A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

fevereiro 28, 2011

Endometriose – que história é essa?

Tenho uma sobrinha linda, a qual tem um nome singular: Endgy. Casada há vários anos e louca para ser mãe, há algum tempo soube que tem Endometriose. Até então, eu nunca tinha ouvido falar nisso.

Endgy integra o grupo de centenas de mulheres em idade fértil que não conseguem filhos naturalmente. São milhares de casais que direcionam a vida conjugal, o corpo, a mente, a conta bancária, tudo em função do passo seguinte que lhes poderá dar o desejado filho. Ela sabe que a fertilização in vitro poderia ser a solução. Mas, também sabe que não é garantia de gravidez. E o preço para tais tentativas é altíssimo. Só as injeções de indução da ovulação custam muito, e os planos de saúde não as cobrem. A espera de um tratamento é cruel. Ela já fez o diagnóstico, onde apurou-se a necessidade de recorrer a técnicas de reprodução medicamente assistida. Mas, até conseguir dinheiro para ele e iniciar o primeiro tratamento, isso ainda é um sonho distante. Endgy já tem mais de 30 anos. E ela sabe que 38 anos é a idade limite a partir da qual muitos médicos deixam de a considerar apta para as técnicas de PMA – Procriação Médica Assistida.

Hoje, ao abrir meu email, vi que havia chegado uma mensagem encaminhada por ela. Lí, achei interessante e por isso posto-a aqui no blog. Trata-se do enfoque que a novela da globo “Insentato Coração” está dando à doença. Poderão acessar mais informações a respeito diretamente do Blog das EndoAmigas/RJ, onde também está o texto abaixo. Boa leitura!

Crianças são anjos...

Queridos amigos, boa tarde.

Gostaríamos de falar sobre um assunto que muito vem nos incomodando: a divulgação, infelizmente equivocada, da endometriose na novela “Insensato Coração” da Rede Globo.

Nosso grupo de apoio a portadoras de endometriose há alguns anos faz este trabalho de divulgação da doença e apoio às portadoras. A endometriose não era uma doença muito divulgada e por isso não era muito conhecida também. Mas nosso grupo, junto com outras maravilhosas pessoas vêm divulgando a doença em sua totalidade. É um trabalho de “formiguinha”, mas que vem dando certo. Hoje a endometriose é mais conhecida que ontem e menos do que amanhã. E desta forma vamos caminhando.

Quando ficamos sabendo que a endometriose seria abordada em horário nobre, ficamos muito felizes. Quando dizemos “nós”, queremos dizer todos nós que tanto trabalhamos para sua divulgação, como nós portadoras da doença. A endometriose precisa sim ser divulgada cada vez mais.

O problema está na divulgação mal feita e equivovada. Informação errada é não informação. De acordo com a novela, a personagem “Carol” tem endometriose e por isso não pode engravidar. Mesmo com a doença, ela tem uma vida normal, sem as dores e os desesperos que a doença traz. Porém, “de repente”, ela engravida (de primeira!) e, ao questionar sua médica como isso é possível, esta lhe informa que sua doença “regrediu”.

Pois bem… De acordo com a vida real, eis o que acontece com a endometriose:

A endometriose é considerada a maior causa de dor e infertilidade feminina, mas isso não significa que toda portadora da doença seja infertil ou que todos os casos de infertilidade estejam ligados à endometriose.

A localidade da doença, o grau, o tipo, tudo isso pode influenciar na questão da infertilidade. Endometriose de ovário ou as localizadas entre o intestino e a vagina (endometriose profunda) são alguns dos exemplos que podem levar a portadora à infertilidade. Porém, com um tratamento adequado, bem feito, casos como esses podem ser tratados e a portadora pode engravidar depois de uma cirurgia bem feita. Quando se fala em endometriose, cada caso é único, mas casos como o da personagem da novela, simplesmente não existem…

Continuando a “vida real”, em sua maioria, a portadora de endometriose sofre com dores absurdas – lembram quando dissemos que a endometriose é uma das maiores causas de dor feminina? A dor na endometriose vem em forma da tão conhecida, porém tão mal interpretada “cólica menstrual”. Sentir cólica pode ser comum – e é, mas não é, absolutamente, normal quando se torna incapacitante.

No geral a portadora de endometriose não consegue realizar atividades básicas, como trabalhar, estudar, namorar, se divertir quando está sofrendo as dores da doença. Isso é cólica incapacitante, que não passa com medicamentos comuns, levando suas portadoras às emergências médicas.

Dor na relação sexual devido aos focos da doença ou às aderências, que acabam por “modificar” a cavidade pélvica da mulher, também são sintomas comuns nas portadoras de endometriose.

Existem ainda as alterações intestinais e/ou urinárias, que geralmente ocorrem no período menstrual, devido a focos da doença em órgãos como intestino e/ou bexiga, por exemplo.

Em suma, a endometriose dói. E muito.

Existem, porém, casos em que a doença é assintomática, onde a portadora não sente dor alguma. Nesses casos, o diagnóstico vem, geralmente, ao se tentar engravidar. A endometriose assintomática, ou seja, sem sintomas aparentes, embora ocorra, não é o mais comum. Desta forma, se a ideia era divulgar a doença, a escolha da produção para o caso da portadora da novela foi equivocada, pois informa na exceção e não na regra, que é o mais comum.

Conforme na novela, algumas portadoras conseguem engravidar mas, para isso, é essencial o tratamento adequado à doença. Nunca, em hipótese alguma, a endometriose “regride” para que a portadora possa engravidar, conforme foi mostrado no capítulo que foi ao ar esta semana. A endometriose não “surge” do nada, nem do nada desaparece. Não há mágica aqui! O que há é muito trabalho de profissionais experientes e especialistas no assunto para tratar deste mal, que é grave, sério e que deve ser abordado com muita responsabilidade. Imaginem, seria maravilhoso para nós portadoras se, num passe de mágica, a endometriose sumisse assim ou se de repente regredisse… imaginem…

Na vida real da portadora de endometriose, se existe a doença, a única forma de obter o controle dela é passando por um tratamento adequado, que visa a eliminação dos focos e a melhora da dor, proporcionando assim, melhora na qualidade de vida. Ainda não há cura para a endometriose.

Após receber o tratamento adequado, a portadora pode viver sem dor e até tentar uma gravidez obtendo o sucesso mas, de novo, somente após receber o tratamento adequado ao seu caso! Conforme dissemos, não há mágica aqui…

O problema é que em cinco minutos em horário nobre, destrói-se todo um trabalho de anos de divulgação desta doença. Isso é muito triste. E grave! Acreditem, existem pessoas que acham mesmo que a portadora de endometriose vai engravidar assim, de repente, e sua doença irá regredir! Lamentável… Conforme dissemos, informação errada é não informação.

É preciso muita atenção a estas informações que são passadas. O EndoAmigas/RJ está sempre à disposição de todos para maiores e corretos esclarecimentos sobre a doença e pede o apoio de todos na disseminação desta mensagem.

Site de interesse:
Portal da Endometriose

 

Anúncios

8 Comentários »

  1. Como portadora de endometriose, entendo a importância de se divulgar esta doença. Você que é portadora, procure ajuda e faça seu tratamento. É possível conviver com a doença e obter qualidade de vida. Fiquei sabendo que não é só no útero que temos. Por isso desde que fiz minha histerectomia (retirada do útero )Que sei que posso não estar totalmente livre desta doença.Mais tenho vivido tranquila,até agora. Não tenho as dores terríveis que tinha.CÓLICAS MENSTRUAIS FORTES NÃO SÃO NORMAIS

    Curtir

    Comentário por Irany — fevereiro 28, 2011 @ 21:39 | Responder

  2. Somente quem tem a DOR da endometrose é quem sabe o que nos portadoras desta doença cruel causa, tanto fisicamente nos incapacitando de prover as atividades diarias como a DOR psicologica de saber que ficamos impotentes e nao poder fazer o que qualquer mulher sadia e as vezes sem desejar faz, que é ter um filho.. é muito frustante e triste passar por isso, continuo a procurar em outras opnioes medicas uma melhora na condiçao de vida e ainda tenho uma pontinha de esperença em conseguir realizar meu sonho apesar de todos os naos recebidos ao longo destes 7 anos…. fazer o que esperar em Deus é uma delas e espero conseguir….

    Curtir

    Comentário por Endgy — março 1, 2011 @ 12:30 | Responder

  3. Augusto,
    Muito oportuno esse texto! É uma pena que a Globo, tendo o poder e a audiência que tem, o desperdiça com a não informação. Lindo o trabalho que o EndoAmigas/RJ realiza.
    Concordo com sua sobrinha ao dizer que não se pode perder a esperança, porque ela, aliada a todo o conhecimento médico produzirá muitas curas. Pelo menos é assim que penso.
    Abraços,

    Curtir

    Comentário por Ana Paula Louvem — março 3, 2011 @ 12:50 | Responder

  4. A novela Insensato Coração mais do que uma obra de ficção é um delírio, não só no caso da personagem que possui endometriose e que desejava ter filhos e ao engravidar cogitou a hipótese do aborto(como assim???). Tudo naquela novela é banal!!! Em casos de saúde nada melhor do que cercar-se de profissionais especializados e que por isso têm o pé na realidade. Mas muitos profissionais da área médica acreditam que a Fé e a Esperança são primordiais em qualquer tratamento, bem como uso de tratamentos complementares como: acupuntura, yoga que ajudam a controlar a ansiedade que também compremete os tratamentos. Tenho um colega de trabalho que após tentar tratamentos juntamente com sua esposa, decidiu adotar uma criança. Hoje em dia meu colega é um super Pai-Coruja, prá de feliz com seu filho.

    Curtir

    Comentário por Emília — março 9, 2011 @ 16:20 | Responder

  5. Olá soua Tayanne, tenho 23 anos fiquei sabendo a uma semana que sou portadora de Endometriose.
    Será alguém podem me Ajuda mandando email pra mim sobre o assunto?
    tayannereis@hotmail.com
    Aguardo respostas??

    Curtir

    Comentário por Tayanne Reis — março 10, 2011 @ 13:10 | Responder

    • Bom dia Tayanne. Vou pedir para a Endgy, minha sobrinha, entrar em contato com vc. Ele é portadora de endometriose e está por dentro do assunto. Abraços e agradeço pela visita ao blog.
      Augusto Martini

      Curtir

      Comentário por augustomartini — março 10, 2011 @ 13:31 | Responder

  6. a Globo abordou em outras novelas assuntos como cancer, leucemia, adoção e conseguiu passar mto bem o recado.
    mas parece que perdeu a receita desta vez.
    lançar informacoes tao equivocadas sobre esta doenca é realmente pra enfurecer uma mulher que sofre e muito com estes sintomas.
    eu sou uma mulher de sorte, pois sou muito saudavel, nunca tive problemas para engravidar, e sinto que, se eu tivesse condicoes, teria tido 4 filhos, e nao apenas 2.
    tenho varias amigas que sofrem por nao ter filhos e o pior, aliada ä alta de criança sestao todos os outros sintomas da doença.
    realmente é necessario que haja mais esclarecimento sobre ela.

    Curtir

    Comentário por coisadelilly — março 11, 2011 @ 2:03 | Responder

  7. […] de minhas sobrinhas, a Endgy, acaba de entrar na fila de adoção. Após anos sofrendo com a Endometriose, fazendo tratamentos para engravidar e sem resultado, ela e o Bruno decidiram pelo belo ato da […]

    Curtir

    Pingback por Adoção – um tabu a ser quebrado! | A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini — abril 16, 2013 @ 17:57 | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Obrigado por assinar o meu blog! Espero que goste!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: