foi necessário colocar correntes. Mesmo porque, estava indo para Santiago saindo de Mendoza. O lado mais crítico é o trecho da fronteira chilena. E o pessoal da Gendarmeria chilena é bem rígido quanto a travessia. Se tiver asfalto com capa de gelo eles fecham a passagem. Pelo que vi, carros tinham correntes nas rodas. Acredito então que veículos pequenos precisam desse recurso.
      Por isso, lhe aconselho a consultar o site do climatempo, infotempo, etc., e os próprios sites da Argentina e Chile que eles são muito ligados nisso.
      Um abraço e boa viagem. E tenha certeza que vão adorar. Essa travessia foi uma das coisas mais emocionantes e belas que já fiz na vida. Depois, se puder, deixe aqui um depoimento da aventura no blog. Isso sempre ajuda as pessoas.
      Abraços.

      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — julho 9, 2012 @ 19:40 | Responder

  7. Estamos indo em dois casais para Santiago Alugamos um carro vamos tentar atravessar para Mendoza no dia 29/08/2012 ficar dois dias e voltar para Santiago na volta gostariamos de ficar um dia la no topo vc.daria alguma dica de hospedagem obrigado um abraço

    Curtir

    Comentário por Paulo Roberto Ferreira — agosto 13, 2012 @ 16:40 | Responder

    • Olá amigo. Desculpe-me pela demora em responder. Fiquei dias com muito trabalho e sem acessar o blog. Olha, sugeriria para vcs o Valle Nevado. O lugar está a apenas 70 km de Santiago, tem uma infraestrutura impecável.
      Acabaram de inaugurar por lá o primeiro teleférico de montanha do Chile, com quase 1 km de percurso; uma tirolesa que percorre 150 metros de extensão entre outras coisas.
      Abraços e depois diga aqui como foi sua impressão dessa inesquecível viagem.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 17, 2012 @ 9:57 | Responder

  8. Velho, vou ficar em Santiago entre dezembro/2012 e janeiro/2013. Nessa época (verão), a viagem por esses lados continua valendo à pena ou fica interessante mesmo só no inverno? Obrigado e grande abraço!

    Curtir

    Comentário por Raphael Saraiva — agosto 18, 2012 @ 15:58 | Responder

    • Boa noite Raphael.
      Essa viagem vale a pena em qualquer época do ano. Garanto que não vai se arrepender.
      Abraços e boa viagem. Depois conte aqui como foi.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 19, 2012 @ 0:57 | Responder

  9. Nossa, que aventura… quanto tempo no total durou essa travessia?? eu vou ficar em Santiago e queria ir pra Mendoza e voltar pra santiago.. mas pelo que vi vou perder muito tempo da minha viagem de 5 dias só viajando…
    Será que se eu fizer essa travessia num domingo vai ter esse tanto de caminhão?? obrigada…

    Curtir

    Comentário por Raissa Menezes — setembro 10, 2012 @ 19:24 | Responder

    • Olá, Raissa.

      Olha, posso te assegurar que essa viagem foi uma das coisas mais bonitas que já fiz na vida. Não sei como é a travessia agora, fora do inverno rigoroso. Mesmo assim, chega a ser de umas 10 horas. E acredito que os caminhões estejam presentes em todos os dias.
      Abraços e boa viagem.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — setembro 11, 2012 @ 8:27 | Responder

  10. Olá, vou viajar para o Chile em Janeiro de 2013, pretendo fazer este percurso até Mendoza dia 25/01/13, porem nos sites de vendas de passagens, só tem horários noturnos. Será que conseguirei mais a diante passagem, para o dia? ]

    Curtir

    Comentário por Liudimila — dezembro 29, 2012 @ 3:11 | Responder

    • Oi Liudimila.

      Quando fui, tinha vários horários, mesmo durante o dia. Mas, fiz o inverso – de Mendoza a Santiago. Mas, acredito que consiga sim passagens durante o dia. Eu saí num ônibus que partiu da rodoviária de Mendoza ao meio dia. Era para ter saído as 9h00, mas, por conta da neve (era inverno), saiu com atraso. Vale a pena! Vai gostar!
      Abraços. Boa viagem!

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — dezembro 29, 2012 @ 15:43 | Responder

  11. Parabéns pelo relado e pelas fotos. Estou planejando ir em Outubro e gostaria de saber se existe nesta época neve nas montanhas e estradas. Será possível levar barras de cereais e lanches em bagagem de mão? Um abraço e obrigado. Esdras Rebouças
    esdrasfotosnatal@gmail.com

    Curtir

    Comentário por ESDRAS REBOUÇAS NOBRE — fevereiro 23, 2013 @ 12:38 | Responder

    • Bom dia Esdras.
      Olha, nos Andes sempre tem neve. Em maior ou menor quantidade em certos períodos do ano. Mas sempre tem.
      Quanto aos alimentos, aconselho-o a consultar o site da Gendarmería do Chile http://www.gendarmeria.gob.cl/ pois, podem ter mudado algum critério de lá para cá.
      Abraços.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — fevereiro 25, 2013 @ 8:34 | Responder

  12. Olá,
    Vou a santiago Chile em abril e aproveitarei pra passar uns dias em Mendoza-Arg. É minha primeira viagem internacional. Quero comprar antecipadamente as passagens de ônibus Santiago-Mendoza / Mendoza-Santiago. No site da companhia aparecem opçoes de documento de identificação: DNI, PASS , CED, LA e LC. Não possuo passaporte. Qual desses documentos equivale à identidade brasileira?
    Obrigado
    Murilo

    Curtir

    Comentário por Murilo — março 7, 2013 @ 0:33 | Responder

    • DNI. Pode colocar o número do RG em DNI.
      Aproveite a viagem. Depois conte aqui o que achou.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — março 7, 2013 @ 8:28 | Responder

  13. A paisagem e linda,mas atualmente só e possível ver indo de mendonza para Santiago pois a rodovia abre as 8 horas e fecha as19 horas, as20 horas abre sentido santiago- mendoza efecha as7 horas da manha.

    Curtir

    Comentário por Mariá aparecida — abril 14, 2013 @ 19:28 | Responder

  14. Olá, pretendo fazer essa viagem no meio de julho. Minha ideia é alugar um carro para a travessia. Alguém sabe se é possível alugar em mendoza e devolver em Santiago?
    Obrigada, Thaís

    Curtir

    Comentário por Thaís — abril 19, 2013 @ 12:41 | Responder

    • Oi Thais.
      Não sei responder isso com certeza, mas, a princípio penso que sim. A maioria das locadoras aceitam isso.
      Abraços e boa viagem!
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — abril 19, 2013 @ 12:46 | Responder

  15. Olá, estamos planejando ir final de maio, vc pode me dizer se há algum risco de pegarmos neve, e impedir a travessia? pensamos em alugar carro, que tipo de carro preciso alugar???
    Pensamos em fazer reserva Hotel somente para Santiago e para Mendoza vc acredita que se consegue hotel? Tipo 3 a 4 estrelas???? Chegar sem reservas….
    Qto tempo precsio para fazer esta travessia nesta época que mencionei.
    Qtos dias é o recomendado para ficar em Mendoza? Recomenda-se voltar aéreo?
    É melhor fazer a travessia em qual sentido? S/M ou M/S
    Tem algum órgão ou departamento que posso conseguir mais informações????

    Obrigada Laci

    Curtir

    Comentário por Laci Darolt — abril 27, 2013 @ 15:16 | Responder

    • Oi Laci.
      Acho que no final de maio ainda não terá problemas com a a neve. Verá neve sim, pois, nos Andes, são eternas. Mas, acredito que não terão problemas com a fronteira fechada, como peguei.
      Eu fiz a travessia de ônibus, saindo de Mendoza. Mas, acredito que saindo de Santiago a emoção seja a mesma. Não aluguei carro, mas, dependendo da época, há que se ter que colocar correntes nas rodas. Em Mendoza, aluguei um apartamento mobiliado. Mas, encontrará sim bons hotéis, mesmo sem fazer reserva.
      Boa viagem. Depois coloque suas impressões aqui no blog. Vamos gostar de ler!
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — abril 28, 2013 @ 12:46 | Responder

  16. Obrigada, assim que retornar posto os comentários. Abraços, Laci

    Curtir

    Comentário por Laci Darolt — abril 28, 2013 @ 15:14 | Responder

    • Boa viagem, Laci! Aproveitem! Abraços. Augusto

      Em 28 de abril de 2013 15:14, A Simplicidade das Coisas — Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — abril 28, 2013 @ 20:28 | Responder

  17. Oie…BUAS – Mendoza…
    Medo de nao ter passagem… o que vc me diz….

    Curtir

    Comentário por Darling — maio 21, 2013 @ 23:19 | Responder

    • Oi Darlene.
      Acho que não terá problema. Conseguirá passagem sim.
      Abrs. e boa viagem.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — maio 27, 2013 @ 8:40 | Responder

  18. Olá, achei muito tentadora a viagem, parece ser linda. Pretendo fazer mendonza santiago de onibus em final de setembro por sua influencia. Saberia me dizer qual companhia de onibus faz o trecho? Se há como comprara online com antecedencia? Obrigado , luiz roberto

    Curtir

    Comentário por Luiz roberto felizzola — julho 4, 2013 @ 12:39 | Responder

    • Oi José Roberto.

      Existem algumas empresas que fazem o trajeto e dá para comprar on line sim. Basta vc digitar no google que encontrará.
      No iste dessas duas empresas encontrará os horários disponíveis – Andesmar e Cata. Eu fiz pela Andesmar.
      Abrs.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — julho 4, 2013 @ 13:58 | Responder

  19. Olá amigo Augusto,
    Obrigado pelas dicas.. só que resolvemos ir no início do mês de agosto deste ano (passagens compradas). Qual a empresa de ônibus que vc indicaria para a travessia (segurança e menos tempo). Chegaremos a Mendonza e iremos para Santiago. De Santiago para Mendonza(volta). Veremos neve com certeza? Uma abraço.

    Curtir

    Comentário por ESDRAS REBOUÇAS NOBRE — julho 6, 2013 @ 23:06 | Responder

    • Oi Esdras. Eu indicaria a Andesmar. Gostei dela. E com certeza verão muita neve. Prepare-se. Os ônibus são de dois andares. Tente comprar os assentos da frente e na parte de cima. Fará bela fotos. Abraços e boa viagem. Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — julho 9, 2013 @ 13:36 | Responder

  20. Tbem quero saber detalhes qto a fazer esta travessia de carro, se alguém tiver algum comentário me passe, tomei informações e dizem que é muito dificil, que as travessias de países são complicadas, é verdade, gostaria mesmo de ir de carro chile/argentina ou vice versa. obrigada Laci

    Curtir

    Comentário por Laci Darolt — julho 9, 2013 @ 11:05 | Responder

    • Oi Laci.

      A complicação maior é atravessar a fronteira. Os policiais do Chile são rigorosíssimos e vasculham tudo. Tente se informar sobre isso. Outra coisa é se tiver neve, deve colocar correntes nas rodas do carro. Abraços e boa viagem. Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — julho 9, 2013 @ 13:31 | Responder

  21. Olá, amigos. Pretendo atravessar as cordilheiras, de Mendoza para Santiago, de ônibus, em setembro deste ano. Alguém sabe se tenho que apresentar algum documento – TARJETA MIGRATÓRIA – ou algum outro na divisa da Argentina com Chile? Muito obrigado

    Curtir

    Comentário por Aparecido Papareli Junior — agosto 15, 2013 @ 12:31 | Responder

    • Olá, Aparecido.
      Quando desembarcar na Argentina, lhe entregarão um papel de imigração, ou, se for com passaporte (não é necessário), será colocado um carimbo nele. Quando chegar na fronteira da Argentina com o Chile, deverá apresentar esse papel ou o passaporte para a polícia. Eles carimbarão sua entrada no país e a consequente baixa do outro.
      Abraços. e Boa viagem.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 15, 2013 @ 14:22 | Responder

  22. Boa tarde Senhores! Gostaria de saber algo sobre o limite de bagagens no trecho Mendoza -> Santiago. Pois pretendo abastercer minha adega.
    Grato!

    Curtir

    Comentário por Leonardo Lima — novembro 27, 2013 @ 15:10 | Responder

    • Oi Leonardo.
      Olha, não percebi nenhum problema quanto a peso de bagagem, mas sim, ao conteúdo. Comidas não passam na fronteira da Argentina para o Chile. Se vc tiver na mala, ou como, ou jogam fora. Quanto a vinhos não sei lhe dizer. Melhor olhar no site da polícia de fronteira.
      Abraços.
      Auigusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — novembro 27, 2013 @ 15:35 | Responder

      • Augusto,
        tens a referencia de onde eu posso pegar essa informação da polícia de fronteira? Não achei procurando na web.
        Obrigado!

        Curtir

        Comentário por Leonardo Lima — novembro 27, 2013 @ 16:10

      • Leonardo,Achei algumas informacoes na net. Diz que pode ter limite de quantidade para bebidas. é do site Viajandodecarro.com.br Veja:

        Paso é o nome dado a uma fronteira entre 2 países. O termo também é muito usado como um dos caminhos usado para cruzar a Cordilheira dos Andes entre Chile e Argentina. Em todas as fronteiras há postos policiais para fazer a burocracia de saída de um país e entrada em outro. Em algumas fronteiras existem postos policiais integrados, onde em um dos lados da fronteira você faz a saída de um país e a entrada em outro, tudo no mesmo lugar.

        O procedimento é sempre o mesmo para a entrada em cada país. Na polícia internacional você pega a tarjeta migratória (cartão de imigração) para cada uma das pessoas (ou os carimbos no passaporte). Na aduana você faz a documentação do veículo e bagagem (declara os bens que estão com você, como grandes quantidades de dinheiro em espécie, equipamentos especiais, etc) e produtos controlados (tais como alimentos). Tanto a polícia internacional quanto a aduana estão no mesmo lugar na fronteira, são apenas balcões diferentes dentro do posto policial.

        Ao entrar em um país pertencente ao Mercosul (Uruguai, Argentina e Paraguai), devido ao acordo entre estes países, você não ficará com um documento que comprove a entrada do veículo neste país. Neste caso somente será registrado na aduana os dados do veículo. Porém um documento deverá ser feito pela aduana ao entrar no Chile, pois o mesmo não pertence ao Mercosul. É importante que o documento seja entregue na saída do Chile, regularizando assim a saída do veículo.

        O procedimento para saída do Brasil irá depender da fronteira. Em algumas é necessário apenas apresentar o RG das pessoas que estão saindo do país, neste caso geralmente o processo é muito rápido e pouco burocrático. Em outras, como nas fronteiras com o Uruguai, normalmente você nem precisa informar à polícia brasileira sobre sua saída do país.

        Para a entrada em outros países é obrigatório que você se identifique na fronteira. Geralmente há uma chancela com um posto policial, no qual você fará a documentação necessária. Geralmente a burocracia é rápida para a entrada na Argentina, Uruguai, Paraguai e Bolívia. No Chile normalmente demora um pouco mais. Em nossa viagem de janeiro de 2012, quando estávamos retornando de Ushuaia, ao entrar no Chile tivemos que ficar 5h em uma fila, passando muito frio. Mas toda esta espera não é habitual.

        Ao ingressar no Chile, Argentina, Bolívia ou Uruguai o visitante recebe o cartão de imigração, válido por 90 dias (renovável por até mais 90 dias). Você não pode perdê-lo, pois terá de entregá-lo a Policía Internacional para sair do país. Lembre-se, caso você não esteja com um passaporte, é obrigatório que você receba este cartão de imigração, pois caso contrário você terá problemas para sair do país, além burocracia e pagamento de multa. Também é muito importante informar a saída do país (devolver o cartão de imigração) ou constará no sistema de controle da Policía Internacional que você está no país ilegalmente. Quando estiver saindo por uma fronteira, deverá contatar um funcionário da aduana para que regularize a saída de seu veículo e da bagagem. Também é necessário passar no balcão da Policía Internacional para que regularize a saída dos passageiros.

        A revista do carro é normal para entrada em todos os países, porém no Chile é muito mais rigorosa. Em algumas fronteiras chilenas o carro e bagagens são totalmente revistados a procura de alimentos, drogas e demais produtos proibidos. Até mesmo cães farejadores e aparelhos de raios-x são usados a procura de itens ilegais.

        Seguem abaixo algumas regras que devem ser levadas em consideração ao atravessar alguma fronteira entre dois países:

        1.Normalmente é proibido atravessar fronteiras com os seguintes alimentos: derivados de leite, derivados de carne, vegetais e frutas. Bebidas alcoólicas possuem limitação de quantidade. Caso você tente entrar no país com algum alimento não permitido, poderá ter problemas com a polícia aduaneira e ainda ter de pagar multa. Esta regra é levada muito a sério no Chile, onde a revista do carro é bagagens é muito mais rigorosa. Artesanatos de madeira também devem ser declarados e apresentados na fronteira chilena, os quais têm uma boa probabilidade de serem confiscados.

        2. Os outros tipos de alimentos deverão estar em embalagens lacradas (este é o caso de produtos industrializados, os quais devem estar nas embalagens originais, que não tenham sido abertas). Apesar de serem derivados de leite, achocolatados (como Todinho e similares) e iogurtes normalmente podem cruzar as fronteiras, mesmo no Chile. Para evitar problemas, sempre informe ao policial da aduana o transporte destes alimentos. Em um retorno ao Brasil, na entrada no Uruguai, tivemos 5 litros de iogurte chileno confiscados pela polícia uruguaia.

        3. Se for passar com algum animal, providencie a documentação necessária com antecedência, evitando que o mesmo fique retido na fronteira.

        4. Computadores, telefones celulares, filmadoras e máquinas fotográficas para amadores ou de uso pessoal podem entrar normalmente. Lembre-se que se estes produtos não forem fabricados no Brasil, precisam ser transportados com suas notas fiscais, comprovando que foram adquiridos no Brasil. É normal que as polícias de ambos os países questionem sobre o transporte de equipamentos eletrônicos na fronteira do Paraguai com o Brasil ou Argentina. No retorno ao Brasil, caso você seja parado pela Polícia Federal brasileira, é comum que o carro seja revistado em busca de eletrônicos e produtos de ingresso proibido ou controlados.

        5. Obviamente não tente passar a fronteira com armas de fogo ou drogas, você será indiciado por tráfico internacional e isso é gravíssimo.

        Se tiver alguma dúvida se você pode ou não entrar com algum item, não espere pela revista do carro e bagagem, questione com antecedência ao policial da aduana.

        Abaixo apresentamos o procedimento em algumas das fronteiras pelas quais já passamos:

        Fronteira Chuí/Brasil -> Chuy/Uruguai: você não precisa informar a polícia brasileira de que está saindo do país. Como as duas cidades são divididas apenas por uma avenida (para entrar no Uruguai basta cruzar a rua), não há nenhum controle para acesso ao Chuy uruguaio, já que a cidade possui um freeshop muito visitado por nós brasileiros. A aduana uruguaia, onde deve-se registrar a entrada no país, está localizada a 1Km da fronteira na ruta 9 (não tem como errar, pois não há como seguir viagem sem passar pela aduana). A burocracia é bem rápida, bastando apresentar as identidades dos viajantes e pegar a tarjeta de entrada ou carimbar o passaporte. Normalmente somente o motorista precisa descer do carro e apresentar os documentos no guichê. O processo não leva mais do que 15 minutos. É normal a polícia solicitar a carta verde, documentação do carro e carteira de motorista. A revista no carro (normalmente em busca de alimentos derivados de leite e carne), quando há, é bem rápida.

        Fronteira Jaguarão/Brasil -> Rio Branco/Uruguai: você não precisa informar a polícia brasileira de que está saindo do país. As duas cidades são divididas por um rio e, apesar de normalmente haver policiais uruguaios na ponte, normalmente você atravessa sem nenhum controle. Em Rio Branco há um freeshop com diversas lojas muito apreciadas pelos gaúchos e, quase sempre, são muito movimentadas. A aduana de controle da entrada no Uruguai está localizada na ruta RN26, na saída de Rio Branco. Normalmente os trâmites ocorrem tranquilamente e demoraram cerca de 15 minutos. É comum o carro não ser revistado. Como em qualquer outra aduana, basta apresentar as identidades dos viajantes e pegar a tarjeta de entrada ou carimbar o passaporte. Normalmente somente o motorista precisa descer do carro e apresentar os documentos no guichê.

        E este è o site da GENDARMERIA ARGENTINA http://www.gendarmeria.gov.ar/pasos/chile/chile.html

        Abracos. Depois conte no blog como foi sua viagem. Augusto

        Em 27 de novembro de 2013 19:10, A Simplicidade das Coisas — Augusto

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — novembro 27, 2013 @ 17:09

  23. Fico extremamente grata, pois pretendo viajar em setembro e estou estudando como melhor aproveitar essa viagem que será no sentido Santiago para Mendoza, pelo dia 20 de setembro 2014
    Grata Paloma

    Curtir

    Comentário por Paloma — junho 3, 2014 @ 20:58 | Responder

    • Oi Paloma.
      Espero que aproveite a viagem tanto quanto aproveitei ou mais. Depois, se puder, escreva sobre suas impressões.
      Abraços e boa viagem.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — junho 4, 2014 @ 8:40 | Responder

  24. Valeu.
    Muitas dicas legais.
    Bons dias prá você!!!

    Curtir

    Comentário por Plinio Silva — junho 29, 2014 @ 22:22 | Responder

  25. Boa Noite! Sensacional!
    Suas dicas nos salvaram!! Estamos indo ao Chile de Carro e não tinha achado informações como a sua em nenhum lugar da internet. Muitíssimo obrigada! Bela trip!

    Curtir

    Comentário por Merlinda Soares — julho 7, 2014 @ 23:18 | Responder

    • Bom dia Merlinda.
      Espero que aproveite bem tudo por lá. Chile é um País fantástico. Conheço pouca coisa ainda. Quero ir para o Sul, região dos lagos, deserto do Atacama, tudo. Só conheço Santiago e proximidades.
      Abraços e boa viagem.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — julho 8, 2014 @ 9:13 | Responder

  26. Bom dia, muito válido todas informações, gostaria de saber qual o valor da passagem de ônibus de Mendoza a Santiago?

    Curtir

    Comentário por Rodi — julho 18, 2014 @ 9:02 | Responder

    • Oi Rodi.
      Não me lembro quanto foi que paguei. Mas, não é caro. Estou nesse momento em Buenos Aires. A semana passada fui para Córdoba, que tem quase a mesma distância de Buenos Aires a Mendoza. E, para ter uma idéia, paguei, pela ida e volta, 235 reais, com jantar e café da manhã inclusos. E são quase 11 horas de viagem.
      Entre no site da rodoviária de Mendoza que conseguirá verificar.
      Um abraço e boa viagem.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — julho 18, 2014 @ 9:58 | Responder

  27. Olá… pretendo viajar no dia 01/08, e vendo as previsões do tempo para estes dias vi que terá chuva..isso pode atrapalhar o trafego e a saída dos ônibus Santiago -Mendoza?E será que os passeios para a Montanha saem se houver chuva? Tenho receio de perder a viagem já que tenho 1 dia e meio só em Mendoza

    Curtir

    Comentário por Alessandra — julho 21, 2014 @ 14:19 | Responder

    • Oi Alessandra.
      Os passeios só não saem se houver muita chuva. Com garoa ou chuva fraca, saem sim.
      E o tráfego entre as duas cidades só é fechado quando há precipitação de muita neve. Em caso contrário não. Quando voltar, deixe aqui suas impressões!
      Abraços e boa viagem.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — julho 21, 2014 @ 14:56 | Responder

  28. Olá Augusto ….muito obrigado pela ajuda…com sorte vou fazer a viagem …
    Depois conto minha peripécias por lá rs
    Abraços e obrigado!!!

    Curtir

    Comentário por Alessandra — julho 21, 2014 @ 22:17 | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Obrigado por assinar o meu blog! Espero que goste!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: