A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

junho 30, 2009

Buenos Aires: impressões de viagem

A cidade de Buenos Aires é a capital da República Argentina. O sítio ubano se estende sobre um terreno plano, até mais que Rio Claro e tem uma superfície de 202 km quadrados onde vivem aproximadamente três milhões de habitantes. Se anexarmos a população da área metropolitana, a população total de Buenos Aires supera os 10 milhões de habitantes, o que a converte em um dos 10 centros urbanos mais populosos do mundo.

Buenos Aires sempre teve suas portas abertas aos turistas. Os seus habitantes são chamados “porteños”, denominação que faz referência à condição portuária da cidade. O habitante da província de Buenos Aires é chamado bonaerense.

É uma cidade fantástica – suas edificações podem ser classificadas nos estilos colonial, renascentista, barroco, neoclássico, art nouveau, art déco, moderno, internacional. Buenos Aires pode e deve ser classificada como uma cidade com estilo. Nesta capital convivem, sobre a calçada da Avenida de Mayo ou nos bairros mais modernos, os anos dourados de princípios do século XX e as fachadas recicladas da década de 1990; os lugares onde viveu o escritor Jorge Luis Borges, quando o bairro de Palermo era o fim da cidade, e as travessas do século passado, dignas de cenas de romance e paixão; as praças com suas magníficas esculturas de mármore em número impressionante para nós, brasileiros, e as torres envidraçadas dos prédios modernos e cheios de estilo.

O clima de Buenos Aires é bom o ano inteiro. A temperatura média anual de 18º faz com que sejam escassos os dias de calor e frio intensos, permitindo passear pela cidade em qualquer época do ano. Eu, pessoalmente, gosto dos meses de junho, julho e agosto, quando a temperatura atinge cerca de 2º nos dias mais frios.

O Rio de la Plata e o Riachuelo são os limites naturais da Cidade na direção leste e sul. O resto do sítio urbano está rodeado pela Avenida General Paz, uma espécie de anel viário, que rodeia a cidade de norte a oeste e completa o limite da cidade.

Qualquer momento do ano é bom para visitar a cidade. Janeiro (verão) é o mês mais tranqüilo (muitos de seus habitantes tiram férias e vêm para Florianópolis, em busca de nossas belas praias), mas a oferta cultural da cidade continua sendo abundante e variada. Quando se dispõe de vários dias é possível combinar a estadia em Buenos Aires com algum passeio pelos arredores da cidade: o Delta do Tigre, que é maravilhoso, Mendoza, onde poderá visitar uma vinícola ou dar uma esticada até uma estação de esqui, nos Andes, ou ir até La Plata, capital da província de Buenos Aires, que é o melhor exemplo de prosperidade argentina durante o último quarto de século XIX.  É uma cidade toda projetada urbanisticamente e com arquitetura maravilhosa. Foi fundada por Dardo Rocha, quando era governador da província e é uma das primeiras cidades do mundo cujo plano urbanístico saiu do papel, refletindo em seus numerosos parques e praças, com amplas avenidas e diagonais. Por isso é conhecida como a “cidade das diagonais”. Em seu traçado, a cada seis quadras, abre-se uma enorme área verde. É uma cidade com grande quantidade de museus,  locais e monumentos históricos. Sua catedral em estilo gótico e fantástica. O Museu de Ciências Naturais conta com um famoso departamento de paleontologia e está ligado a Universidade Nacional de La Plata, uma das mais prestigiadas do País.

Os bairros portenhos são em número de 47. Algumas zonas também são classificadas como bairros, como a do Abasto, Congresso e Once (que formam parte do bairro Balvanera); Av. Corrientes e Centro (em “San Nicolás”); “Primera Junta” e Parque Centenário (em Caballito). “Las Cañitas”, “Palermo Viejo”, “Palermo Hollyood”, “Palermo Soho”.

A oferta de hotéis é muito grande e variada, podendo receber e acomodar mais de cinco milhões de turistas a cada ano. As principais cadeias de hotéis do mundo classificados com quatro e cinco estrelas oferecem serviços na cidade. Também é possível optar por hotéis de uma, duas ou três estrelas. A oferta inclui, também, aparts hotéis e hospedagens econômicas para os que procuram tarifas mais acessíveis. Também há a possibilidade de alugar um apartamento para uma semana, duas, um mês… O que melhor convier ao visitante. E o custo é bem interessante. Por exemplo: a diária de um hotel 3 estrelas sai aproximadamente por 45 dólares. Uma kitnet, toda mobiliada e com ótimo conforto, custará aproximadamente 185 dólares por uma semana. Basta não ter preguiça para cozinhar, etc., e estará tudo resolvido.

Estive na capital argentina por 15 dias e tenho uma certeza – um europeu ou alguém que conheça ou tenha vivido na Europa por algum tempo em nada estranhará quando desembarcar em Buenos Aires. Não experimentará nenhuma sensação de expatriação ou de estar fora de seu meio, pois encontrará uma cidade retro, como que parada nos anos 50 ou sessenta. Em certos lugares encontrará a quase certeza de estar numa cidade européia.

A ilusão é quase perfeita se você estiver no centro ou em bairros próximos. Mas a apenas poucos minutos do centro ela desaparece, pois o turista verá imensas as casas de campo e também a pobreza, não tanto como no Brasil, mas terá a certeza de que é mesmo um país da América Latina.

A Plaza Mayo é a alma da cidade. Ali desenrolar-se os principais acontecimentos da história do país. Ali também está a Casa Rosada, sede do governo porteño. Todos os dias, às 7 horas, pode-se assistir a troca da guarda e em horários específicos fazer uma visita guiada. O lugar é rodeado de edifícios importantes dos áureos anos 20 e 30. Numa das laterais da praça está a catedral, que abriga o corpo do General San Martin, homem símbolo da independência. Do outro lado o velho Cabildo, bonita construção em alvenaria do fim do século 18 e que conservou na sua parte mais antiga, transformada em museu, o quadro onde se desenrolaram os acontecimentos históricos que marcaram as fases da independência.

A Avenida de Mayo, que começa na praça do mesmo nome e termina no Congresso, é ampla, arborizada e bela, possui animados cafés e, dizem, tem o mesmo aspecto das construções de Madrid ou de Paris. A impressão é que ela foi congelada no tempo. Antes da segunda guerra mundial abarcava uma boa parte da animação noturna tão intensa de Buenos Aires.

Sobre a enorme e muito bonita Plaza do Congreso, está o Palácio do Congresso Nacional. A noite, os cinemas, os teatros e os cafés que estão em seu entorno, dão a Plaza do Congreso um aspecto todo peculiar.

A Avenida Corrientes é em todas as noites a avenida mais animada de Buenos Aires. Os teatros, os cinemas, as livrarias e os cafés mantêm uma vida noturna única na capital.

A Avenida Santa Fé é cheia de lojas e de galerias comerciais, uma dos lugares de consumo mais procurados pelos turistas. Aliás, o comércio de rua de Buenos Aires é de fazer inveja à muitos brasileiros, tenho certeza. Lojas diversificadas e de muito bom gosto, oferecem todos os tipos de produtos de excelente qualidade.

A Calle Florida, rua de pedestres, é uma verdadeira tentação para aqueles que amam objetos bonitos e roupas das melhores grifes. Mas é também um lugar animado permanentemente, sobretudo a noite, com os seus grupos de música folclórica, grupos de rock locais ou os seus dançarinos de tango.

A Recoleta é um dos lugares mais animados de Buenos Aires e onde se pode encontrar todas as classes sociais. Mas como dizem eles, a Recoleta é a Recoleta.  A aristocracia e a burguesia lotam os cafés e restaurantes elegantes, que gostam de serem vistos em suas lindas roupas e que no verão tomam sol nos gramados olhando seus filhos ou cachorros. Aliás, há muitos cães em Buenos Aires. Todos muito bem cuidados e de diversas raças, que passeiam, todos com um mesmo “passeador de cachorros”. É comum ver nas ruas uma pessoa praticante sendo puxado por uma matilha. Mas na Recolata tem também a igreja barroca da virgem do Pilar e o cemitério, onde está sepultada Evita Perón (que somente ele já vale uma visita) o Centro Cultural Municipal onde acontecem todos os anos as exposições mais diversas e recebe um público bastante diferente daquele que freqüenta os restaurantes elegantes situados de outro lado da praça. Aos Domingos e feriados a praça abriga um mercado de artesanato que reúne dezenas de artesões de jóias, vest
uários, esculturas… Perto, os artistas, bandas, artistas manipulando marionetes, às vezes orquestras, ajudam a animar o local.

Já o bairro de Palermo e os seus magníficos bosques que se estendem por cerca de 500 hectares, é o mais bonito espaço verde da capital argentina. Dizem que no sítio onde estão assentados não havia árvores. Tudo foi plantado e disposto pelos homens, que escavaram os lagos, construíram um esplêndido hipódromo, campos de pólo e de golfe, Jardim Japonês e o Jardim Zoológico. Há também o Páteo Andaluz, arquitetura magnífica de muito bom gosto. Pela manhã e finais da tarde, os ciclistas, skatistas, e outros esportistas, aproveitam a calma para praticar seus hobbies e muitos caminham apenas. No domingo torna-se um lugar de encontro familiar, de piquenique e de lazeres.

O bairro de San Telmo era o bairro elegante do século XIX, mas hoje em dia é um bairro de classe média. A reputação de San Telmo é a de abrigar grande quantidade de lojas de antiguidades que encantam os turistas. Aos domingos, nas ruas, torna-se um ambiente de mercado de pulgas entremeado por orquestras improvisadas de tango, artistas, dançarinos, etc.

A noite, a animação fica por conta das casas de tango. O La Boca é o bairro que melhor retrata o pedacinho onde se assentou o proletariado no início do século XX. É um dos bairros mais visitados de Buenos Aires. Lá se encontra o Caminito, hoje uma rua de pedestres, com casas onde as fachadas de chapa onduladas são pintadas de cores vivas. É também o bairro onde pintores e escultores instalaram o seu atelier e onde reina a boemia.

Algumas ruas são bem animadas com dançarinos e cantores de tango, bem como os restaurantes italianos que atraem a multidão cosmopolita.

Estas são algumas impressões sobre Buenos Aires. O artigo não tem o objetivo de esgotar o assunto e tampouco sou um especialista no assunto. Entretanto achei que seria interessante compartilhar com vocês algumas das minhas impressões. Este também não é um artigo pronto e acabado e é provável que eu retorne ao tema para apontar novas dicas, assim como são bem vindas dicas apresentadas por vocês, leitores. Até o próximo!

Anúncios

2 Comentários »

  1. Oi… estive tambem me programando para ir a Buenos Aires mas, por conta da nova gripe, acabei desistindo e sabe, achei otimo, porque acabei de ter, um roteiro turistico pra la de otimo. Assim que puder, estarei la, visitando os lugares que sugeriu. Obrigada pelas dicas.
    Beijos…
    Ivana.

    Curtir

    Comentário por Ivana — agosto 23, 2009 @ 2:04 | Responder

  2. Augusto

    Adorei as indicações, em breve conhecerei estes lugares maravilhosos!
    Obrigada!
    Clara

    Curtir

    Comentário por Clara — setembro 30, 2010 @ 18:57 | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Obrigado por assinar o meu blog! Espero que goste!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: