A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

abril 26, 2011

Reflexões sobre a eutanásia… praticada em animais – parte 1

Já faz alguns anos que eu sofri muito, e ainda sofro com a perda da Buba, minha cachorra pastor alemã, a qual conviveu comigo por pouco mais de 7 anos. Ela nasceu no dia 16 de fevereiro de 1997. E morreu no dia 18 de abril de 2004. Seu rim deixou de funcionar e estava esgotada com as injeções diárias que eram feitas em sua barriga para que conseguisse urinar com sacrifício. Emagreceu muito. Não comia mais. Chorava de dor o tempo todo. Não tive outra escolha senão sacrificá-la. Foram tempos muito tristes em que a decisão foi muito difícil.

Faz um tempinho que eu li um artigo muito interessante que falava sobre a eutanásia e que começava mais ou menos assim:

Em um estudo realizado na Inglaterra, 50% dos cães morrem entre 10 e 15 anos e apenas 20% com mais de 15 anos. A expectativa de vida dos cães aumentou graças a uma alimentação mais saudável e melhor assistência veterinária feita com mais regularidade. No entanto, grande número de cães têm de ser sacrificados. Certamente a maioria dos donos de cães aceitariam, se fosse uma opção, por seu cachorro ter que passar pela morte em sua cama, quieto, ou se, de repente, morresse ao fazer sua atividade favorita, mas, infelizmente, isso não costuma acontecer.

A decisão de sacrificar um cão não aponta para um lado só, mas por vários: o seu cão pode sofrer de uma doença incurável, que lhe causa sofrimento e dores, pode ter sérios problemas comportamentais, pode ser muito velho e não conseguir mais andar, etc. Obviamente, essa decisão nunca será fácil e provavelmente vai nos afetar profundamente. Atualmente, a opinião do veterinário é muito importante porque ele vai nos ajudar a compreender as razões pelas quais nós decidimos pela prática da eutanásia.

Podemos sentir-nos culpados por tomar essa decisão (eu me sinto até hoje!), mas, naquele momento o veterinário me fez ver que era o melhor que poderia fazer. Mesmo que isso doesse para mim, ou que pudesse parecer cruel.

Devemos nos informar bem para poder tomar uma decisão e ter ciência de que estamos totalmente convencidos (e a gente pode nunca chegar nessa conclusão). Devemos levar em conta que o que se prática é o melhor  para o cão, em qualquer caso que isso aconteça, para que não sofra desnecessariamente. Portanto não é um ato cruel, mas sim um ato de solidariedade e carinho.

Um amigo veterinário que tem uma clínica, após alguns anos de prática com os pequenos animais, foi desenvolvendo uma preocupação crescente sobre este assunto, pois sempre achou que era necessário tomar uma posição, uma atitude coerente e acima de tudo honesta face a uma situação onde se encontrava muitas vezes envolvido e acionado mecanicamente – de acordo com a aceitação “habitual”, social e profissional. Passaram alguns anos e acumulou experiência, observou com preocupação e cuidado, incorporou informações e hoje acha que pode expressar uma opinião.

Segundo o Junior, acima de tudo temos de ter claro o significado da palavra “eutanásia” para que todos saibam o que queremos dizer quando falamos isso. Ele pensa que o termo é  usado incorretamente. Etimologicamente significa “boa morte” ou “bem morrer” e o dicionário o define como “morte sem sofrimento” e, raramente, o veterinário para pensar se está causando algum tipo de sofrimento em sua vítima.

Ele diz que o veterinário e o proprietário devem concordar, necessariamente, para que o ato ocorra. Mas, na maioria das vezes, o que o proprietário pensa quando decide que seu animal deve morrer, quase nunca se justifica. Quem nos deu tantos momentos felizes durante muitos anos, merece que, pelo menos, você gaste alguns meses de esforço e alguma preocupação para ajudá-lo a mover-se sem dor nas últimas fases da sua vida. Sendo que quem nos deixou orgulhosos com a sua beleza não merece ser condenado à morte porque momentaneamente não satisfaz as necessidades estéticas de nossa vaidade. E sobre a situação da família? Muitas vezes, o proprietário invoca a presença das crianças para quem a situação seria uma experiência desagradável. Por que não usá-la para dar um exemplo de solidariedade com o sofrimento e amor pela vida?

Já os veterinários dizem que somente em caso extremo é  que a eutanásia se justifica (alguns nem com isso concordam). Como quando o prognóstico é de uma doença incurável muito marcante. Segundo meu amigo veterinário, quando enfrenta um caso muito sério e que precisa de um prognóstico definitivo, geralmente responde que, ninguém, absolutamente ninguém pode estar certo, ter a certeza que um paciente vai morrer inevitavelmente. Dito de outra forma, só podemos garantir a morte de um paciente quando ele está morto. Todos os milagres são simples evidências de nossa ignorância.

Fazendo uma das coisas que ela mais gostava – passear de carro!

A missão dos veterinários é lutar pela vida do paciente, sempre tentar curar ou pelo menos aliviá-lo da dor, por todos os meios disponíveis. Todo ser vivo tem o direito de ser favorecido pelo “milagre” e não podemos negar-lhe a sua chance.

Como podemos trair aqueles a quem pedimos ajuda e confiam em nós?

Se nosso animal pudesse falar, ao pedirmos sua opinião, o que nos diriam? Se ele pudesse … Mas … Não podem? Quantos de nós, e quantas vezes paramos para ouvir a sua voz? Todos os animais são capazes de deixar-nos saber o que eles querem e sentem, especialmente se vivemos com eles, e, no caso de animais doentes, esta expressividade é preservada e ainda mais exaltada em alguns casos, quando é quase óbvio que, para além da expressão e da atitude, cada sintoma é um grito de socorro.

Além disso, temos observado que alguns animais são capazes de “voluntarismo” em relação à sua vida, como no caso de cães que decidem morrer quando seu dono morre (cada leitor deve conhecer uma história dessas).

Como podemos então pensar que o animal não sabe que vamos matá-lo?

Ele sabe e nenhum sofrimento físico é comparável com a ansiedade que isso irá ocorrer. Qualquer um que tenha visto os olhos de um cão ao ter que passar por isso irá esquecer aquele olhar. Eu não esqueci.

Como exemplo disso seria suficiente remeter para as experiências extraordinárias relatadas no popular livro “A Vida Secreta das Plantas”.  A única coisa que sabemos da vida são suas manifestações e uma das principais características observadas na substância viva é a luta constante pela preservação dessa vida. Cada célula, cada ser unicelular, cada partícula do protoplasma está lutando para se manter viva, para ter o máximo de tempo possível para alcançar os seus “alvos biológicos.”

Todo ser vivo tem seu tempo, seu tempo de nascer e tempo para morrer.

Não se conhecem as leis que regem a infinidade de circunstâncias que levaram ao nascimento de um novo ser, uma única, inédita, irrepetível, e a multiplicidade de circunstâncias que determinam o fim de que a vida é única e sem precedentes.

Todo ser vivo tem o direito de viver até seu último momento, para ter todo o seu tempo e conseguir a sua morte natural. E essa é a única e verdadeira eutanásia. Tudo o resto é assassinato.

O amor cura muitas coisas, mas não a dor física… e eu não  fui capaz de deixar minha cachorra gritando de dor… era uma tortura … mas às vezes as decisões são feitas com amor e dor …. as decisões são difíceis … o vazio que você sente é doído… poucas pessoas no mundo me fizeram chorar da forma como chorei pela Buba.

E ficou a pergunta que não quer calar: será que devemos condenar um animal à morte simplesmente porque ignoramos a forma de curá-lo? O que você, meu leitor, tem a dizer?

Leia um belo artigo sobre o tema Eutanásia em animais  Família faz ensaio fotográfico emocionante para registrar último dia de cão e, no original, em inglês This Story Of A Dog’s Last Day On Earth Is Beautiful And Utterly Heartbreaking

About these ads

652 Comentários »

  1. Penso que não havendo a possibilidade de cura e mesmo assim manter um animal de estimação vivo à duras penas é uma crueldade(embora inconsciente) Meus dois últimos cachorros viveram em torno de 14 anos e precisaram passar pela eutanásia um tinha o nome de Rossi(Pastor Alemão) e antes de morrer viu a chegada do pequeno Rex que conseguiu devolver um pouco de vida ao Rossi por algum tempo. Rex(um legítimo vira-lata) adorava se aninhar nas costas do Rossi na hora de dormir. E quando Rossi morreu Rex que era novinho ficou inconsolável, mas depois se tornou dono do pedaço. Rex viveu seus catorze anos sendo tratado por uma única veterinária, que além de ser sua médica, também se apegou a ele, afinal Rex foi um de seus primeiros “pacientes”. Rex durante sua vida enfrentou seus problemas de saúde com grande coragem graças aos cuidados da Veterinária e aos meus cuidados também. Mas com o passar do tempo a saúde vai ficando mais debilitada e o dono sabe sim, quando seu animal de estimação está no seu limite e o limite do Rex havia chegado, mas, mesmo assim a Veterinária ficou muito nervosa no dia em que teve que abreviar o sofrimento do Rex. Na época imaginei que não ia ter outro cachorro por um bom tempo, mas eis que no mesmo ano surge em minha vida um outro cachorrinho(agora um legítimo “salsichinha”) tão espevitado quanto o Rex, quando o ganhei ele cabia na palma de minha mão, agora o danadinho só falta voar porque não quer saber de colo e por ser tão danado nos confundimos e o chamamos de Rex por engano, mas o nome dele é Nick. E Rex está vivo em uma moldura com sua foto, a foto do Rossi está em um álbum de fotografias. Nick faz parte da geração Foto no Computador.

    Curtir

    Comentário por Emília — abril 27, 2011 @ 1:33 | Resposta

    • Oi Emilia.
      Sempre tive cães. Desde pequeno tenho a lembrança de em casa termos um ou dois cães. Muitos morreram de velhice. Outros de alguma doença. As lembranças sempre ficam.
      Bjs.

      Curtir

      Comentário por augusto martini — abril 27, 2011 @ 14:40 | Resposta

      • Oi, Augusto. Acessando a Internet para saber sobre insuficiência renal em animais, achei o seu blog sobre eutanásia. A minha cachorrinha Mel, de 16 anos e 10 meses, morreu ontem e eu estou com o coração partido pela ausência da minha grande companheira. Só que quem tem um animal e gosta de tê-lo sabe a importância deles para o humano. Posso dizer, sem qualquer dúvida, que eu fiz tudo pela minha Mel, mas também digo que por mais que eu tenha feito, ela fez muito mais por mim durante essa longa convivência. Vou tê-la sempre na minha mente como algo de muito que me aconteceu na vida. Ela morreu já bem debilitada porque a doença progrediu rapidamente, mas ela morreu naturalmente. Foi uma lutadora, pois apesar de pequeninha – era um yorkshire – lutou por cada minuto de vida e eu junto com ela. Estou escrevendo porque tive uma pastora que teve um tumor maligno na coluna – a minha querida Hulla – e, depois também de muito cuidar dela, tive que fazer eutanásia porque ela estava sofrendo muito. Confesso que foi muito difícil tomar uma decisão nesse sentido e fiquei muito mal depois. Hoje, não faria novamente, pois acha que não temos o direito de tirar a vida, seja do humano ou dos nossos queridos amigos animais. A dor emocional que estou sentindo agora, com a perda da minha querida Mel é diferente da dor emocional que senti quando a minha também muito querida Hulla partiu, pois neste último caso, apesar de muito ter cuidado dela – senti muita culpa pela eutanásia. Hoje, eu acho que temos que lutar até o último respiro dos nossos amigos, amenizando ao máximo o sofrimento deles, com muito carinho e medicação adequada, até que chegue o momento da partida. Talvez não seja objetivo mas é o que acho que é certo. Não faria a eutanásia novamente. NO meu caso, eu tomei a decisão por causa do sofrimento da minha amiga Hulla, pois ela já não andava mais e só levantava a cabeça e, com certeza sentia muitas dores. Estive todo tempo ao lado dela – durante todos os anos de sua vida – 14 anos – e tenho certeza de que ela tinha muita confiança
        em mim, mas não sei se ela aprovou a minha decisão. Foi ótimo encontrar esse blog. É bom encontrar pessoas que cuidam dos seus amiguinhos com carinho, compromisso e gratidão por tudo de bom que eles nos proporcionam. Um abraço, Monica.

        Curtir

        Comentário por movaleiko — setembro 19, 2012 @ 18:37

      • Boa noite Monica.
        Agradeço pela visita.
        Abs.

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — setembro 19, 2012 @ 20:14

      • Olá Augusto.. eu estou passando por uma fase muito dolorida. Eu li seu depoimento e estou aqui querendo consolo. Tive uma cachorrinha com nome de July há 18 anos e 6 meses e ela tinha problemas nos rins. Na primeira crise eu cuidei bem dela e passou e voltou 2 anos depois e com o tempo ela não queria mais se alimentar e foi ficando muito magrinha. Logo em seguida ela foi perdendo a visão de um olho e. Mas estava andando normalmente e até subia no sofá., mas dentro de uma semana ela parou de comer tudo o que gostava e andava com suas pernas traseiras se arrastando e chegava a tropeçar e dentro de uns cinco dias , já não conseguia mais andar sozinha. Ela me chamava para eu levantá-la e levá-la para fazer suas necessidades…. So queria comer carne e eu comecei a complementar com papinha de legumes pela seringa. Depois já não estava conseguindo andar nem com minha ajuda.. e parou de me chamar para levanta-la. Começou a fazer as necessidades na cama dela.. Eu tinha muita dó.
        Estou inconsolada.. preciso de ajuda..
        Bem..o veterinário que já tratava dela me disse que não tinha jeito e se caso eu ficasse com ela viva em casa , era somente para eu assistir a agonia da minha princesinha. e me aconselhou a fazer a eutanázia, coisa que eu jamais pensei em fazer. Mas eu sofria muito de vê-la sofrendo. . Dias antes, eu levantava a cada 10 minutos para para trocar o lado que ela deitava, creio que ela sentia muita dor e ela choramingava e eu ja sabia que estava desconfortável. Não estava mais conseguindo ficar em pe. Tudo isso foi muito rápido, pois até uns 6 dias ou 7 dias atrás ela estava andando e subia no sofá.. como pode acontecer isso?
        Meu Deus.. agora estou sem chão, e estou sofrendo de saudade e culpa.
        Será que eu tinha que deixar minha princesa se agonizar até morrer?
        Será que ela sabia que eu fazer maldade com ela..?
        Cheguei ao veterinário e fique uns 30 minutos com ela no meu colo , na mesma posição que carrega um nenê e ela ficava olhando para mim todo o tempo… Fico pensando se ela sentia que eu ia fazer isso com ela, ao invés de suportar o sofrimento dela..
        Por favor escreva algo para mim..
        Muito obrigada pela atenção

        Curtir

        Comentário por Graça Soares — setembro 6, 2013 @ 1:00

    • SÓ PARA QUEM GOSTA MESMO DE CACHORRO PARA SENTIR ESSE SENTIMENTO…
      TER UM CÃO EM SUA COMPANHIA COMO EU TIVE POR 14 ANOS, É UM GESTO DE SER HUMANO QUE É JUSTO.
      PARABÉNS A TODAS AS PESSOAS QUE TEM CORAÇÃO, SENSIBILIDADE, AMOR DE VERDADE PELO SEU MELHOR AMIGO. E COM CERTEZA, NOS TEREMOS NOSSA RECOMPENSA UM DIA. PARA AQUELES QUE SÓ QUEREM O MAL DOS BICHINHOS, DESEJO TUDO EM DOBRO A ELES…….

      Curtir

      Comentário por Edu — julho 2, 2011 @ 22:17 | Resposta

      • hoje estou sofrendo muito e estou passando por um momento muito dificil.pois minha cachorrinha Shanna de 13anos está com uma doença muito grave,com diabates e problema renal estou com muito medo de ter que pensar na possibilidade de ter que fazer ela passar pela eutanacia,estou sofrendo muito eu,minha mãe minha irma temos ela como alguem da familia acho que nunca sofri tanto nessa vida,nossa veterinaria disse para esperarmos ate terça feira para tomarmos a decisao,estou com muito medo muito mesmo nao me vejo sem ela,é o meu eterno amor nossa casa ta vazia sabe o lugar onde ela dorme tem o cheirinho dela isso me tortura agora sei que vou ficar acordada ate tarde pensando se ela ta sendo bem tratada ou está viva ainda só de escrever isso meu coraçao ja doi muito,por favor aonde vcs estiverem e quando leem orem por ela e pela minha familia pois estamos sofrendo muito,peço a deus que faça um milagre na vida dela mais tb tenho medo de ela sofrer sabe estou com muita duvida…mas nao é faltya de esclarecimento mais a dor de ter que admitir que ela pode tar indo embora….deus dai-me força!!!

        Curtir

        Comentário por Raphaela Alessandra Praxedes Fonseca — julho 2, 2012 @ 0:47

      • Bom dia Raphaela.
        Espero que que esse processo se reverta e que vc possa ter sua cachorrinha por mais alguns anos ao seu lado. Força e fé.
        Augusto

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — julho 2, 2012 @ 10:23

    • Também acho que teorias não aliviam a dor insuportável e inútil de um ser vivo.. Doença terminal, merece um desfecho digno. Sou totalmente a favor da eutanásia, inclusive para mim..
      Eu queria ver se a dor e o cancer se abatesse sobre este indivíduo de forma implacável, ele não mudaria de idéia.. Concordo que os bichos sabem, mas é um procedimento absolutamente tranquilo e indolor. É simplesmente uma anestesia que se aprofunda. Morrer lentamente e com sofrimento é uma coisa indigna e totalmente desnecessária. Concordo que todos os esforços devem e precisam ser empreendidos.. existem medicamentos para impedir que o bichinho morra de dor, mas o desfecho uma hora é inevitável, principalmente quando ele já não consegue mais comer.. não há mais o que reter. Que vão em paz, com toda a nossa gratidão e amor. TUDO TEM UM FINAL, TUDO TEM UM CICLO. E TUDO QUE VIVE, NO FINAL DAS CONTAS, VIVE PARA A MORTE.

      Curtir

      Comentário por heloleivas — agosto 15, 2011 @ 6:38 | Resposta

      • Estou muito triste porque tive que optar pela eutanasia, meu cachorro estava sem comer ja fazia quase um mes, nos ultimos dias vomitava sangue, e o cheiro era horrivel, como eu poderia deixar meu amigo sofrer daquele jeito, parecia que estava podre por dentro , o veterinario disse que ele estava com cancer no baço, eu poderia por egoismo ter deixado ele morrer aos poucos so para nao me sentir culpada , mas prefiro sofrer com a culpa do que ter deixado ele morrer chorando de dor como estava.

        Curtir

        Comentário por jovana — março 28, 2012 @ 23:20

      • Bom dia Jovana.

        Espero que seu coração se acalme e que logo sejam as lembranças boas a predominar.
        Abrs.

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — março 29, 2012 @ 8:58

    • Ninguém ter o direito de matar,a pretexto de aliviar…vc perguntou,se estivesse na pele de um anima,se queria morrer,eutanásia,p mim,é e sempre será crime.Estou vivendo um caso doloroso,mas eu não sou O Todo Poderoso,e nem a Força Superior q criou tudo e a todos,e cada um tem o seu tempo.Assim,como o suícídio prejudica a família,amigos,e sei lá,será q a alma terá alívio.?Sou contra,e aqui estamos fartos,pq a eutanásia sai mais cara que um tratamento,e tem mto veterinário,q devia testar,e matar seus filhos e rasgar o diploma,antes de mandar cometer um ato abominável desse.Tive um caso,apenas,q me dá remorso e não tenho paz até hoje,que adiantou?Ela ia morrer,cedo,ou tarde,apressar sua partida,me deixou em choque emocional,com traumas,culpa,remorso,q nada apaga e até hoje,jurei q nunca,concordarei,nem permitirei,nem com animais e pessoas…Cruéis egoístas e frios são vcs,que acham q matando,se livrando do que lhes parece incomodar,dá alívio.Alivia a vcs,e são uns covardes…quem tem um animal e não ama ao ponto de estar ao seu lado,mesmo c dor e chorando,e pretexta alívio rápido,são néscios.Os animais são seres ainda inferiores,mas tem alma,ou inteligência…

      Curtir

      Comentário por Alma Triste — outubro 28, 2013 @ 2:34 | Resposta

      • Olá.
        Em meu caso, sim, sempre me pergunto se um dia ficar em estado terminal, se gostaria que abreviassem o meu sofrimento. E minha resposta é sempre sim.
        Obrigado pela visita.

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — outubro 28, 2013 @ 18:06

  2. Oi Augusto,
    Não concordo quando vc diz que cada ser vivo tem direito de viver até o último momento.
    Meu gato Kiko teve falência renal grave em janeiro/2010. Éramos tão unidos que percebi mesmo sem ele apresentar nenhum dos sintomas, só percebi que ele estava um pouco mais magro. O veterinário não me deu muita esperança, já que o caso dele era avançado, provavelmente genético. A partir daí foi só tortura, ver ele começar a enjoar até não comer mais, ir aos poucos andando menos, e nós tentando de tudo, empurrar AD com seringa, ele ficou internado um tempo. Até o vet dizer que não tinha jeito. Mesmo assim levamos ele pra casa e aprendemos a aplicar soro subcutâneo, fora os remédios.
    Ele morreu nos nossos braços, e apesar de sermos convencidos que era a melhor solução, não foi fácil ver ele indo embora com a eutanásia.
    Me amargura lembrar, mas se voltasse no tempo tomaria a mesma decisão, não aguentaria deixá-lo sofrer sem poder ajudar.

    PS: Gatos são mais difíceis de tratar nesses casos, um cachorro sobrevive com soro, gato não. Eles são carnívoros primários, ou seja, sem proteína eles sofrem de lipidose hepática (o organismo consome o próprio fígado).

    Beijos

    Curtir

    Comentário por Marluce — abril 27, 2011 @ 2:50 | Resposta

    • Oi Marluce.
      Eu quis dizer que devemos lutar até o fim pela vida, dando todas as chances para ela. Mas, tenho consciência que quando isso não for mais possível, aliviar o sofrimento também é uma forma sublime de amor pelo nosso animal. Mas te digo uma coisa – estar alí presente, abraçado, segurando a Buba, mesmo a contragosto do veterinário, foi uma barra enorme de aguentar. E ainda é.
      Beijos e agradeço pelo comentário.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por augusto martini — abril 27, 2011 @ 14:05 | Resposta

      • Augusto,

        Entendo vc mais do que vc possa imaginar. Ontem foi posto fim à vida e ao sofrimento de meu Joe, um Beagle lindo de 10 anos de idade. Fiquei com ele durante todo o processo. Doeu demais, demais. Ele ficou nos meus braços e eu agradeci a ele pelos anos de amor, de companheirismo , por tudo o que ele me deu em termos de amizade e companhia. Ele era a alegria da casa, nosso xodó. Nunca pensei que doesse tanto ter que tomar essa decisão. Mas, meu cão merecia morrer com dignidade e ele mostrava em seu olhar que já tinha se despedido da vida. Ele teve uma neoplasia que encurtou sua cervical, outra no pulmão e seu coração tinha se dilatado. Tentamos tudo, eu cuidei dele como se cuidasse de um bebê, com todo amor, com todo carinho. Não permiti que ele fosse para um clínica, já que a medicação podia ser feita em casa. Eu sabia que ele ia sentir falta de nós, principalmente de mim. Eu o chamava de “meu rabicó”, pq onde eu ia lá vinha ele me seguindo com o rabinho abanando que nem um chicotinho. Infelizmente, o final foi triste demais. Ele ficou por 4 dias sem comer e já não conseguia nem engolir água. Foi tão triste vê-lo com fome lambendo o mingau que tive que por no chão pq ele já não aguentava levantar a cabeça. Tinha perdido o controle das pernas. Caía e tropeçava. As pernas já começavam a paralisar. A última noite dele foi muito triste e o que mais me doeu foi o fato de, naquela noite ele não querer dormir na caminha dele no nosso quarto. Ele se arrastou e foi deitar no chão do meu lado da cama. Eu passei a manhã todinha de ontem me despedindo dele. Pus a cabecinha dele no meu colo, cantei pra ele, o beijei e conversei com tanto com ele. Tirei fotos dele e a última foto minha com ele foi de quando eu o ajudava , segurando as patinhas dele para ele aguentasse ficar em pé e beber seu último gole d´água. Não me arrependo, dói e vai doer pra sempre ter que ter sido eu a decidir, junto com a veterinária sobre a eutanásia. Ele o acompanhou desde que ele nasceu e é um ser humando maravilhoso. Ela jamais o sacrifaria , se visse ainda uma chance de vida, sem tanto sofrimento. Ficou uma saudade sem fim, as lágrimas descem como se fosse para lavar a minha alma. Estou em paz, pq ele não sofre mais. Por tudo isso, entendo vc. Vamos sentir saudade pra sempre, mas um dia essa saudade vai se transformar numa saudade amiga , que vai nos fazer sorrir ao lembrar das horas engraçadas que vivemos com ele. Beijo

        Curtir

        Comentário por Joani Carneiro Lambert — outubro 20, 2011 @ 21:42

      • Joani,
        Que lindo o seu depoimento! Obrigado pela visita ao blog. Tranquilidade para o seu coração.
        Abraços.
        Augusto

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — outubro 21, 2011 @ 8:47

      • Oi Augusto. Bom é obvio q quem P
        procura ler sobre esse assunto é pq passou por isso e comigo nao foi diferente. Tivemos q tomar essa decisão anteontem sobre nosso “filho” de 8 anos q tinha linfoma e uma prostatite/ pielonefrite, demos conta da infecção mesmo sabendo q do linfoma seria impossível, mas Ai já era tarde pra reiniciar a quimioterapia e o sofrimento dele era visível, uma dor terrível e edemas que pareciam q iriam explodir a qq momento. Mas o procedimento foi tranquilo, tivemos ele no colo o tempo todo e o veterinario foi super a favor de estarmos junto dele nesse momento, foi realmente uma sedação que se aprofundou e a droga final foi injetada só por precaução pq o coração já tinha parado com o anestésico. O ultimo olhar dele era tranquilo como se aprovasse e até pedisse por aquilo. Qdo vc diz q o olhar da Buba nao era assim e q o seu Veterinario nao queria a sua presença fico me perguntando se as técnicas variam e podem causar sensações diferentes nos animais…

        Curtir

        Comentário por Maria — agosto 1, 2012 @ 23:08

      • Oi Maria – bom dia!

        Primeiro, meus sentimentos por sua perda.
        Acredito que as técnicas sejam iguais. Eu é que estava desesperado e chorando muito quando a levei ao veterinário para o procedimento. Por isso não me deixaram ficar.
        Um abraço.
        Augusto

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — agosto 2, 2012 @ 8:51

  3. oi augusto.
    acho que a maioria de nós comete o ato de humanizar nossos bichos .
    minah cachorra tb pastor, Loba e meu gato Keith são pessoas pra mim, trato com respeito e amor.
    keith é uim gato jovem e saudavel, mas Loba ja vem apresentando sinais da idade.
    a displasia, dores no quadril, excesso de peso, insuficiencia respiratoria.
    tem dia qeu se alimenta bem e tem dia que nao quer comer, nem com carinhos nem com musiquinha, nada.
    sei que o final desta doença é a fratura de ossos, com dores horriveis,mas não quero nem pensar
    hj tenho o costume de me deitar com ela no chão fresquinho da minha varanda e abraça-la… trocar energia com ela.
    ela fica um tempão nos meus braços, sentindo o carinho, até começar a querer brincar de me dar patadas e cabeçadas.
    a energia que vem dela é pura e serena.
    eu nao conseguiria ve-la em sofrimento gritando de dor.
    acho que me deitaria com ela,como faço sempre, abraçaria forte e pediria que o medico aplicasse um sonifero pra que ela dormisse.
    e depois uma injeção para acabar com o sofrimento.
    eu ficaria com ela até o ultimo minuto.
    isso vai acabar comigo, mas eu a amo.
    e vejo que ela tem poucos anos pela frente…preciso me preparar pra isso.
    quem me conehce sabe do meu carinho por ela.
    é minha segunda e ultima loba
    é o meu terceiro e ultimo pastor alemão.
    terei cachorros, mas nenhum parecido com minhas lobas.
    acho que a eutanasia em casos extremos é um ato de amor.
    eu sacrificaria a Loba para não ve-la sofrendo.
    mas eu espero que ela um dia se vá, sem dor , apenas nao acordando de um sono bom.

    Curtir

    Comentário por coisadelilly — abril 27, 2011 @ 13:42 | Resposta

    • Augusto,

      Hoje, nesse momento, estou ouvindo Tristesse, de Chopin, e devagarinho uma paz vai instalando-se em mim e eu só penso em coisas boas, nas imensas alegrias que tive com meu Joe. Não quero mais chorar. Isso não seria bom pra mim e nem pra ele. E seria contraditório com a certeza que tenho de que fiz o melhor por ele, que meu ato foi de amor. Só um amor muito grande me daria forças para suportar a dor de tê-los em meus braços enquanto, por uma decisão minha, ele morria. Entendi, a escolha que ele fez de levantar-se , caindo, tropeçando, com fome e sede, no meio da madrugada para ir dormir do meu lado, como um pedido de socorro, de alívio. Como se ele soubesse que eu faria tudo para que ele fosse feliz, para que ele não sofresse mais, para que sua dor cessasse. Então, de agora em diante quero sorrir ao lembrar dele , das artes que ele fazia, de tudo o que fez valer todos os anos que ele esteve conosco. Lembro-me de coisas hilárias, como “o susto do meu casaco” e tantas outras peripécias do meu amigo. Sim, eu ia viajar para o exterior e tinha lavado meu casaco com todo cuidado, pois ele era novo e muito bonito. Bom, eu o pendurei no varal para tomar sol e me esqueci de recolhê-lo. Quando, no outro dia , fui arrumar minha mala, lembrei-me de subir ao meu terraço para pegà-lo. Joe, é claro, subiu comigo ao terraço, só que notei que ele estava meio cabreiro.rss… Quando vi meu casaco no chão só pensei comigo: “Adeus, casaco querido. Joe deve ter feito uma festa com vc.” Daí, peguei o casaco do chão pra ver o tamanho do estrago. Joe quietinho no canto só me olhando com as orelhas murchas. De repente, comecei a rir. Ele tinha comido só os botões..rs…..e o restante do meu casaco estava intacto. Quando Joe viu meu sorriso, e ouviu minha risada, o rabinho fez festa. Como ficar brava com ele? Ele tinha sido muito camarada, tinha sido meu amigo de verdade. Quem sabe os botões do meu casaco lhe pareceram apetitosos?? rsss….Não adiantaria nada tentar saber por que. Ele não me falaria mesmo……rss… Só sei que de tanta alegria eu o abracei e desci a escada rindo e toda feliz com ele ao meu lado e meu casaco sem botões na mão. Essa é uma das muitas e muitas histórias e momentos gostosos de serem lembrados. É assim que quero pensar nele: como um anjo de alegria que passou em minha vida, como um companheiro que nunca saiu do meu lado enquanto alguém não chegasse para substituí-lo enquanto eu estive na cama, após uma cirurgia. Quem teve um amigo assim , tem o direito de sentir saudade, mas jamais de esquecer tudo o que houve de bom , só pelo fato dele não mais estar conosco. Amei, ainda amo e sempre amarei meu Joe. E não tenho medo de ter outro cão e de amar e sofrer de novo. Tudo o que é bom demais tem um preço alto a ser pago. Paguei o meu. Valeu. Bjo
      Joani

      Curtir

      Comentário por Joani Carneiro Lambert — outubro 24, 2011 @ 0:08 | Resposta

      • Oi Joani.

        É muito bom e salutar ter essas boas lembranças. Vai ver Joe estava sentindo que iria ficar sozinho e quis chamar a atenção. Hoje moro em São Paulo, em apartamento e acho que não dá para ter cachorro nesses espaços. Eles precisam correr, cheirar, ver o céu. Mas ainda vou voltar a ter outros mais, quando voltar para o interior. No momento faz uma semana que estou hospedando o Frederico, que é um cãozinho lindo. Os pais dele estão terminando a reforma de um apartamento maior, onde terá mais espaço. O atual deles era pequeno. Ele é todinho negro, porte pequeno, peludo e adora correr pelo apartamento, olhar pela janela. Dorme comigo na cama. Vou sentir falta quando ele se for, daqui uns 25 dias.

        Bjs e fique bem. Augusto

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — outubro 24, 2011 @ 8:46

  4. Oi Lilian.

    A Buba teve falência dos rins. Dizem que é uma doença comum da raça. Deixou de comer, emagreceu. Tivemos que administrar com muito custo papinha batida, com seringa. E todos os dias injeções na barriga para conseguir urinar, com muito sacrifício. Chegou um momento em que ela nem caminhava mais. Foi uma decisão muito dura. A gente fica num conflito – sacrificar o animal com dignidade, mesmo ficando com a consciência pesada? Não é algo tranquilo.
    Bjs

    Curtir

    Comentário por augusto martini — abril 27, 2011 @ 14:38 | Resposta

  5. Lilly e Augusto, meu Rex em dezembro de 2007 dava sinais de que estava cansado…Eu via aquilo e pensava: vou perder meu amiguinho bem no Natal. Mas quando ele estava bem debilitado(junho de 2008) eu o abracei e agradeci por todas as alegrias que ele me deu e pedi a Deus para que ele não sofresse mais(comecei a achar que o Rex continuava vivo por minha causa). Dai dias depois ele entrou em sua fase mais difícil e não teve outro jeito infelizmente. Mas acredito que fiz o melhor por ele até o fim. Conta Walcir Carrasco, que também teve uma história muito bonita com seu cachorro de nome Uno(um Husky Siberiano), que existe um Paraíso para onde vão os animais de estimação quando morrem e lá eles ficam esperando por seu dono, aí eis que chega o dia em que o dono também vai para o Paraíso e só uma ponte os separam e é nessa ponte que se encontram e caminham juntos pela Eternidade.

    Curtir

    Comentário por Emília — abril 27, 2011 @ 16:31 | Resposta

    • Emi, é bom que vc pense assim.
      eu tb acho que animais como os nossos, que se tornam quase humanos de tao espertos e carinhosos, ao morrerem vao como diz meu filho, para o céu dos cachorinhos.
      muitos nao entendem este nosso carinho por animais.
      acham que sao seres de segunda classe.
      hj fui destratada aom telefone por um colega de trabalho.
      liguei de fora, par deixar um recado, e a aspereza e a falta de educaçao dele me irritou!
      nestas horas eu penso que um ser humao assim nao aprendeu nada da vida, errou, tropeçou e vai continuar errando e tropeçando ao longo da vida.
      e nao deixo que pensar que prefiro a companhia de animais a ter pessoas assim no meu convivio.

      Curtir

      Comentário por coisadelilly — abril 28, 2011 @ 0:04 | Resposta

    • Bom dia, Augusto!!!

      Uma amiga querida,que adora cães, me disse um dia que os cães se tornam anjos muito mais rápido que os humanos, principalmente, quando sentem que foram muito amados. Na época, apenas ouvi e fiquei pensando cá comigo: “Será que sim? ”

      O tempo passou e meu Joe se foi e eu guardei no meu coração uma dor imensa e , confesso, uma dúvida me martirizava :”Será que ainda havia uma chance, por menor que fosse?”

      No dia em que estava fazendo uma semana que ele tinha morrido eu sonhei com ele pela primeira vez. Eu o vi nitidamente na porta do quarto que há no meu terraço. Ele estava altivo, com o pelo lindo, brilhando e erguia de um jeito orgulhoso e imponente a cabeça e latia forte, do jeito que ele fazia quando queria reclamar ou dizer-me alguma coisa. No sonho ainda eu disse a mim mesma: “Ele latiu, há ainda uma esperança!”. Acordei imediatamente após dizer isso com o latido de um cão na minha rua, embaixo de minha janela.

      Fiquei quieta na cama., relembrando o sonho e pensando em como Joe estava lindo e como o pelo dele brilhava. Chorei sim, mas foi um choro manso, tranquilo. Choro de saudade.E, desse momento em diante , uma paz enorme se instalou em mim. Acho que meu “anJoe” quis me dizer que tá tudo bem com ele. . . Bjo

      Curtir

      Comentário por Joani Carneiro Lambert — outubro 28, 2011 @ 11:53 | Resposta

      • Que sonho lindo Joani. Obrigado por compartilhar! Certamente ele está num bom lugar. Abrs. Augusto

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — outubro 28, 2011 @ 17:11

    • ESTOU SOFRENDO MUITO COM A MORTE DA KIKA,MINHA CADELINHA QUERIDA,TIVE QUE MANDAR SACRIFICAR,POIS ESTAVA COM TUMORES NO FÍGADO,E NA TETINHA.O VETERINÁRIO DISSE QUE NÃO TINHA MAIS SALVAÇÃO
      ESTOU TÁO ARRASADA,UMA TRISTEZA MUITO GRANDE
      AMÁVAMOS MUITO NOSSA KIKA,NOS TROUXA MUITAS ALEGRIAS,COM CERTEZA ESTARÁ NUM LUGAR ESPECIAL NO CÉU,AO LADO DE SÃO FRANCISCO QUE TANTO AMOU OS ANIMAIS
      JAMAIS TE ESQUECEREI KIKA,TE AMO DEMAIS
      ME PERDOE TER TOMADO ESSA DECISÃO, MAS FOI POR AMOR,PARA NÃO TE VER SOFRER
      UM DIA NOS ENCONTRAREMOS

      Curtir

      Comentário por VERA LUCIA DOS SANTOS — janeiro 18, 2012 @ 2:14 | Resposta

      • Bom dia Vera.
        Espero que breve encontre o caminho para a paz e com a certeza de que fez o melhor pela Kika. Essa decisão da eutanásia é um abalo pra gente. Um abraços.

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — janeiro 18, 2012 @ 8:23

  6. Eu adoro ler seus comentários.E este me comoveu, pois já tiveram que fazer em dois dos cachorrinhos. Ainda bem que não soube na hora. Sem sabe e ver fiquei marcada. Eles são como uma parte nossa.

    Curtir

    Comentário por Irany — abril 27, 2011 @ 22:19 | Resposta

  7. [...] o da eutanásia nos nossos amados pets. [...]

    Curtir

    Pingback por eutanásia | Isso é coisa de Lilly — abril 28, 2011 @ 1:20 | Resposta

  8. Oi Augusto!
    Como foi bom ler este texto! No último domingo eu e meu esposo chegamos a conclusão que a melhor alternativa para eliminar o sofrimento do meu poodle Pedrinho, já caminhando para os 17 anos, seria fazer a eutanasia na segunda, dia 25/04. Contudo, eu não conseguia aceitar que o meu amigo, filho peludo, fiel, companheiro amoroso e fiel entenderia que eu o deixaria partir por amor…fiquei muito triste, chorei copiosamente naquela tarde e noite e pedi a Deus que não me imputasse tamanha decisão – eu sei que não conseguira viver com o remorso que sentiria! -, e disse mais, como não conseguia mais ver meu amado Pedrinho chorar e cosntatar aquelas lágrimas em seus olhos eu faria o que não queria, ou seja, a eutanásia. Porém, Deus em sua bondade me ouviu e ao acordarmos na segunda-feira, encontramos o Pedrinho ainda quentinho, porém morto. Eu, sinceramente, chorei muito e choro ao perceber que meu companheiro não está aqui comigo, entretanto sei que seu sofrimento acabou. Ele não conseguia mais andar, não ficava mais de pé para fazer o xixi, não conseguia mais se alimentar e tomar água. Tudo eu colocava na boca com uma seringa… esses últimos dias ele perdeu sua condição maior de dignidade e eu não suportava mais ver aquele lindo e doce caozinho tão debilitado. Naquela noite de domingo eu conversei muito com ele, ele olhava em meus olhos e aquele olhar foi de despedida; disse a ele o quanto eu o amava e que ele era muito importante para mim, agradeci pelo amor e falei das situações que passamos nesses mais de 16 anos juntos. Então, na segunda ao invés de irmos ao veterinário nós fomos ao Cemitério de Animais fazer seu sepultamento, e hoje ele está lá junto dos meus 4 últimos bichinhos falecidos. O Pedrinho foi o quinto. Agora tenho mais quatro cães para cuidar e amar, mas o Pedrinho é o meu grande amor pelufo e este amor sempre foi correspondido. Um amor assim é eterno! Só quem sente por ter ideia do que é um amor assim.

    Obrigada por compartilhar este lindo texto.
    Um abraço, Sandra.

    Curtir

    Comentário por Sandra — abril 29, 2011 @ 0:41 | Resposta

  9. Sabe Augusto, estou passando por essa situação em minha vida neste exato momento. Tenho a decisão em minhas mãos quanto à morte de minha cachorra. Minha primeira cachorra na verdade…sempre quis ter uma, mas nunca pude… aos 12 anos fui buscar a Lili, uma cocker preta fofíssima.
    Pra falar a verdade, ela tem mais energia que nossa família inteira, e nunca a vi de mal humor. Durante todos esses anos, sempre estive com ela… Estivemos juntas em seu atropelamento, em cada vacina, injeção para dores, até a primeira cirurgia (que tem um mês). Ela teve um câncer de mama.
    Foi retirado, e eu quase morri junto. Passei a madrugada acordada quando ela voltou para casa, cuidando, vendo o que seria melhor para ela..
    Quinze dias depois, um novo tumor surgiu, mas na outra cadeia mamária, e de imediato, seu intestino parou de funcionar, e de uma semana e meia para cá, ela não tem comido, só vomitado, treme muito, tem as patas inchadas…isso tudo porque o tumor cresceu internamente, envolvendo útero, ovário, bexiga e baço. Seus rins estão começando a diminuir…
    Ela anda mais quietinha…amoadinha…emagreceu bastante, e o veterinário (os dois por acaso) disse que ela não terá mais chances.. só irá sofrer, e sofrer.
    A princípio, chorei muito… Não queria aceitar. Já tem dois dias da notícia, e parei para pensar que não quero vê-la sofrer… quero ela bem, espalhando esse bom humor inerente pra quem quer que seja, em um lugar muito gostoso…
    Vou sofrer, por óbvio. Já perdi muitos entes queridos em meus 25 anos de vida. Mas, nunca quis tanto o bem de alguém…
    Acho que todo cão/gato tem seu valor…o dela, é inesquecível, assim como o da Buba para você.
    Não acho que seja crueldade… mas acho que podemos permitir que nosso egoísmo não se manifeste, e que pensemos realmente naqueles que cuidaram muito da gente…

    Curtir

    Comentário por Ana Elisa — abril 29, 2011 @ 1:27 | Resposta

    • Boa noite Ana Elisa,

      Vou te responder com um texto que já mandei para outros leitores, por email.
      Sabe, esse texto saiu meio assim, em estado de não sei o que.
      Não contei tudo ainda. Vou escrever um pós decisão depois.
      Minha avó dizia que os animais são captadores de coisas ruins que são enviadas pra gente.
      E ela tb dizia que quando um animal de estimação nosso morre, ele ainda fica 3 meses por perto. Só depois vai embora.
      Vou te adiantar um pouquinho. Quando vim pra SP, eu tinha a Buba. Que ficou em Rio Claro, primeiro em casa por um tempinho. Minha irmã passava la todos os dias. E eu voltava para lá toda sexta feira a tarde e vinha para SP na segunda de manhã.
      Depois, meu vizinho, que tinha o Rex, um pastor alemão que foi namorado dela e que morreu foi atropelado. E insistiu pra Buba ficar na casa dele. Não era possível eu traze-la pra SP, já que morava numa kit de 30 metros quadrados. E nem o prédio permitia.
      O Sr. Paulo, meu vizinho, fez uma passagem no muro. Assim, ela ficava em casa, onde estava acostumada e ia pra casa dele brincar com as crianças.
      Uns 21 dias depois disso, percebi que ela começou a emagrecer. Achei q ele tinha trocado a ração. Mas já era a falência dos rins.
      Minha irmã a levou pra casa dela. Não fez antes pois já tinha dois cães.
      Deu um jeito de separar o quintal para o Fadu, um poodle. Que brigava com ela.
      Mas ela não comia quase nada.
      Levou ao veterinário que fez exames e deu esse resultado, o qual não lembro o nome.
      E, diariamnte começou a ir ao vete para tomar injeções para conseguir urinar. Ficava uma bola imensa sob o pelo da barriga dos produtos que aplicava.
      E ela não comia. Tinha que bater no liquidificador figado e outras coisas, botar na boca dela com seringa.
      Aí eu não aguentei. Ainda não estava na fazesp, onde trabalho hoje.
      Trabalhava na justiça federal.
      Tinha 40 estagiários sob meu comando.
      Falei com a pessoa que me trouxe para cá que precisava de uma semana. Ela, tb uma adoradora de cães, entendeu e me dispensou.
      Fui pra RC, levei-a para casa. Ela ficava deitada do meu lado, na cama. E me olhava com um olhar triste. Quase não andava mais.
      Eu a ganhei de presente de um grande amigo, quando me mudei pra minha casa, a qual havia construído. Nunca tinha tido fêmea. Só cachorros.
      E ele me disse – olha, o vendedor falou que femea cuida melhor da casa. Fiquei na dúvida. E ela, com 50 dias e sem nome. Não sabia o que fazer. Se trocava por um macho. Mas já viu, né? A paixão bateu. Ela ainda sem nome. E passava na globo aquela novela que tinha uma hermafrodita. Que chamava Bubba.
      Minha sobrinha, que se chama Tatiana Eduarda, sugeriu o nome.
      Eu completei com o nome dela. Ficou Buba Eduarda
      Assim, fui pra rio claro, ela ali, do meu lado, gemia. E indo para o vete carregada.
      Aí, o Cesar, meu amigo/irmão/compadre/eu padrinho da filha dele.
      Foi em casa e me disse – gustão, ela não pode ficar assim. Vc tb não. Eu só chorava.
      Aí fomos até o Junior, o veterinário. E ele já havia sugerido a eutanásia antes, pois disse que essa doença dos rins não tinha cura. Que ela iria definhar até morrer. Que o melhor seria aquilo.
      Falou q não sentiria dor, etc. etc. e eu lá, desesperado de chorar.
      Quis ficar na sala, abraçando-a e segurando-a. Ele disse não. Eu falei que se não fosse assim nao faria. Concordou.
      Ai, depois de já ter ´dormindo´´ peguei no colo, levei pra casa e falei para o cesar – me deixe sozinho.
      Fiquei um tempinho olhando-a, acabando-me de chorar. Cavei um buraco embaixo de uma árvore, chorando feito doido, enterrei. Tá lá. E vou parar por aqui pq ja estou chorando…
      Mas é assim – eu não posso mais ver filmes com cenas de animais sendo maltrados, ou que morrem, ou tudo. Só choro.
      E eu me sinto culpado.

      Obrigado pela visita, abraços e muito sorte para vc – que São Francisco a auxilie em sua decisão.
      Abraços.
      Augusto

      Augusto

      Curtir

      Comentário por augustomartini — abril 29, 2011 @ 2:11 | Resposta

  10. Oi Augusto, eu penso que o melhor a fazer é sacrificar o animal. Sabes o quanto somos cachorreiros por aqui, né? Eu já sacrifiquei meus dois boxers que tiveram cancer e sofreram muito. Os momentos finais deles foram muito dolorosos. Não tive outra escolha melhor. Lembro-me de ter, nos dois casos, assinado um termo de consentimento que me foi dado pela veterinária. Tenho essa questão bem resolvida para mim. Foi duro, mas não me senti culpado, ao contrário, senti-me aliviado, pois dei dignidade aos meus fiéis companheiros. Acho que foi o que pude entender como reciprocidade, amor incondicional. Mante-los vivos seria egoísmo meu.

    bjs, fer

    Curtir

    Comentário por Fernando Teixeira — maio 1, 2011 @ 19:26 | Resposta

  11. olha Augusto, passei por esta situação terrível dia 15 de jan/2011, com meu caozinho querido Bylli. Eu o adorava era um amor. Nunca mais vou esque-lo. O vet fez a cirurgia de retirada do baço numa tentat de salva-lo
    mas seu fígado est muito comprometido, muito volumoso,
    com ictericia, foi muito triste, choro até hoje.
    Sinto-me culpada, deveria deixa-lo ir naturalmente.

    .

    Curtir

    Comentário por almeidina — maio 5, 2011 @ 2:54 | Resposta

  12. http://veja.abril.com.br/blog/saude-chegada/

    By Renato Dutra / Chegada – Corra com seu Cão mas cuide dele. Este texto foi escrito com a colaboração da médica veterinária Vanessa Ferraz, que frequentemente recebe em seu consultório cães em estado debilitado de saúde e/ou lesionados.Vanessa me ajudou a observar o número crescente de pessoas que corre ou anda de bicicleta ao lado de seus cães de estimação. O que, numa primeira avaliação, parece um hábito saudável e elogiável, na verdade pode implicar em riscos graves para a saúde dos animais.Os cães não sabem o que é melhor para eles. Uns dão sinais de que não aguentam mais, se jogam no chão, deitam e se recusam a continuar. Uma boa parte deles, porém, é tão determinada, que não para até se machucar gravemente. A única coisa que eles querem é acompanhar o dono.Cachorros têm metabolismo mais alto do que o nosso (e consequentemente a temperatura deles é mais alta). Estão mais próximos do solo, que é mais quente, estão descalços, e não têm o preparo físico que imaginamos. Eles podem apresentar hipertermia (aumento excessivo da temperatura corpórea), que pode levar a desmaios, convulsões e até à morte.Quando você decidir levar seu animal para se exercitar, considere: o tamanho dele – cães pequenos precisam dar muitos mais passos do que você, portanto um esforço muito maior. Considere também a idade dele (a partir dos 7 ou 8 anos, os cães já são considerados “de meia-idade” ou até idosos dependendo de raça). Leve em conta também a forma física do animal. Se ele nunca saiu para correr antes, é bom treiná-lo aos poucos, como você fez, e ir aumentando tempo e distância gradativamente.Considere a temperatura do dia, e lembre-se de hidratá-lo sempre. Observe os sinais que ele dá: se tentar diminuir o ritmo ou parar, respeite-o. Não tente forçar um pouco mais, e principalmente use o bom-senso! Finalmente, para ciclistas, uma dica: apesar de o seu cachorro conseguir acompanhar sua velocidade na bike, ele estará fazendo um esforço muito maior do que o seu. Se por algum acaso, você perceber que seu animal não está bem, como por exemplo se jogar no chão e não levantar de maneira alguma, estar muito ofegante, muito quente, ou mesmo desmaiar ou ter uma convulsão, a primeira coisa a fazer é colocá-lo em local fresco. Se ele estiver consciente, ofereça água, mas não force. Jogue água sobre ele: primeiro nas patas, para ele esfriar aos poucos. Então procure um veterinário imediatamente, mesmo que ele demonstre sinais de melhora, pois alguns dos mecanismos explicados anteriormente, quando iniciados, podem matar o cachorro horas, dias ou mesmo semanas depois. Existem veterinários especializados em ortopedia que podem avaliar seu animal, e até orientá-lo sobre um treinamento mais saudável. Cuide do seu cão e ele será seu companheiro de corrida (ou ciclismo) por muito tempo. Ótimos treinos para vocês dois!

    Curtir

    Comentário por Emília — maio 5, 2011 @ 13:58 | Resposta

  13. Amigos estou prestes a tomar essa terrível decisão. Minha gata de 11 anos que ganhei de presente, esta com PKD (doença renal policística). Faz quase um mês que esta em tratamento,porém,o estágio da doença dela segundo os exames é avançado e os dois rins estão parando e tomados por cistos. Um dos médicos chegou a dizer que quase não se via mais tecido renal nos dois rins,apenas cistos de vários tamanhos,semelhante a cachos de uva.
    Todos os dias levo pra tomar soro, e injeções de antibióticos pq ela também esta com cistite.
    Após um final de semana terrível, tendo de leva-la pra tomar o soro na veia porque a taxa de creatinina esta alta, hoje segunda, vou leva-la a noite novamente,mas ja me preparando pra falar abertamente com a vet da minha decisão. Cheguei no meu limite. Ver ela sofrer e definhar a cada dia esta me fazendo adoecer junto.
    Os animais merecem nossa dignidade. Ver sofrer não é dignidade. Pelo menos penso assim,pra mim já deu e pelo que vejo tds os dias,pra ela tb.
    Que Deus possa abençoar cada um de vcs que tomem a melhor decisão pra vcs e pros seus animais doentes. Nunca fui a favor da eutanásia,porém, em casos que não há mais o que se fazer e o prolongamento da vida se torna algo que tira a qualidade de vida do animal,é a melhor decisão.
    Respeito que não concorda.Mas qnd se passa na pele de ter um animal em sofrimento, a gente passa a compreender que certas coisas são inádiaveis e nosso egoísmo cai por terra.
    Nenhum animal merece sofrer,nenhum.

    Curtir

    Comentário por Luciana — maio 9, 2011 @ 14:52 | Resposta

  14. Difícl ler isto.. fui veterinária durante 13 anos.. tive uma weimaraner que foi a coisa mais importante da minha vida.. sem exagero.. ano passado, quase na véspera do Natal, tive que tomar a decisão.. não dava pra vê-la sofrendo, o quadro se arrastava há 21 dias sem resposta,depois de uma noite de terror (dor,diga-se) eu decidi com o coração na mão que era a hora..eu juro que eu vo nos olhos dela ” mãe. quero ir “.. tudo bem que depois que vc enterra o cachorro, vc quer morrer, dói, vc se questiona se fez certo..mas hoje tenho certeza de que foi o melhor.. algumas dores só são comprtilhadas com quem pode compreender..

    Curtir

    Comentário por marcella — maio 11, 2011 @ 13:59 | Resposta

  15. Olá pessoal tenho três pessoas lá em casa A bela com 6 aninhos ela é uma SRD, a Meg com 3 aninhos uma Shitzu ( chegou em casa faz 8 meses e só nos dá alegria) e o Sheep, como o nome sugere um Sheepdog, de 11 anos que já teve seus muitos anos de glória e comtemplação, ele sempre foi lindo, garboso, cheiroso, fofo, o meu melhor amigo…hoje por cnta da idade avançada desenvolveu alguns problemas, a DCF que está com ele há 6 anos, desde novembro de 2010 ele começou a apresentar problemas de locomoção, teve que fazer dieta para perder peso perdeu 10 kilos…mas de 65 dias pra cah convivemos com um Sheep que parou de andar…muito triste, foram feitos muitos exames até chegarmos a conclusão de um insulinoma, um tumorzinho safado que produz insduilina em excesso,, roubando toda a glicose disponível no organismo e levando meu filhote a hipoglicêmia, ele realmente está com problemas tem que se alimentar de três em três horas, foi um choque pensar e agora como vai ser quem vai alimentá lo, consegui um esquema de day care para que ele pudesse ser alimentado e pudesse tbm tomar um solzinho durante o dia, mas por duas semanas o coitado ficou engaiolado numa baia,e sondado para n se sujar, isso eu pagando R$ 50,00 uma diária, fiquei sabendo disso por perspicácia, só n soube antes pois ainda estava em, choque, e infelizmente pessoas se aproveitam deste estado para tirarem proveito, tirei ele de lá dessa clínica, movi muitas pessoas para me ajudar a alimentá lo neste período, porém tem algo que não posso exigir de ninguém.. amor e carinho e eu trabalho o dia todo, claro que fico grudada nele na hora que eu chego e encho ele de mimos mas o tempo ´we pouco e ele sente muita falta, pq na vdd, com a velhice vem a carência, e dessa passa a manifestação maior da doença..tenho certeza disso, pq eles sentem muito a nossa falta.. conclusão de uma semana pra cah ele não está defecando com a mesma facilidade e sofre para isso da uma choradinha discreta que arrebenta o coração… acompanho cada centímetro do que acontece com ele, ligo pros meus amigos nos períodos que ele tem que ser alimentado, peço inclusive para fazerem carinho…..daria tudo para ve lo saudável novamente, já gastei o que não tinha, estou pendurada em dívidas, mas queria muito vê lo bm nopvamente, os veterinários que cuidaram dele até então, disseram que neste período que parou de andar perdeu o tonus muscular, por isso não consegue levantar, outro veterinário disse que n há relação, entre o insulinoma( a hipoglicemia) e ele parar de andar…se alguém puder me ajudar nesta empreitada agradeço…do fundo do coração….

    Curtir

    Comentário por simone_castellani@hotmail.com — maio 26, 2011 @ 21:08 | Resposta

    • Obrigada augusto pelas palavras de apoio e carinho … de vdd mesmo…!!

      Curtir

      Comentário por simone_castellani@hotmail.com — maio 27, 2011 @ 11:56 | Resposta

    • Oi Simone – boa noite!

      O que posso falar para vc, minha amiga, depois de ler esse relato emocionante e cheio de amor pelos seus queridos – muita força, fé e carinho. Será compensada por tudo isso mais adiante, tenho essa certeza.
      Se pudesse auxiliá-la nos cuidados, o faria. Mas tenho a vida muito corrida também. Tenho fé que alguém leia o seu depoimento e que a mão de São Francisco a toque e possa te auxiliar.
      Um abraço.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por augusto martini — maio 27, 2011 @ 12:55 | Resposta

    • Quero contar que após este post .. na sexta feira ás 10:40h da manhã..recebi a notícia que me Sheep foi morar com o papai do céu … agradeço a Deus pela oprtunidade que me deu me isentando de culpa…pois faço idéia como seria se fosse diferente,…mas mesmo assim a sdd é gerande e o coração pequeno e aperta muito… mas Deus sabe de todas as coisas quero agradecer em especial ao Augusto pelo carinho e desejar a todos força e luz para que consigam passar pela árdua batalha que travamos diariamente pela vida !!!

      Curtir

      Comentário por simone_castellani@hotmail.com — maio 30, 2011 @ 16:59 | Resposta

  16. oi estou em dúvida se peço para a veterinária abreviar a vida da Mitz,ela é uma gata de 17 anos e está com um tumor na boca, tem dificuldade para comer e mia muito gostaria de saber o que faço pois eu tenho muitas dúvidas me responda logo, pois tenho que dar uma desisão logo obrogada Eliane

    Curtir

    Comentário por Eliane — maio 29, 2011 @ 12:31 | Resposta

    • Parabens minha querida,voce comfirmou o que penso.minha beagle esta com 10 aninhos,e cardiopata,estamos tentando de tudo para salva la.apesar dos vet.estarem desanimados,comfio no milagre e na forca que ela tem,pois ja passou por um cancer de mama a 4anos atras.reze pela minha lessie e por nos que estamos muito tristes.deus te abencoe.obrigada pela sua fe.deborah

      Curtir

      Comentário por Deborah Ferreira — outubro 27, 2012 @ 18:51 | Resposta

      • Boa tarde Deborah.
        Agradeço sua visita e participação na discussão.
        Abrs;

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — outubro 28, 2012 @ 12:40

  17. Quem somos nós para determinar se um animal deve morrer ou não?
    O que falta no homem é a fé e submissão a vontade de Deus!
    Não falo da fé esperando milagres, mas sim da fé de acreditar que nada é por acaso.
    A morte de maior honra e glória é aquela em que se luta até o fim para sobreviver.
    A vida, desde o ser mais simples a o mais complexo, é por si só um grande milagre. Basta observar bem!
    Nós ainda somos muito pequenos para querer mudar algo na grande obra viva de Deus.

    Curtir

    Comentário por Zeiz — junho 11, 2011 @ 18:10 | Resposta

    • Perfeito,Zeiz.Apesar de ser agora uma pessoa q não crê em mais nada acho que nunca acreditei em nada q a ciência não explique no fundo.Mas amor,é excessão.E eu assumo meu ateísmo,vc disse tudo.Nada somos e a força criadora,além de nossa compreensão,é que determina a vida,nascimento,doença,e morte.Nenhum ser humano tem o direito,tanto q matar ,ainda que um assassino,sem causa,é crime.O mesmo se aplica,a esses seres maravilhosos e especiais…Peço desculpas,e não desejo respostas que incitem discórdias,fiquemos cada qual c sua opinião.Encerro a minha ao comentário do colega,e se alguém é contra,ignore o meu e respeite minha dor…Ateus tbm amam,e temos mais moral e consideração do que mtos pseudo religiosos…Favor,não acc comentários da oposição…Grata

      Curtir

      Comentário por Alma Triste — outubro 28, 2013 @ 2:43 | Resposta

  18. Antes de ler essa materia tinha certeza de que deveria optar pela eutanasia em minha cachorra que esta com 10 anos e cancer de pulmão, agora ja acho que não tenho mais esse direito..tenho sim o direito e dever de proporcionar e brigar pela vida dela ate o ultimo segundo ..

    Curtir

    Comentário por juliana — junho 13, 2011 @ 17:08 | Resposta

  19. Augusto, li sua estória que muito me emocionou.
    Se possível, por favor, faça contato comigo, pq estou sofrendo demais, pois, meu filho (gato) de 8 anos morreu ontem depois de muita luta de nossa parte,
    Estou inconsolável.
    Acho que foi feito eutanasia meio que me enganando…

    Curtir

    Comentário por Fátima — junho 26, 2011 @ 19:37 | Resposta

  20. Olá…É com muita dor no coração e lágrimas nos olhos que conto aqui a história do meu Rex,vim do Paraná para Santa Catarina com 3 aninhos construimos nossa casa de madeira em SC e uma cachorra da família deu cria embaixo da minha casa.
    Nasceu 6 filhotes vira-latas e me apaixonei por um.Ficamos com ele demos o nome de Rex, vivemos muitas coisas boas,brincadeiras que não acabavam mais pois ele era muito espoleta.fui crescendo e quando eu tinha 17 anos comecei a namorar….enfim deixei ele meio de lado, sentia que fazia falta para ele então dava umas voltas com ele ás vezes, fazia carinho na cabeçinha dele, mas ele já não era mais o mesmo.Começou com sintomas de velhice andava com dificuldade,latia com dificuldade ..Enfim sexta feia dia 15/07/11 ele se deitou e não levantou mais ,passou sábado e domingo lá..sem comer,temos que dar ração com leite na boca dele,hj estou muito triste,mas pensando em dar a tal injeção para aliviar o msofrimento dele e angústia nossa .ele tem 16 anos, desde que me conheço por gente temos o Rex.. e agora??.. se ele se for?? o que eu faço da vida??/

    Curtir

    Comentário por Juliete — julho 18, 2011 @ 13:59 | Resposta

  21. Bem sou eu de novo..juliete..
    ontem meu pai levou o Rex ao veterinário e ele disse que um rim do Rex havia parado e pela falta de energia dele se fizessem uma operação ele não voltaria da anestesia…então deram a injeção de eutanásia… quando vi ele deitado como se estivesse dormindo fiquei com um sentimento de paz,pois ele não estava mais sofrendo,enfim.. ficou apenas o sentimento de saudade,mas a agonia de ver ele sofrendo passou.
    Pense bem antes de deixar seu melhor amigo sofrendo, pois ele merece mais do que ninguém.. descansar.

    Curtir

    Comentário por Juliete — julho 19, 2011 @ 14:44 | Resposta

    • Oi Julieti.

      Tb penso como vc e foi a decisao que tomei com minha cachorra. A gente sofre, mas eles param de sofrer.

      Abrs. Augusto

      Curtir

      Comentário por augustomartini — julho 20, 2011 @ 1:11 | Resposta

  22. Vou contar uma historia..eu tenho um cachorro que se chama Boomer, ele esta com 18 anos de idade..foi uma vida inteira conosco, proporcionando alegrias e companherismo, no sabado (23/07/11) precisei interna-lo pois ele estava gemendo de dor…ultimamente sou eu quem dou comida e agua na boca dele, ele anda muito pouco, mais cai do que anda, mas nunca deixamos de dar atenção e carinho ao nosso velho, enfim, o veterinario realizou exames e deixamos o Boomer internado, quando foi no domingo (24/07/2011) fui vê-lo, meu caozinho dá dó de ver….eu o peguei no colo, abracei, beijei e disse que não iria permitir que ele sofresse, fui falar com o veterinario depois para saber dos exames, chorei ao saber que meu caozinho esta com deficiência renal, e me aconselhou a dar descanso para ele, no dia não dei resposta, pois não depende so de mim, somos uma familia e todos tem que estar presente para que ele se sinta protegido, hoje (25/07/2011)retornaremos ao veterinario para então dar descanso ao Boomer, mas vou falar uma coisa, meu coração está com uma dor imensa, e eu choro o tempo todo só de lembrar que terei que fazer isso, mas sei tambem, que até meu caozinho já esta cansado, dá para ver nos olhinhos dele, só peço a Deus que me dê muita força para enfrentar isso e peço tambem que quando eu morrer que eu possa encontrar meu caozinho para abraça-lo novamente, nao só ele, mas todos os cachorros que eu ja tive em minha vida.

    Curtir

    Comentário por Darlei Rigue — julho 25, 2011 @ 18:25 | Resposta

  23. Oi…Augusto,sua história é emocionante…bom eu sou apaixonada por cães,ganhei de presente dois bassets,de meu namorado em Dez 2007,na realidade eu nem queria me apegar mais com esses bichinhos que acabam se tornando pessoas em nossas vidas!Mas ao ver a carinha deles…não tive coragem e fiquei com os dois,mesmo vacinados eles tiveram a terrível CINOMOSE,doença maldita!A cadela ficou apenas com um tic,que a cada dia ela consegue dar mais sinais que conseguiu vencer,mas já o cão ele como sua Buba adorava passear de carro,até apresentar seu primeiro ataque de epilepsia,daí por diante ele piorava cada dia mais,mesmo tomando gardenal,suas crises eram constantes,ficava agressivo,a ponto de querer morder até a gente(donos),eu sempre achei que um dia ele pudesse melhorar,isso ocorreu em Jul 2010,e desde esse tempo ele veio perdendo peso,não conseguiu mais comer sozinho e nem tomar água,sempre se machucava e tinha mania de fazer suas necessidades em qualquer lugar,não tinha uma vida saudável e vivia sempre em uma aréa grande e mesmo assim ele procurava um lugar para ficar com a cabeça enfiada,sem conseguir sair dali!Eu quem dava ração e água,limpava sua fezes e urinas e sempre procurava ver se ele estava progredindo,já que sua crises já não se manifestavam mais!Até que agora em Jul 2011 eu pude ver que não tinha sinais de melhora,ao longo desse tempo todos me diziam que ele sofria,mais eu parecia não querer enxergar,começei a ver nele machucados por ficar mais deitado,já que não tinha muita força para caminhar,correr e brincar!Chorei muito,até que me informei que sua doença era sinais de que era sequela da cinomose e fosse neurológica,então via eu seu olhar aquela triteza,um olhar vazio,sem alegria,pois já não reconhecia seu nome e mesmo que chamasse,ele não entendia…e assim tendo lutado um ano,tentando sua melhora ontem tive a dura decisão de sacrificá-lo,eu fiquei atordoada(ainda estou mesmo sabendo que tudo foi para melhor),eu sei que deveria ter ficado ao lado dele com o veterinário,mas não consegui,não tive forças,disse que o amava e que me perdoasse por etre ato de amor,eu não aguentava mais vê-lo sofrer e com isso neu sofrimento também era enorme!Estou bastante triste,mas o que me conforta é saber que ele não teve dor em sua morte com a eutanásia,que seu sofrimento de qualquer modo,foi poupado!E que enfim ele pode descansar em paz!Eu jamais vou esquece-lo e ao ler sua história me confortou pois sei a dor que a gente sente em ter que tomar uma decisão dessas!

    Curtir

    Comentário por Adrieine Daiéle Favile — julho 31, 2011 @ 12:10 | Resposta

  24. Olá Augusto
    Estava procurando informações sobre se os animais vão para o céu …se sofrem com a injeção de eutanásia…e encontrei você!…Devorei tudo que li e então me acalmei em relação a eutanásia.No dia 12 de julho,tive que tomar essa decisão junto ao meu marido,meus pais,irmãos …enfim ,com todos que amo e que amaram e “amam” o Toy(meu poodle que faria 17 anos em 6 de setembro).Ele tinha muitos problemas de saúde… resumindo…já com dois anos de idade,teve que operar pois teve necrose acéptica da cabeça do fêmur…tinha bico de papagaio(que causava crises de “Pinçamento”)cardíaco a 4 anos,nos últimos 2 anos ficou surdo e a um ano e meio foi diagnosticado com dois tipos de câncer-de próstata e o pior-de fígado…ali começou minha verdadeira angústia(pois quando fizeram o ultrasom e contaram que ele não aguentaria operar por ser cardíaco…comecei a chorar…disseram que poderia durar uma semana,um mês…mêses…enfim …sem solução…dei todos os medicamentos e contava que a farmácia dele em casa era maior que a minha e do meu marido.Já passeava com ele 3 vezes por dia e passei a levá-lo mais que isso(pois ele amava passear…ah e de carro também(como sua Buba),mas só que o Toy ia na janela do carro”igual ao filme -História sem fim!…ele me seguia para tudo que era lado…no final eu o carregava,pois ele não conseguia andar como antes…ficou cego nos últimos 4 meses e começou rodar sem parar,batia a cabeça em todo lugar e como não achava a comida e a água,tinha que bater tudo no liquidificador e dar na seringa,assim como a água.No final ele foi piorando,não comia mais como antes e quando comia tremia muito…perdeu 70% dos pelos,principalmente das pernas …foi ficando muito debilitado por tanto tempo tomando cortisona…
    Teve duas crises que achei que ele fosse morrer…e quase morro junto(sem exagero)…rezava pra que fosse dormindo( como o cachorro Pedrinho),mas não foi…mesmo aumentando a dose dos remédios para dor,não adiantava mais…No dia 11/06,pedi pro meu marido ligar e falar com a veterinária pois eu estava tão abalada que minha garganta fechava e eu ficava afônica…”Ela disse que já tinha passado da hora …e que ela só estava esperando que eu tomasse a decisão pois sabia como eu era”…e foi isso(O pior dia da minha vida!),dia 12…Minha veterinária não queria me deixar ver sacrificá-lo pois tinha medo por mim…Fui como você e não aceitei…sofri ,mas fiquei ao lado dele (uma mão em seu coração e a outra em seu rosto junto ao meu rosto)…o resto não tem palavras…
    Depois minha preocupação foi…Vou encontrá-lo no céu?Sou católica e meu irmão(Que é padre e também perdeu uma gatinha que amava muito),disse que com certeza nós encontraremos todos os seres que amamos quando morrermos…afinal se existe amor e amar é a melhor lição que aprendemos…como é que Deus (O Pai nosso…que ensinou a oração que diz…”SEJA FEITA A VOSSA VONTADE ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU”)…não deixaria que ficássemos juntos de novo?…Que graça teria um CÉU sem amor?E já que a vontade dele é feita aqui na terra e no céu…Então acredito que todos nós que amamos ,sem distinção(pessoas,animais)…teremos amor de volta…juntos na vida eterna…AMÉM!!!!…
    Que bom saber que muitas pessoas amam de verdade!!!!…Sintam-se abraçados!!! Vocês merecem o céu!…assim como todas as boas criaturas de Deus!!!

    Curtir

    Comentário por Gisela — agosto 8, 2011 @ 1:03 | Resposta

    • Bom dia Gisela!

      Como eu disse no texto, todo ser vivo tem seu tempo, seu tempo de nascer e tempo para morrer. Não se conhecem as leis que regem a infinidade de circunstâncias que levam ao nascimento de um novo ser, uma única, inédita, irrepetível, e a multiplicidade de circunstâncias que determinam o fim de que a vida é única e sem precedentes.
      Sim, também sou católico não muito praticante, mas acredito que há um Paraíso para onde vão os animais de estimação quando morrem e lá eles ficam esperando por seu dono. Então eis que chega o dia em que o dono também vai para o Paraíso e só uma ponte os separam e é nessa ponte que se encontram e caminham juntos pela Eternidade.
      Envio nesse momento minha solidariedade e muito amor. Mas sei que o amor cura muitas coisas, mas não a dor física… e sei também que o vazio que você sente é doído… Poucas pessoas no mundo me fizeram chorar da forma como chorei pela Buba. Mas quero dizer que se precisar de algo, estou por aqui. É só chamar.
      Um abraço.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por augustomartini — agosto 8, 2011 @ 11:16 | Resposta

      • Olá Augusto!
        Muito obrigada pelo espaço …só de escrever sobre o assunto(ajuda bastante)…encontrar almas parecidas com quem compartilhar a dor da perda(momentânea)…mas que infelizmente, faz pensar na teoria da relatividade ,sobre o que é tempo e como realmente aproveitá-lo!Sei que você já está sem a presença física da Buba a mais tempo,o meu faz menos de um mês e preciso tomar remédio para dormir(nos últimos meses,acordava em base 4 ou 5 vezes durante a noite para levá-lo fazer xixi,dar água…muitas delas,infelizmente não dava tempo e ele fazia na caminha mesmo e quando acordava com o cheiro,(pois ele dormia na caminha ao lado da minha cama),tinha de trocar tudo…enfim meu corpo e o pior, minha mente ,acostumou ficar “alerta”…e por não dormir,sem querer, me pego pensando e chorando…Meu irmão (o padre),que perdeu a gatinha dele,disse que pra ele levou um 3 meses para parar de chorar e ficou então somente o “gosto amargo/doce da saudade”…e pra você,como foi?parou de doer tanto?…tenho medo e busco acalmar meu coração(mas chegar em casa e não vê-lo está tão difícil…é tão…sem palavras!)…
        Mas ,MUITO OBRIGADA pelas lindas palavras,ADOREI a visão de céu que você descreveu,gostei da ponte unindo-nos com eles)…acho que quem acredita(tem fé) ,verá a ponte e correrá e atravessará!LIIIINDO!!!!AMEI (Posso adotá-la também?)
        MUITO OBRIGADA também pela prontidão(Você é uma pessoa singular!) Que DEUS o abençoe e dê sempre forças para continuar esse lindo trabalho!!!!
        Um grande abraço…com muito carinho…
        Gi.

        Curtir

        Comentário por Gisela — agosto 8, 2011 @ 16:15

      • Olá Gi.

        Também tive um período bem doído, cerca de 3 mêses, como seu irmão. A minha avó, que era italiana e já falecida, dizia sempre que quando um animal próximo da gente morre, fica por perto uns três mêses, nos ajudando a superar. Acredito nisso. Tanto que depois de 3 mêses da morte da Buba eu senti a presença dela ao meu lado, chorei mais um monte e fiquei mais aliviado. Mas sim, ainda choro quando lembro dela, quando assisto filmes com cães, quando vejo animais sendo maltratados na rua. Mas acredite – vai passar.

        Um abraço.

        Augusto

        Curtir

        Comentário por augustomartini — agosto 8, 2011 @ 16:30

  25. Eu ainda estou tomando esta decisao, mas esta muito dificil, agora a tarde meu precioso cao vai ser sacrificado, ele e fofooo, amigo, tudo de bom, mas esta com a peste negra e nao tem mais tratamento, ja levei em 20 veterinarios diferentes, inclusive no exterior mas nada funcionou, esta cheio de feridas . cego, sem pelos e chora dia e noite, que decisao terrivel, estou desesperada mas vou seguir o conselho dos veterinarios e sacrificar ele, nossaaaaaa e doido de+

    Curtir

    Comentário por caio — agosto 15, 2011 @ 15:35 | Resposta

    • Boa tarde.

      Que Deus lhe dê serenidade e paz, é o que desejo.
      Abraços e força.

      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto — agosto 15, 2011 @ 15:54 | Resposta

  26. [...] dos posts que mais gerou comentários por aqui foi o Reflexões sobre a eutanásia… praticada em animais onde conto a difícil decisão que tive que tomar ao sacrificar a Bubba, minha [...]

    Curtir

    Pingback por Reflexões sobre a eutanásia… praticada em animais – parte 2 « A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini — agosto 18, 2011 @ 20:40 | Resposta

  27. Que horror eu NÃO aprovo essa pratica, e eu nunca que ia deixar um cão morrer com essa pretica…Amenos que não acha opção. NÃO ACEITO, NÃO APROVO!

    Curtir

    Comentário por Sofia — agosto 22, 2011 @ 22:54 | Resposta

  28. perdi o meu menino dia 18 de agosto,2011. estava comigo desde outubro de 1995, eu tinha 8 anos, hoje eu tenho 24, o meu menino morreu nos meus braços (com 16 aninhos), nao fui capaz de o abandonar nos ultimos minutos. desde os 10 aninhos ele apresentou episódios como deixar de andar devido a artrose, ele sobreviveu devido ao nosso amor por ele pois faziamos de tudo para lhe dar qualidade de vida, embora o veterinário disse se que ele estava muito mal e podia morrer, pois ele ficou paralizado e so mexia a cabeça. para ele sobreviver teve k perder peso, pois foi uma das causas para o sucedido.com 14 anos ele ficou surdo, e cada mes que passava agradecia por ele estar comigo, mas infelizmente no ano passado em julho deparamo-nos com a situaçao de ter cegado. eu nao quis acreditar que o meu menino estava a ficar velhinho, eu nem sequer queria que alguem fala se que ele nao ia aguentar muito mais, pois ja havia fazes que ele nao comia. no ano passado em agosto (quando cegou) eu so lhe disse aguenta-te meu amor, em casa os meus pais choravam por ver aquele cao cheio de vida e do nada nao sabia onde estava. qd regressei de ferias, os meus pais queriam leva lo ao veterinario para fazer a eutanasia, eu recusei. dei lhe qualidade de vida e muito amor, de hora a hora estava a pegar nele a leva lo ao patio para fazer as suas necessidades, e habituei o a regressar sozinho, custou os primeiros meses, mas depois ele ja ia beber e comer sozinho, so as necessidades se nao o puséssemos no patio ele fazia na caminha (so precisávamos de estar atentos). ainda este ano por volta de junho ele deu me uma alegria muito grande conseguiu ir ate ao meu quarto por quatro vezes pedir festas e agua. estava longe do meu pensamento o que viria em agosto, um ano apos eu dizer lhe “aguenta-te”, quando fui de ferias disse-lhe o mesmo, ao telefone com os meus pais perguntava sempre como esta o BINGO (nome do meu anjinho) no qual a minha mae me dizia que estava a piorar nao comia e so vomitava (algo que ele ja vinha a fazer mas que passado dois dias comia bem), eu pensei que fosse mais uma fase, no dia que estava de regresso dia 17 de agosto, recebo uma chamada do meu irmao a dizer que o meu pai queria leva lo a abater, porque ele tinha acamado de vez que so gania e estavam a espera que eu regressa se para tomar uma decisao, pois ele estava a sofrer, qd regressei as 22:30 deparei me com um cenario de cortar a resperiçao, posso dizer que quase nao dormi porque queria estar o mais tempo com ele, pois os meus pais nao tinham coragem de leva lo a abater e o meu irmao tambem nao, a minha cunhada ir faze-lo no dia seguinte, eu nao consegui nao ir, tive que estar presente, nao iria ficar bem a saber que ele ia estar sozinho,no veterinario nao havia muito a fazer pois o meu pequenino ja nao tinha estimulos, nem mesmo as festas que ele tanto adorava, foi a maior tristeza. foi lhe aplicada a eutanasia, ele morreu nos meus braços. estou a escrever porque nao aguento esta dor, sei que lhe fiz bem pois acabei com agonia dele, qd lhe estavam aplicar a injecçao so pedia desculpa. tenho comigo as cinzas dele, pois nao quis que fosse cremado com os outros “anjinhos”, quis lhe dar alguma honra e dignidade, foi o minimo que podia ter feito por ele, pois o que ele me fez comigo nunca hei de conseguir recompensar…

    nunca fui apologista da eutanasia sempre recusei, mas infelizmente tenho a noçao que foi o melhor para ele, so que morrer a sofrer…

    desculpem o testamento, mas acho que ao transmitir aliviou me um pouco a dor… obrigado

    Curtir

    Comentário por sandra lima — setembro 7, 2011 @ 21:39 | Resposta

  29. Olá…
    Encontro-me nesse momento envolvida por um sentimento de dor incalculável aguardando a chegada da veterinária à clínica para fazer o procedimento da eutanásia na minha Pitucha “salsicha” de 11 anos. Depois de esclarecer e entender a realidade da pet, tive que fazer essa opção por amor a ela. Foi diagnosticada a leishmaniose e ela já sofre com alguns sintomas e pelo fato de estar idosa foi recomendado para que ela não sofra mais. É uma dor sem explicação. Vou levá-la e estar ao lado dela para retribuir todo o amor que recebi durante esses anos, vi ela nascer, ajudei a alimentá-la de madrugada por não conseguir amamentar-se… Foi uma companheira e tanto… E fica pra trás a Nina, yorkshire de 2 anos que tb sentirá muita falta da amiga e grande companheira, serão dias dolorosos pra nós duas, mas fica a gratidão, pois nesses 11 anos foi tratada com todo carinho e respeito por todos, e é por esse amor que optamos para que ela “descanse em paz”, sem sofrimento ou dor.
    Vá em Paz minha lindona, você nos fez muito feliz!!!

    Curtir

    Comentário por Patrícia — setembro 27, 2011 @ 10:36 | Resposta

  30. Oi, estou passando por esta situação, minha cadela Bolinha, com 16 anos, está com cancer e muito velhinha, além de uma ferida debaixo do braço que não cicatriza, está surda e esta semana parece que não está enxergando mto bem… :(
    Esta semana ela não quer comer, fica o tempo todo deitada, e quando se levanta não consegue ficar de pé, está muito fraca. Tento dar algum alimento, mas ela nem ter forças para comer…só está bebendo água, mas tenhoq ue colocar debaixo de sua boca.
    Estou muito triste, tenho 21 anos, passei minha vida inteira ao lado dela…
    Já conversei com a veterinária…. e a única opção é a eutanásia, pois não há mais cura, está bem debilitada, mas me doi mto pensar em fazer isso com ela…
    Estou muito triste, penso em chamar a veterinária amanhã para fazer isso… nao aguento mais ve-la sofrer….

    Curtir

    Comentário por Thiago — setembro 30, 2011 @ 21:31 | Resposta

    • boa noite Thiago.

      Esta não é uma situação nada fácil. Mas no momento terá forças, se for a melhor decisão a tomar.
      Abraços.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — setembro 30, 2011 @ 22:24 | Resposta

  31. Oi Augusto, li seu texto muito emocionada, na verdade estou passando por uma situação da qual eu me sinto totalmente perdida, penso como vc, já tive uma cachorra que tivemos que sacrificar e lembro até hoje dos olhos tristes dela, que já não andava mais quando ficou no Centro de Zoonoses. Mas Hoje tenho um cachorro que tem sarna demodécia, na verdade eu o encontrei na rua ela ja era adulto e estava doente, está comigo a 3 anos e a 3 anos lutamos com a doença dele. É uma doença cronica, e sempre que baixa a resistencia dele ela volta, dessa ultima vez está pior, ele ja criou resistencia aos antibióticos, e a praticamente 15 dias ele esta sofrendo muito com muitas feridas pelo corpo, estamos fazendo o possível e o impossível pra que ele fique bem, mas desta vez está muito dificil. Pedi a resposta que Deus me deu para minha dúvida. Se de Alguma maneira ele pra Deus que me desse uma luz sobre o que fazer, se seria menos egoísta se eu sacrificasse meu cachorro que amo tanto, coloquei no Google e encontrei seu texto na primeira página, acho que foi a resposta que eu pedi se de alguma forma ele apareceu na minha vida, me deu inumeras alegrias não é justo que eu desista dele, pois ele jamais desistiria de mim!! Lutaremos juntos até o final!!

    Curtir

    Comentário por Vanessa — outubro 3, 2011 @ 15:08 | Resposta

  32. Oii eu estou tão confusa, meu cachorrinho tem um problema de ernia na coluna,ele sempre sofreu crises de dor na coluna e ano passado depois de uma crise perdeu os movimentos da metade do corpo para tras,e teve que operar em emergencia, pois se nao poderia perder todos os movimentos,entao a cirugia nao foi pra tirar a ernia e ele voltar a ter os movimentos, foi para nao piorar a situação, entao depois da cirugia ele melhorou, ele fez bastante fisioterapia e quando estava bem curado veio outra crise, uma crise pior no qual ele critava de dor,era um ernia na servical e entao operou de novo, e agora tudo q eu sei é q toda a coluna dele esta cheia de ernia e q elas podem se manifestar,e agora ele ta tendo um crise de novo e meu coraçao ja nao aguenta mais e eu nao tenho mais da onde tirar dinheiro para outra cirugia e internaçao, e me doi mto pensar em eutanasia,quando eu olho pra ele parece que ele sabe e me pede pra nao fazer isso =(

    Curtir

    Comentário por Tamara — outubro 28, 2011 @ 10:02 | Resposta

    • Oi Tamara.

      Realmente é complicado decidir por certas coisas. Pense bem, peça orientação ao seu veterinário e decida pelo que achar melhor.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — outubro 28, 2011 @ 11:24 | Resposta

  33. oi Augusto, fikei mto emocionada com seu texto..hj estou fuçando na internet em procura de conforto e achei seu site….Temos 2 cachorrinhos de rua que pegamos a mais ou menos 15 anos…tudo sempre foi lindo..e eles cheios de saúde..mas infelizmente fazem 5 meses que meu pai faleceu de cancêr..e eles sentiram mto..a Pretinha, depois do falecimento dele, começou a desenvolver um grave problema renal..lutamos até o ultimo segundo…eu gastei o que tinha e o que não tinha para dar uma condição melhor de vida para ela…mas com o tempo, ela foi virando pele e osso, não comia, não bebia, só vomitava, é como se ela tivesse desistido de viver e quisesse ir ao encontro do meu pai, já que eles eram mto ligados.Eu não queria partir para a eutanásia, mas hj vejo que foi a melhor opção e vejo que fiz isso somente por amor ! Os animais não podem falar, mas acho que se a Pretinha pudesse, ela teria feito essa escolha.Estou mto triste, todos em casa só choram a ausência dela..mas infelizmente qdo uma pessoa se dedica a ter um animal, ela tem que se preparar para tudo, afinal eles são como nós humanos, cheio de problemas e doenças e não tem uma vida tão longa!Obrigaada pelo espaço…um grande abraço

    Curtir

    Comentário por Márcia — novembro 5, 2011 @ 18:04 | Resposta

    • Bom dia Marcia.
      Desejo força e fé para vc e sua família nesse momento difícil.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — novembro 7, 2011 @ 8:58 | Resposta

    • oi Márcia! Que Deus esteja contigo e a Paz de Jesus Cristo tambem. Sei bem a dor que esta sentindo.
      Ha 46 dias Deus levou pra sua morada, meu IRMÃO, amigo e tambem era meu Patrão, Hoje especialmente a saudade dele está muito forte, ele tinha um coração enorme e amava os animais. Tambem como a Pretinha depois da morte dele a sua cachorrinha Meg, uma cofapinha (daushound) adoeceu, mas gragas a Deus, minha cunhada correu com ela pro veterinário e hoje ela esta bem. Eu amo os animais, todos e tenho quatro cachorros, machos e femeas, que são como filhos pra mim…
      Há tres anos atras, dei uma filhotinha dos meus, para uma tia que amo muito. Dia 01/01/12, ela me ligou dizendo que a KIKA estava doente. Imediatamente fui ve-la e realmente ela estava muito mal.
      Já fazia uns 4 dias que não se alimentava e como a gengiva estava muito branca, desconfiei que se tratava de erliquiose (doença do carrapato). No outro dia pedi ao meu cunhado que fosse ve-la e como ela não reagia, levamos a uma veterinária. Minha tia não quis que a internasse, pois disse que não teria como arcar com as despesas. Mas não liguei pra isso e a internei por minha conta. Não tenho ainda como bancar esta dívida, mas sei que Deus proverá. Só que agora, minha tia não a quer mais porque achou que não teria como me pagar pelo tratamento. Eu não quero que ela pague, o que eu gostaria é que ela cuidasse da Kika dando-lhe neste momento, que talvez sejam os ultimos, muito carinho.Mas ela não quer ve-la e isso me faz sosfrer. A veterinária acha que ela tem uma doença muito grave, tipo um cancer, porque ela não reage ao tratamento feito ha cinco dias. E se eu tivesse como traze-la pra minha casa, eu cuidaria dela até que ela tivesse vida. Mas não posso e tenho dúvidas se faço a injeção que aabreviaria seu sofrimento. Acho que hoje vou conhecer um milagre…Fica com Deus

      Curtir

      Comentário por Elizabete — janeiro 7, 2012 @ 0:38 | Resposta

      • Boa tarde Elizabete.

        Muita força e fé para vc nesse momento.
        Abrs.
        Augusto

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — janeiro 7, 2012 @ 14:20

      • Hoje posso afirmar: EU CONHECI UM MILAGRE! A KIKA ESTÁ SE RECUPERANDO> AGRADEÇO A DEUS POR ISSO.
        Na força que encontro pra enfrentar as adversidades, sinto como NUNCA, que não estou sozinha, JESUS e meu irmão WANDERLI estão comigo; o PRIMEIRO me dá forças… mas o OUTRO me inspira… me arrasta com o seu EXEMPLO DE VIDA…Obrigado Meu DEUS…por TUDO…

        Elizabete

        Curtir

        Comentário por Elizabete — janeiro 11, 2012 @ 13:16

      • Elizabete,

        Que lindo depoimento. Saúde para a Kika! Abrs.

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — janeiro 11, 2012 @ 13:43

      • Olá, estava procurando uma palavra de consolo e achei este blog.
        Tenho um poodle de 20 anos que tem sido meu companheiro de todos os momentos bons e ruins na minha vida. Juju sempre foi muito ativo, esperto, inquieto, e com os anos perdeu a visão, audição a coluna curvou, o andar devagar…ainda assim, meu companheiro. Faço viagens internacionais e ele
        vem e vai comigo. Não consigo pensar que alguém vai saber quando ele sente dores, ou se vai estar ali se ele sentir alguma coisa. Agora sei que esta sentindo dores, roda roda roda até se soltar no chão de tonto. Toma medicamento para o coração e outras coisas…se pudesse escolher, queria que fosse sem dor, mas uma coisa ele pode ter certeza, quero estar com ele, na hora dele, quero que ele me de adeus,e não dar adeus a ele. Junto com ele vai uma parte de mim, mas a história de nossas vidas, esta vai ser eterna.

        Curtir

        Comentário por Nali — maio 31, 2014 @ 3:36

      • Olá.
        Rezarei para que Juju vá por si só.
        Um abraço.
        Augusto

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — maio 31, 2014 @ 19:52

  34. Augusto,
    estou passando por essa escolha horrível nesse exato momento e infelizmente tive que optar pelo pior. Estou desesperada escrevendo esse texto. O veterinário me perguntou se quero me despedir dela mas se ela me vir chorando como estou ela saberá que alguma coisa muito ruim vai acontecer e não tenho coragem de vê-la abanando o rabo para mim.

    Curtir

    Comentário por Teresa Damiano — novembro 7, 2011 @ 18:14 | Resposta

    • Prezada Teresa.
      Realmente esse é o momento mais difícil. Já passei por isso duas vezes. Com a Buba, caso que relatei aqui, e com o Tico, o cãozinho de minha mãe. Após o falecimento de minha mãe ele ficou com uma de minhas irmãs. Estava praticamente cego e começaram a aparecer umas bolhas sob a pele que estouravam e viravam feridas horríveis. Tínhamos que praticamente colocar comida na boca dele. Um dia, quando fui para Rio Claro, minha irmã, desesperada, disse não estar aguentando ver tanto sofrimento. Resolvemos dividir a culpa. Ela ligou ao veterinário ele veio buscar o Tico, eu acompanhei e assinei os papéis. Essa foi minha primeira experiência com a eutanásia canina. Sei que não é fácil, mas, as vezes, não há outra solução.
      Fé e força para vc e os seus.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — novembro 8, 2011 @ 8:57 | Resposta

  35. oi augusto
    Meu nome é Valéria, eu tenho uma poodle de 15 anos, ela é linda, esta comigo desde seus 45 dias, sempre foi forte e cheia de vida, mas este ano a saude dela esta se acabando, tem dificuldade pra levantar, as perninhas trazeiras ficam tremendo, ela ja esta cega total, tem diabetes, enfim minha dog ta com dificuldades, percebo que sente dor qdo senta pq força as patas dianteiras pra se apoiar melhor ja que as trazeiras nao dâo mais o equilibrio necessario, o corpinho dela tem uns calombos duros e ela ta sentindo dor ao ter que receber diariamente doses de insulina ja que possui diabetes.Eu estou me esforçando pra manter ela bem, levo na veterinaria toda semana, qdo viajo ela fica corim a veterinaria para ter as aplicações de insulina.Mas percebo que minha dog sente dor e isso me deixa muito triste, ela ainda consegue andar um pouco e se alimenta bem, mas estou vendo que ela piora a cada semana e sei que vai chegar a hora de eu ter que decidir se a eutanasia é a melhor solução, sinto uma tristeza que não cabe em mim só em pensar nesse momento, e fico com uma duvida enorme em saber se vou entender qdo será esse momento, ainda não conversei com a veterinaria dela a respeito disso, uma pessoa fantastica, sei que me ajudará, mas ainda nao tive coragem de falar a respeito disso, obrigada pelo espaço e valeu o desabafo.Valéria

    Curtir

    Comentário por valéria — novembro 16, 2011 @ 17:43 | Resposta

    • Oi Valéria!
      Essa não é uma decisão fácil – dói muito dar o sim e depois mais ainda… não sei de a dor passa ou a gente acostuma com ela. Mas assim é também com a morte dos nossos semelhantes. Paz, força e fé para você.
      Abrs.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — novembro 17, 2011 @ 9:56 | Resposta

  36. To sofrendo muito, meu cachorrinho tem 16anos, problemas cardiacos e de rins, ja teve 3 edemas pulmonares, vai ao veterinario todos os dias tomar soro e de ontem pra hoje está berrando de dor a cada uma hora, a veterinaria disse que já não tem mais o que ser feito pois ja fizemos de tudo. Ontem tomou duas doses de morfina ee agora até agora novalgina a cada vez que grita de dor, não sei o que fazer, um dos remedios pro problema cardiaco afeta muito os rins mas se não tomar da edema pulmonar, é muito sofrimento, por que ele precisa passar por isso? não pensava em ter de sacrificar mas não to aguentando ver meu bichinho sofrendo tanto, 16 anos de companheirismo, amor, amizade e muitas alegrias, to desesperada, não sei o que fazer. Desculpe pelo desabafo, ele começou a gritar outra vez.
    Simone

    Curtir

    Comentário por simone salles — novembro 18, 2011 @ 6:12 | Resposta

    • Oi Simone.

      Desejo que tenha muita força e fé nessa hora. Não é mesmo tarefa fácil ver quem sempre esteve ao nosso lado, alegre, agora sofrendo.
      Um abraço.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — novembro 18, 2011 @ 8:54 | Resposta

      • oi augusto, ele se foi, teve que ser sacrificado, a dor dele acabou mas a dor que to sentindo não cabe dentro de mim, espero que ele esteja em um lugar muito bonito e que esteja correndo e brincando com seus outros amiguinhos que tb ja se foram. sei que minha dor não vai passar pq a saudade é muita, tenho agora tentar conviver com ela.
        obrigado pela força e pelo espaço para meu desabafo.
        simone

        Curtir

        Comentário por simone salles — novembro 18, 2011 @ 17:42

      • Oi Simone. Com o tempo a dor vai abrandar. E ficarão as lembranças boas que teve com ele. Força e fé. Augusto

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — novembro 20, 2011 @ 12:06

  37. Estou passando pela dura decisão de sacrificar meu cão, o Rolf, ele tem 13 anos e é um basset hound, ele ja algum tempo não late mais e por mais que eu cuide de sua higiene e da sua casinha, inumeras vezes acaba surgindo as malditas larvas de mosca, principalmente em sua boca… tds as vezes ele foi levado a veterinária p/ curar e tratar e nehum remedio parece evitar que isso volte a acontecer!! Se fosse só isso eu cuidaria qtas vezes fossem necessário, mas ele desenvolveu cancer em seu estomago e ja toma o pulmão…a tempos meus pais queria sacrifica-lo, mas eu não deixei, disse q ele ainda aguentaria um pouco mais. De uns dias pra ca ele tem tido mta dificuldade em se locomover, praticamente já não anda, só fica deitado o dia td e a 2dias ja não come, está novamente com larvas na boca e agora surgiu um foco na pata…ele está cego, ainda se esforça p/ beber agua, mas toma e vomita em seguida…Como alguem disse num comentario anterior, o dono sabe quando chega a hora, qdo o cão não suporta mais, essa hora chegou, infelizmente, e eu to mto mal, mal mesmo por ter decidido isso, mas eu to sofrendo e ele mto mais, com certeza, é mto egoismo querer prolongar seu sofrimento. Eu nunca precisei decidir isso com meus outros cães, tds se foram de causas naturais devido a idade. Eu to arrasada, só quem ama de verdade sabe o quanto isso é doloroso…

    Curtir

    Comentário por Raphaelle — novembro 19, 2011 @ 2:06 | Resposta

    • Oi Raphaelle,

      Quando escrevi esse post não imaginava o quanto seria lido e quantos depoimentos receberia. Olha, sinceramente espero que esse texto auxilie as pessoas nessa difícil decisão. Muitos me criticaram quando a tomei, sofri muito com a partida e com as críticas, mas, a bem da verdade, tenho certeza que foi a melhor decisão que tomei. Apesar da dor que ficou, sabia que era irreversível. Que Deus te dê conforto. Que São Francisco a ampare.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — novembro 20, 2011 @ 12:19 | Resposta

  38. Olá! Sei que essa decisão é importante mas independente da crença,se quiseres, sugiro que veja a palestra nº 43 proferida por André Luiz Ruiz.Prá mim foi esclarecedora.Caso prefira ir direto ao assunto avance até 17mim da palestra. Abraço

    Curtir

    Comentário por Marco Antonio Buslins — novembro 22, 2011 @ 10:31 | Resposta

  39. Desculpa,faltou o link da palestra. http://www.mensajefraternal.org.br/portuguese/palsbbm_port.htm

    Curtir

    Comentário por Marco Antonio Buslins — novembro 22, 2011 @ 10:37 | Resposta

  40. Já escrevi aqui,nesse espaço feito por uma pessoa sensível e comentado por pessoas sensíveis e vivendo situações idem…mas preciso comentar que assisti a palestra citada acima e discordo que quem toma essa difícil decisão está procurando “aliviar seu próprio sofrimento e não a do seu querido ser amado”…antes do Toy(meu cãozinho),tive animais que morreram sem precisar da eutanásia,mas depois do Toy ficar muito doente(a história já citei -está acima);e voltar 3 vezes da veterinária,praticamente ressuscitado….e escutar dos entes queridos que “São Francisco vem buscá-lo,mas meu amor não o deixava ir”,e agora ,relacionado ao que o palestrante disse -que digo de passagem -é (“bonita sim,mas com erros pois o palestrante é humano como todos nós”); preciso relatar que um grande amigo(enfermeiro) e que perdeu a mãe com câncer,viveu praticamente essa mesma situação=>com sua ” mãe”(que ele sofre de saudades até hoje,pois viviam juntos,depois que seu pai faleceu)…e ele me ajudou a tomar essa decisão,relatando sua postura de amor e sua atitude aos relatos do médico sobre o que seria o melhor para para ela…sua mãe precisou ser dopada para não sofrer e assim,acredito que não há muita diferença(afinal que filho negaria o alívio das dores para sua mãe?)…quem viveu e fez tudo o que podia para aliviar até o último minuto… em que a dor ficou insuportável, negaria esse ato de compaixão ao “ser amado”???seja ele um animalzinho doméstico,um ser humano,idosos e crianças!!!e faço o que posso (principalmente em relação a muitas situações que vivi em tantos anos de aula)…então deixo como desabafo e para todos que assistiram essa palestra,pensem que existem “situações e situações”,e só você ,que sabe o que é amar um ser de todo coração,que é capaz de vender bens materiais para ajudá-lo e dar o melhor para aliviá-lo…sabe do que estou falando…”Não me peça para aliviar a dor que não está ao meu alcance(essa eu rezo e peço piedade de Deus=>que fez “todas” as criaturas),mas todas as dores que eu puder aliviar ao meu redor,”com a benção constante de Deus”,pois só Ele sabe o que vai em meu coração!!!”e nunca me esqueço que=>…Deus deu o dom aos médicos para ajudar na da cura do corpo…mas da alma acho que é válido escolher a religião que mais mostre o quão grande é o amor de Deus e quão grande é seu ensinamento para amar ao” próximo” como a si mesmo…e agir conforme esse amor!!!
    Com carinho e solidária as “dores/dúvidas humanas”…e mais uma vez Augusto,obrigada pelo belo espaço!!!
    Gisela

    Curtir

    Comentário por Gisela — novembro 29, 2011 @ 19:47 | Resposta

    • Oi Gisela. Concordo com tudo o que escreveu. Quando o leitor encaminhou o comentário com o link da reportagem, postei, pois procuro ser correto e acato os comentários que me enviam. Também não concordo com o tom da palestra e do palestrante. Bjs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — novembro 30, 2011 @ 8:45 | Resposta

  41. Olá Augusto!
    Com toda certeza você fez o correto em postar.E acredito que nada é acaso!…Depois de escutar a palestra,em relação ao assunto em questão”eutanásia em animais”,me fez analisar e o contraste de idéias acabou me mostrando como o que fiz foi realmente o melhor para meu amado filhinho(pois é o que meu cãozinho sempre será para mim!!!)
    E hoje,relendo o que escrevi(pareço brava né!)…não era minha intenção!Só não gostei de alguém querer julgar o que não viveu=>como fez o palestrante nessa parte da palestra…Augusto,acho que seu espaço é tão comovente e faz sucesso porque todos estão com o sentimento triste da perda e não contentes por “Livrar-se da situação!!!”…muito pelo contrário(rezava para que ele fosse dormindo…mas isso sim seria egoísmo pois ,”esperar” seria um sinônimo de “mais sofrimento para um ser tão amado”…enfim …Desculpa se fui exagerada.E sobre o espiritismo,mesmo não sendo espírita,gosto de ler e ganhei de presente de uma grande amiga um livro espírita,muito bonito…”Conheça a alma dos animais”-De Severino Barbosa…e amei!!!Fica a dica,pois queria que ficasse claro que não tenho nada contra religião nenhuma…o que importa é o amor que damos e recebemos!…afinal Deus é a tradução do puro AMOR!!!
    Bom ,chega de escrever(acho que escrevo demais!!!)…me imagine falando(KKKKK!!!!!)…mas a todos que estão angustiados na indecisão,desejo muita sabedoria e em consequência,a PAZ que vem de quem a usa!!!(e é o que esse seu espaço Augusto, faz por todos que escrevem aqui!!!…só o relatar e o compartilhar de dúvidas e dores de saudades, acalma nossos corações!!!
    Um beijão…com carinho
    Gi

    Curtir

    Comentário por Gisela — novembro 30, 2011 @ 13:11 | Resposta

    • Oi Gisela.

      De forma alguma – vc não impôs qualquer tom de braveza em sua escrita. Agradeço muitíssimo por visitar o espaço e pelas belas palavras. Um beijo. Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — novembro 30, 2011 @ 13:40 | Resposta

  42. Há 16 anos atrás a minha mae apareceu em casa com um cao muito sujo, peludo,todo preto com uma corda ao pescoço,quando o vi da janela até tive medo dele mas ,surpreendentemente e depois de um banho ele era branco e castanho,muito felpudo e fofinho, perdido ou abandonado simplesmente.tinha entao aproximadamente dois anos pelo que a médica nos disse.Dia 3 de dezembro com 18 anos o meu Fluffy passou a estar presente só no meu coraçao,nas minhas lembranças.Ultimamente passava os dias a chorar pensáva.mos que seria próprio da idade porque já não via,andava sempre em círculos,ouvia muito pouco e tambem não tinha faro,hoje não sei se seria de sofrimento.Caminhava com alguma dificuldade mas ainda se levantava para ir á rua mas na última semana começou a perder o apetite até que rejeitou a comida.Alertados fomos á médica e depois do relato de sintomas que lhe fizemos ela adiantou.nos que poderia ser uma falha dos rins e como tal ele nao voltaria a comer e o seu quadro só tendia a piorar.Fez as analises pertinentes e deram valores alterados de creatinina e ureia nada de extraordinário mas o suficiente para ela entender que efectivamente o problema era renal.Para mim a IRC era algo de absolutamente desconhecido,se eu imaginava que o aumento de consumo de água já indicava este problema…Há muito tempo o Fluffy aumentou o consumo de água e nós disse.mos mas ela achava tratar-se de diabetes mas que com a idade dele era normal.Eu e o meu marido não entendemos ou não queriamos entender o que ela nos tentava dizer e pergunta.mos mas o que temos e o que podemos fazer e ela duramente disse o melhor é eutanasia nestes casos porque um cao com esta idade não pode ou não deve ser submetido a soro por dois dias e medicaçao porque vai ser uma recuperaçao de ilusão pois vai ficar igual ou pior passados outros dois dias.Nem queriamos acreditar,iamos a uma consulta…O meu marido insistiu na mesma mas qual é a melhor das hipóteses …e ela disse não há melhor hipotese e ele vai sofrer responde.me ela quando eu pergunto.Nesse momento queria desaparecer dali para fora.Nós fomos para casa com protectores para o estomago e injecção para as dores e naquela viajem eu percebi que o meu fluffinho estava de partida.Em casa todos decidi.mos que mediante o prognostico do que viria ,sempre segundo a médica,uma anemia,úlceras bocais e não só,vómitos e diarreia com sangue,alteraçoes a nivel neurológico,intoxicação porque o rim nao conseguia mais limpar o organismo…ela disse que estava a ser envenenado aos poucos pelas toxinas,tudo o que engloba a IRC mais os sintomas de velhice era muito duro e o melhor era ajudar o fluffinho.Que momento tão duro,de regresso ao consultório para entregar o meu amigo que nos últimos tempos estava muito mais dependente de mim e só hoje eu percebo que essa dependência era mútua.Foi no meu colo a dormir e a dormir ficou para sempre sem dor sem angústia,presenciamos tudo e chora.mos compulsivamente e eles diziam.nos que não o estávamos a matar estavamos a ajudá-lo a ter uma morte digna como a vida que lhe demos e sem sofrmento como o que iria passar.De regresso a casa vim serena mas quando entro em casa,meu Deus que angústia,sofrimento como eu nunca imaginei,solidão,vazio,aperto no coração ,as lágrimas caem pelo meu rosto até adormecer ,de madrugada acordo sobressaltada e continuo a soluçar não consigo suportar a ideia de que não está lá em baixo a minha espera para sair.Com o decorrer do dia vem o peso de consciência de que teria tomado a decisão correcta,que poderia ter tentado outra opinião,sei lá.A dor é inexplicável,a saudade,o abraço que lhe dava,o choro dele está aqui a todo o instante.Sempre imaginei que ele morreria naturalmente com a idade e que iria cuidar dele até ao último segundo.Hoje estou mais serena ainda com algumas dúvidas mas com uma certeza depois de tudo o que li e vi,acho que o que me fez duvidar foi o facto de ele ainda andar e não ter valores muito alterados (o que a médica nos disse que iria acontecer no prazo de dias) mas não ia suportar ver o meu amigo deitado cada fez mais fraco,sem comer,entorpecido e a sofrer,sem dignidade.Acho sinceramente que tanto a decisão da eutanásia como a de continuar lutando por eles são dignas e cada caso é um caso e as duas trazem consequências para os donos, nunca vamos perceber se a decisão foi a melhor.Mas li algures uma médica que dizia “há uma altura em que devemos perceber se é melhor a quantidade de vida que o nosso cão vai ter ou a qualidade que lhe vamos poder oferecer”.Por mim não o teria feito mas não posso ser tão egoísta,é ele quem está a sofrer e acreditem a eutanásia é mesmo uma prova de amor pelo fluffy.Até sempre “itoinho”

    Curtir

    Comentário por Liliana Neves — dezembro 6, 2011 @ 19:59 | Resposta

    • Prezada Liliana,

      Eu e todos os leitores desse blog agradecemos muito seu lindo depoimento.
      Abrs.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — dezembro 7, 2011 @ 10:39 | Resposta

  43. olá gente é o coração sofrido que me encontro eu tenho meu cachorro há cinco anos e agora foi diagnósticado problema renal ontem trouxe-o da internação pois nao tenho como pagar e o veterinário só deu 2 dias para ele eu completamente angustiada pois antes desta maldita doença era minha maior alegria corria pela sala pulava em cima de mim de tanta felicidade por mr ver chegar da rua hoje meu maior sofrimento é vê-lo sofrendo e nada poder fazer eatá la na sala agora cansando e muito inchado meu deus quanto sofrer pra um único bixinho meu bibi só tem cinco anos e eu estou sofrendo por não ter condições financeira para poder ajudá-lo.eu o amo tanto que a dor de vê-lo assim me corroi muito não quanto tempo vai ficar aqui sofrendo é claro mas o que mais me desroi é ve-lo assim e não conseguir encontrar ajuda. 09/12/2011

    Curtir

    Comentário por jacirene miranda de freitas — dezembro 10, 2011 @ 7:35 | Resposta

    • Oi Jacirene.
      Espero que seu cãozinho melhore e que ainda lhe traga muitas alegrias.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — dezembro 10, 2011 @ 8:39 | Resposta

  44. Olá!
    Gostei de seu site, muito legal mesmo… Hj estou bem chateada… No inicio de novembro, peguei uma cadelinha da rua que tinha indicios de cinomese, que acabou apanhando de um pastor alemão na rua… tadinha, ficou com a perna bem inchada. A medicamos e após a perninha ter voltado ao normal, ela não voltou mais a caminhar,pode ser pela doença e tb pq deve ter machucado algo. Temos que ajudá-la para fazer xixi e coco. Ela chora a noite toda e durante o dia tb.A veterinária nos falou que o choro pode ser da daença e por não conseguir caminhar… Não tenho condições financeiras e nem condução para levá-la para fisio e acumpuntura( se caso desse resultado), ela tem sequelas da doença tb…
    Estou de coração partido, hj a tarde a vet irá lá para sacrificá-la, espero
    que eu esteja fazendo a coisa certa, pois acho que o cão tem que ter uma qualidade de vida, e não ter que chorar para alguém o ampará-lo para fazer as suas necessidades…

    Abçs
    Shana

    Curtir

    Comentário por shana lisiane — dezembro 22, 2011 @ 12:38 | Resposta

  45. Olá Augusto!!!

    Eu havia comentado que iria sacrificar uma cadelinha de rua que acolhi que estava com sintomas de cinomose e não estava mais caminhando… Pois é, desisti e em vez de sacrificar fiz exame de sangue nela e nos meus 6 totós que são vacinados em dia, mas para ficar tranquila, mesmo assim eu quis fazer o exame. O exame da cadelinha deu muito bom, nada mais de vírus e os meus tb estão bem…Ainda bem que mudei de idéia, agora a luta é para que com o tempo ela consiga andar novamente… Mais uma vez vencemos esta doença que é tão cruel com os cães… Há mais ou menos 3 anos, perdi dois amores da minha vida para esta doença, mas salvei três…Depois deste trauma, nunca mais vacilei com vacina.E deixo registrado: Pessoal não atrasem a vacinação de seu amigo, e muito menos deixe que apliquem vacina que não seja importada, e tem que ser aplicada por um médico veterinário. Isso é muito importante e fará diferença na vida de seu amigo.

    Um grande abraço!
    Shana Lisiane

    Curtir

    Comentário por shana lisiane — dezembro 26, 2011 @ 16:53 | Resposta

    • Olá! Que excelente notícia! Também já tive um cão que teve cinomose. Ficou um bom tempo com problemas nas patas traseiras, mas, com o tempo, melhorou e ficou bom. Feliz 2011 para vc! Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — dezembro 26, 2011 @ 16:57 | Resposta

      • Obrigada!!!
        Um feliz 2012 para vc tb!!! Mando noticias dela…
        Acho importante para as pessoas que lerem, não perderem a fé da cura.

        Abraço!

        Curtir

        Comentário por shana lisiane — dezembro 26, 2011 @ 17:06

  46. Hoje sim dia 14 as 11 da manhã tive que levar minha cachorrinha Mini para ser sacrificada tinha um tumor no abdome gente guando eu achei Mini ela não tinha nem unha so pele levei para minha casa eu e meu marido nosso veterinario queria sim sacrifica-la não Selma ela não vai sobreviver ela sim sobreviveu ficou em uma incubadora dentro da camisola de minha filha durante semanas, ela ficou linda esperta. Aos 12 anos Mine ela ficou com um tumor 6 meses foi o tempo que conseguir egoistamente sim eu fui e goista deixar ela sofrer este tempo todo so para não ter que perde-la com ela seria 8 cachorros e 4 gatos cuido deles como se fose meus filhos e são sera que temos que deixar nossos animais sofrerem so porque achamos que temos o direito de pensar e sentir por eles.
    Desculpa;*
    SelamaMarcos

    Curtir

    Comentário por selmamarcos — janeiro 14, 2012 @ 20:35 | Resposta

    • Boa noite Selma.

      Obrigado por sua visita e depoimento ao blog.
      Seu relato ajudará muitas pessoas.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — janeiro 15, 2012 @ 22:29 | Resposta

  47. Oi Augusto!

    Parabéns pelo blogs. Estava lendo os depoimentos aqui para ver se me animo. Ontem a tarde, infelizmente tive que tomar uma díficil decisão. Até ontem tinha dois cachorros, hoje tenho só um. Um dos meus cachorros, que era da raça Cocker, vinha apresentando um grau de saúde letal, apareceram feridas que não cicatrizavam, estava mancando de uma pata traseira e eu procurei fazer tudo que podia. Na terça-feira dessa semana, ele paralizou as patinhas traseiras e como ele era muito esperto, danado e brincalhão, queria está correndo e não podia, ai começava a latir bem alto, qdo eu sentava perto dele, o mesmo olhava para mim como se tivesse dizendo: papai, está doendo muito, cura-me, por favor! Eu enchia os olhos de lágrimas, pois quando eu chega do trabalho, ele parecia já saber do horário e pulava em cima de mim, alegre e depois baixava a cabeça para eu me abaixar e beijá-lo, foi uma companhia para mim por quase 7 anos, até que aconteceu isso durante essa semana. Tomei a decisão de trazer um amigo veterinário aqui em casa para examiná-lo e o próprio deu 90% de chances de ser calazar, devido a uma peste que está havendo na minha rua, fiz o exame que se paga mais caro e que é liberado em 24 horas, infelizmente, o exame deu positivo, chorei muito na hora e meu amigo me confortou e como meu filhinho estava gritando com dores horríveis e só estava passando com diclofenato, eu estava dando comida na boca dele, água tb, os remédios que eu estava dando, ele tomava como todo prazer só para passar as dores dele e não me ver chorar. Foi duro, ontem a tarde quando resolvemos acabar com o sofrimento dele, pois os rins dele já estava paralisado, pois há 2 dias ele não fazia xixi e nem defecava, isso me partia o coração. Aí o levamos em uma clinica e por sorte o médico que estava lá também era meu amigo e viu a dor que eu estava sentindo,tive que realizar a eutanásia, enquanto o doutor aplicava o soro sedativo, o mesmo pediu que eu conversasse com meu snoopy e o bichinho olhava para mim como se estivesse dizendo que me amava muito e que agradecia tudo que tinha feito e estava fazendo por ele, ai eu dizia: Meu amor, nosso amiguinho aqui vai aplicar um soro em você, irá dormir um pouquinho e o papai vai ficar aqui ao seu lado esperando você acordar para voltarmos para casa com você bonzinho de novo. Aí fiquei fazendo carinho na cabeça dele até ele dormir, quando dormiu, o doutor aplicou o veneno paralisante e foi faltando o ar dele, antes dele adormecer, eu disse também que o amava muito e que ia amá-lo até o fim de minha vida. Hoje, estou com um Akita chamado Scooby que também sente a falta do irmãozinho. Todos aqui em casa choram bastante. Não podiamos maisfazer nada, porque a fase da doença dele estava terminal, o mesmo não passaria de 24 horas. Mesmo aliviando osofrimento dele,eu me sinto horrível, pq não tenho coragem de fazer mal a nenhum inseto, imagina matar um animal que só nos dar alegria. Não consegui ir trabalhar hoje, estou chorando o dia todo e fico me perguntando: será que doeu nele? será que ele vai me perdoar um dia? por que isso tem que acontecer comigo? Sinto como se tivesse perdido um filho, porque ele era para mim como um filho e ainda é. Queria tanto que tivesse acontecido um milagre. Por que será que dói tanto em nós? eu me agarro com o outro cachorro e começo a chorar e o bichinho fica lambendo minhas lágrimas e deita a cabeça no meu ombro. Eu amo animais e não entendo porque tenho que sofrer tanto assim. Gostaria de saber se fiz certo? se não é castigo sacrificar um animal com calazar em fase terminal que não anda mais e só sente dores? notava os olhinhos dele cheio de lágrimas como se a dor tivesse forte demais.

    Como faço para tirar essa dor horrível de dentro de mim? Como faço para ter meu Snoopy de volta?
    Agradeço por esse espaço, onde podemos compartilhar nossos sentimentos com todos aqui que amam os animais.
    Abraços a todos.

    Curtir

    Comentário por Marcos — janeiro 20, 2012 @ 19:40 | Resposta

    • Esse é mesmo um momento muito difícil! A dor não passa e você se acostuma com ela. Infelizmente essa é minha opinião. Já passei por isso duas vezes. Mas, relembre os bons momentos passados com seu amigo. Pegue uma foto em que está com ele, coloque naquele cantinho sagrado que vc tem em casa. Chore tudo o que puder. Vai aliviar e ficará bem! Grande abraço.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — janeiro 21, 2012 @ 16:59 | Resposta

  48. Augusto,

    Obrigado pelo seu blog.
    Aqui encontro depoimentos de pessoas que estão passando pela mesma dor que estou passando. Fico feliz de poder compartilhar de mãos dadas com todos aqui. Gostaria de saber o destino deles após a morte, se o dia o encontraremos, se eles sofrem durante e depois de uma eutanásia.

    Obrigado pelo espaço.
    Marcos

    Curtir

    Comentário por Marcos — janeiro 21, 2012 @ 13:13 | Resposta

    • Oi Marcos.
      Eu acredito mesmo que ao atravessarmos a ponte que nos leva para o mundo espiritual, nossos amigos animais estarão esperando e virão ao nosso encontro. Abraços, força e fé!

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — janeiro 21, 2012 @ 16:56 | Resposta

  49. estou pessimo pois tive que sacrificar o meu melhor amigo

    Curtir

    Comentário por rivanio — janeiro 23, 2012 @ 23:27 | Resposta

    • Bom dia Rivanio.
      Esta é uma situação realmente complicada e difícil de digerir. Também penso que para mim foi uma das decisões mais difíceis que tive que tomar na vida. Mas, tudo ficará bem. Abraços.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — janeiro 24, 2012 @ 8:24 | Resposta

  50. É muito dificil quando precisamos tomar tal decisão. Tenho um Rotweiller que está com 11 anos de Idade. Segundo a Veterinária, Ele está ótimo. É Lindo, Forte, exceto pelo fato de que há poucos dias foi diagnosticado Câncer nos Ossos…Osteossarcoma…Ele ainda está conosco, mas todas as vezes em que olho nos olhos dele, percebo que ele sente que algo está por acontecer e parece que ele está me questionando sobre o que é? Gostaria de pensar que ele ficará curado, por um milagre, mas esse tipo de Câncer, infelizmente, não tem cura. Estou pedindo a Deus para que faça o melhor para Ele, sem sofrimento. A Veterinária sugeriu a Eutanásia, mas ainda não estamos preparados. Não sei o que fazer!!!!

    Curtir

    Comentário por ANDIARA PIMENTA — fevereiro 1, 2012 @ 9:59 | Resposta

    • Boa tarde Andiara.

      Olha, pelo que escreveu, ele ainda está bem e poderá ficar muito tempo com vocês. Deus há de cuidar disso.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — fevereiro 1, 2012 @ 13:59 | Resposta

  51. Zelda era uma akitade 8 anos, linda, ativa, brincava como um filhote. De re pente ficou cega e começou a emagrecer, fui a alguns veterinários, tentei tudo que pude, na tomografia vi muitos tumores, a metástase já se mostrava irreversível, ela agonizava rapidamente e terrivelmente. Tive que tomar a decisão, e sei que será uma decisão que me deixará em dúvida para o resto da vida.

    Curtir

    Comentário por Eric — fevereiro 2, 2012 @ 18:18 | Resposta

    • Oi Eric.
      Realmente – essa decisão não é fácil e nos deixa com dúvida. O consolo é saber que ela parou se sofrer.
      Abrs. e força!

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — fevereiro 2, 2012 @ 18:38 | Resposta

  52. Obrigado.

    Curtir

    Comentário por Eric — fevereiro 2, 2012 @ 18:40 | Resposta

  53. augusto . hoje perdi um ser vivo muito especial tão especial que o meu coração.falou mais alto.ele morreu de insuficiência renal .morreu hoje as 4.30 da manhã.mas não tive coragem de permitir eutanasia.ele viveu 8 anos é o meu querido byli meu poodle doce meigo .que me olhava com olhar tão especial que parecia que queria dizer algo para mim.eu conversava muito com ele .eu .dizia muitas vezes que eu o amava muito .e ele entendia eu tenho certeza.aquele olhar fez com que eu discordasse do veterinário de fazer eutanazia.agi profundamente com meu coração., e minha alma de cuidar dele até o fim. foi doloroso mas aquele olhar dele para mim eu nunca vou esquecer .eu dizia para ele todo momento que o amava que iria cuidar dele até o fim .e ele parecia me dizer com seu olhar muito obrigado por estar ao meu lado me limpando me lavando me alimentando mesmo que eu não correspondo amenizando minha sede minha dor .ontem eu percebi que sua respiração estava enfraquecendo.antes de anoitecer eu coloquei ele em meu colo deitei no sofá com ele em cima de mim.e conversei muito com ele que eu estaria ao seu lado até a ultima respiração. a noite coloquei ele no meu quarto perto de mim e fazia muito carinho e dava soro pra ele.para amenizar sua sede .e percebi que seu coração batia fraquinho . e foi indo que as 4.30ele me deixou estou sofrendo muito .sentindo a sua ausencia.ai que dor profunda por ter perdido ele.não sei como vai ser sem ele mas estou tentando .superar a sua perda mas dói dói ,doi muito.

    Curtir

    Comentário por marcia correia geronimo — fevereiro 2, 2012 @ 22:32 | Resposta

    • Marcia.
      Obrigado pela visita e pelo lindo e tocante depoimento. Um abraço. Fique bem!

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — fevereiro 4, 2012 @ 23:27 | Resposta

  54. Olá !!! Hoje, tive que tomar essa decisão com o meu cão, Boxer Branco, 12 anos, quadro de câncer testiculo, foi operado, mas após 3 meses, o quadro piorou, uma ferida que cada dia abria mais. Curativo varias vezes ao dia, antibióticos, todos os esforços em vão. No fundo ainda tinha esperança de que ele iria superar esta fase ruim. A doença se espalhou para a prostáta e a ferida abriu em todo o pênis, embora, ele ainda se alimentava, pouco andava, com varias dificuldades, não queria tomar esta decisão. Ele poderia ficar mais alguns dias ou meses nessa situação. Não sei se errei ou se é pecado, só quero pensar que deixou de sofrer, acredito que a dor deva ser insuportável, ele estava agoniado ao ponto de morder a propria carne, eu vi lagrimas nos olhos dele, foi aí que tomei essa decisão, mas vê-lo em cima da mesa de inox foi muito dificil, jamais esquecerei o último suspiro.

    Gostaria que fosse uma morte natural, mas a dor de vê-lo vivo sofrendo foi maior que a perda.

    Abraços!

    Curtir

    Comentário por Flávio — fevereiro 3, 2012 @ 23:23 | Resposta

    • Olá, Flávio.
      Sempre digo que essa decisão é uma das mais difíceis de se tomar. Mas, espero que fique bem. Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — fevereiro 4, 2012 @ 23:26 | Resposta

  55. Ola, eu tive que sacrificar um cão amigo ja com seus 10 anos mas muito doente e agonizando e não morria, foi muito duro e doido mas desta vez foi a solução não gosto nenhum pouco de eutanazia, mas tem situaçoes que não dá para esperar pois imaginem que pecado tem um caozinho e um gato, para sofrer tanto ele pedia com os olhos que lacrimejavam engraçado que o outro cão meu subia em cima dele e tentava fazer com que ele levanta-se ate chorava e nada, ficou assim por 48 horas, então meu marido tomou a decisaõ de leva-lo e o veterinario ao ve-lo nem esperou muito para dizer que precisava sacrifica-lo. Ja ha uns 2 anos atras morreu meu gato de 9 anos com cancer no figado, fiz de tudo e cuidei dele ate morrer sem precisar da eutanazia, hoje me encontro com minha gata Nina de 12 anos muito doente para falar a verdade eu e o veterinario achamos que logo ela se vai, mas vejo que ela tem dores, está com cancer de pulmão e pelo que parece metastase, vou cuidando com amor e carinho, espero que não precise usar a eutanasia e ela se vá como meu outro gato, mas que é doloroso é como doi ver um amigo ou amiga de tantos anos que faz parte da familia ir embora e sofrendro, amo meus animais e faço o que está ao meu alcance, mas ai a diferença de uma eutanasia ou não depende o caso.
    Abraços !

    Curtir

    Comentário por Rosangela — fevereiro 6, 2012 @ 17:06 | Resposta

    • Boa noite Rosangela.
      Agradeço pelo seu depoimento e desejo que sua dor da perda abrande com rapidez. Abraços.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — fevereiro 6, 2012 @ 21:02 | Resposta

  56. Hoje, 09/02/12…tive que tomar esta decisão tão difícil para qualquer um que tem amor em seu animal. Minha gata de 20 anos foi-se para outra vida através da eutanásia. Não havia outra solução pois, já tinha feito tratamento com soros, vitaminas entre outros durante 9 meses 6 crises de insuficiência renal crônica IRC. Sinto um alívio tanto para ela quanto para mim que já não aguentava mais vê-la debilitada…sem comer, beber, andar…..20 anos de muita alegria! somente isto que me resta. Augusto, seu texto foi o vetor para eu pensar a respeito. Abraço.

    Curtir

    Comentário por Carlos — fevereiro 9, 2012 @ 20:21 | Resposta

    • Boa noite Carlos.
      Agradeço pela visita e fico feliz que o meu blog e, em especial esse texto esteja auxiliando as pessoas. Nunca pensei que um depoimento meu, que, aliás também partiu da IRC da Buba, minha companheira, iria ser tão lido, debatido, comentado.
      Realmente não é uma decisão fácil de se tomar, mas, chega um momento em que precisamos decidir… ou não. Vai do coração e da coragem de cada um.
      Um abraço.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — fevereiro 10, 2012 @ 0:49 | Resposta

  57. Prezado Augusto, boa tarde.

    Ontem, dia 10/02/12 tive que tomar a decisão mais difícil da minha vida, levar meu companheiro, filho, melhor amigo, anjo, para a clínica veterinária e aplicar a eutanásia.. meu anjinho estava com tumor ósseo e com muita dificuldade para andar.. nas duas últimas semanas estava com muita dor e só de deitar ficava gemendo.. eu mal conseguia trabalhar pensando nele e no sofrimento em que ele estava passando.. mas nesta madrugada acabei tomando a decisão mais difícil da minha vida.. percebi a dor em seus olhos e parecia que ele pedia, ”papai.. chegou minha hora.. to muito velhinho e não aguento mais”, enfim.. assinei o termo, aonde estava ciente da eutanásia.. minhas mãos tremiam.. nunca fui de chorar por nada.. mas chorei como uma criança.. ter que se despedir do seu melhor amigo é o momento mais triste.. abracei, beijei ele como nunca fiz antes.. e ficava refletindo se realmente era necessário.. poxa.. será que é justo tirar a vida de alguém? Fico refletindo até agora.. mas tendo em vista seu sofrimento, esta é a razão que me conforta.. muito pouco, mas conforta..

    Espero que meu amor esteja em um lugar melhor, como sei que está.. não sou tão religioso.. mas será que fiz a coisa certa? Deus e meu anjinho vão me perdoar por tal ato? Será mesmo está a decisão correta? Infelizmente nessa vida não vou ter a resposta.. mas todos sabem o quanto eu o amava e só queria seu bem..

    Horas eu me conforto pensando que ele está em um lugar melhor, horas me repudio pela minha decisão.. espero que o tempo cicatrize esta ferida no meu coração.. dormir sozinho, não ouvir suas patinhas andando pela casa, seu cheirinho.. é muito complicado..

    Augusto, sei como esta decisão é difícil.. talvez uma das mais difíceis que você tenha tomado em sua vida inteira.. mas foi tudo pelo bem de nossos companheiros.. e para quem perdeu o companheiro recentemente, como eu, desejo muita força, do fundo do meu coração..

    Desculpem todos pelo relato.. mas me senti na obrigação de compartilhar um pouco da minha dor.. Amem seus animais como filhos, por que somente eles te amam de verdade.. e ao longo da minha vida, pude confirmar a seguinte frase: Os animais são melhores que muitos seres humanos.

    Curtir

    Comentário por Caio Centurion — fevereiro 11, 2012 @ 16:16 | Resposta

    • Oi Caio.
      Depois deste depoimento tão bonito que deixou no blog, só tenho a agradecer e dizer para vc que a dor se tornará branda, mas não sumirá. E ficará a lembrança, boa, de que teve um companheiro e que com certeza o encontrará depois que cumprir seu papel nesse mundo. Acredito muito nisso. Abraços, tranquilidade e paz. Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — fevereiro 11, 2012 @ 23:03 | Resposta

      • Meu caro Augusto, bom dia! Realmente.. assim como você disse, a dor não some, mas se torna branda.. quando li de novo meu depoimento não aguentei a emoção.. desculpe não ter respondido antes, mas até evitei o seu blog pra não cair nessa lembrança.. mas hoje senti que foi necessário.. agradeço imensamente as palavras.. de coração mesmo! Me confortou muito depois que eu vi a resposta, na época.

        Abração e se cuida, belo papel você está fazendo!

        Curtir

        Comentário por Caio Centurion — agosto 18, 2012 @ 5:23

      • Boa noite Caio. Fico feliz quando recebo retorno e ainda mais em saber que as coisas que escrevo servem para algo. Grande abraço e apareça sempre. Augusto

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — agosto 19, 2012 @ 0:54

  58. Sou médica e não concordo com eutanásia em nenhum aspecto , se não é tolerada em humanos com poder de decisão não tolero tamb’me em animais . Não somos D-us para decidir sobre a morte.

    Curtir

    Comentário por Fátima Lipman Bandeira — fevereiro 15, 2012 @ 12:43 | Resposta

    • Olá, Fátima.
      Esse tema é bastante polêmico e as opiniões são pessoais. Por exemplo – se existisse uma norma legal em que as pessoas em sã consciência e com as faculdades mentais ditas normais pudessem deixar registrado em cartório um documento sobre a prática da eutanásia em seu favor em situações ditas irreversíveis, eu com certeza deixaria um documento firmado em relação a mim. Assim como as doações de órgãos podem ser registradas as pessoas poderiam ter esse direito também.
      Um abraço.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — fevereiro 15, 2012 @ 18:09 | Resposta

    • Se você é médica, você já fez algum tipo de ressuscitação em pacientes ou também é contra esse tipo de decisão? Afinal no ato de ressuscitar você também decide sobre a morte.

      Curtir

      Comentário por Raid — março 5, 2012 @ 18:11 | Resposta

      • Bom dia!
        Espero que tudo esteja melhor com seu cachorrinho.
        Não sei se a pergunta que deixou no blog foi para mim – se sou médico. Não, não sou.
        Um abraço e espero que tudo fique bem contigo.

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — março 6, 2012 @ 8:35

  59. OLÁ EU ESTOU VENDO OS COMENTARIO, SO QUE NO DIA 13/02/2012 FOI O PIOR DIA DA MINHA VIDA QUANDO EU RESOLVI FAZER A EUTANASIA,NO MEU AMADO GATO O LILICO O MEU COMPANHEIRO DE 12 ANOS QUE ERA ACOISA MAIS IMPORTANTE DA MINHA, QUANDO EU SAIA ELE ESTAVA ME ESPERANDO NA PORTA , NA PORTA DO BANHEIRO QUANDO EU IA TOMAR BANHO, TUDO QUE EU IA FAZER ELE ESTAVA JUNTO, SO QUE A UM ANO TEVE CANCER NO PESCOSO E UMA FERIDA NA BOCA FOI TRES CIRURGIAS INTERNAÇÕES E VARIA INJEÇÕES,E TRES REMEDIO POR DIA TODA SEMANA NO VETERINARIO E DE NA ADIANTOU, FOI QUANDO DR FALOU QUE NÃO HAVIA MAIS NADA A FAZER, A BOCA NÃO ESTAVA ABRINDO QUASE E ESTAVA SO COMENDO PASTINHA,E EMAGRECEU MUITO NOS ULTIMOS DIAS,SO QUE NA MINHA OPINIÃO HOJE JAMAIS DEVERIA TER ACEITADO , AMINHA VIDA ESTA MUITO TRISTE EU DEVERIA TER DEIXADO ELE EM CASA ATE O DIA QUE DEUS O LEVASE, EU CHORO TODOS OS DIAS, SEM OS LINDOS OLHOS AZUIS DELE , POR FAVOR ME DEM UMA OPINIÃO A MINHA CULPA ESTA MUITO GRANDE EU ACHO QUE ESTA PALAVRA EUTANASIA NÃO DEVERIA EXISTIR

    Curtir

    Comentário por GILDA POSSAGNOLO FAZIO — fevereiro 16, 2012 @ 23:35 | Resposta

    • Olá Gilda.

      Acredito que se chegou até o blog leu todos os comentários que foram gerados por este post – aliás, o mais polêmico desse blog.
      Olha, o que escrevi e no depoimento que deixei depois, poderá ver que tb passei e passo por essa tristeza ainda hoje, quando lembro da Bubba, minha cachorra e companheira. Na época e ainda hoje eu acredito piamente que foi a decisão mais acertada que tomei. Não a aguentava ver sofrendo daquela forma e não haveria retorno. Então, lembre dos momentos bons que viveu junto ao Lilico e se acredita em algum tipo de espiritualidade, pense sempre nele com carinho e com a certeza que um dia o reencontrará.
      Um abraço, fé, e tranquilidade.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — fevereiro 17, 2012 @ 10:30 | Resposta

  60. Olá, gostaria de umas palavras amigas no dia 15/02/2012 foi para mim o pior dia da minha vida,optei por sacrificar a minha cachorrinha leca, a minha fiel amiga e companheira de 11 anos, ela teve a um ano atras cancer nas mamas operamos, mais voltou nos ossos,estou acabada por ter feito isso,fico me perguntando e se tivesse deixado ela em casa tomando remedio, a medica me disse que nao teria mais volta, e ela estava muito magrinha nao se alimentava direito, nao conseguia caminhar direito uma das patinhas estava com um tumor muito grande que comecou a sair agua, e sangue.
    hoje me sinto culpada por ter feito isso estou sofrendo muito e nao sei como fazer para nao sentir tanta falta e saudade desta amiga fiel e companheira de todos os dias.
    Por favor me ajude com algumas palavras amigas de quem ja passou por isso, choro o dia todo nao consigo nem olhar para os lugares onde ela ficava, para mim foi como se perdesse em filho, ela era uma filha para mim.

    Curtir

    Comentário por Lilia — fevereiro 17, 2012 @ 19:38 | Resposta

    • Boa noite Lilia.

      Essa é mesmo uma dor insuportável. Passei por ela e durou, assim forte, por uns três mêses. Mas posso te confessar – não me arrependo de ter abreviado o sofrimento da Bubba. Era insuportável vê-la sentindo dor e não comendo, definhando-se aos poucos. Assim, achei melhor eu sentir uma dor e culpas insuportáveis do que continuar vendo o sofrimento dela, a qual me olhava com olhos de piedade, como se pedisse para abrandar a dor.
      Acabei de ler um livro que se chama A Arte de Correr na Chuva, de Garth Stein. Ele é narrado como se tivesse escrito por Enzo, um cachorro. Não vou te contar o final, mas vale a pena. Chorei muito e ri também, lembrando da Bubba. É maravilhoso ler coisas que batem com o que a gente – no caso eu – pensa. Não dá para dissociar a teoria evolutiva da alma ou espírito.
      Fique bem! A dor vai abrandar. E ficará apenas a lembrança gostosa dos momentos vividos. E olhe – a dor não passa – abranda. É a mesma coisa de quando vc perde alguém (um ser humano) bem próximo.
      Abraços e fique bem.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — fevereiro 19, 2012 @ 21:19 | Resposta

  61. Augusto, obrigado pelas palavras amigas,sei que onde a minha amada leca esta, ela esta bem, vou ler o livro um grande abraco amei seu blog, e bom compartilhar com alguem que passou pela mesma dor que a gente, porque as vezes a gente fala com alguem e te deizem, a para que ficar assim e so um bichinho, arruma outro, como se fosse facil para nos que amamos esses animalzinhos substituilos, no momento nao quero mais, nenhum animalzinho de estimacao. Obrigada por tudo.

    Curtir

    Comentário por Lilia — fevereiro 20, 2012 @ 1:07 | Resposta

    • Oi Lilia.

      Imagine. Não precisa agradecer. Depois que a Bubba se foi não tive mais nenhum amigo cão. Mudei-me para São Paulo e ganhei um gato. Não em substituição a Bubba – ela sempre será insubstituível. Tenho uma casa em Rio Claro, no interior de São Paulo. Hoje ela descansa em paz sob entre uma magueira e uma pitangueira que tenho no quintal – num dos lugares que ela mais gostava de deitar, dormir e rolar. Nunca em minha vida havia tido um gato como bichinho de estimação. São muito diferentes dos cães – independentes, só as vezes é que pedem carinho. Um abraço.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — fevereiro 20, 2012 @ 10:16 | Resposta

  62. No último dia 27/02 tive a dificil decisão de por fim ao sofrimento da minha amiga Susy, uma pitbull muito dócil….
    Ficam as lembranças, e o vazio insubstituivel nos nossos corações…

    Curtir

    Comentário por José de Paiva — março 3, 2012 @ 14:38 | Resposta

    • Boa tarde José.
      A dor passará e ficarão as lembranças boas que teve com a Susy. Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — março 3, 2012 @ 14:48 | Resposta

  63. Estou nesse momento tentando tomar essa decisão. Voltei do veterinário agora, com esse dilema. Tenho um cachorrinho de 17 anos já cego e surdo. Mas vivia muito bem, sem dor nem nada. Mas na sexta passada ele caiu de uma altura de 3 metros, e ficou com as patas traseiras paralisadas. Ele grita de dor quando se mexe e não está comendo. Estou alimentando ele com soro por uma seringa e no raio-x foi constatado fratura na coluna em três pontos. Precisaria de uma cirurgia para fixar a coluna e mesmo assim não andaria.

    E na idade dele ele não aguentaria nem a anestesia, e teria 5% de chances da cirurgia dar certo. Além disso, tem a eutanásia. Então entrei na internet procurando algum relato para clarear a mente e me ajudar nessa decisão e cheguei aqui. Lendo todos, quis deixar minha parte também.

    Com relação a eutanásia humana, penso que se existe ordem de não-ressuscitação, então deveria existir ordem de eutanásia. A pessoa saudável e ciente fazendo sua escolha de forma prévia, como acontece com a ordem de não-ressuscitação. Mas enfim, estou tergiversando.

    Não me decidi ainda, meu cachorro cresceu junto comigo, sabia que estava chegando a hora de nos despedirmos, mas não pensei que eu que teria que decidir por ele. Mas agradeço por todos os relatos, me ajudaram bastante.

    Força para todos que tiveram e que terão de tomar essa decisão. Ela nunca vai ser fácil.

    Curtir

    Comentário por Raid — março 5, 2012 @ 18:40 | Resposta

  64. Oi Boa Tarde…meu nome é Daniela…nem sei se conseguirei escrever tudo o que estou sentindo,por favor me ajudem pois o sentimento de culpa toma conta da minha alma,,,Eu tinha uma lhasa linda linda viveu comigo durante 12 anos,dormia comigo,em minha cama,mesmo sendo casada e tendo uma filhinha de 6 anos rs.Dia 29/02/2012 ela apresentou vomitos e não comia nada a dois dias,nesse periodo fiz de tudo,fiz arroz com frango,ração e nada.A levei em um Vet. que não conhecia prox. a minha casa,ela apenas deus uma injeção para o figado e me pediu para continuar o tratamento em casa…no outro di percebi que havia algo errado e levei a Capitu em um Hosp. Veterinario muito bom aqui de Campinas…Assim que a Dra. a examinou percebeu que havia algo mais sério,me orientou a fazer uma coleta de sangue;hemograma completo,creatinina e uréia…no outro dia fui com muita esperença de trazer a Capitu para casa,mas isso não aconteceu…a creatinina dela estaa 15.5 e uréia 693,os rins estavam pessimos a Vet. me falou que com esses valores não havia chaces de vida…me desesperei,quase enlouqueci….e a Capitu estava conciente respondendo a estimulos,apenas não comia nada a tres dias…resolvemos interna-la….ficou 6 dias fazendo soroterapia,nesse tempo ficou pessima e tambem teve picos de melhora…por ultimo a Vet. me falou que era pra eu leva-la pra casa e esperar o resultado deoutro exame de sangue que sairia no dia 06/03/2012…não deu tempo…ela chegou feliz em casa,andou pelo apart. todo mas logo se cansou e deito-se e ali ficou chorando baixinho e mexendo as patas muito rapido…de repente se levantava e bebia água…daqui a pouco tudo de novo…eu e minha filha oramos,oramos incansavelmente para que Deus a levasse,que nós naquele momento estavamos a libertando e mesmo assim NADA…Quando comecei a beija-la,passar a mão na barriguinha vi um vermelhidão,passou uns 10 minutos ja estava ficando toda roxa(barriguinha) e ela agonozando…mas conciente,me olhava no fundo dos meus olhos….foi quando resolvi leva-la novamente na Vet…Chegando lá havia uma profissinal especialista em rins e me deu 2 opçoes:coloca-la no coma e espera-la morrer ou fazer a eutanasia…GENTEEEEEEEEEEEEEEEEEEE meu coração esta partido,eu e meu marido optamos pela eutanasia,nunca senti tanta dor no meu coração…e a Capitu se foi apenas com a anestesia…
    Obrigada por me permitir desabafar…
    Daniela

    Curtir

    Comentário por Dani — março 7, 2012 @ 16:56 | Resposta

    • Boa tarde Daniela.
      Sei muito bem como é e a extensão da dor que está sentindo. Ela acalmará com o tempo. Fique bem!
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — março 7, 2012 @ 17:56 | Resposta

  65. Obrigada por me responder…só hoje voltei pra o meu apto…está sendo horrivel,uma tristeza sem fim…meu coração doi,doi e doi…Sabe Augusto parece que nunca mais serei a mesma,não estou exagerando…ta doendo só isso

    Curtir

    Comentário por Daniela — março 8, 2012 @ 16:36 | Resposta

    • Oi Daniela.
      Imagine. Não precisa agradecer nada não. Quando aconteceu comigo fiquei três mêses me sentindo assim. Ainda hoje choro ao lembrar, mas ficou também uma saudade gostosa.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — março 8, 2012 @ 16:41 | Resposta

  66. Hoje está um pouco complicado…minha filha esta com febre…diz o pediatra que é emocional,não tem sinais de infecção.Sabe Augusto hoje conversando com meu Marido desabei a chorar,como doí,ele me abraçou e disse pra eu ser forte que vai passar,sinto que ele tbm está triste,mas não diz nada,como uma forma de não me deixar mais pra baixo…As vezes vejo que as pessoas de fora não entendem a nossa dor,ai me calo,apenas fico quieta,não posso cobrar ninguém a entender o que estou passando,as vezes penso que todos me acham exagerada ou apenas que não tenho motivos para estar assim,sei que não é por mal…Deus conhece meu coração e Ele sabe todas as coisas.Fico me culpando pela eutanasia,será que eu tinha esse direito?Será que Deus não me cobrará por esse ato?Será que não havia outro jeito mesmo?Bom é isso obrigada por me ouvir e me entender também
    Daniela

    Curtir

    Comentário por Dani — março 12, 2012 @ 19:42 | Resposta

    • Oi Daniela.

      Não se culpe. Pense que você fez o melhor. Quando aconteceu comigo, fui prevenido pela profissional que me atendeu sobre esse sentimento de culpa. Disse que as vezes as pessoas acabam culpando o veterinário. Por isso tudo acho importante a forma como o veterinário vai comunicar a decisão de fazer a eutanásia para o proprietário. Para muitas pessoas, o animal de estimação é como um membro da família, como foi o nosso caso. As universidades ainda não preparam o veterinário para lidar com esse momento. Lembro até que a veterinária deu-me o significado da palavra, dizendo que vem originalmente do grego eu-thanasia:”morte feliz”, que a Bubba não sentiria qualquer dor. Geralmente a dor fica com as pessoas que mais conviveram e amaram o animal. Segundo a veterinária, além de ser analisada as condições sentimentais que cercam o bicho, também deve ser avaliado o sofrimento do bicho, para que, a partir disso, o médico veterinário venha ter uma postura que o leve a iniciar “um ritual” de preparação com o dono, conscientizando-o da morte eminente. Ela me disse que sempre explica ao proprietário todo o processo de eutanásia. Que deve-se mostrar os mecanismos da eutanásia e as conseqüências psicológicas. assim, após a morte, ficará mais fácil todo esse processo de luto, evitando-se a raiva e culpa. Fique bem. Digo sempre que a dor acalmará. E é verdade! Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — março 13, 2012 @ 8:59 | Resposta

      • Obrigada pelas palavras…obrigada de coração

        Curtir

        Comentário por Daniela — março 13, 2012 @ 17:01

  67. ESTOU TENDO QUE TOMAR ESSA DECISÃO NESTE INSTANTE ACABEI DE LER SEU ARTIGO E ME AJUDOU MUITO

    Curtir

    Comentário por ANA PAULA SOARES DE GODOY — março 16, 2012 @ 9:10 | Resposta

    • Bom dia Ana Paula.

      Olha, é uma decisão muito difícil e dolorida. E essa dor não passa – você se acostuma com ela.
      Um abraço e paz.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — março 16, 2012 @ 9:14 | Resposta

  68. Este blog me ajudou muito! Estou tendo que tomar esta horrível decisão. Meu cachorro, chamado Til, de 18 anos de idade, lindo, alegre, resistente e cheio de vida, de 6 meses pra cá viu sua saude se deteriorar rapidamente por um tumor no ânus. No primeiro veterinario que passei, foi diagnosticado tumor venerio transmissivel, que esta horrivel, já com miiase avançada que estava devorando meu cachorro vivo! feito o tratamento da miiase, procedeu-se a quimioterapia com vincristina, 4 sessões, mas nada adiantou….a ferida não fecha, mesmo usando sprays, a bicheira é recorrente, meu cachorro está com um buraco enorme ao lado do ânus que nunca cicatriza. Bem, hoje nova consulta ao veterinario, e este diagnosticou um tumor maligno no ânus, estagio avançado, meu cachorro esta arrastando as patas traseiras e saem filetes de sangue do tumor que me deixam horrorizado, so de pensar no sofrimento do meu tilzinho, como a qualidade de vida dele esta ruim. O Veterinario me deu a opção da cirurgia, mas me disse claramente que a possibilidade de cura é remota, e que a eutanasia poderia ser o melhor caminho. Estou sem rumo, não quero ver meu querido tilzinho morrer aos poucos sendo devorado por bicheira e com um tumor horrivel daquele sem poder fazer nada, por isso pensei que o melhor pra ele e acabar de vez com esta angustia pra ele, e ao mesmo tempo, acho as vezes que devo ir fazendo tratamento paliativo ate esperar a morte natural. Não sei o que fazer, mas obrigado a todos por contarem suas historias, e sei que isso vai me ajudar e muito na decisão que eu for tomar.

    Curtir

    Comentário por Carlos Alberto A. do Carmo — março 16, 2012 @ 23:45 | Resposta

    • Boa noite Carlos.
      Olha, fico tranquilizado que este meu depoimento e o de dezenas de pessoas venha lançar luz sobre assunto tão polêmico e dolorido. Agradeço pela visita e espero que decida o melhor pelo Til.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — março 17, 2012 @ 0:47 | Resposta

    • Meu Tilzinho se foi hoje, eu como estou sofrendo terrivelmente! O veterinário começou a cirurgia e constatou que o tumor havia acometido todo o reto e grande parte do intestino grosso, me ligou, e disse que não poderia continuar a operação, e pediu minha autorização para deixar meu cachorrinho descansar…. e eu autorizei. Chegar a clinica , o veterinario me disse: ele partiu! e ve-lo lá, deitadinho, com a cabecinha de lado, ainda quente, e com os olhinhos abertos, não me contive, chorei muito, muito, o peguei, agradeci a ele por todos estes maravilhosos anos que tivemos juntos, acariciei sua cabecinha e suas orelhas, e me despedi do meu amado tilzinho. Não tive coragem de traze-lo para enterrar, tamanha minha dor. Eu não quero ter cães nunca mais, eu não quero passar por isso de novo, nunca, nunca mais!

      Obrigado pelo espaço para o desabafo! Fiquem com Deus.

      Curtir

      Comentário por Carlos Alberto A. do Carmo — março 20, 2012 @ 18:44 | Resposta

      • Bom dia Carlos Alberto. Desejo que seu coração se acalme em breve… Abrs.

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — março 23, 2012 @ 10:58

  69. Prezado Augusto

    Gostei muito do seu blog. Eu tenho uma salsicha de 4 anos e a coluna dela já está toda calcificada. Ela tem sofrido muita dor. Não tem cura. As sessões de fisioterapia e acupuntura vão sair muito caros. Infelizmente, não tenho condições financeiras. Ela está tomando analgésico e anti-inflamátorios. A vet já avisou que vai chegar o dia em que os remédios não vão fazer mais efeito… Ela ainda anda, se alimenta e faz as necessidades sozinha. Geralmente, as salsichas sofrem com essa doença quando já é de idade…Vamos ter mais algum tempo com ela. Só de vê-la sofrer de dor é muito triste…Não podemos nem tocá-la…Ela quer colinho,mas sente dor…O olhar dela de tristeza corta o coração.Creio que vai chegar o dia da decisão difícil… Ela é a nossa primeira cachorrinha. E nós amamos muito.

    Abraços.

    Curtir

    Comentário por Lydia — abril 3, 2012 @ 16:24 | Resposta

    • Boa tarde Lydia.

      Agradeço por sua visita ao blog.
      Espero que sua salsicha viva por mais algum tempo por perto de vcs e que não sofra… que consiga ir por sí só, como a natureza manda… Um abraço.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — abril 3, 2012 @ 17:15 | Resposta

  70. Muito interessante esse blog, pude ver como tem pessoas que assim como eu, amam muito seus animais. Em janeiro de 2011 em tinha 7 cães e hoje abril de 2012 eu só tenho 4, isso me deixa muito triste, em fevereiro de 2011 tive que sacrificar uma yorkshire de 14 anos que já era diabética há 5 anos, cega e estava com vários de seus órgãos já debilitados em virtude da diabetes, ela morreu em meus braços suavemente, por mais triste que tenha ficado, percebi que naquele momento era o melhor que podia fazer por ela, pois estava sofrendo há algum tempo, em julho do mesmo ano, um outro york estava doente, sendo tratado e medicado, neste mesmo momento o seu filho também estava doente e eu e meu marido não percebemos, pois estávamos voltados para a cadela doente e mais um problema de saúde sério na família fez com que não percebêssemos o que ele estava passando, quando notamos e tentamos chamar o veterinário ele amanheceu morto, foi a maior tristeza da minha vida, me sinto culpada até hoje, pois não dei a ele a chance de ser tratado naquele momento, e agora no dia 6 de abril a sua mãe também teve que ser sacrificada, pois estava com problema renal, desorientada, e já não comia há alguns dias, tinha que dar água e papinha na seringa, foi mais uma decisão terrível, outra que se foi nos meus braços. Mas eu digo a todos vocês que não tem dor maior do que o que morreu derrepente, não consigo me perdoar de não ter percebido que ele também estava doente, mesmo todos os meus amigos falarem que eu estava com problemas pessoais sérios, ter me passado despercebido eu não me conformo. A decisão da eutanásia é muito difícil, mas quem ama seus cães sabe que para chegarmos ao ponto de optarmos por ela, é porque não queremos que os nossos amigos sofram mais do que já estavam sofrendo, mas quando você por motivo que seja, não percebe que seu cãozinho está com diarréia, achando que é o outro que está doente que está passando mal e em dois dias ele se vai, é pior que tudo. Espero um dia poder encontrá-lo e lhe pedir perdão.

    Abraços.

    Curtir

    Comentário por Rita de Cassia — abril 9, 2012 @ 19:19 | Resposta

  71. Olá. Sou uma apaixonada por cães e atualmente sou comtemplada com a presença de cinco grandes amigos peludos. Infelizmente estou há um ano tratando um cancer na minha querida boxer jadi, que já conta com doze anos de luta e companheirismo. Esta ultima noite chorei muito e ainda choro ao vê-la definhando por conta da doença. Tudo que podia ser feita pela medicina veterinária nós tentamos, mas vejo nos olhos de minha amiga o cansaço que esta doença e a idade causaram. Estou prestes a tomar a deficil decisão de, segundo as palavras do veterinário, “chamar o anjo da morte” para visitá-la. São dois sentimentos tão contraditórios que´só consigo chorar . Como é triste tomar a decisão de não ver mais uma amiga fiel. Mas como posso assistir diariamente ao seu sofrimento….estamos sofrendo juntas. Peço a Deus que me poupe desta decisão, porque a dor é imensa. Obrigada por disponibilizar este espaço onde podemos compartilhar nossa dor, angustias e lembranças.

    Curtir

    Comentário por gracy — abril 23, 2012 @ 20:08 | Resposta

    • Oi Gracy.
      Que São Francisco de Assis a livre de tal decisão.
      Um abraço, força e fé.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — abril 23, 2012 @ 20:55 | Resposta

  72. Estou muito triste neste momento, pois há poucas horas vi minha cachorrinha Peca de 16 anos deixar nosso convivio, entrei no google para pesquisar outros casos semelhante pois de certa forma me sinto um pouco consolado com as palavras que leio de pessoas com o mesmo problema e sentimento para com os bichinhos. Que Deus a ilumine sempre pois o vazio que deixou nunca será esquecido.

    Curtir

    Comentário por marco — abril 30, 2012 @ 19:10 | Resposta

  73. Triste…, tudo é triste quando se perde algo de tamanha grandeza como um animal que tanto comunica conosco. Sei o quanto é difícil decidir pela eutanásia mas, tive um cachorro que não tive coragem de tirar a vida dele e ele ficou os últimos dias de sua vida gritando e rolando de dor…, e depois morreu – isto foi de uma crueldade estrondosa. Então, não sei qual o melhor caminho ou pior.(?) Hoje tenho uma Labradora com 9 anos que é minha vida (diagnosticaram cancer no rim e tenho que decidir se operam ou não) Isto está mais dificil do que qualquer decisão que já tomei….(???). Se operam – pode viver mais 3 ou 4 anos; se não operam – pode viver mais 3 anos ou menos??? Mas operar minha cachorra que não apresenta nenhum sintoma…, nenhum mesmo. Até o veterinario duvidou do exame….
    Não sei o que fazer????
    Ahh… ela adora passear de carro – todos os dias (ela tem uma Palio Weekend – comprei para passear com ela).
    Abraços. Acho que tá sendo um desabafo. Afinal: o tempo me cobrará o que eu fiz…

    Curtir

    Comentário por Otto — maio 7, 2012 @ 4:41 | Resposta

    • Prezado Otto,
      Primeiro, agradeço por seu depoimento e visita. E segundo – tais decisões são mesmo doloridas e difíceis. Ter que decidir por alguém que sabe só nos expressar carinho, mas que não pode falar. E nosso coração fica aos pedaços. Sei bem como é isso.
      Grande abraço.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — maio 7, 2012 @ 8:34 | Resposta

  74. Minha poodle Kate está com 13 anos e com câncer avançado. Começou nas mamas, foi operada um lado, deu diagnóstico maligno tipo 1 que não era o pior. Mas após uns 4 meses, foi fazer os exames para operar o outro lado e ficou constatado câncer espalhando para pulmões, ossos de uma perna. É tudo muito rápido, e onde operou estourou novamente. O veterinário deu uns 6 meses de vida. Está sendo medicada, porém já tive que dobrar as doses, e ela treme o tempo todo, diz que é de dor, e geme baixo e às vezes alto, de dor. Estou tentando ter coragem de sacrificá-la, em casa todos são a favor, apenas eu ainda não me decidi, pois estou sofrendo demais com isso. Já rezei e pedi a Deus que a leve, que não deixe para mim essa decisão, mas cada dia que passa e a vejo sofrendo, me dói demais, e penso se não estou sendo egoísta. Só de imaginar em não vê-la nos lugares que estou acostumada a ver, em não te-la mais, em chegar em casa e não vê-la……. nossa dói de mais. Que faço?
    Yara

    Curtir

    Comentário por Yara — maio 7, 2012 @ 23:20 | Resposta

    • Bom dia Yara.
      Olha, essa é uma decisão que ninguém pode tomar por você. Apenas lhe digo que as duas coisas não são fáceis – decidir pelo sim deixou-me com um remorso eterno, me cobro sempre, sinto-me culpado. E, decidir pelo não e continuar a ver o sofrimento, até que a lei da natureza se cumpra, também não é fácil.
      Um abraço.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — maio 8, 2012 @ 8:48 | Resposta

  75. Meus queridos, estou passando e sentindo o mesmo remorso que muitos de vocês já sentiram ao ter que decidir entre a vida ou a amorte. Optei pela perda minha cadelinha Melissa, uma criaturinha que viveu conosco,eu eminha filha, durante 7 anos; tão boazinha, carinhosa e que nos deu muitas alegrias. Não posso deixar de dizer, alguns dissabores também, inerente é óbvio da sua condição de um ser dito não “racional”. Em 2010 foi diagnosticado uma compressão medular que nos deu alguns aborrecimentos mas, graças a Deus ela ficou bem. Em 2011 foi diagnosticado a doença Babésia, transmitida pelo carrapato. Foi tratada e novamente ela ficou bem, porém neste mês de abril/12 ela teve uma nova crise porém agravada talvez pela Babesiose. A piora foi muito rápida e de acordo com o veterinário não havia mais o que ser feito em relação a medicamentos, porém poderíamos tentar acupuntura e posteriormente uma cirurgia mas, que os resultados seriam imprevisíveis. Em menos de uma semana ela ficou paralítica e teve os rins comprometidos e eu tomei a riste decisão juntamente com a opinião do veterinário para a prática da eutanásia. Decisão difícil que ainda me dói e pesa na consciência. Este fato ocorreu na quarta feira passada dia 02/05/12, e ainda choro ao pensar que eu poderia talvez,ter feito um pouco mais, e que talvez eu tenha desistido dela. Li alguns artigos sobre eutanásia animal e fiquei umpouco mais confortada. Sei que a evolução deles é diferente da nossa e que tanto quanto nós “seres humanos” são resgatados em espírito e carinhosamente tratados mas, alguém saberia me informar sobre mesmo em espírito o que eles (nossos queridos animais) sentem em relação a nós? Saudade? Mágoa? Tristeza? Obrigada e abraços.

    Curtir

    Comentário por Eliane Oliveira — maio 8, 2012 @ 14:27 | Resposta

  76. Meus queridos, estou passando e sentindo o mesmo remorso que muitos de vocês já sentiram ao ter que decidir entre a vida ou a amorte. Optei pela perda minha cadelinha Melissa, uma criaturinha que viveu conosco,eu eminha filha, durante 7 anos; tão boazinha, carinhosa e que nos deu muitas alegrias. Não posso deixar de dizer, alguns dissabores também, inerente é óbvio da sua condição de um ser dito não “racional”. Em 2010 foi diagnosticado uma compressão medular que nos deu alguns aborrecimentos mas, graças a Deus ela ficou bem. Em 2011 foi diagnosticado a doença Babésia, transmitida pelo carrapato. Foi tratada e novamente ela ficou bem, porém neste mês de abril/12 ela teve uma nova crise porém agravada talvez pela Babesiose. A piora foi muito rápida e de acordo com o veterinário não havia mais o que ser feito em relação a medicamentos, porém poderíamos tentar acupuntura e posteriormente uma cirurgia mas, que os resultados seriam imprevisíveis. Em menos de uma semana ela ficou paralítica e teve os rins comprometidos e eu tomei a riste decisão juntamente com a opinião do veterinário para a prática da eutanásia. Decisão difícil que ainda me dói e pesa na consciência. Este fato ocorreu na quarta feira passada dia 02/05/12, e ainda choro ao pensar que eu poderia talvez,ter feito um pouco mais, e que talvez eu tenha desistido dela. Li alguns artigos sobre eutanásia animal e fiquei umpouco mais confortada. Sei que a evolução deles é diferente da nossa e que tanto quanto nós “seres humanos” são resgatados em espírito e carinhosamente tratados mas, alguém saberia me informar sobre mesmo em espírito o que eles (nossos queridos animais) sentem em relação a nós? Saudade? Mágoa? Tristeza? Obrigada e abraços

    Curtir

    Comentário por Eliane — maio 8, 2012 @ 14:30 | Resposta

    • Boa tarde Eliane.

      Seu depoimento certamente trará novas contribuições para o assunto.
      Um abraço.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — maio 8, 2012 @ 16:21 | Resposta

  77. Augusto, me sinto menos culpada agora, depois de ter lido sua história. Sei que vai demorar para passar essa dor. Estou tentando lembrar só das coisas boas, mas está difícil.
    Minha cachorra ocupa grande espaço em meu coração, mas agora ela não está mais sofrendo.

    vida digna, morte digna!
    Amor e sensatez andando lado a lado.
    Augusto, beijos. Iremos superar e lembrar dos grandes momentos com muita saudade.

    Curtir

    Comentário por Lívia — maio 11, 2012 @ 18:17 | Resposta

    • Bom dia Livia.
      Sim, iremos superar tudo isso. Tenho certeza que agimos da forma correta e esse sentimento um dia passará.
      Um abraço.
      augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — maio 13, 2012 @ 13:16 | Resposta

  78. Optei pela eutanásia em duas cadelas que dividiram comigo 12 anos de amor, alegria, dedicação e fidelidade,
    Eu sempre pensei que Deus dá a vida e somente Deus tira a vida e o veterinário, que hoje é amgo de toda minha família e amigos, na época me falou uma coisa…o animal te pede para que o deixe partir, espere e verá!
    E realmente, foi o que aconteceu…
    Molly e Lauanna me imploraram para que eu as deixasse partir!
    Apresentaram um tumor na teta e quando estourou, era a hora de partir porque estavam comendo a carne em volta do ferimento, causando muita dor e as deixando fracas, quase esqueléticas…
    Molly teve uma vida tranquila entretanto, Lauanna era diabética e devido a anos de aplicações de insulina já estava sem pelos e cega devido a diabetes…além de sofrer do coração, teve uma vida dura…
    Fiquei ao lado delas em todo tempo, em frangalhos, me prometendo que nunca mais passaria por aquilo outra vez embora na época ainda teria mais 2 cadelas e mais um cao.
    Sofri e ainda sofro com a saudade e não me arrependo de ter aoptado pela eutanásia porwue seria crueladade, egoismo deixá-las irem por conta própria.
    Se a eutanásia é contra a lei de Deus, peço perdão mas, jamais deixarei que um animal sofra desnecessariamente.
    Possuo 5 fêmeas e 1 macho, usarei de todos os recursos em caso de doença e se mesmo assim não houver cura estarei com eles até o fim, até mesmo no momento de entregá-los ao nosso Criador.
    Paz e luz a todos!
    Isabel

    Curtir

    Comentário por Isabel — maio 14, 2012 @ 16:02 | Resposta

    • Boa tarde Isabel.

      Emocionante o seu depoimento. Obrigado por compartilhar.
      Abraços.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — maio 14, 2012 @ 16:43 | Resposta

  79. Oi, meu nome é Katrina e estou passando por um momento muito difícil, pois estou tentando me despedir da LOLITA, labrador fêmea, que está conosco a 13 anos. De quinze dias para cá não está comendo, nem bebendo água, vomitando muito e defecando com sangue, fomos ao veterinário e foi dianosticado Insuficiencia Renal Crônica, por causa da idade ela desenvolveu a doença e seus rins estão quase parando, ainda está com cistite, nódulos nas mamas e úlcera por causa da IRC. Ela está a uma semana fazendo tratamento, internada, mas vejo que ela não aguenta mais, porém a veterinária diz que ainda existe esperança, mais a cada dia que passa ela está ficando pior, não está mais andando, vomita sangue, faz xixi e coco sem sair do lugar e fica suja. Não quero desistir dela, pois sei que ela não desistiria de mim, então o meu coração aperta a todo o momento que a vejo nessa situação. Todos os dias acordo às 6h da manhã para leva-la para internação, vou trabalhar e às 17h vou buscá-la, não está sendo um sacríficio para mim, mas sinto que ela não está feliz em ser furada por todos os lados, faria qualquer coisa para acabar com o sofrimento dela. Hoje fiquei umas duas horas tentando decidir o que fazer e decidi pela eutanásia em prantos a carreguei para o carro, depois de uma noite horrível, mas quando ligamos o carro para levá-la, ela colocou a cabeça entre os bancos da frente para fazer carinho e abanou o rabo, como eu iria conseguir fazer isso com essa demontração de vida? Até o meu noivo que estava completamente decidido ficou emocionado com o gesto dela.Só peço a Deus que me dê muita força, pois sou muito fraca psicologicamente para aguentar essa barra. Já passei por isso 2 vezes com uma gatinha Mel e com o nosso Fila Bob, porém foi diferente eles não sofreram tanto e quando tivemos que tomar a decisão da eutanásia eles já estavam praticamente mortos, só concluimos o que já estava acontecendo. E a Lolita está definhando aos poucos e é muito doloroso para mim e para ela. Eu só sei que a amo demais e não quero ser precipitada nesta decisão. E só que tem um animal a vida inteira é que sabe como dói vê-los assim.
    Abraços a todos.

    Curtir

    Comentário por Katrina Wander Mendes — maio 17, 2012 @ 14:48 | Resposta

    • Boa tarde Katrina.
      Fiquei emocionado com seu depoimento. E tenho fé em São Francisco de Assis que tudo ficará bem com a Lolita.
      Um abraço, força e fé.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — maio 19, 2012 @ 12:11 | Resposta

      • Oi Augusto.
        Depois desse dia eu não tive mais coragem de entrar no site, mas como chegam os posts no e-mail resolvi deixar mais comentário para quem está passando o mesmo que passei. Neste mesmo dia que postei o nosso sofrimento, às 16h a veterinária ligou e disse que queria conversar comigo, chegando lá ela me disse que a Lolita estava realmente morrendo e que não teria mais jeito, somente a hemodialise, eu já li que é um procedimento muito doloroso para o cão e eu tbm não tinha recurso financeiro. Optei pela eutanásia, entrei na sala e a Lolita não estava mais ali, ela tinha tido convulsoes durante o dia e isso a debilitou mais ainda. Eu acompanhei todo o procedimento, fiquei perto dela, fui forte como ela seria comigo pq eu sei que se fosse ao contrário ela estaria ali. E eu estava me achando tão cruel que queria que ela sentisse que nem mesmo naquele momento eu a deixaria só. Até hoje lembramos dela e sentimos muita falta mesmo. Não conseguimos pegar outro cachorro, pois achamos muito doloroso o adeus. Olha não é fácil essa decisão, mas eu sofreria da mesma maneira se ela tivesse morrido aos poucos e só Deus sabe como seria ruim tbm. Eu acredito que ela está bem e que um dia eu irei encontrar, não só ela, mas todos os meus cachorros pois eles sabem que eu os amei muito.
        Augusto obrigada, pois neste dia eu estava desesperada tentando achar um porquê para fazer isso, pois não me achava no direito de decidir pela eutanásia e vc me ajudou muito com seu depoimento.
        Abraços e força para todos.

        Curtir

        Comentário por Katrina Wander Mendes — abril 17, 2013 @ 15:37

      • Oi Katrina! Eu é que agradeço pelo seu depoimento emocionante. Augusto

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — abril 17, 2013 @ 15:40

  80. Prezado Augusto,
    Hoje soube que meu Pastor Alemão de 15 anos se foi através do procedimento de eutanásia. Sábado passado meu pai me falou: Filho, tem algo muito sério para resolvermos, Sheik não mais consegue andar devido à displasia, chora o dia todo, quase não enxerga e não houve mais nada. Meu pai já havia consultado sobre o assunto ao veterinário e o mesmo disse que a situação de sheik era irreversível. Acredito que embora com todos esses problemas de saúde vivesse mais alguns anos com muito sofrimento e dor. Estou muito triste, mas me sinto profundamente responsável por não ter ajudado meu pai na tomada de decisão que num primeiro momento pra mim muito cruel. Senti meu pai com um ar de arrependimento e chegou a me dizer que está sem dormir desde terça-feira e acho também que eu também não conseguirei dormir hoje. Quando soube, procurei confortá-lo, mas não sei se consegui. Logo em seguida tentei encontrar na internet e na Bíblia algo que justificasse o que fizemos com a vida de um ser que nos deu tanto companheirismo e alegria, mas o que consegui foi achar depoimentos que me deixou mais confuso e triste. Só queria deixar meu pai mais em paz com sua decisão e dizer a todos que aqui esporam seus depoimentos que a decisão é triste, mas que não podemos prolongar o sofrimento do nosso amigo. Espero que Deus nos perdoe! Sentirei saudades!

    Curtir

    Comentário por Robson Silva — junho 21, 2012 @ 23:48 | Resposta

    • Bom dia Robson.

      É realmente uma decisão difícil de se tomar.
      Agradeço sua visita ao blog. Volte sempre.
      Abrs. e paz.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — junho 24, 2012 @ 10:43 | Resposta

  81. Oi Augusto…e bom ter pessoas como vc,nessas horas poder compartilhar essa dor enorme da perca dos nossos bebes e horrivel,estou passando por isso neste momento no sabado tive ke tomar a dura desiçao de sacrificar minha Melzinha uma york de 1 aninho ,lamentavelmente ela pegou como todos dizem a maldita cinomose,lutou por 2 meses e nao conseguiu melhorar,so piorou cada dia mais,no dia 25 de junho ela começou a andar e cair com as patinhas traseiras,perder a cordenaçao,no dia 28 ela parou de andar,ja nao conseguia mais fazer as necesidades,tive ke optar em colocar fraldas descartaveis,estava perdendo muito peso mesmo nos aqui em ksa dando por seringa comida e agua,nao era a mesma coisa dela se levantar e comer sozinha…fizemos de tudo ke podiamos,mais ela ja estava sofrendo muito,nao kiz mais verla sofrer,no dia 30 levei ela ao veterinario fikei ate o ultimo respiro ao lado dela mais foi melhor assim…hj estou sentindo mto a falta dela aki,tudo me lembra e ela esta muito dificil de me conformar,infelizmente ela se foi e atraves do teu blog fikei um pouco melhor pq sabendo ke muita gente ja passou por isso.um abraço.

    Curtir

    Comentário por Mariana — julho 2, 2012 @ 19:21 | Resposta

    • Oi Mariana.
      Agradeço muito pelo contato e por seu depoimento. É realmente um momento difícil – ter que tomar uma decisão por alguém que nos ama, que não fala e que nos olha com olhos de piedade. Espero sinceramente que logo fique bem e se reconforte.
      Um abraço.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — julho 2, 2012 @ 19:36 | Resposta

  82. Eu penso que a eutanasia tira o direito do animal se recuperar pois enquanto a vida a esperança…penso eu q a chance de recuperaçao so acaba quando a morte chega.meu pittbul q estava comigo a 8 anos morreu hoje apesar de triste tenho certeza q fiz de tudo para ele se recuperar porem a morte venceu…

    Curtir

    Comentário por Francisca — julho 2, 2012 @ 21:56 | Resposta

    • Bom dia Francisca.
      Acredito que há casos e casos. E várias maneiras de interpretação.
      Sinto muito pela sua perda.
      Um abraço.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — julho 3, 2012 @ 10:21 | Resposta

  83. OLÁ AUGUSTO,VENHO TE RESPONDER O SEU COMENTÁRIO INFELIZMENTE OU FELIZMENTE PERDI A SHANINHA,MAS ESTOU ALIVIADA POIS NAO PRECISEI FAZER A EUTANASIA POIS QUANDO ACABEI DE ESCREVER PARA VC ERA 00:47hs E FUI ME DEITAR COM O MEU CORAÇAO NA MAO SABE ESCREVI UMAS COISAS PARA ELA PEDINDO QUE ELA NAO SOFRESSE E ACHO QUE DEUS ME OUVIU QUANDO FOI 01:30hs MINHA MAE E MINHA IRMÃ ME DERAM A NOTICIA DE QUE MINHA SHANINHA TINHA FALECIDO DORMINDO NA HORA CHOREI MUITO MUITO MESMO ATÉ O SEGUNDO DIA 03/07/12 MEU CHAO TINHA ACABADO MAIS LOGO DEPOIS LEMBREI DA SUA HISTORIA E O UQE HOJE ESTA ME CONFORTANDO É QUE ELA FOI EMBORA DORMINDO ISSO ME ALIVIA MUITO TE AGRADEÇO MUITO E ESTAREI SEMPRE ORANDO PELA MINHA DOR E PELA SUA FICA COM DEUS!!!!

    Curtir

    Comentário por Raphaela Alessandra Praxedes Fonseca — julho 5, 2012 @ 18:48 | Resposta

    • Oi Raphaela.

      Sinto muito pela sua perda. Mas, em breve estará bem. Fique em paz. Agradeço por visitar meu blog. Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — julho 5, 2012 @ 19:24 | Resposta

  84. Oi, minha cachorrinha Meg teve cinomose e depois de muitos remédio e injeções ela foi perdendo os sentidos…ficou cega, logo parou de andar, chorava muito, e não podia nem pegar ela, ela chorava os músculos ficaram doloridos. Optamos pela eutanásia, meu coração ficou partido, mesmo q ela tenha convivido conosco só 2 anos, mas era a minha espuletinha… vou sentir saudades dela…Sei q agora ela está bem, estava sofrendo demais…=(

    Curtir

    Comentário por Viviane — julho 16, 2012 @ 12:41 | Resposta

    • Bom dia Viviane.
      Agradeço pela visita ao blog e pelo comentário.
      Espero que já esteja se sentindo melhor.
      Abr.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — julho 17, 2012 @ 8:26 | Resposta

  85. Tenho uma cachorra “salsicha”, Ela tem 9 anos, faz 1 ano ela sofreu um a lesão na coluna (pois pulava muito, até as janelas), fez uma cirurgia, mas desde então não anda mais e não tem controle das funções fisiológicas, tentamos as rodinha (para as patinhas traseiras que ela não sente mais), mas ela não se adaptou. Agora, de uns dias para cá, ela está comendo as próprias patas (as que nāo sente), ficam em carne viva, e se colocamos curativos, ela morde mais e arranca tudo. Ela se arrasta pelo quintal e vive surja de xixi e coco, não sei mais o que fazer.

    Curtir

    Comentário por Bernadeth Bofo — julho 19, 2012 @ 16:56 | Resposta

    • Boa tarde.

      Agradeço seu depoimento no blog. Acredito que as pessoas que sempre visitam esse post irão te auxiliar com conselhos. Força e fé.
      Abraços.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — julho 19, 2012 @ 17:00 | Resposta

  86. Olá, Augusto, minha filha, Princesa, faleceu dia 06 de julho…depois de dois meses de sofrimento.
    Ela estava com a doença da sua doguinha, Bubba, ela tinha irc…uma doença ingrata, dolorosa, terrível.
    Minha doguinha viveu 13 anos maravilhosos comigo, que a amo, que a tratava como filha…que a beijava e dizia todos os dias “eu te amooooo, meeeuuuu!!!”… A levei à veterinária para vacinas e a veterinária disse que ela era cardíaca, mas, como estava bem, não foi medicada.
    Passados alguns dias, ela não conseguia levantar a parte traseira do seu corpo…voltei à veterinaria que me disse que faria um ultrassom, mas que tinha quase certeza de que ela tinha irc.
    O ultrassom e o exame de sangue detectaram uma taxa alta de creatinina e ureia, e que ela teria de começar a fazer fluidoterapia. Foi o que fiz. Foram 20 dias de fluidoterapia e ela apresentou uma melhora nas taxas de creatinina e ureia, algo que a veterinária considerou “milagre”, pois ela me disse que as taxas como estavam não baixam, levando à morte.
    No entanto, ela começou a melhorar, pelo menos, por um pequeno período…Ela chegou a perder uma parte pequena da lingua, tão forte foram essas taxas.
    Comecei a notar, no entanto, que depois dessa melhora, ela começou a apresentar um tremor na cabeça, como se tivesse “parkinson” e uma perninha dela inchou. Eu a levei a outra veterinária para que pudesse fazer a radiografia e aproveitei para uma 2a. opinião. A veterinária que a examinou disse que ela não tinha nada na pata, mas que infelizmente podia, pelo hálito da Princesa, dizer que ela estava com taxas altíssimas de ureia e creatinina e que não andaria mais, iria começar a definhar e que, infelizmente, ela iria sofrer muito e era para eu me preparar.
    Comprei remédios homeopáticos, fiz musicaterapia, dancei com ela no colo, a coloquei no solzinho durante aqueles dias de inverno…continuei fazendo a fluidoterapia. Ela dormia comigo já há algum tempo para que eu a observasse. Tirei licença-prêmio do meu trabalho para passar mais tempo com ela, Ela já não conseguia mais andar, cambaleava, tinha o abdômen inchado e parecia que estava em estado de torpor, não olhando mais para mim, não prestando mais atenção ao que se passava ao redor…Foi então que no dia 06 de julho eu acordei com ela gemendo e esticando as patinhas, uivando e gemendo mais e mais. Liguei para a veterinária e disse que minha cachorrinha estava morrendo, corri para o consultório e a veterinária me disse que não havia mais o que se fazer. Eu já havia chorado muito, comecei a me desesperar, mas senti que não tinha mais o que fazer mesmo. Era algo que fugia ao meu controle. Perguntei à veterinária o que ela faria se estivesse em meu lugar e ela disse que faria a eutanásia.
    Beijei minha doguinha, molhei sua carinha com minhas lágrimas e disse:”obrigada por tudo, meu amor…eu vou te encontrar”…não consegui ficar na sala…A veterinária me disse que não precisou aplicar a injeção fatal, que ela morreu durante a 1a. anestesia, pois o procedimento é o de primeiramente se anestesiar o animalzinho e, depois, aplicar a injeção para eutanásia.
    Sabe, eu ainda não me recuperei…pesquiso e pesquiso muito sobre irc, morte, eutanásia, e acabei chegando nesse blog…e vejo que há inúmeras pessoas que passam por isso e sentem o mesmo que eu…isso me dá um alento e eu só tenho a dizer que agi com ela como gostaria que agissem comigo…eu não gostaria de ficar “vegetando” numa cama, com uma dor imensa, intoxicada, morrendo aos poucos…Dói , sim, dói muito voltar para casa e saber que ela não está mais comigo, que não tenho mais aquela criaturinha tão especial…mas a vida, como já disse um amigo, é surpreendente e efêmera…Hoje, estou aqui, amanhã…não sei…não é? Posso dizer que eu a fiz feliz e que ela me fez feliz…Acredito num reencontro!

    Curtir

    Comentário por Rosilene — julho 21, 2012 @ 20:56 | Resposta

    • Bom dia Rosilene.
      Que depoimento emocionante! Obrigado por compartilhar…
      Tenho certeza que encontrará a Princesa, do outro lado da ponte…
      Abrs.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — julho 23, 2012 @ 8:42 | Resposta

  87. Tenho 2 cães , eles tem 16 anos. são dois idosos em casa. rsrs. Quando me lembro de todas as suas brincadeiras, todas as suas fugidinhas, toda a alegria de me ver chegar em casa, e toda a tristeza de quando me viam sair pra trabalhar tenho saudades! Agora que estão idosos não tem a mesma energia que tinham, pra comer tem que ser um cardápio bem variado, mas 16 anos de amor e fidelidade não se esquece! Cuido dos dois com bastante amor, carinho e paciência. Procuro dar bastante conforto (com colchões e colchinhas bem quentinhas) pra eles dormirem, fazer um cardápio bem legal pra que eles gostem de comer (pois ficam sem apetite, luxentos kkkk) . O engraçado é que eles passam a maior parte do dia dormindo, deitadinhos. Um deles já está até cego. Mas nem por isso vou abandoná-los nem optar pela eutanásia , pois graças a Deus eles n tem uma doença incurável e sim sintomas de velhice , afinal (qual velho que n dar trabalho?). O que me resta é dar o que recebi deles esses anos todos comigo.

    Curtir

    Comentário por kilma — julho 21, 2012 @ 23:15 | Resposta

    • Bom dia Kilma.

      Linda a sua história de amor e convivência com seus dois amigos. Que Deus permita que eles compartilhem contigo mais alguns anos.
      Abrs.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — julho 23, 2012 @ 8:45 | Resposta

  88. caro augusto! tenho uma rottiwalle chamada pitty ela esta com linfoma desde sabado dia 28 ela não esta andando mais não tem mais força parece paralisada tem vezes que eu acho que ela se rasteja para o quintal pois peguei ela caida no quintal os olhos dela tem vida mais esta muito magrinha sem força para comer dou soro caseiro na seringa e ate papinha na mamadeira mais come muito pouco e reparei que ela não fez xixi estou muito preocupada pois essa situação esta me deixando doente estou entrando em depressão em ver a minha cadela assim ja que ela era tão esperta,eu não posso ser egoista ao ponte de ver ela chegar no extremo sofrimento ela era muito boa para ter um final tão doloroso vou esperar mais alguns dias no maximo dois ,pois estou pensando em tomar a decisão da eutanasia,pois o caso dela não tem cura vejo nos olhos dela o sofremento que esta sendo ela não poder andar para esta do nosso lado de não poder fazer sua necessidades não poder brincar com os outros cachorros so olhando deitadinha isso deve ser torturante para ela eu não fazer ela sofrer mais do que ela esta sofrendo ela sabe o quanto eu a amo digo isso pra ela todo minuto mais não estou sabendo lidar com essa perda ta sendo muito torturante e triste e ela ve em mim que eu estou fazendo de tudo mais não a solução tento não chorar ou parecer triste perto dela mais esta dificil obrigado

    Curtir

    Comentário por carla — julho 30, 2012 @ 10:21 | Resposta

    • Bom dia Carla.

      Já passei por isso e sei como é uma decisão difícil de se tomar.
      Espero sinceramente que a Pitty melhore e que consiga conviver mais um tempo com ela.
      Abrs.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — julho 30, 2012 @ 10:38 | Resposta

  89. Caro Augusto,
    Estou passando por uma fase de altos e baixo em minha vida, Tenho um grande amor que se chama Luck e está com 13 anos um pastor alemão.Desde outubro onde começou a sua crise ele vem em seus altos e baixo pois ele tem displasia coxo femural e não mais anda só usa fralda geriátrica para dormir e usa fralga de criança durante o dia devido a incontinencia urináriae faz as nescessidades deitado e eu fico mudadando a sua posiçao durante várias vezes durante o dia e ele me espera com a maior felicidade para poder ajuda-lo. Hoje ele se tornou dependente de mim em todas as situações porque ele não aceita mais ninguém em mexer nele fa forma que eu faço. A dois dias eu liguei para a veterinária dele e ela me disse que devido ao tempo e a idade é ireverssível o caso dele e que eu só estou prolongando o seu sofrimento.Nisso eu me senti culpada porque ele não reclama em nenhum momento de dor e se ele sente não demonstra, então eu conversei com a minha vet e marquei o procedimento mas o meu sentimento é de pensar se viver dessa forma vale a pena. Concordo que a eutanásia é uma forma total de AMOR eu estou com medo de eu passar mau devido a minha decisão. Estou lá dentro do coração com uma dor , uma dor muito grande de só em pensar que ele passou comigo por todas as fases de minha vida ao meu lado e que hoje estou abrindo a mão dele. Não queria ter este sentimento,,, Deus daime força!!! eu o amo muito e não vou ver nada porque ela disse que não sofre e nente nada estou confiando em sua palavra.

    Curtir

    Comentário por christiani prado — julho 31, 2012 @ 18:20 | Resposta

    • Bom dia Christiani.

      Tal decisão não é fácil de se tomar. Em meu caso, sei que abreviei o sofrimento da Bubba, mas, ficou em mim um sentimento de culpa.
      Espero que tudo se resolva bem para vc.
      Um abraço.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 1, 2012 @ 8:41 | Resposta

      • Augusto nunca tinha sentido a dor da perda é muito ruim,como doi eu passei mal e a minha pressão foi a 20 e eu sei que fiz a coisa certa pelo grande amor que tenho a ele não mais permitir que viva do jeito vegetativo por puro egoísmo umas.A saudade é muito grande e eu nâo sabia que doia…mas agora coloquei umas flores que ele gostava para mante-lo vivo em minhas lembranças.Eu oo amo muito.

        Curtir

        Comentário por christiani — agosto 5, 2012 @ 9:11

      • Boa tarde Christiani.
        A dor é mesmo muito forte, mas, com o tempo, saberá que foi o melhor a fazer.
        Que passe logo e que fiquem somente as lembranças boas.
        Abraços.
        Augusto

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — agosto 5, 2012 @ 13:00

  90. Olá, Augusto.. Não sei por onde começar..
    Quero parabenizá-lo pelo grande amigo que foi à Buba, pelo amor que lhe deu durante a passagem dela pela sua vida.
    Sei que essa não é uma decisão que se encontra na internet.. mas seu texto clareia um pouco nossa visão que anda nebulosa diante de tanto sofrimento por ver e sentir nossos companheiros em situação indesejável. Hoje preciso decidir o que ainda me soa como “abuso de poder”, pela esperança de que tudo se resolva e se cure. Uma vez que não recebemos um diagnóstico claro sobre a nossa cachorra, a Quininha. Essa guerreira, de mais de 17 anos (e está comigo desde meus 11 anos) está muito debilitada. Há 3 meses começou a ter diarréia sem causa aparente. A levamos numa veterinária que solicitou alguns exames (sangue, urina, fezes) e simplesmente nada foi diagnosticado. Ela teve que tomar antibióticos e probióticos e se alimentar com uma ração especial para o intestino. Apesar dela se manter ativa, dentro do possível, nada adiantou. Mas continuamos tratando, mesmo sem saber exatamente o que ela tinha. Há quase 3 semanas ela ficou mais indisposta e a levamos em outro veterinário, que solicitou um ultrassom. Novamente nada foi diagnosticado. Mas tudo indicava inflamação intestinal, pelos sintomas. Foi internada algumas vezes, pra tomar soro e medicamentos. Ela emagreceu muito, não come há mais de uma semana. Ficou durante a noite retrasada na clínica, recebendo soro, analgésicos… Ontem ela voltou pra casa e decidimos que ela ficaria lá, pra que tudo ocorresse naturalmente. Ela está sofrendo, logicamente, pois não anda, não se alimenta.. faz xixi deitada e o que expele já não são mais fezes. Está há muito tempo calada (há uns 2 meses não a ouvimos latir..) Não chora, não geme.. não late.. apenas dorme e parece estar consciente. O fato de ela não chorar é que me faz parecer que não sente dor e me põe a dúvida sobre o que é melhor pra ela. Estou extremamente insegura se eutanásia é o melhor ou se deixar que ela encontre o tempo dela naturalmente é o mais digno. Estamos muito abalados com tudo isso. A Quininha é o que há de especial na nossa família.. é o nosso amor maior e obviamente queremos o melhor pra ela. Meu pai acha que a eutanásia é a melhor solução nesse momento, já que pra ele o estado dela é irreversível, de acordo com o veterinário. Minha mãe está tentando se “conformar” com essa solução pra dar fim ao sofrimento da Quininha e ao dela também. Eu simplesmente ainda tenho a esperança de que ela melhore.. ou que ela vá encontrar naturalmente seu caminho. Não sei o que fazer..

    Curtir

    Comentário por Lívia — agosto 1, 2012 @ 10:55 | Resposta

    • Lívia,

      Escrevo para vc com lágrimas nos olhos – em seu texto revivi muito do que passei com a Bubba. E sei que não é nada fácil. Não é fácil vê-la assim e não é fácil tomar a decisão pela eutanásia. Sinceramente lhe digo – hoje não sei se optaria pela eutanásia, pois o sentimento de culpa que ficou em mim é muito grande. Ao mesmo tempo, sei que ela deixou de sofrer. Mas, são fases e fases, situações diversas pelas quais passamos em nossas vidas e que aparecem para nos testar. Vejo dessa forma.
      Luz, paz e sabedoria é o que desejo para vc e sua família nesse momento. Que São Francisco esteja sempre por perto. Medite, peça uma luz. Como diz meu guru: “o mestre aparece quando vc está pronto”. Que a solução se apresente quando vc estiver pronta. Ou que ela se vá, levada pelas mãos de nossos amigos de luz.
      Abraços.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 1, 2012 @ 11:43 | Resposta

      • Bom dia, Augusto! Sinceramente, muito grata pelas palavras de conforto… Você é um ser especial, pelo carinho que demonstrou no comentário.
        Conversei com o veterinário ontem sobre essa possibilidade e ele realmente acha que é a melhor saída. Ele me parece ser muito sensato e coerente.. Disse não ser adepto a essa prática, mas em casos como o da Quininha considera o melhor a ser feito. Pediu pra gente conversar com outros veterinários (confiáveis, lógico), pra termos outras opiniões e assim nos sentirmos mais seguros sobre a decisão. Inclusive, nos indicou uma veterinária homeopata pra conversarmos sobre.

        O que acontece é que, como citei no primeiro texto, a Quininha não teve um diagnóstico e por isso tenho esperança, apesar de tudo. O veterinário disse que o exame que daria o diagnóstico precisamente é a endoscopia, mas provavelmente a Quininha não resistiria a anestesia. Além de tudo, o que me incomoda é o fato deste tipo de exame não estar disponível em Florianópolis, onde moramos. O lugar mais próximo pra se fazer é em Curitiba! Aqui em Florianópolis nem tem faculdade de veterninária.. é inacreditável.

        A Quininha está em casa, recebendo nosso carinho, amor e atenção para cada segundo. Não quer comer, nem beber água e treme muito, apesar de matermos ela bem quentinha com cobertores e o uso de um aquecedor. Continuo muito confusa, pois em alguns momentos ela parece estar melhor (Graças à Deus) e fico com medo de uma atitude precipitada. A todo momento mentalizo o melhor.. pedindo a Deus uma luz, um caminho de cura, em todos os sentidos.

        Mais uma vez, grata pela troca, Agusto! Grande abraço.

        Curtir

        Comentário por Lívia — agosto 2, 2012 @ 10:53

      • Bom dia Lívia. Eu é que lhe agradeço por compartilhar suas angústias e fé na melhora da Quininha. Quando escrevi esse post não imaginei que ele tivesse tantos acessos e tantas participações. Vejo que o assunto é algo latente e até tabú em todos nós que amamos os animais. Abraços e força! Augusto

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — agosto 2, 2012 @ 11:25

      • Olá pessoal..fiquei feliz em ver que o blog está ativo aqui..para compartilhar como com todos vcs minha dor..Com os olhos em lágrimas venho contar a história da minha linda Rotwler Kyra..A conheci a 8 anos atras..quando já tinha 3 anos..namorando hj meu atual marido..Ele estava se separando..e a Kyra me adotou como sua nova dona..de coração senti isso..Nesses 8 anos de convivência nos mudamos muito devido ao trabalho de meu esposo..e ela nos acompanhando..Em tdos os momentos..tristes..felizes..a filha que não tinhamos..Kyra era uma rotw de grande porte..muito maior que os machos da mesma raça..linda..a mais linda que já vi..de revista!Paulo meu esposo sempre fez muitos exercicios com ele..caminhadas..sempre foi muito forte..e amava como tdos os cachorros..Porém á uns 3 anos percebemos..que nos invernos..ela chorava de dor qndo se deitava..mas eram fases..passavam..vinha o verão e ela não tinha sintoma algum..Neste abril de 2012 ela completou 11 anos..passou por mais um inverno para nossa alegria..Neste mesmo inverno em agosto chegou nosso primeiro lindo filho..Bernardo!Com as atividades com um Rn..e trabalho..pouco dei atenção a ela neste período..o Paulo ainda a noite saindo para passear..Mas á uns 60 dias atras ela começou com as dores novamente..se deitava e chorava..Mas era somente este o sintoma..e não sempre..fomos aguardando..Até que num determinado momento percebiamos já dificuldade para caminhar..ficava sentada com as patas da frente..mas as traseiras com dificuldade para caminhar..Chamamos a veterinária..que aplicou uma injeção e tratamos com anti-inflamatórios..E ela se recuperou..ate rolava na grama..Iamos iniciar com geriox mas a veterinária disse para mais uma semana continuarmos com a medicação..e nesta ela começou a regredir e só piorou..mais do que na primeira vez..Ela já precisava que carregasse a parte traseira para deslocarmos novamente..Um dia entrou na casinha e não conseguia mais sair..Meu esposo não estava chamei meu cunhado e quebramos a casinha para tirála..ela se mijava tadinha de dor..Chamei a veterinária que me deu uma medicação para aplicarmos a cada 48 horas..Calor..minha preta não conseguia nem tomar mais água nem que deixassemos na sua frente..ela só se arrastava com a parte traseira..e a medicação não conseguiu faze-la reagir..do contrário piorando..gritando de dor..Neste calor cheio de moscas ao redor..fazendo xixi e coco no lugar que estava..Foi quando no dia 19 meu esposo disse..chega..não posso mais ve-la sofrendo assim..vamos ter que sacrificar..Ligou para veterinária..que é muito de nossa confiança..que ama d+ os animais..e ela nem titubeou..o que me levou a crer que não tinha mais volta..Então ela veio até nossa casa..tranquei me no quarto com meu filho..não quis participar..Só vi meu esposo carregando as patas traseiras dela para deita-la na grama..e a vet com o produto em mãos..Tudo tão rápido..quando vi meu marido ja entrava no banheiro para chorar..Eu não quis despedir me..pois estava chorando muito..ela saberia que algo de ruin estava para acontecer..meu marido controlado e lhe passando confiança ficou ao seu lado neste momento..Lendo os posts..percebo que todos temos o mesmo sentimento..da dúvida..da culpa..e de que o pior era ve-la se arrastando..sofrendo..chorando..já não era vida..já não era minha Kyra,,Ela latia como qndo deixavamos presa..que pedia pra fazer xixi..nos pedia alguma coisa..ela precisava que acabassemos com esse sofrimento..O coração realmente dói demais..esperamos que a dor vá embora e fiquem as boas lembranças e saudade..Li tantos comentários lindos de que eles nos esperam no outro plano para viverem conosco na eternidade..isso me deixou com um sentimento melhor..de que acabamos com seu sofrimento..lhe demos uma morte trabquila e sem dor..a deixamos descançar..Que todos nós possamos superar essa dor..e que possamos encontrar nossos amados bichinhos no outro plano!Abraço a todos!

        Curtir

        Comentário por Leandra — dezembro 21, 2012 @ 16:11

      • Boa tarde Leandra.
        Agradeço pelo depoimento. Que sua dor seja breve.
        Abraços.

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — dezembro 21, 2012 @ 18:24

  91. Boa Noite,
    Acabei de ler o seu texto,estou emocionada. Soube na sexta-feira 03/08/12, que meu amigo fiel há 13 anos, um York,está com câncer no intestino do tamanho de uma laranja. Não sei ainda o que farei.Estou desolada.Não consigo imaginar em sacrifica-lo.Engraçado que nem parece que ele está doente.Sinto que ele sabe da minha tristeza.Estou pedindo a Deus para que dê uma luz para essa situação. Um abraço e obrigada!

    Curtir

    Comentário por Vanessa — agosto 5, 2012 @ 23:14 | Resposta

    • Bom dia Vanessa.
      Tenha fé que tudo se resolverá bem. E se ele não sente dor e não aparenta incômodo, poderá seguir assim por um bom tempo, feliz e ao seu lado. É o que lhe desejo.
      Abraços.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 6, 2012 @ 9:06 | Resposta

  92. Eu estou passando por uma situação semelhante. Há cerca de 15 dias, a minha gata, de sete anos, foi diagnosticada com disfunção renal. A princípio, foi um choque. Atualmente, ela fazendo fluidoterapia diariamente, na intenção de deixá-la confortável. Ela é uma gata forte, astuta, mas sente os efeitos da doença. Estamos nos mobilizando, dando carinho, atenção, cuidados. A veterinária disse que nós devemos nos preparar. Pergunto. Como é possível? Sei que é uma questão de tempo ela sugerir esse procedimento. Por um lado, quero ter ela comigo. Por outro lado, sei que ela está sofrendo. Basta focar no olhar dela. Infelizmente, só quem passa por uma situação dessas sabe o quanto é difícil e doloroso estar em uma situação assim…

    Curtir

    Comentário por Ricardo Sá — agosto 7, 2012 @ 13:37 | Resposta

    • Boa tarde Ricardo.

      Para mim também foi um baque quando a veterinária da Bubba disse que eu precisava me “preparar para o pior”.
      Tenha fé. Quem sabe o processo não se reverta e sua gata ficará curada.
      Abraços.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 7, 2012 @ 17:20 | Resposta

  93. [...] O post mais polêmico que já escrevi aqui foi sobre a Eutanásia praticada em animais. [...]

    Curtir

    Pingback por Sobre animais, eutanásia e crueldades praticadas contra esses seres que nos são tão próximos « A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini — agosto 8, 2012 @ 12:32 | Resposta

  94. Hoje dia 08/08/2012 to me sentindo mal muito mal, bom acabei com o sofrimento de Belinha minha viralata de 16 anos, minha paixão minha e da minha filha, não sei se fiz o certo só sei que ela tava sofrendo muito, já tinha sido operada a 2 anos com câncer, agora voltou essa doença maligna com muita força, no momento me sinto como um judas que tirou a vida de uma pessoa da familia assim que me sinto. Mas só de saber que ela essa noite não vai mais gritar de dor me alivia um pouco, mas Deus acho que vai me perdoar só fiz pra não ver o sofrimento dela. Todos que passaram por essa dor sabe o que to sentindo nesse momento chorando e escrevendo e lendo os depoimento pra ver se minha culpa fica mais leve abraço a todos que estão lendo.

    Curtir

    Comentário por Maria Elisa Giacoia — agosto 8, 2012 @ 16:21 | Resposta

    • Bom dia Maria Elisa.

      Espero que logo você esteja se sentindo melhor e reconfortada.
      Abraços.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 9, 2012 @ 8:55 | Resposta

  95. Estou passando por um sofrimento mt grande. Minha gata de 12 anos sofre de um câncer de mama com metástase em fase avançada, Minha dor cresce qdo penso na eutanásia que o veterinário me aconselhou, Não sei se tenho coragem para fazer isso, Só sei que minha consciência vai me acusar para sempre. Mas, vê-la sofrer é muito ruim. Estou cuidando dela, porém me sinto consumida intimamente por essa situação. Os gatos não gritam, sofrem em silêncio, ficam tristes, andam de um lado a outro…é torturante pra mim. Ha 12 anos com a gente, ela é como se fosse uma pessoa da família!
    Só me resta orar a Deus e pedir sua intervenção para trazer uma solução boa pra esse caso.

    Curtir

    Comentário por Natal — agosto 9, 2012 @ 20:26 | Resposta

    • Oi Natal.
      Tenha fé! Tudo se resolverá da melhor possível.
      Um abraço.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 10, 2012 @ 8:32 | Resposta

      • Obrigada Augusto, pelas palavras de conforto. As palavras tem força!

        Curtir

        Comentário por Natal — agosto 10, 2012 @ 19:31

      • Imagine. Obrigado vc, por contribuir com essa discussão. Abrs.

        Em 10 de agosto de 2012 19:31, “A Simplicidade das Coisas — Augusto

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — agosto 11, 2012 @ 12:33

      • Imagine. Eu é que agradeço seu comentário, contribuindo assim com essa discussão. Abrs.

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — agosto 11, 2012 @ 12:34

  96. estou chorando….enquanto meus olhos choram….os olhos de minha cachorrinha Suzy se fecham para sempre……
    me perdoe minha querida…eu te amo muito,muito muito,muito……..não queria autorizar,mas só eu sei como dói,nem Deus sabe como tá doendo,porque so eu que estou aqui dentro…

    Curtir

    Comentário por janete martins castelanelli — agosto 10, 2012 @ 12:46 | Resposta

  97. ola, meu Rottwailer esta com 15 anos, ela se chama Brenda é linda tem 35 kg, mais esta com a anca arriada, já retirou o ovario,um tumor na mama e agora vejo q ela ñ esta mais aguentando, eu tenho q arrasta-la para o quintal toda vez q ela quer fazer xixi, e isso é muito doloroso, vejo ela perdendo a dignidade pois ela já foi uma fiel cão de guarda, meu marido ñ tem coragem de sacrificar, mais como fico com ela o dia todo e escuto aquele choro baixinho e sei q ela ñ esta mais feliz,ela só dorme se tomar remédio para dormir, vc acha q sou uma insensivel por achar q ela merece um pouco de dignidade? ou vou ter q esperar ela gritar de dor para sacrifica-la, me dê uma luz!!!!!!!!!!!

    Curtir

    Comentário por fatima cristina dutra — agosto 18, 2012 @ 13:04 | Resposta

    • Olá.
      Essas situações são sempre complicadas e a gente fica sem ação. Mas, tenha fé. Dizem que ela move montanhas. A solução aparecerá. E ela pode melhorar!
      Um abraço.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 19, 2012 @ 1:04 | Resposta

  98. oi estou desesperada minha cachorra esta enternada a tres dias e lutando muito para viver ela tem o sistema imunologico totalmente baixo esta enternada mas a veterinaria não da esperanças pra nos recebeu sangue e agora esta pra deusiz que no soro com antibioticos esta com vomito e teve convunçoes e esta muito fraca mas a veterinaria não nos da esperança mas nos mantela na clinica que pode ser que mude o quadro o que devemos fazer sera que ela vai melhorar ela esta lutando para viver ainda apresenta vomitos e mal cheiro na boca e esta muito fracaa veterinariadizaii que ela pode melhorar me de dela uma resposta boa quero ela aqui sera que é melhor trazela pra casa pra ficar perto gente ou deixo enternada talves melhore a veterinaria não garante a vida dela mas mandou deixala enternada que pode melhorar o que faço

    Curtir

    Comentário por rosimeire ferreira simões — agosto 19, 2012 @ 0:45 | Resposta

    • Boa noite Rose.
      Olha, só você mesma é que pode decidir o que fazer. Reze. Peça uma luz que ela aparecerá.
      Um abraço.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 19, 2012 @ 1:00 | Resposta

    • Tenha respeito e amor por esse animalzinho !!! Livre-o dos sofrimentos imediatamente !!!

      Curtir

      Comentário por luis otávio — agosto 19, 2012 @ 10:27 | Resposta

  99. Bom dia !!!
    Porque tantas perguntas e questionamentos sôbre esse assunto ??? Tudo muito simples, a vida só é vida quando vivida com saúde… Fora disso não existe vida !!! Chega daquelas idéias absurdas de ter aguentar sofrimentos e sofrimentos até o final. Os seres humanos criaram o avião, foguetes, bomba atômica e ainda ficam presos a essas besteiras ??? Uma máquina humana com sofrimentos físicos, deve ser aliviada imediatamente de seus sofrimentos, isso é um ato de amor. Deixar sofrendo, um ser humano, tendo as ferramentas para acabar com as dores, sinceramente é “FALTA DE AMOR”

    Acredito que em um futuro bem próximo a eutanásia estará livre igual tomar remédio para dores de cabeça !!! Fiquem todos em paz !!! Mesmo conscientes que a eutanásia não foi liberada geral ainda !!!

    Luís Otávio

    Curtir

    Comentário por luis otávio — agosto 19, 2012 @ 10:24 | Resposta

    • Boa tarde Luis Otávio.

      Acabo de ler seu comentário. Não sei. Sou a favor da eutanásia, mas a coisa não é tão simples como você descreve. Somos humanos. Temos sentimentos enraigados com os animais. Não é fácil tomar tal decisão.
      Abraços e agradeço por sua visita e comentário.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 19, 2012 @ 12:44 | Resposta

  100. Estou passando por essa difícil situação, dói muito e ainda não estou certa se é isso que quero para o Bruce, ele não anda, sofre de uma doença degenerativa, faço tudo que posso, estou vivendo em função de cuidar dele, pois necessita de alguém para tudo que vai fazer. AS vezes acho que sou má e cruel por querer ele ao meu lado de qualquer jeito, outras vezes me acho a pior pessoa do mundo só de pensar em eutanásia, ele confia em mim, como posso pensar em mata-lo?? Meu Deus acho que estou vivendo os piores dias da minha vida. O que devo fazer? Matar quem me ama e confia em mim?? que conviveu ao meu lado por 6 anos, ou deixa-lo sofrer assim….

    Curtir

    Comentário por Fátima Abreu — agosto 24, 2012 @ 7:56 | Resposta

    • Bom dia Fátima.
      Essa é uma pergunta que só você, juntos com os seus, poderão responder. Digo que não é uma decisão fácil, pesa, dói. Em mim, ficou a culpa, mas sei que abreviei muita dor e sofrimento da Bubba.
      Um abraço, fé e força.
      Att.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 24, 2012 @ 8:44 | Resposta

      • Olá caríssimo Augusto,

        Infelizmente tive que tomar a pior decisão que já me foi imposta, o Bruce sofria muito chorava dia e noite, e no domingo levamos ele, seu corpo foi cremado ontem. Sabe é uma dor muito grande não te-ló mais aqui comigo, não sei quando isso vai passar tudo aqui em casa me lembra ele. Mas rezo e peço a Deus que ele esteja em um bom lugar. Obrigada pela atenção que você me dispensou.

        Um abraço

        Curtir

        Comentário por Fátima Abreu — setembro 4, 2012 @ 6:58

      • Bom dia Fátima. Olha, eu costumo dizer que a dor não passa. A gente acostuma com ela. E o Bruce está em um lugar melhor, com certeza. Lembre-se dos bons momentos junto dele. Chore. É bom. Eu ainda choro pela Bubba. Abrs.

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — setembro 4, 2012 @ 8:41

  101. Infelizmente estou passando por esse momento difícil agora.
    Meu cachorro, James, um schnauzer miniatura de 12 anos está com câncer e não esta respondendo aos tratamentos.
    Para piorar eu sai de casa faz um ano. Fui morar com meu namorado e ele ficou na casa da minha mãe.
    Faz alguns meses que não o vejo. E me sinto culpada por tê-lo deixado “sozinho” (ele tem minha mãe que fica o dia todo em casa, meu pai e meu irmão).
    Agora eu tenho dois empregos, nao consigo deixar tudo e estou tentando conversar com a minha família para tomarmos a decisão.
    Eu só consigo imaginá-lo sofrendo, chorando e com muita dor agora.
    Perdê-lo vai ser a pior coisa, ja que eu nao tenho um bom relacionamento com a familia e o Jeje é como se fosse um filho pra mim.
    Eu acordava no meio da noite para cobri-lo, deixava um guarda-chuva para ele e ficava na chuva quando ele tinha que fazer necessidades, sempre tinha os brinquedinhos, cama, cobertor, pão (que ele ama), muito carinho. Sempre foi companheiro, obediente e estava sempre por perto.

    Enfim, eu não sei exatamente o que vai acontecer, mas pelo o que tenho conversado com o veterinario, acho que ele realmente tem poucas chances de melhorar e talvez essa seja a melhor alternativa.

    Mesmo assim, é muito dolorido imaginar tudo isso.

    Sei que estou sofrendo, mas prefiro sofrer com a culpa do que saber eu o deixei sentir muita dor quando poderia poupá-lo.
    Eu tambem nao estou perto dele.

    Obrigada pelo post.
    E espero que faça a melhor escolha por quem sempre esteve do meu lado.

    Curtir

    Comentário por madonnaviana — agosto 27, 2012 @ 16:42 | Resposta

    • Bom dia!
      Agradeço por sua visita e postagem. Que tudo corra bem e que o James melhore.
      Abrs.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 28, 2012 @ 8:53 | Resposta

  102. Ainda me sinto em dúvida em relação a isso, tenho um beagle de 4 anos que está com insuficiência renal, está recebendo soro há uma semana e nenhum sinal de melhora, o problema dos rins passou para o pâncreas, o problema é congênito, logo, já veio com ele. A veterinária diz que ele poderá, no decorrer do tempo, ter convulsões e sentir fortes dores.
    Minha família está passando por uma situação muito difícil, pois o cãozinho já é um membro da família…Todos nós oramos por ele todos os dias, mesmo tendo conhecimento que não há cura, mas nada é impossível!
    Fico com medo de ficar com o peso na consciência de ser a favor da prática da eutanásia em meu cãozinho, ele está fraco, debilitado e não come há uma semana, não sei o que fazer !
    Por favor, gostaria que me dissesse, como você já teve a experiência, o que acontece e como você se adaptou após o ocorrido.
    Bjs

    Curtir

    Comentário por Ester C — agosto 28, 2012 @ 22:56 | Resposta

    • Bom dia Ester.

      Olha, isso é uma decisão complicada. Sinceramente, a experiência não foi nada boa e ainda pesa em minha consciência. Mas, tinha a certeza do veterinário que o processo da Bubba era irreversível. O sentimento de culpa ainda paira sobre mim. E já faz alguns anos.
      Ore. Continue orando. Pode ser que seu cãozinho melhore.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 29, 2012 @ 8:28 | Resposta

  103. Oi gente… queria compartilhar um momento mt dificil c vcs… Tenho uma cachorrinha , Nala , poodle , de 19 anos! Na medida do possível ela estava bem, só q de uns 3 meses p cá ela nao tem dormido direito, optamos por um sedativo leve a noite ha 3 semanas, porém há 1 semana , ela começou a ficar mt agitada, chorosa demais, enfiando o fuçinho atras da geladeira, fogão , chorando demais… Retornei ao vet, optamos por iniciar tramal e minha mae começou a me preparar para uma possivel eutanasia. Sou médica, trabalho o dia inteiro fora, entao só vejo ela a hora q chego em casa e hj cheguei mais cedo e vi o tanto que ela esta sofrendo… Dei o tramal , melhorou um pouco, mas passado 3 hs, ela uivava de tanto chorar… Isso me deixou deprimida demais! É mt dificil ver minha nene querida deste jeito… Faço tudo por ela , como minha mae tb faz. Minha mae ja tomou a decisao da eutanasia pq nao aguenta mais ver a situação, mas eu nao sei o que fazer… Como vou ficar sem minha companheira? Sera q ela vai entender? Ela passou os momentos mais importantes da minha infancia, adolescencia , é meu xodó… Me ajudem!!

    Curtir

    Comentário por Mariana — agosto 31, 2012 @ 0:51 | Resposta

    • Olá, Mariana.

      Primeiro, agradeço por compartilhar sua questão.
      E puxa, a Nala tem 19 anos? Minha irmã teve um poodle até pouco tempo atrás. Viveu 16 anos. Mas também, por complicações cardíacas, entre outras, teve que colocá-lo para “dormir”.
      É complicado tomar uma decisão como essa. Depende de cada um. Não é fácil, eu sei e sinto. Mas, depende unicamente de você, em como enfrentará isso, como se sentirá depois.
      Um abraço.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 31, 2012 @ 8:25 | Resposta

  104. Olá! Nesse momento ao escrever aqui, estou passando pelo tormento de ter de decidir fazer a Eutanásia em meu cão. O nome dele é Sansão, um Cocker Spaniel lindo, está com dignos 22 anos! Ele está cheio de tumores pelo corpo e o pior é um que está na boca, que já operamos e ele voltou a crescer, se tornando uma carne esponjosa, que por ser exposta, temos que ter o maior cuidado com moscas para não pousar no local , pois já deu bichos várias vezes…Agora ele já não consegue mais levantar e andar sozinho, come e respira com dificuldade e o seu olhar, já está “morto”…Ah Deus sabe o quanto isso está doendo meu coração!! É uma decisão extremamente difícil e dolorosa. Quando lembro do Sansão correndo pela casa, latindo, brincando…aquele lindo cão, cheio de vida e energia! Por isso, não é digno deixá-lo sofrer assim.Que Deus me perdoe…e me ajude.
    Escrever aqui é uma forma de desabafo, estou muito triste!

    Curtir

    Comentário por Adriana Zuza — agosto 31, 2012 @ 13:30 | Resposta

    • Olá, Adriana.
      Pense com calma e veja se essa é mesmo a melhor decisão a tomar. Pense pelos dois – por você e pelo Sansão.
      Força, fé e coragem, é o que lhe desejo.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 31, 2012 @ 14:06 | Resposta

  105. olá gostei muito,foi de grande valia para mim minha gatinha esta muito mal com ezofago dilatado,o vet falou que não tem cura.Obrigado e vou deixar a natureza se encaregar.obrigado

    Curtir

    Comentário por gililene Almeida do Nascimento — setembro 1, 2012 @ 13:35 | Resposta

  106. Olá,nossa cada história linda e triste ao mesmo tempo.
    Eu tenho um cãozinho e vou levá-lo ao veterinário,pois em meados do ano passado saiu nele uns “buracos”,conforme colocávamos remédio,fazia um barulho de oco,isso na parte de trás que pegava a barriguinha.Achei que era o fim,pois ele já não é tão novinho.Mas GRAÇAS A DEUS meu BIDU se recuperou,porém a parte do xixi dele estava sempre inchada,quase estourando e agora abriu um baita de um buraco,eu tenho medo,pois as vezes ele não parece sofrer,tá sempre alegre e faceiro.Mas a alguns anos tive outro cachorrinho,o Totó,muito parecido com o Bidu só muda a corzinha,como eu morava em outra cidade,meus vizinhos cuidavam dele,todo mundo adorava o Totó,porém ele teve uma infecção também no xixi e morreu.Estou com medo d meu Biduzinho ter o mesmo problema :/

    Curtir

    Comentário por Thais da Cunha Cortez — setembro 3, 2012 @ 15:23 | Resposta

  107. Amei este site…tenho um pastor alemão de 13 anos, que está ficando muito debilitado, faz xixi e muito xixi, o tempo todo, toma água desesperadamente. Eu trabalho fora, mas mesmo assim trato muito bem dele. O problema é que, ele já não pode mais comer como ele gosta,teve um tempo que ele comia carne cozida todos os dias, pois ele precisava de proteína, mas agora o intestino dele não aceita mais…aí eu fico lendo os comentários aqui postados e vejo como tem gente que ama animais, que sofre como eu sofro, por eles, e isso me ajuda muito, porque tem hora que eu perco a paciência com ele… e depois fico mal,me sinto estúpida, sei que tenho que fazer de tudo agora, enquanto ele está vivo, lógico depois que ele morrer, de nada vai adiantar eu ficar me culpando…agradeço por poder compartilhar meu sentimento, afinal eles são mesmo como filhos e não tem como não sofrer nesse momento, temos que pedir muita força á Deus!!!!!

    Curtir

    Comentário por Ana Lúcia Aparecida — setembro 4, 2012 @ 10:08 | Resposta

    • Oi Ana Lúcia.
      Eu é que agradeço por sua visita e sua participação nessa discussão.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — setembro 4, 2012 @ 11:51 | Resposta

  108. Olá., 07.09 último , minha cadela Mortiça Faleceu. Eu a encontrei em 10.07.2011, cega, surda, muda, em frente a um mercado municipal. Eu não consegui passar sem parar. Era domingo e eu achei que teria que fazer uma eutanásia nela, tal era o estado frágil dela, ela não tinha força muscular e não conseguia ficar em pé. Mas o veterinário disse que não era o caso da eutanásia, ela estava fraca. Eu liguei para o CCZ de são paulo, mas não consegui com que buscassem o animal. Eu já tinha 4 cães e 4 gatos, e precisei cuidar dela porque como podia colocar ela na rua. levei ela na vet de uma universidade. Muito provavelmente ela teve cinomose nas ruas por isso das sequelas, tinha tumor nas mamas, era cega, surda, e não latia, de vez em quando ela uivava quando meus os outros cães latiam. Ela foi medicada com Gardenal para as convulsões e Piroxican, um remédio que auxilia no tumor de mamas, mas a veterinária me disse que podia ser que ela tivesse já espalhado o tumor no cérebroe ela não aguentaria uma cirurgia. Ela era claustrofóbica, eu não podia por exemplo colocar ela em lugares pequenos como o banheiro que ela passava mal, ela precisava ficar em cômodos grandes pra ficar andando em círculos, e em cômodos vazios. Eu tenho poucos recursos e me revezo com gastos no veterinário, sempre vou levando o mais urgente e como ela estava comendo, tomando água, necessidades fisiológicas normais, fiquei tranquila medicando apenas o gardenal para alguma convulsão. Eu reparei que ela tinha piorado, no sentido de não ter mais equilíbrio, e ficar mais fraca nas pernas traseiras, mas eu já tinha pego a planta de uma cadeira de rodas pra fazer pra ela. Não aceitava de jeito nenhum dormir em cima de nenhum pano ou cobertor, nada macio. E também não aceitou entrar dentro da casinha bem grande que comprei pra ela. Em 07.09, eu acordei com um latido alto dela, às 8h30, ela estava na sala no andar de baixo e eu estava no quarto em cima, mas mesmo com a porta fechada eu a escutei. desci ela estava tendo uma convulsão., mas parecia mais forte do que as outras. Eu a acomodei numa sala externa, bem confortável, com edredon, coberta , com a cabeça apoiada e fiquei perto dela, dei um pouquinho de água, mas parecia que ela não conseguia mais engolir, e respirava muito rápido com a boca aberta. 07.09, feriado, eu sem recursos, esperei..ia, voltava, olhava, .Com a porta da cozinha aberta eu a via ,e monitorava e de vez em quando ela soltava um latido., ficou muito tempo assim, e eu sofria , imaginando a sua dor, a sua dificuldade para respirar. Acredito que ela deve ter falecido entre 16h00 e 17h00 , , tempo em que eu estava no andar de cima , eu não ousei dar a ela nenhum medicamento para dor porque não sabia o que podia acontecer de pior.Foi muito triste porque não pude aliviar a dor dela, e também ficarei com essa imagem para sempre. chorei um bocado e fiquei na companhia dela por bstante tempo, depois da passagem. Que fazer agora como uma protetora controlada . Da próxima vez que encontrar um cão nesse estado como encontrei a Mortiça, que faço:? Trazer um cão nessa situação sem recursos para cuidar dela, porque os tratamentos para um cão idoso não são baratos, não para mim. Decidi então que eu não posso fazer mais isso, tantos cães idosos abandonados,….se um dia contecer de novo, eu vou fotografar e anunciar para as ongs que tem mais recursos, porque se a gente recolhe um cão da rua e põe dentro de casa, ele já é seu.,….Já me disseram que o único jeito que tenho é endurecer meu coração. Eu não sei se consigo. Muito triste pra mim, muito triste mesmo.

    Curtir

    Comentário por Verginia Aparecida Ribeiro — setembro 10, 2012 @ 1:44 | Resposta

    • Bom dia Verginia.
      Sinto muito por ter perdido a Mortiça, mas, tenho certeza que será recompensada por tanto amor aos animais. Não endureça seu coração. Apenas ajude como puder, denunciando, encaminhando animais que encontrar para cuidadores que possam socorrê-los. Sua ação foi muito bonita.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — setembro 10, 2012 @ 8:48 | Resposta

  109. Oi, Augusto. Confesso que já sondo essa sua postagem tem dias, quase um mês, mais ou menos quando meu gatinho, Mu, começou a apresentar um quadro muito ruim. Ele tem 5 anos, e até então nunca tinha apresentado nenhum problema de saúde. Sempre foi serelepe, corria por todo lugar, pulava no sofá e sempre que eu chegava cansada em casa, ele se aninhava nos meus braços na cama e encostava o narizinho no meu… Já tive outros animais, mas como eu era muito pequena não entendia muito bem sobre o que era amar incondicionalmente um bichinho, tanto que lembro-me vagamente da maioria deles. O Mu foi o primeiro bichinho que eu comecei a cuidar a sério mesmo, levando no veterinário, alimentando regularmente e tudo mais. Em junho desse ano ele teve uma obstrução urinária muito séria, chegou a ter convulsões antes de eu chegar ao veterinário, e depois de duas semanas internado ele apresentou melhora. Dei todos os remédios que o doutor pediu e ele parecia bem, mas um mês depois começou a ter outra crise, menos ruim que a primeira, mas ainda assim era uma crise. Desde então ele estava indo no veterinário e voltando, indo e voltando. Quando ele parecia melhorar, piorava. Ele começou a apresentar uma obstrução urinária constante (entupia o tempo todo) e logo depois começou a abranger o rim. Ele chegou a fazer a Uretrostomia ainda na semana passada, mas… Hoje ele tem uma infecção bacteriana severa que não conseguimos controlar mais, a função hepática já foi afetada, um quadro muito grave de anemia e o problema no rim. Já fazia um mês que ele não ia comer por conta própria, eu é quem alimentava ele todos os dias. Não lembrava mais de como era ver ele comer sozinho, com vontade. O veterinário me disse hoje que esse quadro só tende a piorar, pois ele tem muitas doenças em cima dele ao mesmo tempo, e ele está sofrendo. E não tem muito tempo de vida mesmo que continuasse, e seria com muita dor. Em alguns segundos penso na eutanásia, que o próprio médico sugeriu, penso que é a melhor opção, e quando acho que estou muito bem resolvida me bate um desespero tremendo e eu me pergunto se estou fazendo a coisa certa. Se ele vai me olhar nos olhos e eu vou sentir como se ele não quisesse isso… Eu só quero o bem dele. Quando ele estava aqui, doente, eu não conseguia nem comer e nem dormir. Ele esteve comigo quando mais precisei. Lembro que quando eu estava triste, ele sempre vinha até mim e lambia minhas lágrimas. Ele sempre miava quando queria chegar atenção. Ele é como um filho, eu o amo como amaria um bebê que saísse de dentro do meu ventre. Eu não consigo me imaginar sem ele, sem ouvir o miado dele, sem tê-lo tentando se aninhar nas minhas pernas ou brincando de chutá-las. Será que estou fazendo o que é certo? Não quero que ele sofra. Não quero mais vê-lo sofrer, ver aquela tristeza nos olhos dele… Eu estou com a decisão da eutanásia nas mãos. Ele morrerá e será por minha decisão. Será que conseguirei conviver com isso? Será que… não é errado? Sempre fui à favor da eutanásia, mas porque nunca tinha passado por isso. É a primeira vez… Queria que ele voltasse pra casa, sinto a falta dele… sinto saudade…

    Só gostaria de uma luz. Lendo a postagem, vi que muitas pessoas passam ou passaram pelo mesmo que eu, mas… de alguma forma… isso não me consola. Gostaria de ter certeza de que estou a fazer a coisa certa optando pela eutanásia.

    Um grande beijo.

    Curtir

    Comentário por Nana — setembro 12, 2012 @ 19:43 | Resposta

    • Oi Mariana.

      Que lindo, emocionante e triste o seu depoimento. Não é fácil mesmo passar por tal situação. A gente tem que ter muita estrutura para decidir, e, mesmo assim, pode ficar com o sentimento de culpa. Foi o que aconteceu comigo. Mas, ao mesmo tempo, sei que abreviei muito sofrimento. É uma decisão pessoal e você tem que ter muita certeza disso. Peça luz para São Francisco, caso tenha essa fé. Medite, pense e fique em paz, minha amiga.
      Um beijo.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — setembro 13, 2012 @ 8:45 | Resposta

  110. Oi, Augusto, sou eu, a Mariana do post anterior. Voltei para dizer que optei pela eutanásia, pois, quando cheguei lá, o fino fio de esperança que eu tinha se esvaiu no momento em que o olhei e vi seu estado. Naquele momento eu tive certeza de que estava fazendo a coisa certa livrando-o do sofrimento e que ele me entenderia. Fiquei com ele durante todo o processo, esfreguei meu narizinho no dele uma última vez (ele adorava fazer isso) e disse que o amava, que agradecia por todos os bons momentos e me desculpava por tudo o que tinha acontecido e por aquela decisão que eu estava tendo de tomar. Falar sobre o meu gatinho aqui me deixou um pouco mais tranquila, compartilhar minha dor me ajudou muito a tomar uma decisão pensando no bem-estar dele. Obrigada por ter me ouvido, Augusto, foi de muita valia.

    Um grande beijo~

    Curtir

    Comentário por Nana — setembro 13, 2012 @ 21:02 | Resposta

  111. Boa Tarde!
    Li alguns dos posts e vi que essa é uma dor/decisão que muitos passam.
    Tenho uma poodle de 7 anos que está com um tumor na mama e que está crescendo muito rápido, já passei em alguns veterinários que me aconselharam a cirurgia. Porém, lendo alguns artigos, vi que a cirurgia não é uma garantia da cura e que pode ser que ela desenvolva outros tumores. Ela está muito bem, brinca bastante, come normal, não parece estar doente. Não tenho recursos para todos os tratamentos necessários para tentar salvá-la. Estou começando a me preparar e pensar em eutanásia.
    Não queria ter de tomar essa decisão, pois não cabe a mim. Mas não quero que ela sofra. Ela é minha companheira ha 7 anos e parte o coração pensar em me separar dela.

    Curtir

    Comentário por Nayane — setembro 14, 2012 @ 10:39 | Resposta

    • Olá, Nayane.
      Agradeço pela visita ao blog.
      Tenho uma amiga que viveu e vive uma situação igual a sua. A cachorrinha dela teve o mesmo diagnóstico. Ela não fez a cirurgia e a Meg convive com o tumor, aparentemente bem já faz 8 anos.
      Abraços.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — setembro 14, 2012 @ 10:45 | Resposta

    • Não custa caro uma cirurgia de cancer de mama…fiz nas minhas duas cadelas e elas estao otimas,faz 2 anos

      Curtir

      Comentário por Cristiane Marques — setembro 14, 2012 @ 23:19 | Resposta

  112. Vamos tentar conviver com este tumor, pois em alguns casos quando não interfere no funcionamento de outros orgãos o animal consegue viver normalmente. Espero que ela consiga viver por mais uns 7 anos, caso a doença se agrave e ela comece a sofrer, a eutanasia é a melhor opção.
    Eu realmente espero que isso não afete em nada e que ela consiga viver o resto da sua vida bem.
    Infelizmente é uma doença que não tem cura, não conseguimos salvar nem os seres humanos nem nossos animais.
    É muito dificil conviver com isso, pois temos um sentimento de amor por eles. Não sei se teria outro cachorro.

    Curtir

    Comentário por Nayane — setembro 14, 2012 @ 15:28 | Resposta

  113. Estou neste momento a passar uma fase dificil pois tive se aplicar a eutanasia a minha Nina e agora questiono-me se foi o melhor para ela e para mim pois estou a sofrer muito com a falta dela. A Nina no espaço de uma semana deixou de comer ficou dilatada abdominal e com gangleos pelo corpo, segundo uma ecografia, o veterinario e as analises tudo apontava para um linfoma a sua urina era da cor da ferruge. Já não brincava tinha dificuldade em andar, um dia cheguei a casa e tinha mais uma bolsa da cor do sangue logo debaixo da garganta foi aí que nesse mesmo momento resolvi leva-la ao veterinario e lhe deu a eutanazia. Hoje quatro dias depois ainda penso terei feito o melhor para a minha menina? Gostava de saber que ela me perduou pela decisão que tomei onde quer que ela esteja vou sempre lembrar-me da minha menina

    Curtir

    Comentário por Soledade — setembro 14, 2012 @ 18:13 | Resposta

    • Boa noite Soledade.
      Certamente que tomou a melhor decisão. Fique bem, pense em Nina com o carinho que sempre teve por ela.
      Abraços.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — setembro 15, 2012 @ 18:21 | Resposta

    • Olá Soledade minha cachorrinha poodle tinha 8
      anos e também estava com limfoma acredite é terrivel Hoje faz 10 dias que foi feita a eutanazia e eu e meu marido estamos sofrendo muito mas acreditamos que foi o melhor para ela no ultimos dias ela não conseguia nem respirar direito pois seu ganglios do pescoço estufaram muito,tinha pelotes pelo corpo todo minha milla estava sofrendo muito as vezes a gente se pergunta se fizemos o certo é mas não tinha cura e sua nina que raça era quantos anos tinha ?que Deus conforte seu coração pois sabemos que a saudade dói demais mas a vida continua fazer oque?

      Curtir

      Comentário por Amanda Paula Ribeiro da Silva — outubro 16, 2013 @ 21:53 | Resposta

  114. Puxa vc me fez chorar….sempre tive cães principalmente depois de casada.,,.nosso primeiro filhote foi da raça Rotweiller(que comprei há 19 anos) com 6 meses de vida foi diagnosticado com displasia severa,na época o veterinário queria sacrificar dizendo que ele nâo iria andar…tratamos..fizemos de tudo e ele viveu bem ate os seus 8 anos quando tive que sacrificá-lo…não havia mais o que fazer ele estava com muitas dores e não andava…..tive outros cães e há 11 anos atras resolvi comprar um outro cão da mesma raça e com o cuidado extremo de verificar se havia um controle de displasia….Kiara..era linda,minha amiga de patas,minha guardiã…como amava aquela cachorra,ha pouco mais de um ano tive que sacrifica-la…..meu coração e minha alma ainda doem ate hoje.Uma cadela que não sabia o que era um resfriado,forte…como era forte…mas em uma semana apareceu um cancer fulminante que não deu tempo nem sequer de tentar,lembro muito bem daquele dia terrivel,fui procura-la no quintal e ela estava escondida no canil,com muito esforço consegui tira-la de la e coloca-la perto de mim….imediatamente chamei minha sobrinha,que é vererinária oncologista,ela veio ate a minha casa,mas a Kiara estava entrando em choque,minha sobrinha tentou reverter a situação,mas foi em vão…não queria ver minha amiga sofrendo e sentindo dor….então tivemos que sacrificá-la…chorei a noite inteira e por mais dois dias….ainda sinto falta dela…

    Curtir

    Comentário por Cristiane Marques — setembro 14, 2012 @ 23:16 | Resposta

  115. Olá bom dia! Hoje é dia 16.09.12 e ela se foi dia 14.09.12 são exatamente meio dia e quinze e estou aos prantos de saudade dela, não joguei fora o colchão e a caminha dela, estão no fundo do quintal esperando forças ou arrisco dizer coragem pra jogar fora, tudo faz lembrar dela,tudoo, fui estender roupa no fundo do quintal e me deparei com as coisas dela, arrisquei sentir o cheiroo, que cheiroo da minha Laila, o colchão tem o formato do corpinho dela, Deus que dor amarga, que saudades da minha amarela,da minha irmã, da minha amiga, companheira, minha lindaaa.
    Vou contar a historia dela..
    Me chamo Mirian e hoje tenho 22 anos, há 11 anos peguei a laila, vira-latinha,toda amarela,parecia que tinha lapis nos olhos e luvinhas brancas nas pastas. Moravamos eu e minha mãe e minha mae não queria cachorro de maneira alguma, foi quando eu estava brincando na rua e vi a Nina,era bem pequenininha e a dona dela disse que iria devolver pois ela era muito arteira, eu ia pra casa do meu em são paulo nas ferias e esse era um periodo de ferias, jurei que quando voltasse iria procurar por ela, dito e feito, quando voltei eu fui atraz da Nina, ela ja tinha sido devolvida para a primeira casa, e eu fui atraz, lá chegando perguntei pela cadelinha amarela e me mostraram ela, toda medrosa veio pra casa comigo, minha mãe ao ve-la não teve coragem de mandar devolver e colocou o nome de Laila, e ficou Laila Nina, peguei ela no dia 26.08.01, deduzi que deveria ter dois meses e sempre comemorei o aniversario dela no dia 26.06. Eu não tinha nenhuma experiencia com cachorro, mas aprendemos juntas, na época não tinhamos muitos recursos, não castramos e assim foi, nunca teve cria e por incrivel que parece nunca precisou tomar um remédio e assim seguiu. Ela fez parte de todo meu amadurecimento, era TUDO pra mim e pra minha mãe, teve vida de rainha, eu levava ela pra brincar na rua, tomava banho de mangueira, era muito enjoada, nunca comeu pão e odiava regrigerente, amava carne e leite com ovo, frango então nem se fala, sempre demos o melhor, melhor ração, melhor conforto e eu acabei perdendo meu espaço na cama, pois ela era porte médio e mesmo tendo a cama dela, amava durmi no meu lugar, eu apanhei por ela, discuti por ela e bati por ela, quando fui morar no ABC Paulista, eu a levei, moramos por lá uns 6 meses e ela aguento firme cmg a barra, voltamos e ela amou rever a nossa mãe, nessa época eu ja tinha 18 anos pra 19 e fui trabalhar em São Paulo, paguei um amigo de serviço pra gente vir ate Bauru pra pegar minha mae e a Laila pra ir em São Paulo me visitar, já que cachorro de porte médio não pode viajar de onibus, chegando na casa do meu pai, não queriam que ela dormisse dentro de casa, pois brigamos feio,e eu durmi no quintal com ela, fora outras coisas, inumeras historias, voltei a morar em Bauru de tanta saudades da Laila e da minha mãe, eu era a Dona dela, ela me defendia, me lambia e como lambia, ela parecia uma criança. Minha mae tem problemas de saude e ela sempre me ajudou a cuidar da mãe, sempre, muito inteligente, eu sempre cantei pra ela durmi, sempre corriamos no quintal, ela amava arrastar uma garrafa pet vazia.
    Por fim chegou 2012 eu ja trbalhava fazia tempo e decidi fazer uns exames de rotina, ja que agora eu trabalhava e podia pagar, ela estava bem eu só queria garantir, ela ja tinha a Dra Adriana e Mariana de médicas há tempos, pois sempre pagamos pra tomar banho, então foi feito raio-x e us, contatou que ela tinha varios bicos de papagaio, mas tudo sob controle, não deu um mês reparei algo diferente na tetinha dela, beeem pequeno, mas me preocupei, foram feitos os exames e era cancer, eu quase morri do coração, quase cai das pernas, mas as Dras disseram que estava no começo, foi feito todo o procedimento e por fim a cirurgia, a Laila sempre foi forte, muito forte, quando retornou da cirurgia, era tão pentelha que foi dificil mante-la quieta, e assim foi por alguns meses, porem eu notei que varios tumores estavao crescendo, e pra piorar no torax, eu ja tinha lido que qunto mais perto da cabeça chegar é pior, mesmo assim ela seguia normal, depois da cirurgia ela engordou quase 4 quilos, eu estava muito feliz ate perceber a evolução, eu e minha mae mesmo trabalhando, não nadamos em dinheiro, mas mesmo assim entramos com tratamento, compramos certinho o previcox, eu me desdobrava para cumprir os horarios a risca, porem chegou um certo dia que minha mae fez a carne preferida dela, costela, ela rejeitou a carne, sabiamos que pra ela não querer, algo errado tinha, as Dras ajudarao e fizerao de tudoo por ela, entramos com mais medicamentos, nunca faltou nada, tudo certinho, a Laila era tão boazinha que nem pra tomar remedio era dificil, ela quase sabia os horarios, sentava na cozinha e esperava eu jogar na garganta dela, nós 3 estavamos sofrendo, desde o dia da costela a Laila nunca mais quis comer nada, nada mesmo, tentamos de Tudo, todas as comidas que ela gostava, ate minha tia fez uma comida diferente pra ver se ela comia, levamos ao um churrasco na casa da minha tia, mas nada, foi quase 20 dias sem comer, nesse tempo eu ja estava tentando dar na seringa, mas não dava nem 10 minutos ela vomitava, alguns dias depois começou a vomitar os remedios, teve um dia que eu precisei colocar a mão na boca dela pra ajuda-la a vomitar, era algo groso e sozinha não saia, eu não aguentava ver aquilo, minha mae parou de comer junto com a Laila,antes do dia final ela internou por 2 dias, pra hidratar, porque estava bem braquinha, parecia que estava sendo forte por nós, ja era dificil abanar o rabo, não queria mais levantar, nunca ouvi um gemido de dor, mas os olhos dela ja me pedia pelo amor de Deus, o que mais me doia era ver que o cerebro estava bom, as Dras alertou que ela poderia morrer de fome, Meus Deus eu não poderia deixar a minha petelékinha morrer de morrer, eu ja ouviu o barulho da barriguinha dela, na quinta ela passou o dia se hidratando, fui busca-la as 18 horas, tivemos uma seria conversa com as médicas dela, e realmente ja tinha chego a hora da pequena, trouxe ela pra casa pra durmi cmg, ela que sempre ficou estudando cmg e vendo tv ate tarde, eu conversei com ela a noite toda, expliquei que agora era hora dela ter outro dono, o Papai do céu,que os Anjos de Deus iriam busca-la e que não iria doer nada, que iria acabar a fome,a dor e que eu iria cuidar da nossa mãe, jurei não abandona-la ate o ultimo suspiro, oravamos um pai nosso todo dia antes de durmi, e assim foi nossa ultima noite, pela mãe ela estava na mesma, ofereci tudo que podia pra comer, mas nada, ela repuguinava, na sexta ela iria tomar mais um soro, porem o procedimento que as medicas fizerao era pra ter voltado a se alimentar e não vomitar, fui levar novamente na clinica com meu tio,e minha mae não chegou a tempo de ir junto, decidimos durante a tarde, minha mae me ligou aos prantos e disse que tinha que ser hoje, foi a decisão mais dificil,mas eu escolhi o nosso sofrimento ao invés do dela, não dava mais, nada parava no estomago, a respiração ja estava mega cansada, sai do serviço as 18 e fui pra clinica, minha mae ja estava la com tudo que pedi pra ela levar, os bichinhos, coberta, travesseiro e a roupinha, minha mae tem desmaios e pedi pra minha tia leva-la embora, eu precisava ser forte pela minha mae e pela laila, eu a vi vindo na minha direção, fraquinha já, deitei no chão com ela e a beijei muito, agradeci por tudoo que ela fez por nós, por sermos dignos de ter tido a companhia dela por 11 anos, conversei novamente com ela, expliquei tudo pra ela e disse que seguraria a patinha dela ate o final, entramos na sala, tirei a colera,estendi o cobertor na mesa, coloquei o travesseiro e os bichinhos e a deitei, disse pra ela que iria durmi, que papai do céu ja estava ali para pega-la, pedi perdão mil vezes, disse pra ela que a amava 2 mil vezes e que ela poderia ir em paz, que tudo iria ficar bem, com a ponto do lençol fui fazendo carinho e fazendo ela durmi, a dra ja tinha dado uma picadinha pra ela relaxar, conversei com ela o tempo todo e não deixei ela ver nada, absolutamente nada, encostei minha testa na dela e fui conversando, agradecendo e pedindo pra Deus pra cuidar dela, por fim ela me deu uma lambida na boca e eu fechei os olhinhos dela e ai ela durmiu, eu fiquei ali ate o ultimo bater do coração, agarrada com ela, sabia que ia ficar tudo bem. Tudo parou eu a abraçei e a deixei, pois masi nada estava ali, ela ja estava no outro plano, sem fome, sem dor, alias animais não tem pecado pra sofrer tanto.
    se passou 2 dias e o choro da minha mae não parou ate agora, pois era a companheira dela e a minha, tudo se tornou vazio e sem sentido, eu a vejo e a escuto em cada cantinho da casa, gostaria que ela soubesse que a amo muito, e essa foi minha maior prova de amor, minha Laila, minha Laka, minha amarela e azul, por fim minha Nina.

    Curtir

    Comentário por mirian batracke — setembro 16, 2012 @ 13:24 | Resposta

    • Prezada Mirian,
      Que exemplo de amor, carinho, solidariedade e bondade. Lindo e emocionane o seu depoimento.
      Que Deus a reconforte. Fique bem.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — setembro 16, 2012 @ 13:46 | Resposta

  116. Boa noite
    Meu nome é Eduardo meu grande amigo e conpanheiro de 11 anos Thor umastor alemão, foi embora ontem escrevo e as lagrimas lavam meu rosto, pois tive que decidir pela eutanazia pois ele foi diagnosticado com cancer no pulmao e já estava a quase 10 dias sem comer, só bebendo agua e 4 veterinários que consultei me disseram a mesma coisa para nao deixa-lo sofrer, me deram de uma á duas semanas para ele e que dali para frente ele só iria piorar e até morrer asfixiado, foi a decisão mais difícil da minha vida pois agora estou me culpando de não ter tentado mais e quem sabe um milagre poria salva-lo ele estava internado a 2 dias sem melhoras, não comia só bebia aguá e nas suas ultimas forças se levantou com muita dificuldade e caminhou para sair de onde estava, tomou aguá e levantei a tigela até sua boca pois iria cair se abaixa-se, eu fiquei quase duas pensando e conversei com a veterinária do hospital pela ultima vez se nao tinha nenhum tratamento ou algo para fazer por ele, ela me disse que o ato mais nobre e de amor por ele era a eutanazia, eu então autorizei e disse que queria acompanhar, ele chegou carregado até o consultório assustado só levantava a cabeça então eu conversei com ele e ele logo se acalmou abaixou a cabeça eu agredi a ele por tudo que ele fez por mim pela sua lealdade por ter sido meu melhor amigo por 11 anos e desculpas por nao poder fazer mais nada por ele, mas que sempre irei ama-lo como um filho, ela a veterinaria me perguntou novamente se podia injetar a anestesia eu disse que sim, e fique olhando fixamente nos olhos dele que se viraram e depois as popilas se dilataram e parou de respirar e partiu, foi muito traumático para mim mas todos me dizem que fiz a coisa certa, choro a todo o momento que me lembro e nao sei quando vou superar sua ausência. Pode ter sido um ato nobre mas também fico pensando se algum milagre nao o faria melhorar se tivesse mais tempo, mas também nao sei se suportaria vê-lo morrer asfixiado em decorrência da evolução dos tumores no pulmaozinho dele que segundo o diagnostico estava muito evoluído.

    Curtir

    Comentário por Eduardo — setembro 16, 2012 @ 20:31 | Resposta

    • Bom dia Eduardo.
      Agradeço por sua visita ao blog e por seu depoimento.
      Sei a dor que está sentindo e também o sentimento de culpa. Mas, penso que isso não dá para evitar. E a dor é grande, eu sei. Fique com as boas lembranças dos momentos felizes junto ao Thor.
      Abraços.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — setembro 17, 2012 @ 8:31 | Resposta

    • Ao Eduardo e a todos os outros. Ter que tomar essa decisão é uma das coisas mais cruéis que a vida pode nos impor, justamente pq na hora em que temos de tomá-la, sempre fica uma ponta de dúvida, sempre vai restar aquele “e se…”. Sempre ficará a esperança de um milagre.

      Creio que devemos lutar pela vida do nosso bichinho até o fim. Fazer tudo que tiver ao nosso alcance. Porém, como muitos já disseram, muitas vezes a eutanásia é o último grande ato de amor.

      Resumindo, penso que essa é uma decisão extremamente pessoal e um dono de verdade, que realmente amou (melhor dizendo, ama, pq esse amor nunca morre) seu bicho, saberá no futuro que tomou a decisão certa, seja a eutanásia, seja esperar a morte natural. Saberá que é a certa pq terá sua consciência limpa de que fez o seu melhor e de que fez isso por amor.

      No caso do meu gatinho, eu e meus pais optamos pela eutanásia. Assim como o Thor ele tbm estava com um problema que estava afetando gravemente seu pulmões. Ele mal conseguia continuar respirando. Achamos que ele merecia uma morte menos dolorosa. Certamente não foi fácil, mas apesar da dor sabemos que demos o melhor do nosso amor pra ele e que enquanto viveu ele foi um gato feliz!

      Meus sentimentos e minha solidariedade a todos vcs!

      Curtir

      Comentário por André — setembro 18, 2012 @ 23:07 | Resposta

      • Prezado André,
        Agradeço pelo visita, pelas palavras aqui postadas, por tudo. Volte sempre que puder.
        Abrs.

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — setembro 19, 2012 @ 19:41

  117. Realmente é uma decisão muito difícil pois sempre tera um e SE, agora estou aceitando um pouco mais a ausência do meu amigão Thor, ele foi cremado e suas cinzas serão colocadas junto ao túmulo de minha família e sempre será lembrado, ainda não consigo ficar nos locais onde ele ficava pois fico muito triste, mas o tempo cura tudo e compartilhar essa dor com vcs todos me ajudou muito, pois sei que vários tbm já passaram por isso agradeço as palavras de carinho e de solidariedade e parabéns a o Augusto por criar um local onde podemos compartilhar nossas experiências e dramas.

    Curtir

    Comentário por Eduardo — setembro 21, 2012 @ 0:03 | Resposta

  118. Sou a favor da eutanásia.
    Os nossos bichinhos eles sabem porque estão sofrendo tanto, porque estão passando por tanta infelicidade.
    Animais que correram, brincaram, tiveram uma boa vida e nos deram uma boa vida não merecem sofrer para apaziguar a nossa consciência. Nós, seres humanos pensantes, devemos aprender a lidar com a morte. É um enorme ato de respeito a quem amamos ajudar na tristíssima(para nós) hora da partida.
    Nossos animais são tão maravilhosos que merecem qualidade de vida e não um impiedoso sofrimento. Nos temos que exercitar o autruismo abrindo mão da nossa vontade em detrimento da necessidade alheia.
    É uma decisão difícil e que deve ser tomada com consciência e amor.

    Curtir

    Comentário por Lili — setembro 21, 2012 @ 20:29 | Resposta

  119. Prezados, a minha Bibi de 14 anos também passou pela eutanásia e foi hoje. É a coisa mais esquisita não tê-la em seu lar, enterrada em seu quintal! Confesso que foi doloroso e estou me sentindo culpada, mas, ela na idade que tinha não daria conta de um mega procedimento veterinário (ela quebrou o maxilar) e devido a sua fragilidade o veterinário aconselhou essa terrível solução. Acredito que foi a melhor solução, apesar da dor e do meu egoísmo de pensar em meu sofrimento, ela foi uma criança adorável e precisava morrer dignamente sem sofrer sem fim, não acho justo deixá-la com dores fortes. Sua coragem foi grande, ela era uma guerreira, a mais linda de todas, tentou, mas, não dava mais. Agradeço a Deus por ter me emprestado a minha tinha neném e dignamente e com tristeza a devolvo para os braços do criador, que nunca abandona seus seres amados e tenho certeza de que algum dia ela estará ao meu lado. Queridos peço apoio nessa hora tão terrível e que parecia impossível, afinal, sempre dizia BIBI NÃO MORRE, ela estará para sempre em meu coração.

    Curtir

    Comentário por Isabel — setembro 21, 2012 @ 23:14 | Resposta

  120. Nossa, eu estou lendo esses posts e chorando, pois perdi meu amigo Bob Zé anteontem, 26/09, ele morreu após uma transfusão sanguínea. Cheguei neste blog pq queria saber se eles se sentem abandonados quando os deixamos sozinhos na clínica, pois sinto como se o tivesse deixado lá para morrer, e então me deparei com esses relatos tão tristes, pois ter que tomar a decisão pela eutanásia, ainda que seja o certo a se fazer, com certeza é uma dor muito grande. Mas,apesar de não ter tido que tomar essa decisão, a ausência do meu querido amigo está doendo demais.

    Curtir

    Comentário por Eva — setembro 29, 2012 @ 0:40 | Resposta

  121. Olá, é com grande dor na alma q estou aqui escrevendo, estou com o Bingo enternado entre a vida e a morte, ele é um vira-lata muito doce e meigo, tem 15 anos, peguei ele abandonado na rua com poucos dias de vida, quase q ele morre, mais conseguimos traze-lo a vida, e se passaram 15 anos de muita alegria e brincadeiras. Faz 2 meses ele pegou doença do carrapato, o veterinario iniciou o tratamento, e no decorrer foram aparecendo outras doenças, ele se tornou cardiaco, e esta com uma barriga d’agua enorme, estão fazendo punsão nele todos os dias pra retirar o liquido, hoje vão fazer uma ultrasson nele, estão suspeitando de um tumor no abdome, estou rezando, fazendo promessas, não quero perde-lo, não estou sendo egoísta, simplesmente ele é um dos amores da minha vida. Se ele tiver q ir, vai ter q ir sozinho, nunca vou desistir de tentar salva-lo. No ultimo natal perdi o Billy, um poodle de 18 anos, por ultimo ele tomava 9 medicamentos diarios, se alimentava pela mamadeira, e usou fraldas por 1 ano e meio, tinha incontinencia urinaria, não internei ele, decidi cuidar em casa, levava ele todos os dias na clinica, ate q teve uma noite q dei os medicamentos, a mamadeira e o coloquei pra dormir, acordei na madrugada pra ver como ele estava, ele tinha acabado de morrer, senti um vazio tao grande em mim. Gostaria de voltar aqui e dizer q o amor cura, e q o meu Bingo q eu amo tanto não morreu. Obrigado, estou me sentindo melhor.

    Curtir

    Comentário por Daiane Vieira — outubro 1, 2012 @ 14:30 | Resposta

    • Oi Daine.

      Eu te digo – o amor cura sim! Ainda vai ter uma grata surpresa com o Bingo.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — outubro 1, 2012 @ 15:30 | Resposta

  122. nossa augusto nunca chorei tanto , com o seu blog. saber que ainda existe amor.verdadeiro no coraçâo das pessoas neste mundo e vc e um exemplo delas. eu tenho 54 anos uma sogra de 84 cardiaca. e uma linda cachorra com o nome de sacha. pesa 31 quilos e de grande porte. com 19 anos de idade. uma verdadeira diva. que esta perdendo sua majestade,a luta e costante pq faz tudo que precisa deitada.e moramos en apartamento . ela esta.cega , surda e so fica de pe quando a colocamos. pra facilitar nossa vida e a dela passamos faixas de lençol,sobre sua barriga, e amarramos no dorço , assim conssigo levantar 31 quilos 3 vezes ao dia. para que nao perca sua mobilidade ,que afinal ela mesmo me diz arraiando o chao. afinal 19. anos de casada . e 19 com ela ainda come ben e ten todos os dentes. agora tenho que ir la ela esta arrando o chao. o dever me chama. bjs. parabens a todos que cuidaram dos seus queridos e choram por eles , sejam animais ou pessoas.afinal isso e amor de verdade.mas as lembranças sao eternas.

    Curtir

    Comentário por sirley — outubro 1, 2012 @ 15:19 | Resposta

    • Olá, Sirley,

      Que exemplo lindo esse seu com a sua Sacha! Que ela lhe proporcione muitas alegrias!
      Abrs.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — outubro 1, 2012 @ 15:27 | Resposta

  123. Olá,

    Estou há 37 dias sem o meu Felipe, um lindo Basset preto com pelos brilhantes. Fico o dia todo na internet tentando encontrar uma resposta ou algo que me faça aceitar a sua morte prematura, com 9 anos e 6 meses. Eu costumava dizer que ele era meu presente de Deus, que veio para me trazer muitas alegrias, era tudo de mais importante da minha vida. Já tive outros animais, mas esse era muito especial, quase falava, tomava os chinelos de todos da família e corria pela casa com ele na boca, as vezes tomava na área de lazer do prédio e subia no elevador carregando e despertando a curiosidade das pessoas em volta. Ele era muito conhecido, no local onde moro, deixei de sair do apartamento na tentativa de evitar o assédio de pessoas perguntando por ele. Não vou conseguir contar sem chorar.

    Ele teve um ataque cardíaco, em uma tarde de muito calor na minha cidade, quando o encontrei passando mal no quarto, corri e consegui chegar em duas clínicas carregando ele no colo, enquanto minha irmã dirigia o carro, eu fazia respiração boca a boca nele e pedia a Deus para que ele conseguisse chegar vivo ao veterinário. Chegando à primeira clínica como não recebeu o tratamento adequado, não tinha nem oxigênio, fui em busca de outra, chegando na próxima clínica, só encontrei um estagiário que não sabia como socorrer e nem aplicar o oxigênio, quando corri em busca de uma terceira clínica, mais equipada e um pouco mais distante de onde estava, não consegui chegar a tempo. Com o susto, eu não conseguia pensar direito, não sabia qual decisão tomar se permanecia onde estava sem atendimento correto ou se tentava chegar onde sabia que ele teria pessoas competentes para atendê-lo com chances de sobrevivência, só que não deu tempo.
    Até hoje choro o tempo todo, de saudade, de culpa e perdi a vontade de viver.
    Busco uma explicação para tudo isso, será que estava na hora dele, havia cumprido sua missão na terra ou por pura negligência médica e omissão de socorro ele perdeu sua vida, que era tão preciosa para todos nós que convivemos com ele. Já li tudo sobre reencarnação de animais, sobre o plano espiritual, sobre a possibilidade de reecontrá-lo um dia e acabei encontrando esse blog e por um momento, percebi que, não estou nessa sozinha, existe gente sofrendo de todas as formas por seus animais maravllhosos. Talvez eu consiga superar esta perda, mas não quero substituí-lo por outro, quero preservar nossas experiências juntos, para sempre. Torço para pelo menos sonhar com ele e ainda não consegui. Penso que ele poderia ter vivido um pouco mais, ele era cheio de energia, super alegre. Porque tinha que ser assim?

    Teka.

    Curtir

    Comentário por Maria thereza — outubro 5, 2012 @ 23:17 | Resposta

    • Boa noite Teka.
      Lindo e triste o seu depoimento. Espero que consiga se recuperar logo. A dor não passa e a gente se acostuma com ela. Ele estará sempre presente em seus pensamentos.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — outubro 6, 2012 @ 22:44 | Resposta

  124. Olá a todos,

    Hoje passei pelo mesmo tinha uma gata à 7 anos, a ginga começou a emagrecer de repente e nestas ultimas duas semanas deixou de comer, demos comer com seringas foi internada e não melhorava só piorava hoje fomos À vet para fazer o tratamento da pancreatite e teve um episodio de um ataque de epilepsia voltou ao normal mas a respiração estava muito ofegante,sempre quiz que ela morresse em casa ao pé de nós mas vi naquele momento que a dor dela era insuportável e a nossa também.Durante o tempo que teve em casa mesmo quase sem poder andar e a recusar a comida foi até à porta do nosso quarto e pediu a miar para entrar e dormiu na cama dos donos nessa noite………….Também me culpo mas fizemos tudo o que era possivel e a vet disse varias vezes que o melhor para ela neste momento seria a eutanásia,vou viver com a dor dessa decisão mas foi horrivel perceber que a perdemos para sempre. Demos lhe muitos beijinhos quando levou a injecção e mesmo sem vida abracei a e pedi-lhe desculpa ……As pessoas dizem me tens outros gatos,tenho mais 3 os pais da ginga e uma gatinha que me apareceu à porta de casa, gosto de todos não tenho preferÊncias mas sinto aquele vazio e vou senti-lo sempre pois era a minha gata.Pergunto me porque?e também gostava que ela tivesse vivido mais.

    saudades de ti ginga
    Margarida

    Curtir

    Comentário por Ana — outubro 8, 2012 @ 16:26 | Resposta

  125. Hoje dia 9/10/2012 me aconteceu o mesmo, ontem fiquei sabendo que minha cachorra tbm estava com problemas renais e consequentemente neurologicos, pois estava sofrendo ataques epiléticos diariamente, so ontem foram 5 no mesmo dia. A veterinaria disse que ela não teria cura porem iria ficar depende da gente de remédios e ia se definhar com o tempo, oque não seria muito. Me sinto a pior pessoa do mundo pois, niguem tem o direito de tirar a vida de ninguem por mais que esta não tenha muito tempo. Sacrifiquei meu xodózinho pois não queria ve-la sofrer novamente, porém quem esta sofrendo agora sou eu, pq ela não era só minha cachorra, ela era o meu amor puro, minha fidelidade, minha calma, minha companheira nas horas dificil, quando triste era a ela que eu recorria, e sem manisfestar me acolhia e me alegrava. era com ela que eu brincava e que me fazia sorrir sem motivos. Agora penso, eu sou um monstro por ama-lá demais e não querer ver ela sofrer? Ou eu seria se deixa se ela na situação que estava? Minha pretinha, eu sempre vou ama-lá e jamais vou esquecer este dia…

    Curtir

    Comentário por Diogo de macedo — outubro 9, 2012 @ 12:55 | Resposta

    • Olá, Diogo.

      Acredito que vc fez o melhor por ela! Essa dor, a gente acostuma com ela. E ficarão somente as lembranças boas.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — outubro 9, 2012 @ 14:13 | Resposta

  126. Caro augusto, sou a Lilia,entrei no seu blog dia 17/02/2012 para pedir algumas palavras amigas, pois tinha sacrificado a minha melhor amiga e filha LECA, eu moro em Porto Alegre RS, aqui tem uma rede de farmacias Panvel, e ela sempre faz uns comercias lindos que tocam na gente, esta semana a panvel entrou com um comercial que me emocionou muito, acredito que nao so a mim mais muita gente, ai eu me lembrei de ti,porque tu tambem ja perdeu um amigo fiel, por favor entra no site da Panvel e olha tu vai te emocionar muito como eu, ai me bateu uma saudade de doer meu coracao, da minha amada LECA,estou escrevendo com muitas lagrimas nos olhos.
    Um abraco, amigo. http://www.youtube.com/watch?v=7vQwoywtjTk

    Curtir

    Comentário por Lilia — outubro 9, 2012 @ 23:23 | Resposta

    • Oi Lilia.

      O vídeo é realmente tocante. Uma amiga já o havia me apresentado. Mas, revi e me emocionei de novo.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — outubro 10, 2012 @ 8:33 | Resposta

  127. Oii gente meu nome é Ilana , ontem dia 9/10/12 , mandei o veterinário sacrificar minha amada cadela Chita , olha estou tão triste , ele aplicou a eutanásia nela , ela tinha tumores enormes nos seios mas foi de 1 ano e meio pra cá que eles cresceram mas eu nao tinha condições de opera-la pois fui atrás de lugares aonde tratavam de cães gratuitamente mas ela estava com anemia profunda , e foi piorando mas e mas , ae o tumor começou a abrir feridas e uma mosca varejeira se instalou dentro da ferida , os tumores já tinham um mal cheiro , com o contato da mosca o cheiro piorou muitas to mais . Ae gastei todo o limite do cartão dos meu parentes e consegui pagar a cirurgia , e depois peguei o dinheiro do meu aluguel e paguei a transfusão ke so aceitavam dinheiro vivo , e fui muito criticada pelos meus parentes e tudo mas , ae ela teve alta e melhorou , mas eu voltava dia sim e dia não para fazer curativos ke so poderiam ser feitos por veterinários , era uma luta pra mim deixava minha filha de nove meses com parentes pra levar minha cadela no hospital , era horrível pra pegar condução ninguem parava mesmo com transporte , até ke mas ou menos vinte e poucos dias depois da cirurgia ke correu tudo bem , mesmo ela tendo 16 anos de vida , começou uma tosse repentina , parecendo ke ela estava engasgada ,levei ela no médico no dia 21 de setembro no meu aniversário e ela ficou lá 24 horas a médica fez as radiografias e falou ke poderia ser problemas de coração pela idade dela , mas pediu mas exames e eu não tinha mas condições de pagar , ae levei ela embora e em dois 3 dias ela parou de comer , de beber , e começou a andar tropeçando e caindo sozinha o tempo todo , eu estava a alimentando pela seringa , até deixava um pouco minha filha de lado pois sabia ke minha cadelinha precisa mas de mim nakele momento , ae ela veio a emagrecer mas e mas , teve uma vermelhidão nos olhos igual a uma conjutivite , , babava muito , tinha secreção nos olhos e na boca , e começou a evacuar deitada , levei ela ontem no médico e ele falou ke com certeza era Cinomose , provavelmente ela pegou quando ficou enternada na última vez pois foram sacrificados 3 cães com essa mesma doença , e como ela já estava debilitada pela idade e por outros problemas acabou contraindo o vírus com muita facilidade e avançou bem rápido o estágio da doença , conversei com o médico e pedi pra a opinião dele , e ele falou ke eu poderia tentar o tratamento mas achava ke não ia ter jeito pelo fato de a doença ter se evoluído tão rápido , choreii , chorei , e tomei a decisão decidi optar pela Eutanásia , mas estou sofrendo demais , estou chorando até agora , não consegui fica na sala pra ver o procedimento eu não ia aguentar isso , agora estou arrependida de não ter dado força a minha amada companheira nessa partida tão difícil , quando o enfermeiro me entregou ela dentro de um saco preto de plástico as lágrimas desceram e não pararam mas , enterrei ela no quintal da minha sogra . Estou com um enorme vazio em meu peito , uma tristeza profunda pra mim não tem a menor diferença na morte de um animal ou na de um ser humano pra mim os dois tem o mesmo valor amava e amo muito minha cachorrinha Chita ! mas fiquei meio arrependida lendo alguns depoimentos sabe , pois poderia ter tentado outro tratamento mas o médico disse ke tinha uns 10 por cento de chances e ainda era difícil não deixar alguma sequela ou mesmo de ela vir a falecer ….. Gente como estou triste não desejo isso a ninguém , já tenho depressão há muito anos , espero ke essa doença não se arraste a minha vida novamente por essa recente perda …. escolhi pela Eutanásia pelo sofrimento de minha kerida cadela , e pelas minhas condições financeiras , eu não poderia seguir o tratamento por isso , e o médico falou que provavelmente gastaria o dinheiro so pra mante-la viva por mas alguns meses , não suportei a idéia de leva-la para casa naquelas condições e optei por isso .

    Curtir

    Comentário por Ilana Belmiro Venâncio — outubro 10, 2012 @ 3:06 | Resposta

    • Oi Ilana.
      Por mais que a situação da dor da perda seja difícil, conseguirá superar. E acredite – vc fez o melhor que poderia pela Chita. Agora ela descansou em paz.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — outubro 10, 2012 @ 8:38 | Resposta

  128. Oi, hoje um dia muuuuuito triste, a cachorra do meu irmão Polly, estava com uma doença chamada Cinomose, já em tratamento há aproximadamente 01 mês e sem melhora, pelo contrário, somente piorando a cada dia, já não ficava mais em pé, fazia xixi deitada e gemia e chorava o tempo todo, o mais triste era ver o meu irmão no chão junto com a cachorra chorando quando chegava do treabalho, ele e ela eram muito amigos, ela sabia quando ele estava chegando desde longe, já começava a fazer festa; por falta de dinheiro e já tendo levado a Polly na clínica veterinária por duas vezes, decidiu aguardar que a própria natureza e a saúde dela a levásse embora, eu não aguentando mais ver essa situação, tanto o sofrimento da cachorra quanto o dele, sendo que a mesma estava convulsionando 24hs por dia, já não comia há 01 semana e estava com Úlceras pelo corpo por ficar na mesma posição, peguei a cachorra junto com a minha sobrinha e a levamos a clínica veterinária, chegando lá, a veterinária explicou o estágio avançado da doença e não tendo mais o que fazer, senão a Eutanásia, ligamos para o meu irmão e foi a decisão mais difícil que tomei em toda a minha a vida, acho que nunca vou esquecer dos olhinhos dele olhando para nós (eu e a minha sobrinha) como se estivesse se despedindo, chega né…..

    Curtir

    Comentário por Cristina — outubro 10, 2012 @ 14:14 | Resposta

    • Oi Cristina.
      Um abraço e obrigado por deixar seu depoimento.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — outubro 10, 2012 @ 20:37 | Resposta

    • Oi Cristina! Sei o que é isso! Estou desesperada! Não sei mais o que fazer! Minha linda Gracinha, uma poodle que peguei na rua a quase um ano, está com uma doença maldita chamada cinomose. Eu sempre tive cachorros, pois amo de paixão estes bichinhos e nunca tinha ouvido falar nesta doença. De um dia pro outro do nada minha lindinha começou a ter convulsões. Corri co ela para o veterinário e depois de dois dias internada ele disse que se tratava de epilepsia e só passou gardenal pra ela. Voltamos pra casa e mesmo notando ela um pouco tristinha achei que estivesse bem. Depois de uma semana, notei que ela começou a andar cambaleando e corri com ela em outro veterinário. ele disse q poderia ser por causa do gardenal e diminuiu a dosagem. Passou um monte de vitaminas e vários outros medicamentos. minha linda não teve melhoras, pelo contrário só estava piorando! Só então, por conselho de um farmacêutico levei ela no hospital veterinário da UFMG. Foram feitos exames e raio x, e aí sim, minha linda foi diagnosticada com pneumonia e essa maldita cinomse que até então eu não conhecia. Pesquisei muuuuiiiitooooo na internet sobre essa doença e me informei bastante. O veterinário receitou Ribavirina e vitamina A, além do gardenal que ela já tomava. Por minha conta, comecei a dar também o omeprazol, pois descobri que a ribavirina ataca o estomago. Agora já fazem dez dias que ela está tomando esta medicação e não está havendo melhora! Pelo contrário, ela piorou muito. Já não anda mais, faz xixi a cada dez minutos, parou de enxergar, treme d+ e chora dia e noite. Estou dando alimentos batidos na mamadeira, mas as vezes ela vomita tudo! Não aguento mais vê-la sofrer. Descobri uma clínica que interna e faz o tratamento, que apesar de ser muito difícil o sucesso, é possível. Porém, não tenho dinheiro. Já gastei tudo o que tinha o estou devendo horrores no cartão. O tratamento é muito caro, e pra piorar sofri um acidente, e estou com mão quebrada. Ésta semana vou ter que fazer uma cirurgia. Tá muito difícil cuidar dela! Aí começa minha dor maior! O veterinário desta clínica que trata essa doença, me disse que como a doença já se encontra num estágio neurológico avançado, se eu não tiver dinheiro, o melhor é interromper seu sofrimento com a eutanásia. Preciso tomar uma decisão, mas não consigo! Sempre fui totalmente contra, e agora me vejo nessa situação. Não consigo parar de chorar! Maldita doença! Maldita falta de dinheiro!

      Curtir

      Comentário por Drucilla — outubro 29, 2012 @ 13:01 | Resposta

  129. 11 anos. Este foi o tempo de vida de minha querida Chimbica, gatinha que nasceu aqui em casa mesmo. Recebemos o diagnóstico de Insuficiência Renal Crônica e por vezes a levamos à clínica tomar soro, antibióticos, remédios para anemia, úlceras e aquela bateria de medicação necessária em casos como este. O fato é que, a cada recaída, ela sofria cada vez mais, até que hoje tomamos uma das mais difíceis decisões que já presenciamos que era de lhe dar o direito ao descanso, já que a enfermidade é progressiva e extremamente dolorosa. Sem mais dores ou tratamentos exaustivos ou traumáticos.

    Confesso que sempre fui coração mole e não tenho coragem de matar sequer uma formiga. Porém, minha mãe está com a saúde debilitada e jamais conseguiria ficar ao lado da nossa Chimbiquinha nesta hora tão difícil. Não tive escolha, jamais a deixaria ir deitada numa cama sozinha, sem saber que os que mais a amavam estavam lhe abandonando. A coloquei no colo, encontrei forças não sei de onde e cantei para ela “you are my sunshine” enquanto a doutora aplicava o medicamento.

    A medicação não levou nem 5 segundos para fazer efeito e com a palma estendida deixei que ela repousasse sua cabecinha já sem vida e ainda fiquei com ela por mais uns 20 minutos, dizendo o quanto nos fez felizes por estes 11 anos.

    Infelizmente minha história não terminou ainda. A mãe dela, “princesa” apareceu justamente hoje pela manhã com um caroço preto perto do bumbum e nada comeu ou bebeu. Estamos desesperados, ter que passar por tudo isso novamente??? A linda gatinha que tirei da avenida poucos segundos antes de ser atropelada por um caminhão há 12 anos atrás??

    Amanhã a levaremos à clínica fazer os exames e rezo que seja um quadro reversível.

    Respeito todas as opiniões, inclusive as que são contra a eutanásia, porém só sabe o sofrimento que o animal passa, quem está ali, convivendo dia-a-dia e ver a vida e o brilho dos olhos sumindo cada dia mais de maneira dolorosa. Pedi perdão a Deus e não quero pensar no fato de ter feito a escolha errada. Não podemos ser egoístas, se amamos nosso animal não podemos deixar que sofra desnecessariamente sabendo que os dias piores estão próximos.

    Só para concluir, antes deste tempo ruim aparecer, um dia percebi as duas deitadinhas juntas no sofá, na mesma posição, rostinhos colados e acabei tirando uma foto para guardar de recordação. Este momento é o que levarei para sempre no meu peito.

    Ela está agora fazendo as coisas que mais gostava: comendo peito de peru ou caçando mosquitinhos com papai do céu…

    Te amo minha adorável Chimbica…

    Curtir

    Comentário por Sérgio Gomes — outubro 11, 2012 @ 1:26 | Resposta

    • Bom dia Sérgio!
      Que Deus permita que a Princesa fique bem, que isso não seja nada além de um susto. E a Chimbica? Deve estar brincando agora, por campos floridos, correndo atrás de borboletas.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — outubro 11, 2012 @ 8:31 | Resposta

    • Bom dia Sérgio! Que Deus permita que a Princesa fique bem, que isso não seja nada além de um susto. E a Chimbica? Deve estar brincando agora, por campos floridos, correndo atrás de borboletas. Abrs.

      Em 11 de outubro de 2012 08:29, “A Simplicidade das Coisas — Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — outubro 11, 2012 @ 8:31 | Resposta

  130. Chorei muito ao ler seu post, meu cachorro Thor de 7 anos, está com um grave tumor no estômago. Estamos tentando de tudo, porque não quero ter que tomar esse tipo de decisão. Eu amo o Thor com todas as minhas forças e não sei se terei coragem de decidir que ele vá embora pra sempre. Eu desejo que ele fique bem como a muito tempo não desejava nada, mas caso ele tenha que partir, espero que seja de forma natural e que eu não tenha que carregar comigo o peso de dizer que sim a uma eutanásia.

    Curtir

    Comentário por Daniele Charão — outubro 11, 2012 @ 12:51 | Resposta

  131. Olá… acabo de passar pela situação que vc e a Buba passaram… hoje decidi pela eutanásia em meu Freddy, de 11 anos, vira-latas… os órgãos dele estavam todos comprometidos, ele estava definhando, não queria mais comer, fazia muito esforço pra andar… e em conversa com a veterinária dele, diga-se de passagem, ótima veterinária, vimos essa alternativa que abreviaria o sofriento do Freddy. Achei que estava preparaa psicologicamente pra isso… ledo engano. Ele se foi olhando pra mim, consegui enxergar um certo alívio em seus olhos… fiquei segurando a patinha dele e beijando o focinho dele até o final. Agora, a dor que eu sinto não dá pra descrever… e confesso que a pergunta com a qual vc termina seu post, é um tanto quanto cruel, pra mim… “E ficou a pergunta que não quer calar: será que devemos condenar um animal à morte simplesmente porque ignoramos a forma de curá-lo?”. Condenar não é a palavra correta… certamente que não somos algozes de quem nos fez tão bem… mas creio também que é justamente por essa confiança que eles nos permitem que temos o dever de, mesmo que doa eternamente e a gente nunca e perdoa pela difícil decisão, quando chegar a hora em que vemos o estresse e a dor estão consumindo nosso amigo e ele parece suplicar pra vc ajudar ele… no caso do Freddy, não havia o que fazer, a não ser prolongar a dor e sofrimento dele… pois qualidade de vida já não teria… não qeria comer… as necessidades básicas já lhe faltariam…

    Encontrar este fórum, hoje, no dia fatídico e horrível pra mim, me ajudou de certa forma… a não me achar um monstro, não me achar a carrasca que tem o poder de tirar vidas…

    Obrigada.

    Curtir

    Comentário por Suzane — outubro 16, 2012 @ 1:47 | Resposta

    • Bom dia Suzane.

      Sinto muito pela perda do Freddy. Ele descansou. Que sua recuperação emocional seja rápida.
      Abraços.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — outubro 16, 2012 @ 8:40 | Resposta

  132. Augusto, de coração: OBRIGADA!

    Curtir

    Comentário por Suzane — outubro 16, 2012 @ 21:59 | Resposta

  133. Ontem foi um dos piores dias da minha vida, na quarta feira descobrimos que a minha cachorra Bia estava com tumor muito grande no baço mais infelizmente descobrimos muito tarde, quando a levamos novamente a clinica ela menos de um dia a situação piorou muito, já estava com dificuldade de respirar e com a pressão muito baixa, mesmo assim deixamos na esperança de que pudesse ser operada infelizmente não deu tempo, pois ela estava com hemorragia interna. Tem dois dias que eu durmo pouco e só choro de saudade, sinto muito sua falta, mesmo tendo outra cachorra que é a sua filha não esta preenchendo o vazio que vc deixou pois ela só pensa em dormir, Bia mesmo sendo porte grande era muito meiga, doce, muito carinhosa apesar de as vezes encher a paciência e agora fica as lembranças e recordações de vc levar a chave do portão, suas bagunça, pegar e correr com a meia pela casa, pedir ração,seu desespero por laranja, pedir pra ir dormir só pra ganhar bolacha entre outras coisas. Lógico que não me importaria de pagar a cirurgia mesmo sabendo que duraria alguns só mais alguns anos, pois estava com +ou- 12 anos. Nunca pensei que sofreria tanto assim por sua perda…Bi-bia saiba que eu sempre te amarei minha gorda feia(linda) foram 10 anos de alegria. Nunca te esquecerei…Te amo e sempre te amarei… Descansa em paz minha linda

    Curtir

    Comentário por Andreia — outubro 26, 2012 @ 15:34 | Resposta

  134. OLA AUGUSTO!! NÃO POSSO LHE FALAR QUE ESTA TUDO BEM, ONTEM PERDI A FIFI, MINHA POODLE DE 16 ANOS 8 MESSES E 28 DIAS, PELA DIFICIL OPÇAO DA EUTANÁSIA. ELA JA ESTAVA CEGA A 3 ANOS, CONSEGUI ESSE ANO TIRAR UM TUMOR DE PELE DA CABEÇA DELA QUE JA TRATAVA A 1 ANO E 2 MESSES, DEVOLVI A ELA QUALIDADE DE VIDA E DIGNIDADE QUE TODO CÃO AMADO DEVE TER, DEPOIS FIZEMOS A RETIRADA DOS CANINOS DELA EM MARÇO DESSE ANO, QUE TAMBEM FOI BEM DIFICIL PARA ELA, E COM O CORAÇÃO JA INCHADO, PELA IDADE MAIS NESSE DOMINGO ELA TEVE UM ABSCESSO PERTO DE SUA BARRIGUINHA ENTÃO FOI LIMPADO E CUIDADO, MAIS NA SEGUNDA FEIRA ELA JA NÃO SE LEVANTAVA MAIS, LEVEI AO VETERINARIO SEGUNDA FEIRA DE MANHA E JA ESTAVA DISPOSTA A ACABAR COM TODO ESSE SOFRIMENTO DELA, MAIS CHEGANDO A CLINICA E CONVERSANDO COM DOIS VETERINÁRIOS DR. DANILO E DRA. RENATA, QUE PRIMEIRO DEVERIAMOS TENTAR AS MEDICAÇOES POR 24 HORAS, ENTÃO TROUXE ELA PARA MINHA CASA COM SORO E TUDO, FOI UMA NOITE TERRIVEL APESAR DE JA FAZER UNS 5 DIAS QUE ELA VINHA VINDO MOSTRANTO SINAIS DE QUE ALGUMA COISA NÃO ESTAVA BEM, E EU TB JA ESTAVA COM MEU CORAÇÃO ANGUSTIADO UM APERTO DE QUE ALGO IA ACONTECER COM ELA, AI ONTEM 30/10/2012 VOLTEI COM ELA PARA A CLINICA COM SORO E TUDO NOVAMENTE ELA JA NÃO SE MEXIA MUITO, AS PATAS TRASEIRA JA NÃO TINHA FORÇAS PARA FICAR EM PÉ, E O NEUROLOGICO DELA JA ESTAVA AFETADO TB, ASSIM O VETERINÁRIO FALOU, E EU TROUXE ELA NA SEGUNDA FEIRA PARA CASA PEDINDO PARA QUE DEUS A LEVASSE SEM QUE TIVESSE QUE TOMAR ESSA DECISÃO TÃO DIFICIL, E QUE AGORA ESTA ME FAZENDO ME SENTIR COMO UMA ASSASINA, DA MINHA PROPRIA COMPANHEIRA QUE TANTO AMEI E ME DEDIQUEI DURANTE TODOS ESSES ANOS. FIQUEI JUNTO DELE NA PASSAGEM, ELA JA PARTIU NA HORA QUE DEU A ANESTESIA NELA, SEGUNDO O VETRINARIO ME FALOU QUE SERIA QUESTÃO DE HORAS OU DIAS PARA QUE ELA SE FOSSE, MAIS NÃO ESTAVA AGUENTANDO VER AQUELA FOFURA DE PELINHO BRANCO SOFRER DAQUELA FORMA, PORQUE NA VERDADE ELA ERA UMA LADY, NÃO GOSTAVA DE SUJAR AS PATINHAS, NA HORA DE FAZER XIXI, LEVANTAVA AS DUAS PATINHAS TRAZEIRAS, E ATÉ NO ULTIMO XIXI DELA NÃO QUIS FAZER NA FRALDA QUE COLOQUEI, TIVE QUE TIRAR PARA QUE ELA FIZESSE NO LOCAL DE COSTUME DELA, FOI UMA GUERREIRA, ANTES DO PROCEDIMENTO O VETERINÁRIO ME DEIXOU COM ELA SOZINHA ME DESPIDI, PEDI DESCULPAS PARA ELA, DISSE O QUANTO EU A AMAVA E ELA DEU UM GRITINHO, SE SEGURANDO EM MEU OMBRO, NA HORA QUE A COLOQUEI NA MACA ELA JA NEM SE MEXEU MAIS, E ASSIM FOI, NAQUELE MOMENTO ALI EU TB QUERIA IR COM ELA, MEU DEUS QUE DOR TERRRIVEL SENTI E ESTOU SENTINDO, ESSA NOITE FIQUEI ESPERANDO OUVIR OS PASSINHOS DELA NO MEU QUARTO PARA LEVANTAR PARA ELA FAZER O XIXI DELA E TOMAR AGUA, E O MEU OUTRO DOG O THOMMY ESTA MUITO SENTIDO, CHEGUEI COM ELA AQUI EM CASA MOSTREI PARA ELE QUE ELA TINHA PARTIDO FICOU DESESPERADO BATENDO AS PATINHAS NA CAIXINHA DELA, FIZ O ENTERRO DELA NO FUNDO MO MEU JARDIM, E COM O CHEIRO DO JASMIM DO CAMPO ESTA MUITO FORTE NESSA EPÓCA, É O CHEIRO QUE JAMAIS VOU ME ESQUECER DELA, NA VERDADE ESTOU PERDIDA COM SENTIMENTO DE CULPA, POR NÃO ESPERAR A MORTE NATURAL DELA , MAIS AO MESMO TEMPO DE TER DADO O DESCANSO PARA ELA, NÃO SEI, NÃO SEI O QUE PENSAR, SÓ ESPERO QUE ELA TENHA PASSADO A PONTO DO ARCO IRIS FELIZ DA VIDA , E NÃO TRISTE PELO QUE EU FIZ, PORQUE EU A AMEI DEMAIS, DEMAIS E FIZ TUDO QUE ESTAVA AO MEU ALCANÇE POR ELA FIFI TE AMAREMOS ETERNAMENTE, O CHEIRO DO JASMIM DO CAMPO VAI FAZER ME LEMBRAR DE VC ASSIM COMO ME FAZ LEMBRAR DO SEU COMPANHEIRO ESPYKE E QUE AGORA VCS DEVEM ESTAR CORRENDO JUNTOS NOVAMENTE. BJS DESTA QUE TANTO TE AMO E TE AMARA ETERNAMENTE.

    Curtir

    Comentário por madalena giroto — outubro 31, 2012 @ 13:13 | Resposta

    • Oi Madalena.

      Que se recupere prontamente de sua perda, é o que lhe desejo.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — outubro 31, 2012 @ 14:16 | Resposta

    • OI MAdalena, seu depoimento me fez chorar, tbém passei por isso, por coincidencia no dia 30/10/2012, minha cadelinha tinha 17anos e 3meses, chorei muito antes e depois, nunca vamos esqueçer estes amigos verdadeiros,a minha tbém entrou em óbito na anestesia, estava muito debilitada, ainda bem que podemos chorar, alivia muito nossa dor, força pra vc,

      Curtir

      Comentário por afra — novembro 23, 2012 @ 0:48 | Resposta

    • Igualzinho a nossa dor. Em nenhum, momento foi diagnosticada a doença que fez a nossa Nenê para de andar, parar de mexer as pernas traseiras… Daria tudo para curá-la..

      Curtir

      Comentário por Lucia Irene Reali Lemos — janeiro 9, 2013 @ 1:44 | Resposta

  135. Estou muiiiito triste ,e não consigo parar de chorar, pois dia 30-10-012 a vet me convenceu de fazer eutanásia no meu Gu um york de 10 anos e 8 meses, pois ele estava com todo o rim comprometido, a ref. é de 60 a dele estava com 455, já não se alimentava mais, enfim…. mas acho que deveria ter feito algo mais ; e o pior deixei o corpinho lá , pois não tenho lugar para enterrá-lo, para onde o levaram,,, a vet disse que seria para um lugar onde enterram com diginidade;;;;não sei, ah meu Gu que saudade;;;acho que não faria isto novamente, ficaria com ele até o fim.Eva

    Curtir

    Comentário por Eva Garcia — novembro 2, 2012 @ 17:14 | Resposta

    • Boa noite Eva.
      Olha, passei por situação parecida com a Bubba. Com o tempo essa dor ameniza. Ela achará um cantinho em seu coração e ficará lá, quietinha.
      Abraços.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — novembro 2, 2012 @ 20:19 | Resposta

      • Obrigada Augusto Martini
        Abraços. Eva

        Curtir

        Comentário por Eva Garcia — novembro 3, 2012 @ 17:14

      • Oi Eva. Imagine, não por isso. Força! Abrs.

        Em 3 de novembro de 2012 17:14, A Simplicidade das Coisas — Augusto

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — novembro 3, 2012 @ 20:16

    • oi Eva, sei o que vc estar sentindo, estou passando pela mesma dor, tive que fazer a eutanásia em minha cadelinha, no mesmo dia que vc fes na sua30/10/2012, esta data vai ficar para sempre registrada no meu coração, mas sei que fiz o melhor pra ela, a minha cadelinha não fazia mas as necessidades básica, como comer, beber agua sozinha, tudo dependia de mim., passei um ano tentando de todas as formas possíveis, com todp o meu amor, fazia com ela como se faz com um bêbê, ela estava sofrendo muito, não estava mais dormindo a noite, tive que administrar com a preescriçao do Vet. é claro, medicamentos para ela dormir, mas mesmo assim ela acordava a noite, e latia como se estivesse me chamando, colocava no meus braços e até ela dormir novamente, tnha 17anos e 4meses, choro todos os dias qdo lembro, para mim foi a decisao mais difícil da minha vida, não desejo pra ninguém passar por isso, mas o melhor foi feito, já no anestésico ela entrou em óbito, fiquei o tempo todo do lado dela , é isso com o tempo essa dor ameniza, nunca vamos esquecer dos nossos anjinhos de 4 patas. abraços

      Curtir

      Comentário por afra — novembro 9, 2012 @ 0:19 | Resposta

  136. Que estupidez. Abater um animal?! Tao loucos ou qê?? Tenho um pinsher bebé de 3 meses que vomitava sangue vivo e fazia diarreia com sangue. Pensam que mandei abater?? NUNCA. Era a ultima coisa que faria!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Curtir

    Comentário por Protectora dos Animais — novembro 8, 2012 @ 18:22 | Resposta

    • Oi camila parabéns, realmenrte os espíritas nos surpreendem a cada dia,ámei a matéria sobre a eutanasia, é isso mesmo, esperamos a parte II.abraços

      Curtir

      Comentário por afra — novembro 23, 2012 @ 0:39 | Resposta

  137. olá.li estes artigos. Gostaria de saber se h´uma lei que se o animal tiver uma crise e não encontrarmos médicos veterinários, entendidos em veterinária, farmacia aberta para comprar o medicamento do seu animal que está entrando em como e leva-se para um posto de saúde aprocura do medicamento e lá ele recebe a atenção, o remédio tem coo punir médico e enfermeiro que atendeu. isso aconteceu com omeu gato que teve sete crise, colnvulsivas e duas parada respiratória e na momento o uinico jeito que encontrei foi correr para o posto a procura de cadernal? por favor me respondam.

    Curtir

    Comentário por elisabeth costa gomes — novembro 14, 2012 @ 13:11 | Resposta

    • Oi Elisabeth.
      Não sei a resposta de seu questionamento. Talvez alguém aqui dessa lista de discussão possa ajudá-la.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — novembro 14, 2012 @ 14:50 | Resposta

  138. Estou aqui com o meu cachorro que tem 14 anos e hoje ele teve umas 5 convulsoes. Tomou medicacao para acalmar-se e gora estou vendo ele andar em circulos e muito rapido. Ele teve um derrame ha alguns meses atras e afetou sua visao. Ate entao ele tinha comportamentos normais de uma cachorro que nao enxerga. Porem, hoje depiis dessas convulsoes e ve-lo dessa forma. Andando em circulos e chorando, sinto que o sofrimento dele esta maior e o meu tambem de ve- lo nesse estado. Estou exremamente tristepor em ter que optar

    Curtir

    Comentário por Tay — novembro 16, 2012 @ 4:42 | Resposta

  139. Acabei de receber um telefonema da minha casa, dizendo que minha cadelinha vai ter que passar por essa eutanásia amanhã.Ela está com câncer é está sofrendo muito.Eu estou completamente triste, pois esse animalzinho já está vários anos com a gente.Poxa é muito difícil e doí muito na gente em pensar que ela vai passar por isso, mas Deus sabe que não é ruindade, que essa decisão foi pensando no bem estar da (Mole) esse é o nome dela. Mole eu te amo!!!

    Curtir

    Comentário por Sandra Costa — novembro 20, 2012 @ 18:33 | Resposta

    • Oi Sandra.
      Muita força para você nesse momento tão difícil é o que lhe desejo.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — novembro 20, 2012 @ 18:36 | Resposta

      • Oi Sandra.É muito triste dói na alma da gente, tive que tomar essa decisao tbém dia 30/10/2012 minha cadelinha de 17anos e 3 meses, ficou muito doente, andava em círculos, ficou sem dormir, passou um ano sofrendo, já não aguentava mais olhar para ela naquela situação, optei pela eutanásia, sei que fiz o melhor, o único remédio que encontrei é chorar… choro de saudades todos os dias, e aqui consigo compartilhar com vcs que estao passando pela mesma dor, muita força querida.

        Curtir

        Comentário por afra — novembro 23, 2012 @ 0:35

  140. bom eu acho que optar pela eutanásia é uma decisão muito dificil, mas uma decisao corajosa, de amor, de aplicar a lei do ..desapego….deixar ir…sem egoismo….é um ato de preservar o sofrimento do bichinho, sei que é muito muito mesmo dificil, talvez minha cadela esteja indo para esse caminho…eu já choro só de ler sobre isso, so de imaginar….mas eu nao gostaria de sofrer, preferiria a eutanasia….sem qulidade de vida o animal, seria talvez ..um capricho..conserva-lo ao nosso lado……e no céu existe um lugar maravilhoso esperando por eles e nao é uma despedida para sempre…e simplesmente só….até um dia……..quando nos reencontraremos no outro lado……

    Curtir

    Comentário por marcia — dezembro 7, 2012 @ 0:40 | Resposta

    • Oi Márcia.
      Agradeço sua visita ao blog e tb ao comentário, que veio enriquecer a discussão.
      Abraços.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — dezembro 7, 2012 @ 10:37 | Resposta

  141. hoje foi e esta sendo um dia muito dificil para mim.pois tive que obtar pela eutanasia da minha querida hully.ela ja nao estava aguentando andar,so ficava dormindo e urinava semparar.pois estava com cancer e ja havia feito duas cirurgias.nao tive coragem te ver.e agora nao consigo dormir,,,, mas espero que essa dor passe logo…ela era aminha companheira minha amiga.ela estava comigo ha desseseta anos,ela era uma poodle,,,espero ter feito a coisa certa;;;;;;;;

    Curtir

    Comentário por geni — dezembro 8, 2012 @ 0:44 | Resposta

  142. Hoje o meu anjinho Scott foi para o céu. Tive que optar pela eutanasia, que realmente é uma opção muito mas muito difícil, pois nos sentimos culpados por termos escolhido a hora de nosso animalzinho partir, mas pior ainda seria a covardia de deixa-lo sofrer. Ele tinha quase 17 anos, era um salsicha orelhudo fofo! Há mais ou menos um mês e meio descobrimos que ele estava com um tumor na boca, e nao havia nada que pudesse ser feito pois esse tipo de tumor é muito agressivo, a cirurgia nao resolve, nem quimioterapia que de qualquer forma faria ele sofrer mais ainda. O tumor aumentava bem rápido, sangrava um pouco mas ele, comilão como sempre foi, continuava comendo normalmente, o que fez com que pudéssemos te-lo com uma vida razoavelmente boa mesmo com o tumor ficando grande. Mas aconteceu algo muito surreal, na ultima noite o tumor começou a crescer muito mas muito rápido, praticamente dobrou de tamanho em doze horas! Começou a afetar a respiração, ele quase desmaiou sem ar, e a cada hora aumentava e aumentava, fazendo com o rosto ficasse muito disforme. Por medo de que ele ficasse sem respirar a noite, resolvi leva-lo para a eutanasia no fim da tarde. Foi muito difícil. Agora estou aqui, em casa, sentindo a falta dele em todos os lugares que passo. Nao havia companheiro mais fiel, nao havia olhar mais doce do que o do meu véio. Nao sei se um dia essa ferida no meu coração vai fechar. Minha saudade nao tem tamanho.

    Curtir

    Comentário por Mayara — dezembro 10, 2012 @ 1:31 | Resposta

    • Oi Mayara,
      Que sua dor seja breve. Que fiquem somente os momentos felizes na memória.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — dezembro 10, 2012 @ 11:37 | Resposta

    • Já agradeci no comentário que você colocou para mim, porém não sei se por lá você é notificada. Então desde já agradeço as palavras e também te desejo muita força!

      Curtir

      Comentário por Paulo Maurício Vaz — dezembro 11, 2012 @ 12:45 | Resposta

  143. Hoje dia 10 de dezembro de 2012 minha grande amiguinha foi embora. Era uma cocker tinha 15 anos e 9 meses e se chamava Taygga. Ela já estava cega e surda, porém andava normal em casa, reconhecia todos, brincava, alimentava-se e estava tudo normal. Na quinta-feira dia 29 de novembro por volta das 21 horas ela passou mal e ficou gritando de dores, depois disso dormiu como se nada tivesse acontecido. Por volta da meia noite novamente a mesma coisa. Na sexta dia 30, levamos na emergência e disseram para deixá-la em observação. O problema é que ela estava com dores nas patas de trás e sofria muito para urinar, defecar, deitar e levantar. Ao voltar para casa, na segunda dia 3 de dezembro, víamos que minha amiguinha já não estava mais a mesma. Dormia muito e não queria comer. Levamos na acupuntura, pois ela já tinha feito tratamento uma vez e foi bastante promissor os efeitos. Porém nada melhorou, ela continuou dormindo muito, não comia mais ração seca e passou a rejeitar qualquer comida. Até as coisas que mais adorava: água de coco e pão, já não encantavam mais minha grande amiga. Durante o período de 3 a 9 de dezembro, ficamos revesando os cuidados, quando eu saia minha mãe ficava e vice-versa. A minha amiguinha alternava momentos que pareciam que ela iria melhorar e vencer este obstáculo, só que outro momento parecia que já estava nos deixando, pois todos os remédios ela vomitava. No domingo dia 09 de dezembro foi um dia ruim, acordei às 04 da manhã angustiado, com aflição, como se alguém da família estivesse morrendo. Pensei até que estava ficando maluco, pois só me sentia mal, dor no peito, tristeza. Neste dia ela não comeu quase nada, vomitou e ficou dormindo o dia todo. Pela tarde comeu arroz com carne (aquela que vem em lata) e voltou a dormir. Hoje dia 10 de dezembro pela manhã descobri que toda aquela dor, angústia, aflição que senti era algo me avisando que a minha velhinha, a Taygga estava partindo. Ela não quis nada, só ficar deitada no cantinho dela que era no quarto da minha mãe. Ligamos para as 2 veterinárias e essas disseram para levá-la para o centro veterinário. Quando estavamos nos aprontando para levá-la, Taygga acordou, andou pela casa em todos os cantos que ficava, e em cada um ela encostou e fez “festa”. Lá na clínica a veterinária disse que não tinha muita coisa a ser feita e que deixá-la viva seria prolongar a dor do animal. Tivemos que optar pela eutanásia. Tremi muito para assinar o documento da eutanásia, tive que ser forte para dar apoio para minha mãe que está muito triste e chora muito. Porém a dor é muito grande em saber que ela não está mais aqui em casa. Sempre que chegávamos ela já estava na porta esperando, porém a partir de hoje……não mais.
    Taygga, descanse em paz minha grande amiga, minha velhinha e muito obrigado por ter feito parte das nossas vidas durante esses 15 anos.
    Desculpe-me se escrevi muita coisa no teu blog e pricipalmente num post antigo, é que eu queria desabafar com alguém que também entende o que é esse grande amor que os animais nos passam.
    Fique com Deus e muito obrigado!

    Curtir

    Comentário por Paulo Maurício Vaz — dezembro 10, 2012 @ 23:11 | Resposta

    • Oi Paulo.

      Agradeço pelo seu comentário e não se preocupe – apesar de antigo, esse post é o mais visitado desse blog. Todos os dias tem gente colocando algo aqui e isso auxilia muitas pessoas que passam pelo mesmo dilema.
      Um abraço.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — dezembro 10, 2012 @ 23:40 | Resposta

    • Paulo, esse é o primeiro comentário que eu leio entendendo de verdade o que a pessoa está dizendo, já que ontem meu amada Scott foi pro céu. É realmente muito difícil chegar em casa e nao vermos nosso bichinho, fica um vazio enorme, um vazio que dói muito. Os animais são anjinhos que aparecem na nossa vida e infelizmente nao nos acompanham durante muito tempo, mas por diversos motivos eu tenho certeza de que são anjinhos que nos cuidam primeiro aqui conosco, e depois lá de cima, e nos esperam para que um dia possamos nos reencontrar. E por enquanto o que fica são as lembranças e o grande amor que sentimos. Força pra gente nessa hora difícil!

      Curtir

      Comentário por Mayara — dezembro 11, 2012 @ 0:49 | Resposta

      • Faço minha tuas palavras: “Força pra gente nessa hora difícil!!”
        Foi através do teu comentário que tomei coragem de escrever algo, pois vi que alguém estava sentindo a mesma dor. Mesmo sabendo que está difícil tanto para mim quanto para você Mayara, pois perdemos nossos amiguinhos agora no dia 10, é preciso ter força e principalmente não deixar que esse momento de dor seja maior que todas as alegrias que passamos com eles.
        Sei que o natal pra gente não será mais o mesmo, mas Deus irá confortar nossos corações! Certamente o seu “véio” e a minha “velhinha” estão bem junto de Deus!

        Curtir

        Comentário por Paulo Maurício Vaz — dezembro 11, 2012 @ 6:52

  144. Diante dessa imensa dúvida, resolvi optar pela razão. Se creio em Deus, como o Pai soberanamente bom e justo, como posso achar que sei mais que Ele? Como posso entender que sou mais sensível ao sofrimento de Suas criaturas do que Ele? Uma vez acompanhei a eutanásia de uma cadela da família e decidi que nunca mais concordarei com essa solução. A partir daí, todas as vezes que orei a Jesus e São Francisco de Assis para que tudo fosse feito de acordo com a vontade de Deus, o desfecho foi breve e natural. No entanto, respeito opniões diversas, desde que baseadas no Amor e não no comodismo.

    Curtir

    Comentário por Magali — dezembro 11, 2012 @ 18:15 | Resposta

  145. Olá pessoal..fiquei feliz em ver que o blog está ativo aqui..para compartilhar como com todos vcs minha dor..Com os olhos em lágrimas venho contar a história da minha linda Rotwler Kyra..A conheci a 8 anos atras..quando já tinha 3 anos..namorando hj meu atual marido..Ele estava se separando..e a Kyra me adotou como sua nova dona..de coração senti isso..Nesses 8 anos de convivência nos mudamos muito devido ao trabalho de meu esposo..e ela nos acompanhando..Em tdos os momentos..tristes..felizes..a filha que não tinhamos..Kyra era uma rotw de grande porte..muito maior que os machos da mesma raça..linda..a mais linda que já vi..de revista!Paulo meu esposo sempre fez muitos exercicios com ele..caminhadas..sempre foi muito forte..e amava como tdos os cachorros..Porém á uns 3 anos percebemos..que nos invernos..ela chorava de dor qndo se deitava..mas eram fases..passavam..vinha o verão e ela não tinha sintoma algum..Neste abril de 2012 ela completou 11 anos..passou por mais um inverno para nossa alegria..Neste mesmo inverno em agosto chegou nosso primeiro lindo filho..Bernardo!Com as atividades com um Rn..e trabalho..pouco dei atenção a ela neste período..o Paulo ainda a noite saindo para passear..Mas á uns 60 dias atras ela começou com as dores novamente..se deitava e chorava..Mas era somente este o sintoma..e não sempre..fomos aguardando..Até que num determinado momento percebiamos já dificuldade para caminhar..ficava sentada com as patas da frente..mas as traseiras com dificuldade para caminhar..Chamamos a veterinária..que aplicou uma injeção e tratamos com anti-inflamatórios..E ela se recuperou..ate rolava na grama..Iamos iniciar com geriox mas a veterinária disse para mais uma semana continuarmos com a medicação..e nesta ela começou a regredir e só piorou..mais do que na primeira vez..Ela já precisava que carregasse a parte traseira para deslocarmos novamente..Um dia entrou na casinha e não conseguia mais sair..Meu esposo não estava chamei meu cunhado e quebramos a casinha para tirála..ela se mijava tadinha de dor..Chamei a veterinária que me deu uma medicação para aplicarmos a cada 48 horas..Calor..minha preta não conseguia nem tomar mais água nem que deixassemos na sua frente..ela só se arrastava com a parte traseira..e a medicação não conseguiu faze-la reagir..do contrário piorando..gritando de dor..Neste calor cheio de moscas ao redor..fazendo xixi e coco no lugar que estava..Foi quando no dia 19 meu esposo disse..chega..não posso mais ve-la sofrendo assim..vamos ter que sacrificar..Ligou para veterinária..que é muito de nossa confiança..que ama d+ os animais..e ela nem titubeou..o que me levou a crer que não tinha mais volta..Então ela veio até nossa casa..tranquei me no quarto com meu filho..não quis participar..Só vi meu esposo carregando as patas traseiras dela para deita-la na grama..e a vet com o produto em mãos..Tudo tão rápido..quando vi meu marido ja entrava no banheiro para chorar..Eu não quis despedir me..pois estava chorando muito..ela saberia que algo de ruin estava para acontecer..meu marido controlado e lhe passando confiança ficou ao seu lado neste momento..Lendo os posts..percebo que todos temos o mesmo sentimento..da dúvida..da culpa..e de que o pior era ve-la se arrastando..sofrendo..chorando..já não era vida..já não era minha Kyra,,Ela latia como qndo deixavamos presa..que pedia pra fazer xixi..nos pedia alguma coisa..ela precisava que acabassemos com esse sofrimento..O coração realmente dói demais..esperamos que a dor vá embora e fiquem as boas lembranças e saudade..Li tantos comentários lindos de que eles nos esperam no outro plano para viverem conosco na eternidade..isso me deixou com um sentimento melhor..de que acabamos com seu sofrimento..lhe demos uma morte trabquila e sem dor..a deixamos descançar..Que todos nós possamos superar essa dor..e que possamos encontrar nossos amados bichinhos no outro plano!Abraço a todos!

    Curtir

    Comentário por Leandra — dezembro 21, 2012 @ 16:46 | Resposta

  146. Pude perceber que não sou o único a experimentar essa sensação de saudade e dor, culpa e alívio. É uma mistura de sentimentos contraditórios, né? Meu cachorro era um vira-lata pretinho que, apesar de macho, foi batizado de Pink (coisa de criança, já que eu o ganhei de minha mãe quando eu tinha 8 anos). Ele participou ativamente da minha infância, adolescência e início da fase adulta. Foram 15 anos de lealdade, amizade e companheirismo.
    Quando comecei a faculdade, me mudei para o Rio de Janeiro e o Pink ficou com minha família no interior do Estado. Me lembro que viajava todo mês para lá e ele sempre fazia festa quando eu chegava, abanava o rabinho, pulava, brincava… E quando eu dormia, ferradão, chegava de manhã cedo, todos tomando café e ia o Pink no meu quarto me lamber as mãos, pra me acordar, só para eu tomar café reunido com a família! Parecia realmente que era um cachorro preocupado em reunir todo mundo! E assim ele agia até começar a aparecer as primeiras doenças, a cegueira, a respiração difícil, que o impedia de dormir direito, que o deixava inquieto, andando pela casa inteira de madrugada, tumores pelo corpo… até a fraqueza nas patas, não conseguir andar e se levantar direito. Depois desses 15 anos, o veterinário disse que não tinha como recuperá-lo mais e nossa família decidiu pelo sacrifício, com muita dor. Eu o acompanhei até o fim e o que mais me marcou foi realmente o seu último olhar… Sofremos todos, mas ao mesmo tempo sou grato ao Pink pela sua presença e fidelidade nesses 15 anos, nos quais ele me viu crescer e me desenvolver, assim como eu o vi. Agora ele descansou e o que vai ficar para sempre são as lembranças de tantos momentos divertidos que vivemos juntos. Acho que é isso que ele espera de mim.

    Curtir

    Comentário por Marcos — dezembro 28, 2012 @ 16:52 | Resposta

    • Boa tarde Marcos.
      Agradeço sua visita. Seu depoimento fez-me lembrar ainda mais da Bubba. Ela também agia parecido com o Pink. Era uma cachorra com alma de gente.
      Abrs. Feliz 2013!

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — dezembro 28, 2012 @ 17:19 | Resposta

  147. Fiquei muito emocionada com o texto, pois indiretamente, acompanhei a decisão de uma eutanásia! Estou muito afetada, mas crente de que fizemos o melhor para ajudar o cãozinho!

    Curtir

    Comentário por Ravena — janeiro 1, 2013 @ 12:20 | Resposta

    • Boa tarde Ravena.
      Agradeço sua visita. Que bom que tenha gostado do texto.
      Abrs. Feliz 2013!

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — janeiro 1, 2013 @ 17:08 | Resposta

  148. Olá Augusto,ontem 08.01.2013, às 18h30, meu filho Camillo (32anos) teve que tomar a difícil decisão de ter que sacrificar a nossa cachorra Boxer cor dourada, linda, linda, de 16 anos, a “Nenê”…estamos em frangalhos!!!! Ela teve um tumor de mama que foi retirado, e conforme a veterinária, ela estava curada,mas depois disso ela começou a atrofiar as pernas traseiras, em menos de 1 ano ela começou a cair, já não conseguia mais se levantar e parou de andar, ela se arrastava, e por incrível que pareça, ela parecia saudável, não perdeu peso, pelo contrário era grande e pesada. Em novembro meu filho pediu, por duas vezes, que a sacrificasse, pois não aguentava vê-la daquela forma, a veterinária disse que ela era saudável e que não justificava sacrificar, para urinar meu filho e minha nora tinham que levantá-la e segurar pela barriga…ela latia quando queria fazer xixi e quando fazia cocô, pedia a vasilha de agua e ração..já não conseguia mais se arrastar Na semana do Natal decidimos que iríamos comprar a caderinha de rodas pra ela…só que não deu tempo, na noite anterior (07.01.2013) ela não dormiu, meu filho disse que ela estava incomodada, chorava e gemia…Meu filho, ontem chamou novamente a veterinária que diagnosticou uma infecção na urina com sangue e disse que era grave,e novamente disse que não a sacrificaria. Nenê já não emitia mais o som do latido, perdeu totalmente, ela latia mas não emitia nenhum som. Ela parecia conversar com a gente…Sei que o papel dos veterinários é salvar, é tentar até as últimas consequencias curar os animaizinhos…Mas, esta veterinária colocou um sentimento de culpa muito grande em nossos corações, pois era nítida a dor da nossa cachorra, o sofrimento era muito grande , pois a Nenê sempre foi muito ativa, higiênica e agora se encontrava em uma situação degradante..tenho certeza de que ela sofria demais…sem poder brincar, sem poder pular como sempre fez com meus filhos e comigo. A veterinária resistiu até o último momento em sacrificar, e disse para o meu filho que o papel dela não era cometer eutanásia…mas atenderia o pedido, pois assim era a nossa vontade. Poxa vida…voce deve imaginar como estamos…meu filho um homem barbado chora feito um menino, se sentindo um assassino…Não acho que foi correta a atitude da veterinária…ela não devia ter colocado dessa forma, em nenhum momento ela aliviou. Nós amávamos a nossa Nenê…ela foi uma cachorra maravilhosa, obediente, linda, inteligente, carinhosa…tudo tudo de bom, só nos deu alegrias…ela foi fiel aos meus filhos durante toda a sua vida…e porque deveríamos deixá-la sofrer??? Realmente é um misto de tristeza, culpa, conformismo por tê-la livrado do sofrimento,mas uma dor enorme de saudade daquele rostinho tão dócil….Cara dói demais..Pena que não tem como postar uma foto dela aqui pra você ver.Sei que a Nenê descansou e agora está livre. Quero acreditar que existe um outro plano para os animais…Quero muito que meu filho e minha nora sejam confortados..até porque eles tem ainda a Lua (uma Pitibull) e a Brida (uma beagle) esta última, dormia em cima da Nenê…e como não foram ainda buscar o corpo da Nenê, meu filho me ligou desesperado dizendo que a Brida está lá ao lado da Nenê (que está enrolada em um lençol..) e disse que é de cortar o coração a cena… Sinceramente é muito dolorido …para mim, o sofrimento está sendo suportável, pois já não moro mais na mesma cidade, mas é meu filho que ficou com a nossa Nenê…então, para ele e para a minha nora, está sendo muito difícil, se puder acesse o perfil dele no Facebook: https://www.facebook.com/camilloserafim , terá a oportunidade de ver a foto dele com a Nenê. Mas eu te pergunto: somos assassinos da nossa cachorrinha? Somos culpados de termos optado pelo cessar de sofrimento dela? O que fazer para alíviar essa opressão no peito? Essa angustia, esse sentimento de que cometemos uma maldade? Porque essa profissional não nos confortou? Bem, Augusto, gostaria de agradecer pelo espaço ao desabafo. Você não sabe o bem que você está fazendo abrindo esse espaço para os internautas que amam os animais. Obrigada, hoje profundamente entristecida, Lucia – Brasília/DF

    Curtir

    Comentário por Lucia Irene Reali Lemos — janeiro 9, 2013 @ 1:35 | Resposta

    • Oi Lúcia.

      Agradeço pelo seu depoimento lindo, sensível e emocionante.
      Olha, tenho certeza que não somos assassinos. Abreviamos um sofrimento maior e o tomamos para nós. Essa dor é terrível, o sentimento de culpa também. Com o tempo a gente acostuma com ele, não passa, fica lá, escondidinho, infelizmente.
      E logo o choro dará lugar a uma saudade gostosa, com as lembranças dos bons momentos que tiveram com a Nenê.
      Eu tenho em meu apartamento um pequeno altar. E nele, em meio aos Santos, fotos dos meus pais, avós, que já se foram, estão tb as fotos dos meus cães que partiram. Tenho certeza que os encontrarei quando fizer a passagem.
      Abrs.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — janeiro 9, 2013 @ 9:06 | Resposta

  149. Minha cadela luazinha se foi hoje ás 15:00. Era uma poodle cheio de saude, gostava de comer frango assado e ração da frolic. Era mega carinhosa, quando eu ia trabalhar ela ficava toda triste, em depressão, fica na porta me esperando sentadinha, não comia nada até eu chegar. Quando abria a porta, ela pulava e gritava por varios minutos em cima de mim, era uma coisa bem atipica de se ver em um animal. Minha falava que ela pensava que eu era o macho dela rsrs.
    Era um amor louco que um sentia pelo outro, ela dormia comigo comia comigo, brincava comigo e assim era o nosso dia a dia. Até que comecaram a aparecer uns nodulos mamários em minha luazinha. Ela fez três cirurgias para retirada de nodulos e na ultima aproveitei e fiz a castração(coisa que era para eu ter feito logo cedo, mas não tinha dinheiro nem trabalhava na epoca que peguei ela) isso ela com 12 aninhos. O medico disse que, fazendo a castração era 99,98 por cento de chance de lua não ter mais estes nodulos. Depois da cirurgia de castração, lua viveu 3 meses de muita alegria. Mas passados 3 meses, sua barriguinha tinha varios nodulos pequenos e a barriga começou a necrosar em uma parte grande. Levamos ao veterinário e fizemos raio x. era um cancer nos pulmões com metastase. Comprei todos os remedios possiveis e comecei o tratamento, so que a cada dia que passava lua ia perdendo o apetite até chegar em um ponto que parou de comer durante 6 dias. Só fazia vomitar e beber agua. Tinha que esfarelar o remedio e por na lingua dela. Os poucos dias passando e lua chegou em um estado em que nem comia, nem bebia, nem urinava nem fazia coco e só vomitava bilis. Até que hoje, lua chegou num estado deplorável, teve parada cardiaca mas eu mesmo a reanimei e antes eu já havia ligado para o medico que me falou que agora a situação dela era muito complicada, ela já nem aguentava ficar em pé e quando ia vomitar chegava a gritar de dor. Falou da eutanasia e eu já estava decidido a fazer por ver ela naquele estado. eu ia esperar mais um pouco até umas 16:00 para levar ela e me despedir, mas devido a parada cardiaca eu a levei as pressas para ela não morrer sofrendo com dor. E chegando lá, deixei minha esposa, meu sobrinho e meu filho de 11 meses na entrada da clinica e a levei para a medica. Fiquei com ela até o final de sua vida. vi todo procedimento da eutanasia aos prantos. não conseguia acreditar que tinha que ser daquele jeito. A medica quando deu a primeira o relaxante era a hora de me despedir fiquei parecendo uma criança chorando e logo em seguida ela deu a injeção letal para parar o coração. Lua ainda teve varias contrações e seu coração não parou na primeira anestesia, ela ainda lutava pela vida. Na segunda foi fatal. Lua faleceu as 15:00 do dia 12/01/2013. Estou escrevendo esse texto chorando como nunca chorei, pois lua foi uma filha que perdi. Não consigo acreditar gente. Estou totalmente dilacerado por dentro pessoal, me ajudem a acabar esse sofrimento por favor. Meu Deus…estou sem dormir faz 5 noites, trabalho em um banco americano e não posso me abater. Me ajudem! Minha cabeça parece que vai explodir. Me mandem mensagem de conforto eu peço a vocês pelo amor que vocês tem ou tiveram ao animal de vocês por favor me ajudem! queria morrer neste momento.

    glaucolbq@yahoo.com.br

    Curtir

    Comentário por Glauco Borges — janeiro 12, 2013 @ 19:42 | Resposta

    • você jah se acostumou? eu não….eu qria morrer tambem, queria muito mesmo. aliás eu deveria….

      Curtir

      Comentário por juliane afonso — agosto 29, 2013 @ 23:19 | Resposta

      • Oi Juliane.
        A gente se acostuma com a dor. Ela fica ali, quietinha. Mas, lembre-se sempre dos momentos bons que passou com seu animalzinho. Isso reconforta. Não fique assim. A vida segue seu rumo.
        Abraços.
        Augusto

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — agosto 30, 2013 @ 8:29

    • nao façam eutanasia, nunca vao se perdoar. eu nunca vou me perdoar..eu queria morrer com minha laila. eu devia ter morrido c ela

      Curtir

      Comentário por juliane afonso — agosto 29, 2013 @ 23:27 | Resposta

  150. Só complementando que lua morreu com 13 anos. Ela nasceu no dia 02/12/2001. Até a medica que fez a eutanasia chorou muito ao me ver naquele estado. Estou literalmente destruido! Eu sou contra eutanasia, tentei fazer tudo para protelar a vida de lua, Gastei muito dinheiro e não me arrependo, mas quando se chega a hora, você fica sem chão, não sabe o que fazer senão terminar com o sofrimento. Agora eu estou arrependido de não ter levado seu corpo para enterrar aqui no meu condominio numa zona verde que tem aqui e ter deixado o lixo recolher. Fiz o errado?

    Curtir

    Comentário por Glauco Borges — janeiro 12, 2013 @ 19:55 | Resposta

    • Oi Glauco!
      Sou solidário a vc e sei tudo o que está passando. Realmente isso não é fácil, posso te dizer que a dor demora a passar e vai se acostumar. Mas, pense – seria muito mais difícil vê-la sofre até morrer, não é?
      Tenho certeza que sua decisão foi a mais correta. Comece a pensar nela com um ser de luz que olhará por vc daqui por diante. Lembre dos bons momentos com ela.
      Quanto a não ter trazido para enterrá-la em seu condomínio, será que deixariam? Eu enterrei a Bubba no quintal, mas morava em uma casa. Hj, sobre o local, cresce uma linda pitangueira, que produz frutos e alimenta passarinhos – iguais aos que ela gostava de ficar olhando quando deitava para tomar sol.
      Fique bem!
      Abrs.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — janeiro 12, 2013 @ 20:04 | Resposta

  151. Obrigado pelo apoio Augusto! Agora você acha que eu fiz errnão ter trazido seu corpo para enterrar no cond. dava pra enterrar sim. Mas acho que cometi um erro

    Curtir

    Comentário por Glauco Borges — janeiro 14, 2013 @ 1:14 | Resposta

  152. No dia 23 de outubro estava procurando assuntos sobre morte de animais e eutanasia e me deparei com esse blog, li muitos depoimentos e respeito todos eles, cada um é dono absoluto da sua verdade. Eu nunca pensei nessa possibilidade, mas nao sabia mais o que eu podia fazer pelo meu Popi de 14 anos. Talvez estivesse somente procurando relatos de pessoas que perderam seus animais pois o fim do Popi era iminente. Ele ao menos foi diagnosticado corretamente, somente uma suspeita de tumor na bexiga,e no hospital universitario que eu o levei pra fazer os exames e a solução pra eles era simples.. operar. Não concordei, nao queria que meu Popi fosse apenas uma cobaia pra universitarios e que morresse só numa mesa de operacao. Encontrei um outro veterinario que é absolutamente contra eutanasia e me identifiquei com o estilo dele. ;tratamos o Popi por alguns meses mas em outubro ele já estava bem debilitado mas o bichinho ainda tinha garra de viver. Eu sei que ele sentia dores mas eu tinha a impressao de que ele aguentava pois tinha todos a seu lado, inclusive seu irmao Pupi que tambem esteve ao seu lado ate o fim. Nos ultimos dias de vida ele chorava na minha janela pela manha, eu ia até onde ele estava, o pegava no colo, o aquecia e tadinho parecia que tudo passava. Ele começou a parar de comer e já nao conseguia andar mas nos o traziamos ate nos e lá ele ficava conosco. Ele decidiu a sua hora e nao me arrependo disso. No dia da sua morte eu o coloquei na sua casinha, o deixei confortavel me despedi e fui trabalhar. No meio do dia recebi um telefonema do piscineiro dizendo que meu Popi tinha morrido. E mais uma vez nao me arrependo… ele teve uma vida otima, viveu ate onde aguentou, não morreu num lugar estranho à ele e descançou em paz. Sai do meu trabalho, o peguei levei até um terreno que temos eu mesma cavei o buraco ( sentindo uma dor imensa) e ele foi devidamente devolvido a terra e permanece lá a sombra de uma arvore. Pode ser bobagem mas acho que eu dei uma vida, uma morte e um fim digno ao meu amigo de 14 anos. Ficar com ele em casa e enfrentar junto com ele a doença e a morte era o minimo que eu poderia fazer por ele e isso serviu para que pudessemos nos despedir e entender qual é o curso natural da vida. E assim sera com meus outros animais, respeito pela vida e pela morte de nossos amigos. Sou contra eutanasia e sou contra entregar o corpinho do animal pro lixeiro. Sou a favor de uma morte digna e não me arrependo… Glauco e a todos que decidiram pela eutanasia, seu sofrimento deve ter sido maior e vc está assim, pois vc teve que decidir pela morte de sua querida amiga. Eu fiquei arrasada no dia da morte do meu querido Popi, de uma maneira que só eu sei, mas eu descansei quando ele descansou e meu coracao nao ficou pesado. Com o tempo o seu pesar sera menor mas quando vc tiver outro animalzinho nao decida pela vida dele, pois como diz esse veterinario que é contra eutanasia, não somos Deus pra tirar uma vida..Da mesma maneira que a vida vem ela tem que ir. Popi morreu no dia 24 de outubro. Fazem 3 meses….

    Curtir

    Comentário por sara — janeiro 25, 2013 @ 23:46 | Resposta

    • Oi Sara.
      Agradeço sus participação nessa discussão e respeito sua opinião.
      Abraços.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — janeiro 26, 2013 @ 12:42 | Resposta

  153. eu felizmente não sei como é sofrer desse jeito, pois o meu cãozinho Sheik um dálmata de 5 meses continua vivo e inteiro, mas, só de pensar que talvez um dia acoteça algo com ele, eu já caio nas lágrimas.

    Curtir

    Comentário por sara nubia — janeiro 26, 2013 @ 21:37 | Resposta

  154. Por isso que até hoje eu ainda sinto muita dor…muita falta e não sei se fiz o correto. De qualquer forma, pedi perdão a Deus por não saber o que fazer naquele exato momento.

    Curtir

    Comentário por Glauco Borges — janeiro 27, 2013 @ 2:40 | Resposta

  155. Estou observando o comentário de todos..não concordo radicalmente em sacrificar pois, será que essas pessoas que pregam tanto amor e consideravam seus bichinhos como a um filho…mandariam sacrificar seu proprio filho humano se pudessem? Acho que o poder da vida e da morte só peretence a Deus..Tenho um cachorro com 19 anos, que não anda mais, está cego, apresenta dor uma vez ou outra. Cuidamos dele com o maior mor, damos analgésico, banho toda hora..pois faz as necessidades e se suja todo..enfim por mais trabalho e dor o trato, como trataria minha mãe, meu filho caso adoecesse mas jamais sacrificaria. Sou testemunha de muitas pessoas e animais que ninguem dava 1 mes de vida e por um milagre divino o quadro se reverteu. Ao meu ver muitas pessoas e não estou acusando ninguem em particular ,mandam sacrificar nem sempre pelo sofrimento mas, sim porque não querem ter trabalho . Ha pessoas que não cuidam nem de gente velho,pondo num asilo… ISei que muitos irão me criticar..mas volto a dizer ..só Deus sabe o momento. meu cão confia em mim e não irei traí-lo cuidarei até o último suspiro, Praticamente nossa vida está em função dele..Para mim, quem sacrifica, assassina.

    Curtir

    Comentário por Maria Jose Leme Barbosa — janeiro 27, 2013 @ 16:37 | Resposta

    • Sim, algumas pessoas querem sacrificar seus bichinhos só para se livrarem deles, mas caso você tivesse lido todos os comentários esse não é o caso das pessoas que aqui comentam, esse é um espaço para compartilharmos nossa dor. Só é assassino aquele que pretende sacrificar seu animal só para não ter trabalho, e para esses casos cabe ao veterinário não aceitar. A veterinária do meu cachorro me relatou casos de pessoas que só querem se livrar do problema, e nesses ela não aceita sacrificar de jeito nenhum. Meu cachorro viveu mais de um ano usando fralda, tendo dores, etc e eu fiz tudo por ele. Agora quero ver o dia que seu cão tiver um tumor na boca (tomara Deus que não), que começa a crescer e de repente começa a sufocar seu bichinho, se você vai vir aqui chamar os outros de assassinos.
      A propósito, queria deixar meu pesar por todos os mortos no incêndio da boate de Santa Maria, terra natal de toda minha família. Rezei muito esta noite para que nossos bichinhos que já se foram recepcionassem muito felizes essas pessoas lá no céu!

      Curtir

      Comentário por Mayara Dias — janeiro 28, 2013 @ 9:44 | Resposta

      • Oi Mayara.

        Agradeço seu comentário, que deverá ser comum a maioria das pessoas que aqui deixam seus depoimentos.
        Abrs.
        Augusto

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — janeiro 28, 2013 @ 14:59

    • Não é bem assim não. O dia que você passar por uma situação pela qual eu passei por exemplo, ai vai entender. Minha cadela teve duas paradas cardiacas e foi reanimada por mim e quando ia vomitar, parecia que ia morrer ali mesmo chegava a cair feito uma jaca enguiando até vomitar e quando saia, ela se gemia de dor. Nossa… só de lembrar me dar uma dor no peito. Eu optei pela eutanasia pra ela não morrer sofrendo porque de fato ela ia morrer naquele dia. Só quem passa pela situação, poderá julgar ou entender melhor. Não me sinto assassino e Deus sabe que o que fiz foi por amor e isso é o que importa

      Curtir

      Comentário por Glauco Borges — janeiro 28, 2013 @ 12:48 | Resposta

      • Boa tarde Glauco.
        Agradeço seu depoimento. Também penso como vc, por isso escrevi esse post.
        Abraços.

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — janeiro 28, 2013 @ 15:00

      • Respeito o pensamento da Srª Barbosa, porém concordo contigo Glauco que não é bem assim. Acho esses exemplos ( “…se fosse teu filho…..se fosse tua mãe….você sacrificaria?….”) péssimos. A medicina veterinária é uma coisa, mesmo com grandes avanços, e a medicina que trata dos humanos é outra (só para ser tão raso como esses exemplos). Outra coisa também ruim é rotular, generalizar todos que optaram pela eutanásia como assassinos, uma vez que não se sabe o contexto e cada caso é um caso.

        Curtir

        Comentário por Paulo Vaz — janeiro 28, 2013 @ 15:06

      • Oi Paulo,

        Eu penso que as questões humanas que envolvem o assunto eutanásia em animais são complexas e estão além do ponto de vista ético-profissional do veterinário, e estes empregavam a eutanásia nos casos em que a afecção apresentada se torna incompatível com a vida, trazendo sofrimento não só para o animal, mas também para seus proprietários.
        Abraços.

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — janeiro 28, 2013 @ 15:21

  156. Boa tarde, Hoje para mim é um triste dia. Tivemos que sacrificar nosso Thor ( Pastor Branco) 14 anos. 09 conosco. Veio de um dono que o maltratou muito e bateu muito nele. Sempre tivemos cuidado ate no falar com ele para que nunca tivesse receio de nós.Grande Companheiro. Cão de guarda?!?!?!? Talvez, mas era amigão e companheiro Por um acidente do destino foi atropelado. Parou de andar, não conseguia comer nem beber agua, muito menos ficar em pé. Fazia as necessidades no local. Mal levantava a cabeça. Ligamos para sua veterinaria e explicamos o que aconteceu. Levamos para o consultorio ela disse que entre outros o Pulmao estava debilitado e estava ficando dificil respirar. No trajeto ate a clinica fez varias vezes necessidades fisiologicas devido a dor intensa. Como chorei e choro……………. Nosso Thorzinho. Começamos a nossa vida juntos, eu ele e meu marido. E agora ele se foi. Com toda a sua historia de vida juntas. Ficaram as fotos, as lembranças, os arrependimentos de porque nao fiz isto ou aquilo? Pois bem. veterinaria achou que o melhor era deixar ele descansar… antes mesmo dela nos dizer ja achavamos que ele nao teria como sobreviver… como sobreviver sem agua, sem comida, devido a dor ele nao queria nada nem caldo, nada nada…. ia morrer a minguas? Iamos deixar ele com sede durante o dia pois temos que trabalhar, temos um bebe, temos mais 02 pastores, e como cuidar dele durante o dia? a noite vigiavamos ele e como estavamos em casa ele conseguia descansar. Pois bem ela disse teremos que sacrifica-lo, pois nao tem outro jeito ou ele fica sofrendo…. Resolvemos acabar com a dor, que sei lá tamanho era dentro do organismo dele. A alma dele estava muito viva antes de tudo mesmo ele doente, mas e o corpo? nao respondia mais…mais nada. Que dó…. acabar assim.. nunca pensei que seria assim mas foi, ele se foi hoje 28/01/2013 ás 11 horas da manha. Nao pude estar junto dele neste momento, Mas era para ser assim. Vá em Paz cara. Meu Cara. Meu Thor. Te amo. Não valeria a pena ser egoista e ver ele sofrer…. Tivemos que abrir mão do orgulho e Libertá-lo.Descanse

    Curtir

    Comentário por Faty — janeiro 28, 2013 @ 16:51 | Resposta

  157. Faty,
    No inicio você vai sentir muito a perda, eu passei por isso também, mas o tempo vai amenizar esta dor e você compreenderá que são coisas da vida. Com certeza Thor fez você mudar e aprender muita coisa como lua também fez comigo.
    Fique em paz e que você logo se recupere!

    Curtir

    Comentário por Glauco Borges — janeiro 29, 2013 @ 2:39 | Resposta

    • Obrigada pelas palavras de todos. 09 anos são uma Vida!!!! Abs

      Curtir

      Comentário por Faty — janeiro 29, 2013 @ 10:16 | Resposta

  158. Volto a falar..sou contra autanasia de qualquer jeito..sou radical..seja o que for. que o cão tenha. Sou contra ! Volto a falar..ninguem é Deus para resolver..a vida e a morte pertence a Deus. Que fala ao contrário, pode argumentar o que quizer, sou contra. Sera que a pessoa que fala que é a favor em alguns casos faria isso com um ser humano caso estivesse sofrendo muito? Se responder que sim,,,ainda bem que não sou parente dessas pessoas.Estaria perdida.

    Curtir

    Comentário por Maria Jose Leme Barbosa — janeiro 29, 2013 @ 14:41 | Resposta

  159. Hoje estou de luto, pois perdi um companheiro que esteve ao meu lado durante 17 anos de vida, nunca se importando com a minha condicao social, com o meu humor, com as minhas tristezas, com os meus problemas, se eu tinha um emprego ou nao, se iria ter comida ou nao pra ele, ele simplesmente me recebia todos os dias quando eu chegava em casa e mostrava toda a sua felicidade ao me ver, como dizia roberto carlos, ´me sorria latindo´, e mesmo as vezes brigando com ele, 5 minutos depois vinha me lamber, acho que no fundo deveriamos ser assim como os caes, nao guardar magoas, esquecer se fomos ofendendidos, acho que eles estao certos, infelizmente ele hoje perdeu a luta para um cancer de garganta as 16:40 hs e em algum lugar de grande universo que DEUS nos criou talvez esteja aguardando para nos reencontrarmos… Vai com Deus Deus simba, vc vai deixar muita saudade, pois neste mundo nao existe ser superior ou inferior, somos todos filhos do universo…este blog foi muito importante para mim tomar a decisao sobre a eutanasia do meu amado amigo, foram 4 dias de extremo sofrimento em tomar a decisao da eutanasia, e apos acompanhar todo o sofrimento dele, tentei as ultimas medidas medicamentorias mas foi tudo em vao, ao ve-lo naquele estado, meu filho ao meu lado falou, pai deixa de ser egoista, o cachorro ja estava vomitando, o rim sem funcionar, defecando muito fedido, onde tomei uma das decisoes mais dificeis da minha vida e chamei a veterinaria para fazer a eutanasia, foi às 16:40 hs deste primeiro de fevereiro, estou ainda sofrendo muito, mas acho que foi a melhor decisao, pois nos que amamos os animais, temos que pensar nas nossas limitaçoes humanas com relaçao a sobrevida deles e nao devemos deixa-los sofrer as vezes por egoismo nosso, ou por achar que ainda ha alguma chance de recuperação, pois se o vet chegou a conclusao que nao ha mais nada a fazer, nao adianta sermos persistentes, devemos aceitar a vida como ela é pois nao podemos modificar a ordem natural da vida, pois ela é assim deste jeito, e se nos realmente amamos os nossos amigos companheiros de vida que tanto nos amam, nao devemos deixa-los sofrendo, acho que é o minimo que podemos fazer por eles…uma abraço a todos que deixaram seus comentarios aqui a respeito de seus amados animais e pensem, a vida é eterna, tanto pra nos como para os nossos queridos peludos…..bjs a todos….

    Curtir

    Comentário por Julio F L Moraes — fevereiro 1, 2013 @ 22:47 | Resposta

    • Olá, Júlio.
      Meu abraço e minha solidariedade nesse momento difícil.
      Abraços.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — fevereiro 4, 2013 @ 8:32 | Resposta

      • Meus Sentimentos, passei por uma perda segunda feira passada!!! Força!!!

        Curtir

        Comentário por Faty — fevereiro 4, 2013 @ 10:08

  160. Olá Augusto,
    Estou passando por esse problema neste exato momento. Está sendo uma das piores experiências da minha vida!!!
    Peguei minha cachorra na rua toda machucada e ela devia ter cerca de dois anos na época. Cuidei dela como a um filho. Ela se recuperou e está comigo há 4 anos e, no final do ano passado, depois de uma maratona de mais de um mês com exames etc, foi diagnosticado linfoma num grau elevado.
    Decidi por não fazer a quimioterapia, por recomendação de um amigo veterinário e de outras pessoas que também passaram por essa experiência e que me disseram que somente prolongaria a vida do animal por um pouco mais de tempo e sem qualidade de vida.
    Esse amigo veterinário sugeriu eutanasiá-la na semana passada. Ela está prostrada, mas não sente dor. Dou uma medicação paliativa em casa e ela ainda come e demonstra alguma vontade de passear e de fazer algumas coisas que ela gosta.
    A verdade é que sinto que ela ainda não quer ir……
    O fato é que peço a Deus todos os dias para não ser obrigado a ter que tomar essa decisão no futuro e que ela se vá aqui comigo e sem dor.
    Creio que vc deve imaginar a angústia que estou vivendo…..
    Se alguém tiver alguma opinião ou experiência em relação a linfoma em cães, eu agradeceria muito.

    Curtir

    Comentário por Mauro — fevereiro 3, 2013 @ 22:46 | Resposta

    • Bom dia Mauro.
      Se ela está como vc diz, sem dor, tomando os medicamentos e tem vontade de passear, se alimentando bem, viva esses momentos com ela. Não a abandone. Irá ver que foi o melhor a fazer por ela nesse momento.
      Abraços.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — fevereiro 4, 2013 @ 8:28 | Resposta

  161. Como é difícil esse momento .. me atrevo a dizer que é o PIOR momento da minha vida. :(
    Há 7 dias meu filho(cachorro) está internando com problemas renais. Teve que passar por uma cirurgia e, apesar de ter sobrevivido, não está nada bem.
    Ontem fomos busca-lo .. ele chegou em casa “bem”, Olhou toda a casa e logo em seguida dormiu .. um soninho tranquilo. Porém acordou gritando de dor, vomitando e nervoso. Voltamos com ele para a clinica. :/
    Depois de fazerem exames ficaram sabendo que a uretra dele esta obstruída, ele esta retendo líquido, não fica mais de pé .. Lamentável o estado do meu pequenininho. Foram 9 anos, 9 anos de ALEGRIA! Eu agradeço a Deus por todos os momentos que pude passar com o meu Pretinho.

    O veterinário nos pediu que esperássemos essa noite, porém sem muitas esperanças. Se não houver uma melhora .. optaremos pela eutanásia, com muita dor em nossos corações.

    Ele era a felicidade da nossa casa.

    Teu blog me serviu de consolo. Obrigada por casa palavra.

    Att. Andressa.

    Curtir

    Comentário por Andressa — fevereiro 5, 2013 @ 19:06 | Resposta

    • Bom dia Andressa.
      Acabo de ler sua mensagem e espero sinceramente que seu cãozinho tenha tido melhoras.
      Abraços.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — fevereiro 6, 2013 @ 8:35 | Resposta

      • Olá, Augusto
        obrigada por tuas palavras .. eu e minha mãe ficamos lendo os comentários do teu blog por um bom tempo e isso nos ajudou a aceitar melhor esse momento.
        Nosso Pretinho ainda esta internando, os veterinários acharam melhor dar mais um tempo pra ele. Vai ficar lá por tempo indeterminado e sem custo. Um milagre de Deus em nossas vidas. Caso ele não melhore mesmo ou morra naturalmente, ai sim eles darão a injeção.

        Que Deus conforte o coração de todos que passam por essa situação.

        Att Andressa.

        Curtir

        Comentário por Andressa — fevereiro 6, 2013 @ 20:07

  162. Olá Augusto,
    Postei o meu comentário no dia 03/02 acima (Mauro) e dois dias depois (no dia 05/02) minha cachorrinha piorou e senti que ela estava tendo falta de ar com uma frequência cada vez maior. A levei ao veterinário e ele me disse que não havia muito o que fazer; ou eu deveria optar pela eutanásia, ou a quimioterapia que só prolongaria a vida dela por mais algum tempo já que linfoma não tem cura e o dela estava no grau 5 – o mais grave e agressivo.Não quis tomar a decisão naquela hora e ele apenas aplicou um soro e uma injeção para que ela se sentisse melhor. Contudo, na mesma noite o quadro dela piorou. Ela passou a noite toda aflita e com falta de ar. Cada sinal ofegante e de incômodo que eu presenciava nela era como se uma faca fosse cravada no meu coração…. Uma dor emocional e interna indescritível. Na manhã seguinte ela mal se levantava e eu decidi levá-la para eutanasiar. Antes de levá-la fui a um lugar escondido para chorar tudo o que tinha direito para não fazer o mesmo na frente dela. Parece loucura, mas acho que os animais percebem e sentem a nossa reação. Portanto, acho que quanto mais calmo e sereno o dono estiver, melhor será para o animal também.
    Enfim, chorei muito antes de levá-la, mas fiz questão de não chorar na presença dela, e de estar ao lado dela até o último momento, firme e sereno abraçado, tentando passar todo o meu conforto e amor até que ela perdesse a consciência. Logo depois disso o veterinário pediu que eu saísse da sala e subi até um quarto reservado em cima do consultório e chorei ininterruptamente até perder o fôlego.
    Já faz uma semana que isso aconteceu. Senti uma tristeza enorme, mas também um certo alívio por uns dois dias; no entanto, o estranho é que agora depois de uma semana eu estou sentindo, além de uma tristeza enorme, uma certa angústia. Algo estranho, como se eu não estivesse em paz. Alguém aqui teve essa reação? Estou até preocupado que isso possa me causar algum problema de consciência maior e difícil de superar.

    Curtir

    Comentário por Mauro Mello — fevereiro 13, 2013 @ 3:27 | Resposta

    • Boa tarde Mauro.
      Sinto muito pela sua perda.
      Eu também fiquei um longo tempo com uma sensação estranha, como de culpa. Mas, hoje percebo que não tinha outra solução senão abreviar a dor que a Bubba sentia.
      Um grande abraço, força e fé.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — fevereiro 13, 2013 @ 12:16 | Resposta

    • Eu senti isso também, mesmo sem ser o dono veja meu relato nº 170, eu me achei tão mortal, digo isso pois nã via condições de ajudar a salva-lo por mais que quisesse mesmo que fosse gastar muito com isso, e hoje fico me questionando, foi certo ou errado, fico nessa mesma angustia sua, com medo de trazer algum problema emocional e psicologico, e digo mais sem ser o dono do cachorro, só o vi acidentado e partiu meu coração.

      Curtir

      Comentário por claudio — março 12, 2013 @ 23:37 | Resposta

  163. oii pessoal no ultimo domingo dia 10/02/2013 perdi meu amiguinho “lupy” ele era o ser mais adoravel do mundo, mas só percebi quando perdi ele sabe, sempre cuidei dele mas não era de ficar abraçando, brincando muito, mas gostava muito dele do meu jeito sabe, enfim, tive que opitar pela eutanasia tambem foi a coisa mais horrivel do mundo sinto muita culpa por isso, mas mesmo assim sei que foi o melhor pra ele porque ele estava com uma doença muito grave “cinomose” ele ja não levantava mais, so tremia, não comia, nem bebia, só sofria muito era muito triste ter que dar comida em uma ceringa pra ele só pra não ver ele morrer de fome também sabe, como eu sofria em velo daquela maneira um cachorro danado que só, que comia até demais pelo seu tamanho nós até riamos dele porque ele comia demais, as lebranças são doloridas demais, mas só quem perdeu que sabe como é, então nesse domingo decidi que era a hora dele porque não aguentei velo morrer aos poucos, o veterinario não dava esperanças por ele sabe, ai peguei ele em casa enrolei em um tapete e levei ele, foi os ultimos minutos que passei com ele, chegando no veterinario coloquei ele na mesa e chorei muito pedi desculpas por tudo que eu estava fazendo e por tudo o que fiz, olhei nos olhinos dele que ja nem abriam direito falei que o amava muito, que sentiria sua falta para sempre, que ninguem jamais ocuparia o lugar dele, que ele era único, mas enfim, deixei ele lá, sei que a culpa não vai passar nunca, mas por outro lado foi melhor tenho certeza, quero mais pra frente lembrar só das boas lembranças, se eu soubesse que ia doer tanto a perda dele tinha dado mas atenção a ele sei que agora não adianta mais, não qurendo diminuir a minha culpa, eu vou cuidar bem melhor do meu proximo amigo, e não julgo ninguem que seja a favor ou contra a eutanasia cada um sabe o que é melhor para seu amigo, ja estou pensando em arrumar outro mas é dificil porque parece que estou colocando outro em seu lugar. Aline

    Curtir

    Comentário por Aline cristina de oliveira — fevereiro 13, 2013 @ 17:02 | Resposta

    • Oi Aline.
      Agradeço sua visita e sinto muito pela sua perda. Que sua dor seja breve.
      Abrs.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — fevereiro 13, 2013 @ 17:06 | Resposta

  164. Muito obrigada Augusto, a Buba era linda, parecia ser bem amiga, companheira.

    Curtir

    Comentário por Aline cristina de oliveira — fevereiro 13, 2013 @ 17:19 | Resposta

    • Oi Aline. Realmente ela era assim – carinhosa, amiga e especial. Abrs.

      Em 13 de fevereiro de 2013 17:19, A Simplicidade das Coisas — Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — fevereiro 14, 2013 @ 8:32 | Resposta

  165. LINDO TEXTO…..
    CHOREI..TENHO DOIS CÃES…GRAÇAS A DEUS TODOS SAUDÁVEIS, POR ENQUANTO.
    ACHO QUE SE UM MORRER EU MORRO JUNTO…O AMOR QUE ELES NOS TRANSMITEM SOMENTE QUEM TEM UM PARA SABER.. NINGUÉM MAIS ENTENDE A RELAÇÃO….

    Curtir

    Comentário por Silmara — fevereiro 16, 2013 @ 12:16 | Resposta

  166. Querido Augusto…
    Entendo plenamente seu sentimento, pois perdi minha querida Dara Kika dia 27/01.2013 de problemas renais com condições muito semelhantes ao seu.
    Faço minhas suas palavras de desespero ao ver quem tanto amamos ir embora assim…
    O q me consola é saber que ela deixou de sofrer e q não a mantive para meu prazer egoísta apenas por ter por perto . Eu a queria inteira e não sem poder brincar se alimentar ou até mesmo sem poder me reconhecer por causa de dor…
    Se não fosse a dor eu me entregaria a cuidar dela mesmo até seu ultimo suspiro … Mas q ela não sofresse.
    É dificil descrever o q sentimos … Para mim foi indescritivel!
    Mas continuo amando demais minha querida Dara Kika!!! Ela sempre estará viva e linda em minha mente e coração!
    Um grande abraço e lembre que o Deus Criador do céu e da terra sabe perfeitamente o q vc sente! Sinta-se abraçado .
    Conte sempre comigo!

    Curtir

    Comentário por sueli — fevereiro 21, 2013 @ 8:54 | Resposta

    • Querida Sueli,
      Lindo o seu depoimento. Linda suas palavras. Muito obrigado!
      Um grande abraço.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — fevereiro 21, 2013 @ 9:18 | Resposta

  167. Ola, Augusto.
    Encontrar seu blog e ler todos esses depoimentos nesse momento de dor e de perda. Nos mostra o quanto nossos companheiros foram importante para nos, e que tudo que fizemos por eles foi por amor.
    No dia 27/02/2013, meu fiel companheiro partiu. Simba, um poodle de 17 anos, que viveu mais que podia, só para estar ao nosso lado. Passamos momentos difíceis. Em 2010 ele teve um câncer e como já estava com a idade avançada, teve que fazer tratamento durante um mês para aumentar as plaquetas e poder operar. Muitos acreditaram que ele não ia aguentar. E ele guerreiro como sempre operou e teve uma excelente recuperação. O que proporcionou mais alguns anos de vida conosco. Mas, por mais que ele quisesse viver o corpo já não aguentava mais. Já não enxergava, andava e comia com dificuldade. Nessas ultimas semanas piorou muito e parou de andar e comer. Não conseguia nem beber agua. Estava com insuficiência renal, chorava e latia de dor.
    Como vi em outros depoimentos senão fosse a dor teria ido ate o fim. Mais não aguentei tanto sofrimento. E não pense que foi pelo o trabalho que dava. Porque jamais me arrependi das noites em que deixei de dormir, dos lugares que deixei de ir, de todas as vezes que tive que dar banho, das comidas e papinhas que fiz quando já não conseguia comer direito. Fiz e faria muito mais, senão tivesse dor e a certeza da cura. Mas seu caso era irreversível.
    Por isso sei que fiz o melhor para ele e sempre retribui todo o amor que ele me deu.
    TE AMO SIMBA E OBRIGADA POR TUDO. VOCÊ VIVERA PARA SEMPRE EM MEU CORAÇÃO.

    Curtir

    Comentário por Paula — março 2, 2013 @ 17:43 | Resposta

  168. Olá Augusto,
    Já postei um comentário acima. Tive que eutanasiar minha cachorra há um mês, mas ainda não consegui superar e estou muito deprimido. A situação me traumatizou muito e estou tendo dificuldade para lidar com isso.
    Vc ou alguém que ler esta mensagem conhece algum grupo de apoio em que as pessoas possam se reunir pessoalmente para discutir o assunto?
    Estou sentindo necessidade de compartilhar isso com alguém, pois não é qualquer pessoa que entenderia um caso desses,

    Curtir

    Comentário por Mauro — março 4, 2013 @ 11:40 | Resposta

    • Oi Mauro.

      Infelizmente não conheço nenhum grupo de apoio específico sobre esse tenha. Quando aconteceu comigo, frequentei por um tempo a Federação Espírita, que me ajudou muito. Abraços. Augusto

      Em 4 de março de 2013 11:40, A Simplicidade das Coisas — Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — março 4, 2013 @ 11:47 | Resposta

      • Obrigado pela atenção.
        Abço.

        Curtir

        Comentário por Mauro — março 4, 2013 @ 12:19

  169. Olá Augusto, eu passei por uma experiencia dessas há 3 dias, e nem foi com meu cachorro, foi com um poodle pequeno que parecia perdido, e por estar bem cuidado acredito ter dono, o mesmo se aproximou da grade da casa da minha mãe para cheirar o nosso cachorro que também é poodle, o nosso latiu e o pequeno correu atravessando uma rua movimentada, foi atropelado por um onibus, acredito que ele tenha batido no pneu do onibus, pois seu tamanho ele não tinha como bater na lata, ou se estivesse passado com o pneu em cima teria esmagado, ele voltou gritando arrastando as patas traseiras, minha mãe ouviu e foi busca-lo, trouxe para casa, e decidimos chamar uma clinica veterinaria para avalia-lo, foi levado a clinica e fizeram um raio x, infelizmente detectou a quebra da coluna vertebral, rompimento total eu vi o rx, o proprio veterinario nos expôs todas as dificuldades que ele teria em urinar, provaveis doenças que iria adquirir nos rins, as feridas que teria se arrastando, seriam dificeis de cicatrizar, a cadeirinha de rodas para andar, a sua pouca expectativa de vida, ele mesmo sugeriu para o bem do cachorro a eutanasia, dizendo ser uma caridade nesse caso, eu mesmo não sendo o dono me responsabilizei pelos custos do tratamento, pois pretendia ficar com ele, caso não aparecesse o dono e desde que fosse pessoa de bom trato com ele, pois se fosse aqueles que soltam o coitadinho na rua pra depois eles voltarem sozinhos não entregaria, moro em apto e deixaria na casa da minha mãe, tem quintal e o outro poodle, fariamos eles serem amigos, mais diante dessa dificuldade toda que uma pessoa experiente como o veterinario nos colocou, pois se contrario fosse para ele seria melhor trata-lo e receber por isso, pois eu estava disposto a pagar o tratamento, desde que não fosse além de minhas possibilidades financeiras, mais como eu adoro cachorros e sabendo que não conseguiria ve-lo assim tão debilitado, pois se tratava de um cão novo, e eu não consigo ver sofrimento nesses bichinhos tão inocentes, fico deprimido com isso, analisei bastante e tive que autorizar a eutanasia, mesmo com muita dor no coração, hoje fico deprimido pelo fato do acontecido, pois foi tão rapido que não deu tempo de coloca-lo pra dentro de casa evitando o acidente, e fico tambem por não ter podido ajuda-lo, espero ter feito a melhor escolha, eu mesmo me torturaria ao ve-lo assim, tinha certeza que não aguentaria, e vc caro augusto que já passou por isso o que acha dessa atitude, ainda não esqueci essa decisão e estou me sentindo muito mal por isso, se possivel dê sua opinião, grato.

    Curtir

    Comentário por claudio — março 12, 2013 @ 23:16 | Resposta

    • Olá Cláudio.
      Muito bonito e louvável seu gesto. Eu penso que fez a melhor escolha sim.
      Agradeço pela visita ao blog.
      Abrs.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — março 13, 2013 @ 8:30 | Resposta

      • Agradeço pelo comentario Augusto, mais pessoas como nós que prezamos pelas vidas de animais, fica muito dificil aceitar nossa total falta de capacidade de acompanhar o sofrimento e dor de seres que não podem nos dizer aonde doi, como doi, e nós simples mortais não termos como ajuda-los, essa questão ainda ficará muito tempo em minha mente, apesar de não ter culpa de nada, estar com raiva do dono que deixou ele sair ou ate escapar, mais nós humanos direitos(diferente de direitos humanos), não nos contentamos somente em tentar, gostariamos de poder concretizar, como disse gastaria até mais que gastei caso houvesse chance de uma boa qualidade de vida a ele, mais prolongar seu sofrimento, seria sofrer junto, já perdi um cachorro nosso com 8 anos, foram meses de dificuldade em aceitar, sempre pensando que faltou fazer algo, apesar de ter sido internado numa clinica veterinaria, fica aquela sensação de ter levado antes, não deixar pra ultima hora, apesar do veterinario dizer que mesmo antes nada poderia ser feito, era a maldita doença do carrapato, que já estava nele desde filhote e vinha se agravando a cada ano, mais somente do final de vida é que ele estava paralisando os rins, acho que me identifiquei muito com esse do acidente pois era muito parecido com o que tinhamos, e por ser um defensor dos inocentes, irracionais que não sabem o perigo que correm nesse nosso mundo catastrofico, cujo transito mata mais que guerra, espero em breve não sentir tanto esse sentimento de impossibilidade de cura, alias só a Deus pertence, obrigado caro amigo.E quantas vezes se fizerem necessarias minha atitude será a mesma, nada morrerá a mingua caso eu possa ajudar, amém.

        Curtir

        Comentário por claudio — março 13, 2013 @ 11:10

      • Tenho certeza que terá sua recompensa por isso, em outras esferas espirituais. Abraços. Augusto

        Em 13 de março de 2013 11:10, A Simplicidade das Coisas — Augusto

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — março 13, 2013 @ 11:23

      • Grato, minha maior recompensa seria conseguir salvar essa pequena vida inocente, infeliz no meu pensamento aquela celebre frase “o que vale é a intenção” me frustra muito, pra mim o que vale é conseguir ter exito, ainda mais nesses casos que envolve vidas, sei que não vou ser vencedor em todo minha vida, mais ao menos gostaria de salvar essa vida e ter a certeza de ter conseguido algo muito importante, nada de fortuna, poder, sim um ato de amor, sei que é a vontade de Deus, e não posso contesta-lo, ele age de formas misteriosas, e nós como simples mortais não compreendemos, isso nos faz tão insignificantes perante tanta sabedoria.

        Curtir

        Comentário por claudio — março 13, 2013 @ 17:31

  170. olá pessoal,estava procurando a respeito de quimioterapia hoje ou de algo que pudesse me consolar e acabei encontrando esse site que me fez até chorar.
    eu tinha uma cachorrinha de 14 anos apesar da idade era bastante ativa,já conseguio superar várias doenças,mas infelizmente um tumor de sticker lhe trouxe a morte. ela tomou a primeira sessão da quimioterapia veio pra casa e eu até fiquei feliz pq ela chegou feliz e eu pensei que ela não teria nenhuma reação,mas logo nos 2 dias seguintes ela vomitou muito e não comeu nada,demos remédio,vitaminas e nada e acabou que no segundo dia quando minha mãe acordou estava minha querida filha morta. foi uma dor horrivel,uma saudade sem fim,vontade de pegar,de brincar, de tudo… as vezes me culpo por ter dado a quimioterapia,as vezes penso que matei meu bebê. e as vezes penso que se eu não tivesse dado ela iria sofrer muito. enfim não sei o que dizer só sei que queria ela aqui comigo…………

    Curtir

    Comentário por karla — março 25, 2013 @ 14:23 | Resposta

    • Oi Karla.
      Não se culpe. Você fez o melhor por ela. Logo, a dor se atenuará e ficará somente uma saudade boa.
      Abrs.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — março 25, 2013 @ 14:29 | Resposta

      • oi augusto obrigada por suas palavras…. espero que essa dor passe,infelizmente não posso mais fazer nada… enfim muito obrigada…

        Curtir

        Comentário por karla — março 25, 2013 @ 17:31

    • Pois é Karla,
      Eu optei por não fazer a quimioterapia na minha; ela morreu há quase dois meses e me sinto culpadp até hoje. Tenho a sensãção de que não dei todas as chances a ela. Creio que é natural no ser humano essa sensção, pois como os amamos muito queremos nos responsabilizar por algo que muitas vezes independe de nós.

      Curtir

      Comentário por mauro — março 25, 2013 @ 16:17 | Resposta

      • oi mauro muito obg pelas palavras,vc não tem ideia de como me ajudou. fica com Deus. obrigada de coração.

        Curtir

        Comentário por karla — março 25, 2013 @ 17:28

    • Karla nao fique assim pense que vc fez a sua parte vc tentou proporcionou o tratamento, melhor ter tentado doque nao ter feito nada pense nisso ….

      Curtir

      Comentário por Andreia — abril 13, 2013 @ 22:25 | Resposta

  171. Meu cachorro Kenzo se foi hoje dia 26/03/2013, com 14 anos de idade e comigo. Infelizmente a um mes ele já não conseguia mais firmar as patinhas de tras no chão, para fazer xixi ou coco tinha que pegar ele e levar para fazer e depois limpar todo ele, porque ele não se levantava mais sózinho.
    Foi ai que eu decidi levá-lo no veterinário o qual constatou um tumor no testículo dele e estava grande, e com um raio X constatou também um bico de papagaio e dentro da barriga uma massacom mais ou menos uns 25 cm, o qual comprimindo o canal do instestino para fazer coco, não sabia se era um tumor também , comia muito pouquinho, e quase não estava bebendo água, teria de fazer uma cirurgia para ver porém sem a certeza se daria ou não certo, não diexei pois achei que seria mais um sofrimento para ele, tenho chorado muito desde que ele ficou internado dia e noite para tomar uma decisão muito triste. para aliviar o sofrimento dele, não sei se foi a certa, mas sei que ele descansou, mas quem está desesperadamente sofrendo sou eu, não sei se me precipitei ou se fiz o certo, aquele não era um animal e sim como meu filho, e agora eu estou sofrendo muito com o fato de fazer eutanasia com ele. Mas eu peço a DEUS que agora de o descanso e o alivio do sofrimento para ele, e que DEUS me perdoe pois pensei nele, que eu o amo muito e o amarei por toda minha vida !

    Curtir

    Comentário por Fátima Silva — março 26, 2013 @ 18:02 | Resposta

    • Prezada Fatima,

      Tenho certeza que vc fez o seu melhor para o Kenzo. Que sua dor seja suave e breve.
      Abraços.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — março 26, 2013 @ 18:17 | Resposta

  172. Fátima, fiz eutanásia na minha cachorra também e estou sofrendo muito com o fato.
    Tenho a mesma sensação que você: de culpa, precipitação etc.

    Curtir

    Comentário por mauro — março 26, 2013 @ 19:56 | Resposta

  173. Estou em vivendo uma situaçao dessas minha vizinha faleceu de cancer e dois dias antes ela pediu para minha familia cuidar do cachorro dela que era como um filho que ela nao teve, pois sabia que cuidariamos bem e assim foi no dia de sua morte ele veio para nossa casa apos dois anos descobrimos que ele tinha cancer maligno em varias partes do corpo igual a antiga dona dele entao a veterinaria nos orientou que como ele ja era idoso e o cancer estava avançado ele nao suportaria uma operaçao e nao muito tempo e por mais que tratassemos uma hora os remedios nao fariam mais efeito, mas mesmo assim decidimos fazer oque fosse possivel para que ele vivesse o maximo e bem, começou nossa luta contra o tempo e contra o cancer, no começo ele nao fazia xixi e conseguimos resolver, apos um tempo ele começou a andar em volta do carro em circulos sem parar nada o segurava, perdeu a visao temporariamente, apos alguns dias nao levantava e seu esforço era imenso sua respiraçao era ofegante e com isso veio as convulçoe,s mais uma vez procuramos o veterinario começamos fazer um tratamento com remedios para convulçao, ele ficou na caminha dele uma semana nao se mexia iamos de hora em hora mudar ele de posiçao alimenta-lo com mamadeira e limpa-lo quando fazia suas necessidades ali mesmo deitado, e oravamos por ele para que Deus tivesse misericordia e levantasse ele e apos muito cuidado carinho e medicaçao voltou ao normal e assim se passou mais alguns meses tomando remedios diariamente para que ele ficasse bem, mas semana passada percebemos que as crises começaram a voltar e mesmo aumentando as doses nao estava surtindo efeito, ele voltou a andar em circulos nao fazia mais xixi ate ficar exausto e nao levantar mais e uivava muito chamamos o veterinario que ao velo constatou que seu figado estava em um tamanho fora do normal ,tentou passar uma sonda o canal estava bloqueado ele ja nao nos reconhecia mais sua repiraçao era muito ofegante e seus gritos estao gravados em minha mente, saia um cheiro dele diferente e que me fez recordar do mesmo cheiro que senti quando vizitei a antiga dona dele minha amiga pela ultima vez o pior cheiro do mundo, nao da pessoa mas o cheiro dessa doença que parece com uma peste que tem levado muitos ultimamente o cheiro do cancer….. Entao eu olhava para ele enquanto o esfregava com minhas maos e dizia Maylon oque esta acontecendo, vamos levatar vc ja passou por isso antes vc tira de letra, mas algo dentro de mim dizia que desta vez as coisas eram diferentes pois a quatro anos desde que descobrimos o cancer temos lutado com momentos de angustia desespero mas que passavam e ele viva mais alguns meses bem ….. entao o veterinario precisou leva-lo pois tinha que tirar o xixi se nao ele explodiria e iria levalo para um ultrassom para ver como estao os orgaos dele apos quatro anos meu veterianrio é muito humano e eutanasia somente quando nao a mais nada a se fazer e ontem ele nos falou com o resultado do exame vamos ver se ainda a algum tratamento algum remedio capaz de fazer efeito mas se nao houver talvez precisariamso colocar ele para dormir …… E uma decisao muito dificil seria tudo mais facil se Deus o levasse por si só …..

    Curtir

    Comentário por Andreia — abril 9, 2013 @ 20:58 | Resposta

    • Olá Andréia.

      Que lindo, tocante e triste esse seu depoimento. Espero que tudo se resolva da melhor forma possível.
      Abrs.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — abril 10, 2013 @ 15:24 | Resposta

      • Sou a Andreia dona do Maylon que publiquei logo acima …Vim terminar meu depoimento…. Apos seis dias enternado apos um ultrassom foi diagnosticado que o cancer se alastrou para o cerebro fazendo com que ele perdesse os movimentos do corpo fomos vizita lo durante a semana mas ele nao se movia somente abria os olhos e tinhamos que nos colocar na sua frente para que ele nos olhasse mas mesmo assim nao havia reaçao … na quarta foi aplicado uma dose de quimeo como ultima tentativa ja que nenhuma medicaçao fazia regir ele conseguiu mover um pouco a cabeça durante um tempo mas logo voltou a ficar paralisado ontem quando fui ve-lo disse a ele que poderia ir embora que eu deixava ele ir pois nao suportava tanto sofrimento entao decidimos dar mais uma noite para quem sabe ele fosse embora sozinho, orei muito a Deus para o leva-lo ja que nao havia mais cura nem melhora, mas hj ocorreu oque eu mais temia o telefone Nao tocou ele ainda estava vivo paralisado e sofrendo …. fomos ve-lo e sabiamos que teriamos que tomar uma decisao, sinceramente nunca fui a favor da eutanasia sempre pensei que tinhamos que nascer crescer as vezes adoecer e morrer, que esse era o ciclo da vida para todo ser que respira …. Mas quando cheguei o vi com a cabeça prostada ja nao abria mais os olhos, levantei a cabeça dele para conversar mas mesmo assim nao me olhou mas eu sabia que ele me ouvia …. Entao perguntei ao vet à oque se possa fazer? Tratamento? Cirurgia?Medicaçao? Meu viralatas é forte ainda a oque se fazer? Ele disse nao fizemos tudo oque podiamos a medicina parou aqui, nao ha mais oque se fazer ele nao reage o cancer o paralisou e ele esta sofrendo e ja é um cao idoso …. entao dei um pouco de agua para ele, mesmo ele nao conseguindo tomar direito e disse …. Filho me desculpe pelo oque vou fazer, mas por Te amar tanto nao posso mais te ver sofrer, ja que nao ha mais tratamento …. Prefiro eu sofrer doque te manter assim ….. Nao posso ser egoista, te quero muito ao meu lado, mas vc esta sofrendo para satisfazer a minha vontade, entao chega…. se a ultima coisa que posso fazer por vc e te proporcionar o descanço e aliviar sua dor entao farei …. Permaneci ao lado dele esfregando suas orelhas que ele adorava enquanto o vet fazia o procedimento, nao poderia deixa-lo nesse momento tinha que permanecer ate o fim ao seu lado, ja que me proporcionou tanta felicidade enquanto estava bem, por mais que aquilo acabasse comigo era o minimo que poderia fazer, ficar ao lado dele….. Pois sou enfermeira e sei que ninguem gosta de ir…. sozinho…. Deus nao o levou por si só mas me deu forças para aguentar firme ao lado dele, e o Maylon nao se moveu, nao chorou, nem esboçou nenhuma reaçao durante o começo ate o fim do procedimento tudo correu bem e quando senti sua ultima respiraçao era como se fosse de alivio por estar deixando aquele corpo que o aprisionava ….. Nao vou dizer que nao doi, mas ao menos sei que sou eu que sofro e nao mais ele….. Meu querido Maylon ….

        Curtir

        Comentário por Andreia — abril 13, 2013 @ 22:12

    • Andréia,
      Qual era o tipo de cancer dele? Por acaso era linfoma?

      Curtir

      Comentário por mauro — abril 10, 2013 @ 18:44 | Resposta

      • Sim descobrimos a quatro anos que era cancer maligno na bexiga, figado, pancreas e descobrimos nessa semana que se alastrou para o cerebro…

        Curtir

        Comentário por Andreia — abril 13, 2013 @ 21:39

  174. Olá!!!
    Estou vivendo uma situação parecida com a vivida por muuitas pessoas, sou casada a 10 anos e não podemos ter filhos e como sempre amei os animais fui (e meu marido por tabela) adotando alguns animais de rua,e atualmente temos 05 cachorros e 03 gatos…Um dos meus cachorros um box tigrado que peguei adulto e muito doente, que faz parte da nossa familia a 14 anos ( o veterinario acha que ele deva ter 16 anos)… a dois anos teve atrofia muscular e foi parando de andar aos poucos, nos dias de hoje ele fica o tempo todo deitado em um colchão,dou banho de esponja, alguns meses começaram abrir as escaras faço curativo e estão fechando aos poucos… Nunca havia pensado na eutanasia, mas ultimamente tenho refletido sobre o assunto, o veterinario falou que ele não sente dor , porque não tem outro problema de saúde, mas… Gostaria de opnião…esta muito dificil de acompanhar a chama da vida se apagando com sofrimento…
    Obrigada

    Curtir

    Comentário por Rosely — abril 17, 2013 @ 14:20 | Resposta

    • Oi Rosely.

      Isso é uma decisão difícil a ser tomada e depende de cada um. Há pessoas que encaram a eutanásia normalmente, outras sofrem muito após o processo. Eu sofro até hoje, mas, não tinha outra solução.
      Um abraço e força.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — abril 17, 2013 @ 14:47 | Resposta

    • Eu tinha a LOLITA uma labrador e tive que optar pela eutanásia. Optei pela eutanásia quando a veterinária disse que não tinha mais jeito e que ela iria morrer aos poucos. Ela sabe que lutei por ela até o último recurso e pensar nisso me deixa com a consciência em paz. Acho que vc deve pensar nisso no seu bem, mas principalemte no seu cachorro. É muito difícil tomar essa decisão… Abraços.

      Curtir

      Comentário por Katrina Wander Mendes — abril 17, 2013 @ 14:56 | Resposta

    • OLA SOU A ANDREIA QUE COMENTEI LOGO ACIMA FAZEM QUASE DOIS MESES QUE FIZ EUTANASIA NO MEU MAYLON E …. SINTO UM NÓ NA GARGANTA ATE HJ E NAO TEM UM DIA QUE EU NAO PENSE QUE SERIA MELHOR DEIXA-LO IR EMBORA SOZINHO … MESMO SABENDO QUE NO CASO DELE ELE NAO FAZIA MAIS XIXI SÓ COM SONDA E NAO ANDAVA POR CAUSA DO CANCER NO CEREBRO E CONSTANTEMENTE FICAVA COM FALTA DE AR E NAO NOS RECONHECIA MAIS E TINHA CONVULSOES DIARIAS TENDO QUE SER DOPADO… FIZEMOS EUTANASIA MAS ESPERO NUNCA MAIS TER QUE PASSAR POR ISSO POIS O ARREPENDIMENTO BATE … E SOBRE AS ESCARA PROCURE MUDAR ELE VARIAS VEZES AO DIA DE POSIÇAO COLOCAR UMA ESPUMA NOS LOCIAS ONDE A PROEMINENCIAS OSSEAS TIPO ONDE SE SALTAM OS OSSOS ( PES ,COTOVELOS…) AJUDA

      Curtir

      Comentário por Andreia — maio 22, 2013 @ 16:04 | Resposta

  175. Eu também não fiquei bem depois que optei pela eutanásia na minha…. Já faz mais de dois meses e ainda me sinto muito mal……Mas cada um é cada um. Eu espero nunca ter que decidir isso de novo. Pra mim foi doloroso demais e não consigo evitar o sentimento de culpa mesmo injustificado.

    Curtir

    Comentário por Mauro — abril 17, 2013 @ 17:30 | Resposta

  176. Nossa, no meu caso parece muito mais do que isso: uma angústia tremenda mesmo que parece não ter mais fim….

    Abço

    Curtir

    Comentário por Mauro — abril 17, 2013 @ 17:39 | Resposta

  177. Olá. Recorri à internet, para me nortear, em relação ao nosso bichinho. Pingo, nosso poodle, tem 15 anos e meio, vivia uma velhinha bem enxuta, até que um câncer no fígado lhe tirou tudo. Em menos de 1 semana, vimos nosso cãozinho padecer. Hoje, faz mais um mês, e o Pingo está realmente entre a vida e a morte. Ainda assim, não acho que tenho coragem de optar pela eutanásia. Esse cãozinho nos ensinou e trouxe tanto amor, que chego a achar que seria injusto ‘encurtar’, a passagem dele pela terra, por vontade NOSSA. Então, ficamos ao lado dele… Dando carinho… Amor… Cuidados… Até que Deus e o Universo decida, que está na hora dele ir. Confesso, que cada vez que vejo minha mãe, com o Pingo nos braços, derrubando lágrimas… Tento me apegar aos meus argumentos, pois o sofrimento é enorme… Mas não sei até quando. Estarei eu, sendo injusta por JUSTAMENTE prolongar o sofrimento dele, que já não aguenta mais lutar? Obrigada pelo espaço-desabafo…

    Jéssika.

    Curtir

    Comentário por Jéssika Atademos — abril 22, 2013 @ 18:57 | Resposta

    • Oi Jéssika!

      Obrigado pela visita e pelo depoimento.
      Olha, se como percebi em sua escrita que há condição de ficarem com ele todo o tempo, tendo carinho, amor e cuidados, não o “coloque para dormir”. É um processo desgastante e dolorido, de culpa mesmo.
      Abraços, força e fé.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — abril 23, 2013 @ 8:50 | Resposta

    • JESSICA SE VCS TEEM CONDIÇOES… FIQUEM COM ELE ATE O FINAL PODE SER DOLOROSO AGORA MAS QUANDO ELE SE FOR SOZINHO VC NAO TERA UM SENTIMENTO DE CULPA COMO UM NO NA GARGANTA COMO EU TENHO POIS TIVE QUE FAZER EUTANASIA NO MEU MAYLON A QUASE DOIS MESES…

      Curtir

      Comentário por Andreia — maio 22, 2013 @ 16:09 | Resposta

  178. Eu perdi meu gatinho hoje, foram 13 anos de amor, gargalhadas, bincadeiras, carinho, olhares que entendíamos ao trocar….e dizem que gatos são distantes! Talvez fiquem se assim vc os tratar, o meu menino era um grude de amor. Me olhava com veneração, e eu retribuía ,pois tinha imenso orgulho do que construímos juntos.Éramos amigos e dos bons, não , éramos fantásticos!!!!! Ele parou de comer, só bebia água , posso jurar que ele morria de fome, eu ofereci de tudo, tratei e hoje ele se foi. Nâo sei qto levará para eu me recuperar pois, é perda e das doídas. Ficam as lembranças, as estórias e o meu amor que parte sempre será dele. Já pus o irmão dele para dormir por recomendação do veterinário, doeu, sofri…..mas quem não pode sofrer são eles. Então , não importa a forma que seu amor se vá desde que não sofram mais ou sofram coisa alguma. É nosso dever pôr fim ao horror. Eu tenho certeza que nos agradecem seja lá onde estão…Eu desejo força a todos que precisrarem tomar um decisão destas, e digo mais , olhem para eles e devido aos anos juntos vcs saberão a hora. O meu eu olhei e disse chega né filho? Vc está visivelmente mais cansado que eu….hora de ir! Teve choro, teve luto, teve uma quase culpa que não permití se instalar. Sei o quanto fui querida e eles sabem que fiz o melhor ao meu alcance. Sejam fortes e se fizerem será por amor profundo. Bjos a todos

    Curtir

    Comentário por Andrea — abril 26, 2013 @ 12:03 | Resposta

    • Oi Andrea.
      Sinto muito por sua perda.
      Lindo o seu depoimento. Agradeço por compartilhar.
      Abraços.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — abril 26, 2013 @ 12:28 | Resposta

  179. Augusto e todos que deixaram seus depoimentos
    Obrigada por exporem suas experiências. Me deram coragem de chamar o veterinário para realizar a eutanásia do meu grande amigo Betoven que está com quase 17 anos, tem doenças crônicas adquiridas com a idade que vem sendo tratadas com medicamentos há vários anos, mas seu estado geral vem se deteriorando muito nos últimos meses com ele andando cada vez menos, caindo e batendo com a cabeça fortemente no chão cada vez mais, posso dizer que tem dias que ele nem levanta apesar de tentar várias vezes. Já usa fralda há meses para segurar o xixi porque antes ele vivia molhado pq não levanta, então ficava na poça de xixi até eu chegar em casa. O cocô pelo menos não suja porque normalmente não é diarréia, isso só aconteceu 1 vez e foi horrível, muito triste vê-lo naquele estado, todo sujo. Todos que o vêem dizem que tenho que sacrificá-lo, mas a veterinária diz que ele não está sofrendo e isso me confundiu demais todo esse tempo.
    Sempre que leio sobre o assunto vejo que ele não tem nenhuma qualidade de vida, deitado o dia todo, escaras que eu cuido cuido e não fecham, às vezes come, às vezes não. Geme o tempo todo e fica com o corpo tremendo com espasmos. Mas como não tenho certeza se ele sofre nunca tive coragem de encarar a eutanásia. Fico achando que ele ainda prefere estar ao meu lado, mas hoje ao descobrir este site em mais uma das minhas buscas por orientação sobre o momento de decidir pela eutanásia e me deparar com tantos relatos, tantas dúvidas, me decidi que é o melhor a ser feito por amor. Betoven está aqui ao meu lado chorando o tempo todo e tentando levantar e caindo, dá uma agonia enorme. Tomei minha decisão e liguei para o veterinário que virá aqui no fim do dia. Prefiro fazer em casa no ambiente dele, do lado do filho dele que tem 12 anos. Vai ser difícil, mas vocês me ajudararm e acredito que ajudaram o Betoven me fazendo tomar essa decisão que vinha adiando há vários meses.
    Leticia.

    Curtir

    Comentário por LETICIA FREIRE DA ROCHA — maio 1, 2013 @ 13:40 | Resposta

    • Bom dia Letícia.
      Agradeço pela visita e lhe desejo muita força e fé.
      Abraços.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — maio 2, 2013 @ 9:07 | Resposta

  180. Oi Augusto, essa semana, mais especificamente no dia 13/05, com meu coração partido tive que chamar o veterinário para fazer a eutanásia no meu bebê Chang, um Shar-pei de quase 13 anos que tinha câncer. Descobri o câncer em janeiro desse ano por acaso e na época, ele já havia tomado o baço, quase todo o fígado e tinha o tamanho de um melão. Cuidei dele, dei todos os remédios, dei a comida que ele queria comer e ele se recuperou bem, mas o tumor continuava crescendo. Não foi operado na época pois ja havia crescido muito, tomado alguns órgãos e ele correria o risco de ficar na mesa de operaçao. Eu amava e ainda amo o Chang de uma forma que nunca pensei que fosse amar um animal, um ser dessa forma. Peguei o Chang com 38 dias e cuidei dele tal qual um bebê, ele era minha sombra! Descobrir sua doença foi muito triste e muito dificil, mas dei a ele esses meses tanto amor e carinho quanto podia dar. A decisão foi muito dificil, ele já não comia mais nada, sentia muita dor, estava muito magrinho, já não levantava mais e seus olhos me pediam que eu desse um fim naquele sofrimento. Chorei muito, disse a ele mais uma vez o quanto o amava e pedi perdão pelo que eu ia fazer e ele sabia! Sinto-me culpada, mas só não vê-lo mais sofrer me conforta um pouco. Só o tempo para curar toda essa dor que está no meu coração.

    Curtir

    Comentário por Mônica Couto Valadares — maio 15, 2013 @ 10:31 | Resposta

    • Bom dia Mônica.
      Agradeço por ter deixado seu depoimento. Que sua dor seja breve e que o tempo cicatrize suas feridas. É um processo longo, mas, pense que fez o melhor por ele.
      Abraços.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — maio 15, 2013 @ 10:45 | Resposta

  181. olá Augusto, boa tarde,
    Encontrei seu blog em buscas que fazia para tentar entender melhor o que havia feito. No dia 10/05/2013, tomei a mais dificil e pior decisão da minha vida. Algo que me mudou em muito. Me arrependo imensamente de ter feito a eutanasia em minha poodle de 14 anos. Acho que não tive o apoio que necessitava naquele momento. Vinha a uma semana vendo minha pequena princesinha piorando a cada dia, já não comia e nem bebia agua, começou a perder o equilibrio e por fim já não se mantia em pé, teve o lado direito paralisado, parecia que já não nos reconhecia mais, não olhava para nós. Na madrugada de 6ª feira, passou a noite toda chorando e por varias vezes gritava, gritos horriveis. Passamos a madrugada toda com ela para que conseguisse dormir, mas não conseguiu. Não podia ve-la sofrendo daquela maneira. Durante a semana que antecedeu a eutanasia, buscamos tudo o que era possivel, passamos com ela por uma veterinaria que pediu uma serie de exames, que foram feitos, onde apareceu uma metastase no pulmão, e alteração no figado. Visitamos tbem uma medica homeopata, uma endocrinologista, e ela chegou a fazer uma sessão de acupuntura para melhorar as interminaveis dores de coluna que ela tinha. Tudo aconteceu muito rapido, uma semana. Ela sempre teve muitos problemas de saude, mas sempre lutou bravamente pela vida. Quando tinha apenas 2 meses teve cinomose, fez tratamento e não houve sequelas, teve piometra, gastroenterite tumor grau 3 e chegou a fazer quimioterapia, glandula de harder nos dois olhos, alem de outras enfermidades. Mas todas as vezes sempre procuramos o auxilio que fosse necessario para seu bem estar. Ela foi uma guerreira, com certeza. Prometi a ela que não desistiria, e procuraria qualquer tratamento para deixa-la bem. Fiz varias buscas na internet para saber o que estava ocorrendo com ela, problemas neurologicos, com certeza, mas quais? Infelizmente não houve tempo suficiente para que descobrissemos o que houve com ela. Quisera poder voltar no tempo e fazer diferente. Vinha de uma semana só vendo ela piorar dia a dia, de uma noite sem dormir, com o choro e gritos dela, e quando eu mais precisava de uma pessoa que me orientasse sobre minha decisão, tive ao meu lado o veterinário que cuidou dela desde filhote, me dizendo que não havia mais o que fazer e o melhor seria “eu prefiro o termo deixa-la descansar”, fui aos prantos, ela adormeceu em meu colo, tão tranquila e eu nem preciso dizer, nunca vou conseguir me esquecer, do momento em que seu coraçãozinho parou de bater. Hoje vejo que naquele momento, não tinha condição alguma de tomar uma decisão, precisava de uma pessoa que estive tranquila, nesse caso o veterinário, que não soube conduzir a situação, me senti pressionada. Não me isento da minha culpa, muito pelo contrario, sinto um peso enorme em minha consciencia e em meu coração, parece que até é dificil de respirar quando me lembro dela, o que ocorre a todo momento, Fácil de entender para quem tem um cão e sabe do amor incondicional que eles nos dão, a Sasha era para mim muito mais que um cãozinho, ela era meu dia, minha noite, minha vida. Viviamos juntas 24 horas por dia, ela ficava em cima da minha mesa no escritório, iamos a todos os lugares juntas,e a dor de não te-la mais aqui é enorme e indescritivel, não existem palavras suficientes que possam descrever meu sentimento. Não consigo me ver sem ela. Creio que tomei uma decisão precipitada, da qual não faria novamente. Parece que faltou algo para fazer por ela, não me perdo-o, poderia ainda ter tentado mais algum tratamento, mas acho que fui egoista em não pensar nela o suficiente, havia dito a ela que tentaria tudo e não desistiria dela, de forma alguma, ela confiava em mim e não cumpri o que havia lhe prometido. Escrever esse comentario de certa forma me ajuda um pouco, ler os comentarios aqui tbem, mas minha opinião é que sou totalmente contra a eutanasia, ou pelo menos quando não se tem a devida consciencia do que se sente após esse ato que no meu caso foi de pura crueldade. obrigada por esse espaço.

    Curtir

    Comentário por clara nave — maio 20, 2013 @ 16:34 | Resposta

    • Bom dia Clara.
      Agradeço pela visita ao blog e pelo depoimento.
      Espero que esse peso que sente seja breve e que depois lembre-se somente dos bons momentos vividos.
      Abraços.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — maio 21, 2013 @ 9:12 | Resposta

    • SEI BEM OQUE VC SENTE A QUASE DOIS MESES TIVE QUE FAZER EUTANASIA NO MEU MAYLON POR NAO TER MAIS OQUE FAZER ELE NAO ANDAVA NAO FAZIA XIXI NAO NOS RECONHECIA GRITAVA E VIVIA DOPADO POIS QUANDO PASSAVA O EFEITO ELE CONVULSIONAVA ELE TINHA CANCER NO CEREBRO E EM ALGUNS LOCAIS NO CORPO … DEIXAMOS ELE UMA SEMANA INTERNADO E NAO MELHOROU E POR NAO TER MAIS OQ FAZER E NAO PODERMOS TRAZER ELE PARA CASA POIS NAO TERIAMOS COMO DOPAR ELE COM MEDICAMENTOS NA VEIA A TODA HORA QUE ELE PIORASSE E TERIAMOS QUE FICAR COLOCANDO SONDA NELE TODOS DIAS PARA RETIRAR O XIXI FORA AS CRISES QUANDO ELE SENTIA FALTA DE AR E SUA LINGUA CHEGAVA FICAR CIANOTICA (ROXA) ENFIM FIZEMOS A EUTANASIA POIS ELE TB ERA IDOSO E SEGUNDO O VETERINARIO QUE CUIDOU DELE DURANTE ANOS NAO HAVIA OQUE FAZER … MAS NAO CONSIGO TIRAR DA MINHA MENTE A IMAGEM DE QUANDO FOMOS LA E PERMANECI AO LADO DELE DURANTE O PROCEDIMENTO E QUANDO O VETERINARIO PUNCIONOU A VEIA DELE PARA POR O SORO E DEPOIS A MEDICAÇAO E ELE PUXAVA O BRACINHO AQUILO NAO SAI DA MINHA CABEÇA ESPERO NUNCA MAIS TER QUE PASSAR POR ISSO POIS O ARREPENDIMENTO BATE MUITO FORTE ATE HJ :(

      Curtir

      Comentário por Andreia — maio 22, 2013 @ 16:24 | Resposta

      • Eu pensei que essa dor fosse diminuir e que eu fosse pensar menos, mas parece que a cada dia doi mais, sei que para algumas pessoas é dificil entender um sentimento assim, talvez eu mesma, não saiba explicar esse sentimento tão forte. Para mim a Sasha era um amor sem cobranças, puro, simples, leve, tão bom que não sei explicar, algo que ela me ensinava só com o olhar, qdo olhava bem de frente para mim, e eu já entendia o que ela queria, e ela com certeza sabia o que eu estava sentindo, era uma troca verdadeira. Ela me ensinou muito, em relação ao amor aos animais, eu nem imaginava que sentia algo parecido. Foi bom demais mas terminou, e é isso que ainda não consigo assimilar direito. Essa ausencia, esse vazio, é muito triste, com certeza ela era meu ponto de equilibrio, que agora busco sem saber aonde. Creio em reencontra-la um dia aqui ou em qualquer outro lugar, pois me parece que nossa historia ainda não terminou.

        Curtir

        Comentário por clara nave — maio 28, 2013 @ 19:33

      • Oi Clara. Igual a você, senti e sinto esse vazio ainda, depois de anos. A dor não passa e a gente se acostuma com ela. Abraços.

        Em 28 de maio de 2013 19:33, A Simplicidade das Coisas — Augusto

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — maio 29, 2013 @ 8:24

  182. Bom dia a todos,
    Estou aqui para desabafar oque vem acontecendo a meses, tenho uma pinscher de 19 anos , tenho ela desde os meus 2 anos, gosto muito dessa cachorrinha,ela sempre foi saudável não me deu nenhum tipo de trabalho, e logico era sempre levada no veterinária cada 3 ou 4 meses, mais de 1 ano e meio pra cá ela veio ficando cada vez mais fraca , teve que fazer a uns 3 meses uma limpeza de dentes “retirada de tártaro e alguns dentes que já estavam estragados”, e depois dessa limpeza ela veio ficando cada dia mais debilitada , meu veterinário é muito meu amigo esta nesta área a muitos anos, meus deu todos os remédios necessários para o tratamento mais não ouve uma melhora significativa, mais enfim, no dia 24/05/2013 semana passada , a Pitucha ” é o nome da cachorra”, teve uma crise respiratória, em função de bactérias na faringe e na laringe e no pulmão se não me engano.Resumindo tive que interna-la dia 27/05 segunda-feira e de lá pra cá não comeu mais e nem bebeu mais água ,só esta no soro e no remédio, e eu não sei oque eu faço , estou desesperado não queria ter que pedir para meu vet. fazer uma eutanásia , me sinto mal quando penso nisto, não sei oque fazer, não durmo a 3 dias , oque eu faço preciso de uma opinião , uma ideia , alguma coisa.

    Curtir

    Comentário por Rafael — maio 29, 2013 @ 12:05 | Resposta

    • Olá Rafael.
      Converse com seu veterinário. Ele será a melhor pessoa a te aconselhar.
      Um abraço. Melhoras paraa Pitucha.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — maio 29, 2013 @ 12:20 | Resposta

  183. Nayla, 14 anos, cocker spaniel, começou com nódulos nas mamas, sofreu uma cirugia e ficou bem, a pouco tempo depois ficou com as pernas traseiras com deficiencia, e já não ouvia e pouco enxergava. Há duas semanas foi internada com dor, muita dor, ficou dois dias, saiu da internação melhor, melhorou, porém esta semana seu quadro se agravou muito, muita dor, foi internada novamente e com o exame de ultrasom, verificou um quadro agudo de infecção urinária e muitos tumores na região fígado/baço. Trouxemos ela para casa e seguimos toda medicação, porém ela já não aceitava mais nenhum alimento. Já não urinava nem evacuava, dormia e acordava com muita dor, não conseguindo descansar, uivando e chorando, chegou a tomar Tramal (a base de morfina), um dia e uma noite neste quadro de dor e os remédios já não resolviam, minha filha falou a veterinária ontem a noite e ela informou que no caso não havia mais nada que pudessemos fazer, a não ser tentar aliviar a dor.
    Hoje pela manhã a levamos a Veterinária onde ela havia ficado internada e autorizamos com muita dor e lágrimas a eutanásia de Nayla. Meu coração está em pedaços, doi-me quando lembro da minha Nayla e não consigo parar de chorar.
    Me diga, cometemos um erro? Sinto-me quebrada, péssima, triste. Embora a dor de vê-la sofrer era enorme e nos sentimos completamente impotentes para aliviar Nayla do sofrimento. Sofro, estou sofrendo muito. Minha linda Nayla, meiga e amável. Com dói, chego a não acreditar que você se foi. Desculpe o desabafo.Boa noite.

    Curtir

    Comentário por Marcia Iritz — maio 31, 2013 @ 21:01 | Resposta

  184. UMA CARTA DE DESPEDIDA À MINHA CADELA GRETA.

    Hoje tive de tomar uma decisão muito difícil. Terei que fazer Eutanásia na minha cadela de quase 10 anos, Greta. Greta Garbo, nome xiki, ou Greta Cristina, em homenagem à minha mãe, à minha filha também Cristina.
    uma cadela. Seu nome, em homenagem à outra Pastora de nossa casa, quando éramos crianças. Uma Pastor Alemão, de olhos pidões, guerreira, destemida, louca por banho,petiscos e ficar dentro de casa, como se fosse um poodle.
    Na sua adolescência mexia nas panelas em cima do fogão, um dia comeu a paçoca que fiz para Tininha, quando veio passar o fim de semana aqui. Geralmente pela manhã recebia um belo mingau de leite,ovos e mucilon. Tinha ciúmes quando eu preparava o leite de Matheus, pela manhã. Me olhava com uma cara…aí eu fazia a mais para dividir com ela.
    Lembro quando fui compra-la para Brenda, como presente de aniversário, eu uma casa lá em Capim Macio. Não sabia qual escolhesse, mas escolhi a mais ágil,danada e coincidentemente, o seu apelido era ENCRENQUEIRA. Brenda achou que eu havia ido comprar uma sandália e que eu havia demorado lá dentro porque estava difícil encontrar um que me coubesse ( ela ficou com Denílson do lado de fora , no carro) no outro dia de manhã, Brenda dormindo, chegou aquela bola preta,gorda,com um laço no pescoço.. Coloquei em cima dela. Uma bela surpresa!
    Está conosco há 9 anos e 9 meses. Está doente, na verdade, muito doente com pelo menos duas doenças diferentes que segundo o veterinário, seria um cancro de estômago e a cardiopatia, pois ela tem um coração enormeee . Anda devagar, triste, vomita horrores, tão ácido, que chega a corroer o piso, mas continua querendo viver, pois se alimenta bem, mas emagreceu tanto que está pele e osso, além do mau cheiro insuportável que exala de sua boca, sem sucesso com medicamentos
    Quem antes atormentava alguns vizinhos com o barulho, agora está uma senhora frágil, mas ainda consegue latir, tomando conta de seu território e abanando o rabo em recepção à nós, os seus parentes mais queridos.
    Cuidou como mãe de Dara, a cadela Pastora que agora tem dois anos, que trouxemos para lhe trazer uma melhor sobrevida, com alegrias, mas infelizmente a alegria dela foi pequena. Dara não gosta mais dela! Só quer saber de ser a tal, aqui em casa.
    Enfim, a nossa senhorinha idosa, está terminando de cumprir a sua missão aqui na terra, quando sempre foi um anjo em nossas vida, nos livrando, só Deus sabe, de tantas investidas de gente maliciosa, em nosso lar.
    À você Greta, me perdoe por brincar de Deus, mas você não poderá sofrer tanto. Sei que quer viver, mas do que adianta viver sem qualidade de vida? Com essa doença maldita, que atinge até anjos de pêlo.
    Que Deus a receba daqui há alguns dias, no céu dos cachorros, se é que não irá para o céu dos humanos e de lá, me perdoe por ter que ter feito essa escolha tão difícil.
    Obrigada pelos beijos lambidos,pelos olhares pidões e pelos passeios poucos, que fizemos juntas, e você sempre a olhar para trás a me esperar, quando caminhávamos todos em família.
    Seremos eternamente saudosos e gratos pela sua bondade e cuidado conosco.
    Agora eu vou lá onde ela está, agradecer pessoalmente e prepará-la para a viagem e me preparar para .. Nem sei o que.

    Curtir

    Comentário por Duda — junho 7, 2013 @ 19:44 | Resposta

  185. Ola perdi minha cachorra chamada madona,ela era da raça shar-pei ,ela era nossa princesa,amada por todos,ganhamos ela,lembro como se fosse ontem ela chegando em nossa casa com aquela carinha que era difícil não se apaixonar…era muito bom chegar em casa e la vinha ela com aquele toquinho de rabo balançando,e as lambidas eram os melhores beijos que alguém podia receber depois de um dia de trabalho,minha negona como eu chamava ela,começamos a perceber que nascia um tumor em sua pele,perto do pescoço,levamos ao veterinario,ele optou por tirar,tirou pela segunda vez…começamos a perceber sua falta de apetite depois de um certo tempo,era doença do carrapato,anemia e provavelmente câncer! Fizemos um tratamento,que de nada adiantou.Chamamos outro veterinario ele iniciou outro tratamento,veio a melhora e eu achei que ela fosse continuar me fazendo feliz depois de cada dia difícil,ela recaiu,mas ela era forte,e me dava força pra continuar a lutar por ela,mas infelizmente veio a noticia que eu mais temia,não tinha mais geito os rins tinham parado de funcionar,e ela chorava de dor,não balançava mais seu toquinho de rabo,foi só tristeza..no mesmo dia que recebemos a noticia,decidimos pela eutanásia,pois não aguentávamos ver ela chorar,foi véspera de meu aniversario…e a minha princesa estava partindo para o céu dos cachorrinhos…ela foi uma guerreira,e nos ensinou que precisamos de dignidade para morrer!

    Curtir

    Comentário por priscila — junho 25, 2013 @ 8:49 | Resposta

    • Oi Priscila.
      Sinto muito por sua perda.
      A situação da Madona foi bem parecida com a da minha Bubba.
      Abraços.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — junho 25, 2013 @ 8:56 | Resposta

  186. Oi Augusto,
    faz uma semana que tomei a mesma decisão que a sua.Ainda estou devastada deprimida sem vontade pra nada, pois foi a decisão mais dificil de toda minha vida , chorei muito abraçada a minha filha peluda.Ela tb estava em um quadro avançado de insuficiência renal , mais de uma semana de soroterapia, muito magra, anêmica, sem forças para ficar de pé,com três tumores no abdomem, até seu cheiro e hálito exalavam urina, creatina a mais de 649 , com começo de edema pulmonar….enfim, o veterinário já havia me dito que ela só estava vivendo por conta da soroterapia, mas mesmo assim seu quadro piorou e ela nem agua aceitava. Depois de mais uma noite insone, com ela dopada mais sem conseguir relaxar, tomei a decisão da eutanásia. Ainda fico tentando dar algum alento para o emaranhado de sentimentos que tenho em meu coração por essa decisão,estava lendo a página da Luiza Mel e a decisão dela de estar ao lado do seu cão desenganado com tumor e relatando as dores que ele sente todos os dias , e novamente me questionei. E então me deparei com seu blog. Dizem que a morte liberta , mas tento me convencer que foi o amor imenso que sentia por ela que me fez tomar tal decisão.

    Curtir

    Comentário por Eva F. C. — julho 4, 2013 @ 17:59 | Resposta

    • O Eva.

      Concordo e penso como vc – foi um ato de amor.

      Abraços.

      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — julho 9, 2013 @ 13:47 | Resposta

      • Eu também concordo que isso é um ato de muito amor pelo nosso companheiro, pois estamos dando um fim ao sofrimento deles. Também tomamos essa decisão hoje, meu cachorrinho de 14 anos e 6 meses, o lup, começou a cambalear as perninhas de trás, parou de comer, e ele sempre foi esfomiado, é uma bola, faz três dias que ele não come nada e também não está querendo tomar mais água, caminha muito pouco às vezes, pois cai, tem uma tremedeira, respiração super ofegante, vomita, xixi eu levava ele no colo para fazer pois moro no 2º piso ele saia meio cambaleando fazia o xixi sem levantar a patinha e me olhava para pegar ele e mesmo no colo fica com a respiração ofegante que parece que vai infartar. Agora já nem está fazendo xixi, o veterinário disse que ele está com o fígado muitíssimo debilitado e o sangue também, que não tem mais o que fazer, só rezar. Mas ainda hoje de manhã colocamos ele no soro, mais medicação injetável para ver se ele reage até segunda-feira, quando viu nós chegarmos na clínica já tentou levantar na gaiolinha mas não conseguiu, isso é muito triste, ver meu companheirinho caindo sem força para tentar levantar. Agora pouco tivemos um momento de esperança porque ele conseguiu levantar e dar uns passinhos até a cozinha, aí deitou, minha mãe tentou oferecer alimento mas não tem jeito, e essa hora do almoço ele não saía da cozinha enquanto tivesse alguém comendo. É um horror, realmente muito difícil optar pela eutanásia, mas quando não se tem mais jeito na minha opinião é o maior ato de amor para com eles, pois o pior é acima de tudo ele ficar sofrendo sem comer, sem força para levantar, caindo, é muito triste, para deixar ele vivo ele teria que viver com um mínimo de dignidade que fosse, pelo menos se comesse um pouco. Nesse momento estou escrevendo o depoimento e as minhas lágrimas escorrem no rosto e ele está do meu lado deitado na caminha, vou sofrer muito de perder meu amor da minha vida, que faz parte dela desde os 30 dias de vida quando não podia nem tomar a 1ª dose de vacina ainda, mas acredito ser a melhor opção e não deixar ele sofrendo pobrezinho.

        Curtir

        Comentário por Ariane Luchese — outubro 19, 2013 @ 13:26

      • Bom dia Ariane.
        Sinto muito por sua perda.
        Um abraço.
        Augusto

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — outubro 20, 2013 @ 12:10

  187. Olá,
    Augusto

    Sinto muito pela sua perda somente quem realmente ama os animais sabe o que sentimos.
    Estou escrevendo com muita dor no meu coração e na minha alma, pois hoje meu lindo vira lata de olhos azuis faleceu com 14 anos eu faria qualquer coisa para te-lo perto de mim por mais algum tempo o lobinho era muito importante pra nós ganhamos ele com 1 ano ficou 13 anos com a gente.
    No dia 05.07.13 foi descoberto um câncer no baço dele que pesava 2 kilos era enorme, foi operado no mesmo dia eu ficou internado até o dia 08 íamos visita-lo todos os dias no dia 09 fomos busca-lo na maior alegria, porém o veterinário disse que o pior tinha passado, porém ainda tínhamos que ficar muito atentos pois ainda tinha muito risco a saúde dele …pois estava muito magro pois o tumor tinha tomado conta de todo o estomago dele…tínhamos que tentar fazer ele comer e dar os medicamentos. Fizemos isso demos os medicamentos porém estava muito difícil ele comer ontem dia 10 consegui dar 5 colheres de ração o que já foi uma vitória.Hoje ele acordou tomou o medicamento, ficou em pé, latiu me cheirou e foi deitar até porque teve mais de 30 pontos e precisava repousar. Fui levar comida pra ele na caminha dele quando cheguei perto ele havia partido….dói demais escrever isso a dor e o vazio é muito grande não consigo para de olhar pra caminha dele não consigo pensar em outra coisa eu tinha certeza que ele iria se recuperar e viver mais um pouco.

    Abraços
    Amanda

    Curtir

    Comentário por Amanda — julho 11, 2013 @ 18:24 | Resposta

    • Oi Amanda.
      A vida é feita de momentos inexplicáveis. Seu Lobinho descansou e irá cuidar de vc e dos seus lá de cima. Força!
      Abrs.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — julho 12, 2013 @ 8:31 | Resposta

  188. Meu amiguinho com quase 15 anos, estava muito debilitado, os rins parando, o fígado comprometido, não se alimentava a mais de 4 dias, já não urinava mais, pois os rins estava parando, Ontem já nem ficava em pé, gemia de dor, levei novamente ao veterinário, e para não poupar o sofrimento
    optamos pela eutanásia, é dolorido pra mim, mas ele já não esta mais sofrendo,

    Curtir

    Comentário por Denise — julho 12, 2013 @ 11:44 | Resposta

    • Oi Denise.

      Minha história com a Bubba foi idêntica. Força para você nesses momentos de sofrimento.
      Abraços.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — julho 12, 2013 @ 12:27 | Resposta

  189. Estou passando pelo mesmo problema e não tenho coragem de matar meu Chopp um cachorro que nos deu tantas alegrias . Já à seis meses fizemos hemidiálese e está cada dia pior . Chora muito e depende 100 por cento de mim para tudo . Está cego, não anda pois tem uma pat quebrada e artrose, está com a creatinina altíssima mesmo tomando a injeção de soro todos is dias . Chora muito . Procuro adivinhar o que quer. Estou muito cansada porém não consigo cometer a autanásia .Me ajudem por favor.Estou muito mas mas muito cansada.

    Curtir

    Comentário por Maria Luiza — julho 22, 2013 @ 23:00 | Resposta

    • Maria Luiza.
      Situação difícil. Passei por isso. Mas, não tive escolha. Estava trabalhando em São Paulo e minha cachorra estava em Rio Claro. Fiquei com ela uns dias até o procedimento. E, me arrependo. Pense bem em tudo.
      Força.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — julho 23, 2013 @ 8:27 | Resposta

  190. Olá! Tenho ficado triste com o que está acontecendo com a minha pastora; ela tem 14 anos, é muito minha amiga,tem displasia, mas esse não está sendo o problema.
    No último dia de fevereiro (deste ano) meu amigão Barão morreu, com 14 anos; era um salsichinha lindo e muito amoroso. Era companheiro da Lessie, no começo achei que ela tinha aceitado bem, mas de um tempo pra cá ela tem se mostrado triste e sem apetite. Já troquei a ração, coloco às vezes carne moída, às vezes arroz, ela gosta, e nada de comer, só “belisca”. Tomara está tristeza passar, fico triste em olhá-la e ver que ela está com um olhar distante.
    Tomara que nós não precisemos passar pela eutanásia, seria doloroso para mim.

    Curtir

    Comentário por cristina — julho 23, 2013 @ 0:24 | Resposta

    • Olá, Cristina.
      Por acaso você tem algum pano ou algo que tenha o cheiro do Barão? Se tiver, deixe na caminha da Lessie. Irá confortá-la.
      Abraços.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — julho 23, 2013 @ 8:29 | Resposta

  191. um ato de amor que dói, imensamente em quem fica, hj to passando por isso…………… se estiver errado perdoe me DEUS perdoe me nao posso suportar o sofrimento daquele que sempre me amou e pra sempre vou amar até chegar o dia de reencontra los

    Curtir

    Comentário por thiago — agosto 1, 2013 @ 14:59 | Resposta

  192. Estou morrendo devagarzinho com minha rotweiller Athena em fase terminal de um cancer de baço já invadindo toda cavidade abdominal. Ainda sem dor mas esqueletica, tomando soro todo dia como suporte. Rezo todo dia para ela ir sozinha. Espero que Deus me poupe de ter que tomar a decisão de livrá-la do sofrimento.

    Curtir

    Comentário por Patricia — agosto 2, 2013 @ 12:57 | Resposta

    • Se Deus quiser, será ouvida. Não é uma decisão fácil a de optar pela eutanásia.
      Um abraço.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 2, 2013 @ 13:35 | Resposta

    • Patricia, sei exatamente como se sente. Em 10 de maio deste ano, tomei essa decisão depois de alguns dias pedindo a Deus que minha pequena princesinha descansa-se não por minha opção. Me sentia muito mal ao ve-la com tanto sofrimento, e então fiz a eutanasia, fiquei ao lado dela o tempo todo. E segurando-a em meus braços ela partiu. Foi a pior e mais dificil decisão que já tomei e me arrependo muito, hoje não faria novamente. Após quase 3 meses, a dor continua imensa e ainda procuro uma forma de amenizar essa dor. que Deus ouça seus pedidos para que sua menina Athena descanse em paz, boa sorte.

      Curtir

      Comentário por clara nave — agosto 2, 2013 @ 14:34 | Resposta

  193. estou aqui com meu coração partido, tenho duas cachorrinhas, cada uma com 13 anos, a July e a Rebeka,estiveram lá em casa ontem para realizar o exame de leishmaniose, o exame da Rebeka foi ótimo, mas o da minha Julynha deu uma alteração no sangue, o veterinario disse que pode ser a doença, ou pode ser uma alteração hormonal…espero muito que seja hormonal, pois não quero que minha July tenha que passar pela autanasia, pois essa maldita doença( leishmaniose)não tem cura, penso que ela possa sentir dor, e não quero que ela morra. Eu perdi meu pai quando tinha 13 anos, em 2001 e nesse mesmo ano chegava em minha vida a July e a Rebeka, e justamente 13 anos depois a July pode não mais ficar na minha vida! Peço a Deus todo dia que não busquem a July….

    Curtir

    Comentário por Nayara — agosto 2, 2013 @ 16:43 | Resposta

    • Oi Nayara.
      Vai dar tudo certo, confie. Ouvi falar que no Brasil existe atualmente no mercado uma vacina contra a Leishmaniose Visceral Canina, que confere proteção superior a 92%. E também que há medicação para a doença.
      Abraços. Fique bem!
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 2, 2013 @ 17:06 | Resposta

  194. Faz 1 ano no dia 24 de Setembro que tive de tomar a decisão mais difícil da minha vida ,sou uma apaixonada por Gatos em 1998 decidi comprar um gato siamês,foi um companheiro,confidente,amigo durante 13 anos ,quando chegava a casa lá estava ele há porta á minha espera era muito inteligente era um ser fantástico o meu Sebastião ,eu falava com ele e ele miava até parecia que me percebia,em 2007 descubro que eu estava muito doente e que teria de fazer um transplante pulmonar bilateral o que teria dado origem a esta doença seria uma sequela do sarampo que tinha tido em Bebé com 30 anos a minha vida caiu por terra,foram momentos que questionei tudo em que acreditava cheguei a casa abracei-me ao meu Sebastião chorei,chorei quando dou por mim estava ele a lamber as minhas lagrimas ,foi ai que me recompôs e tinha que ficar boa por ele,foi também a partir deste momento que ele começou a dormir em cima da minha almofada junto á minha cabeça eu tirava-o mas ele voltava sempre para o mesmo sitio,ficava internada quase de 3 em 3 meses sempre mais de 15 dias .quando regressava a casa eram a tantas a saudades que eu tinha dele e ele minhas ,é lógico na minha ausência ficava o meu namorado a tomar conta dele,e fui vivendo um dia de cada vez o que me dava força era o meu querido Sebastião,em agosto estive novamente internada sai perto de Setembro quando chego a casa o meu gatinho estava muito magro não comia depressa liguei ao veterinário que me disse para passar por lá , á primeira vista ele estaria desidratado,foi então que a médica começou a fazer exames, ecografia abdominal ,analises entre outros exames,fui beber um cafe enquanto o tratavam,estava a soro a fazer antibióticos ao fim do dia já o podia trazer para casa foi então que a Dra Vanessa me deu a pior das noticias,como ele não comia como deve ser o fígado estava a absorver todas as gorduras,entre lagrimas eu só pedia á Dra que o curasse repetindo varias vezes ele não podia morrer agora que estava tão perto do transplante em tom de desespero ele tinha que me ver boa era só isso que eu queria ,ela disse para o levar para dar a medicação e fazer com comesse no dia a seguir teria de voltar á clinica para fazer mais soro e para fazerem mais analises para saber se teria também diabetes,no dia seguinte lá estava eu com o meu Dom Sebastião como a minha mãe gostava de lhe chamar, depois de mais espera e exames e mais soro o miar dele estava tao diferente,estava apático olhos dele não mexiam,passou-se o sábado e ele teria de voltar na 2-feira para mais tratamento,mas caso fosse preciso alguma para ligar-mos,bem digamos que fiz de tudo para ele comer até cosi uma posta de peixe para ele comer e nada ele continuava tão frio eu só pensava no pior,não conseguia ter esperança deitei o comigo na esperança de o conseguir aquecer,passando a noite acordo no domingo ele esta a dormir no chão fui busca-lo ele estava gelado ,apático era horrível olhar para ele daquela maneira comecei a chorar agarrada a ele e a pedir ajuda ao meu namorado ligamos para a veterinária fomos o levar ,ficou lá internado até 2-feira já sabia-mos que tinha diabetes a medica deu-lhe insulina e ele reagiu bem (Eu só pensava será as melhoras da morte)No dia seguinte logo pela manha fomos logo a correr para o veterinário na ansiedade se ele estaria melhor,A Dra foi busca-lo para eu vê-lo e eu numa ansiedade tremenda só queria saber se ele ficaria bem ,Quando ela disse me fizemos tudo pelo Sebastião mas não há nada a fazer eu agarrei-me a ele a chorar dei por mim a gritar NÃO Não agora não ela disse que os antibióticos estavam a aumentar a diabetes os valores já iam em 450 depois da toma da insulina ,foi quando ela me falou na Eutanasia eu nem queria acreditar ,ele olhou para mim deu-me uma marradinha e deitou a cabeça na minha mão foi aí que percebi que não podia ser egoísta ao ponto de não fazer o que era melhor para ele e consenti com tanta dor deitei o sobre o meu colo dando carinho até ao seu ultimo suspiro.Eu só o queria ter comigo ….Seguiram se momentos de Angustia Solidão de uma dor profunda nunca mais na vida vou ter privilegio de partilhar a minha vida com um ser tão especial e fantástico como o meu querido Dom Sebastião ja fez quase um ano e a sua ausência continua a ser enorme esta eterna saudade ,o vazio não ter onde o ir visitar.enfim…Quem tem animais acho que nunca pensa que esse ser fantástico nos pode deixar primeiro.

    Curtir

    Comentário por Andrea Caldeira — agosto 4, 2013 @ 12:37 | Resposta

    • Bom dia Andrea!
      Agradeço muitíssimo sua visita e por ter deixado aqui depoimento tão emocionante.
      Muitos já me acusaram de egoísta por ter optado pela eutanásia. Mas, eu vejo isso como um ato de coragem e amor.
      Um grande abraço.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 5, 2013 @ 8:46 | Resposta

      • Demorei tempo tempo a encontrar este sitio onde podemos partilhar a nossa experiência menos boa eu pensava que era a única a sentir-me assim ,mas fico feliz saber por saber que fiz o que achava mellhor,
        Um bem Haja Augusto por este espaço.Já me sinto menos Angustiada agora a minha Luta é conseguir fazer o transplante.beijinhos
        Andrea

        Curtir

        Comentário por Andrea Caldeira — agosto 5, 2013 @ 9:33

  195. Há mais de 3 anos tive que adormecer o Dódi… 13 anos de vida comigo. Uma dor sem fim… Agora sou confrontada com a mesma situação… O meu GRANDE CÃO (em todos os sentidos), o meu fantástico Egar. Diabetes, Cushing, quistos prostáticos, massa abdominal inespecífica, sopro no coração, cegueira, … enfim. E ele via-me e sente-me coco mãe… é doloroso de mais… Não sei o que pensar e fazer!

    Curtir

    Comentário por Maria — agosto 11, 2013 @ 20:06 | Resposta

  196. O que essa senhora esta sentindo, e a mesmaque estou passando nesse momento nao tem remedio para cura la perdi tambem o meu amigo, meu companheiro. Ele era pra mim vomo um filho, eu amava muito… ele conviveu comigo so 5 anos e 8 meses. Deixou um vazio.

    Curtir

    Comentário por lucilene rocha — agosto 15, 2013 @ 0:35 | Resposta

  197. É DIFÍCIL PARA MIM. SOU DO INTERIOR, AQUI NÃO TEM RAIO X NAS CLÍNICAS DO PET. O MEU CACHORRINHO TIOZIM IA FAZER DEZ ANOS. PRIMEIRO ELE TENTAVA FAZER CÔCÔ E NÃO CONSEGUIA. DEPOIS PASSOU A NÃO TER CONTROLE NAS FEZES, TUDO O QUE ELE COMIA FAZIA DIGESTÃO RAPIDAMENTE, E DEPOIS ELE DEFECAVA UM MONTE DE FEZES ALÉM DO NORMAL COM SANGUE E DEPOIS ELE COMIA TUDO E DEPOIS ELE VOMITAVA. ELE JÁ ERA AGRESSIVO E DEPOIS DA DOENÇA FICOU MAIS AINDA, ATÉ HOJE EU TENHO CICATRIZES NOS MEUS BRAÇOS DAS SUAS MORDIDAS. O ÂNUS DELE ESTAVA TODO FERIDO, AS FEZES DELE ESPIRRAVAM E MIM, E NELE. AONDE ELE FICAVA SAIA SANGUE COM FEZES. LEVEI ELE NO VET, QUE É O ÚNICO QUE TEM NA MINHA CIDADE, E ELE APLICOU UMA INGEÇÃO PARA ELE TOMAR DURANTE SETE DIAS. ELE PAROU DE FAZER CÔCÔ. SÓ QUE O SANGUE CONTINUAVA A SAIR DO ÂNUS DELE. ELE NÃO PASSEAVA MAIS, NÃO DEIXAVA EU TOCAR NELE ELE MORDIA MESMO. AI COMEÇOU TUDO DE NOVO, ELE FICOU COM O INTESTINO PRESO E EVACUANDO SANGUE, EU DEI UM REMÉDIO PARA SOLTAR O INTESTINO DELE, E AI ELE COMEÇOU A PERDER O CONTROLE DAS FEZES PASSANDO POR TUDO NOVAMENTE. ELE FICOU MAGRO, MAS AI ELE NÃO QUERIA COMER MAIS RAÇÃO INDICADA PELO VET. RESOLVIR DEIXAR ELE SER FELIZ. PASSEI A DAR COMIDA PARA ELE. ELE COMIA ALÉM DO NORMAL. E DEPOIS JÁ PERDIA O CONTROLE DAS FEZES. DE DIA EU TIVE QUE DEIXAR ELE AMARRADO PORQUE ERAM MUITAS FEZES DE DEUS SABE O O O QUE NÓS DOIS PASSAMOS!! E COM ISSO EU TAMBÉM EMAGRECI, A MINHA FAMÍLIA FALAVA EM EUTÁNASIA, MAS ESSA IDEIA NÃO PASSAVA PELA MINHA CABEÇA. EU CHEGAVA DO SERVIÇO E SOLTAVA ELE, EU NÃO DORMIA MAIS E NEM ME ALMENTAVA, PORQUE EU SABIA QUE O QUE ELE ESTAVA PASSANDO NÃO ERA ALGO, OU UMA DOENÇA SIMPLES LNAO CHEGAVA DO SERVIÇO E DEPOIS SOLTAVA ELE. EU LEVANTAVA TODOPS OS DIAS CINCO HORAS DA MANHÃ PARA LAVAR AS FEZES QUE TINHA PELA CASA. E COM ISSO TUDO FORAM TRÊS MESES ASSIM. ELE CHORAVA DIA E NOITE E NÃO DORMIA MAIS. E TINHA UM CHEIRO MUITO FORTE. MAS POR FORA FOI A ÉPOCA MAIS BONITA DA VIDA DELE, NA APARENCIA, SE VOCÊ OLHASSE MEIO DE LONGE DIRIA QUE ELE NÃO TINHA NADA. ELE DORMIA DENTRO DE CASA, DEBAIXO DA MINHA CAMA NO TRAVESSEIRO, ELE NÃO ENTENDIA E NÃO ACEITAVA TER QUE DORMIR NA ÁREA DE CASA.

    Curtir

    Comentário por ANIJOSE GONÇALVES DE OLIVEIRA — agosto 19, 2013 @ 1:52 | Resposta

  198. O VET NÃO DESCOBRIU A DOENÇA DELE, ENTREI EM CONTATO COM AMIGOS DA CAPITAL, GASTEI TUDO O QUE EU PODERIA COM ELE. MAS EU SOU MEIO IMPULSIVA E VOU ME CULPAR SEMPRE!!! CHOREI MUITO, ABRAÇANDO ELE, ELE SORRIU PARA MIM. E A ÚLTIMA COISA QUE EU DISSE PARA ELE CHORANDO, FOI QUE EU AMAVA ELE MUITO, QUE ELE ME PERDOASSE UM DIA. QUE EU AMAVA ELE DEMAIS, PARA VER ELE SOFRENDO DAQUELE JEITO, QUE EU ESTVA SENDO EGOÍSTA DEIXANDO ELE SOFRER DAQUELA MANEIRA!! O QUE ELE MAIS GOSTAVA ERA DE DORMIR, E LE FICOU TRES MESES SEM DORMIR DIA E NOITE, E SÓ CHORAVA, EU PEDIA TANTO PARA DEUS PARA LEVAR ELE, TIRAR ELE DAQUELE SOFRIMENTO! ELE ME CHAMAVA DE MADRUGADA CHORANDO E QUANDO EU CHEGAVA PERTO DELE AS FEZES ESCORRIAM DELE COM SANGUE. EU ME CONSIDERO UMA ASSASSINA!!! VOU ME CULPAR PARA SEMPRE!!! EU LIGUEI PARA A MINHA IRMÃ E PEDI PARA ELA CUIDAR DE TUDO E QUE DEIXASSE ELE IR SEM SENTIR DOR. NUNCA CONVERSAMOS SOBRE ISSO!!! MAS O QUE ME DOEU MAIS FOI A MINHA OUTRA IRMÃ TIRAR FOTOS DELE MINUTOS ANTES DELE IR E ME MOSTRAR AS FOTOS, SÃO TRES, TEM UMA DELE SORRINDO E AS OUTRAS DUAS DELE TRISTE, COMO SE SOUBESSE QUE IA PARTIR!!! ESSAS FOTOS EU CARREGO NA MINHA MENTE ATÉ HOJE!!! ELA AINDA DISSE QUE O HOMEM FALOU QUE ELE ESTAVA TÃO GORDO E BONITO. MAS QUANDO TOCOU NA BARRIGA DELE ELE COMEÇOU A GRITAR. A BARRIGA DELE FICOU MEIO SEPARADA BEM NO MEIO DO CORPINHO DELE. HOJE EU ME ARREPENDO DE TER DEIXADO ELE IR, MAS EU NÃO AGUENTEI VER ELE SOFRENDO MAIS SEM PODER FAZER NADA DIA VINTE E SEIS DE JULHO MES PASSADO FAZ UM ANO QUE ELE SE FOI!! EU ADOTEI OUTRA CACHORRINHA A NINA MAS EU NAO CONSIGO AMR ELA COMO EU AMVA O MEU TIUZIM. FOI MUITO AMOR, OU MUITA COVARDIA DA MINHA PARTE DEIXAR O MEU AMIGÃO IR EMBORA ASSIM!! NO MOMENTO QUE ELE MAIS PRECISOU DE MIM EU NÃO ESTAVA LÁ. EU NÃO TERIA DEIXADO ELE IR… FOI A MAIOR PERDA E CULPA NA MINHA VIDA QUE EU CARREGO NESSA VIDA. CHORO TODOS OS DIAS POR ELE. AH SE EU PUDESSE VOLTAR ATRÁS!!!!!

    MEIO CORPINHOO DO CORPO CO CORPINHO DELE DEPOIS QUE ELE ADOECEU. PORQUE EU ME CULPO???? PORQUE ELE NÃO TEVEO DIAGNOSTICO FINAL!!! ELES NÃO DESCOBRIRAM O QUE ELE TINHA!!

    Curtir

    Comentário por ANIJOSE GONÇALVES DE OLIVEIRA — agosto 19, 2013 @ 2:26 | Resposta

    • Bom dia Anijose,
      Espero que sua dor seja breve. Tenha certeza que fez o melhor para ele.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 19, 2013 @ 9:34 | Resposta

    • Você fez o melhor, não se culpe. Também passei por isso…
      Ver ele sofrer, para mim, era mais doloroso do que vê-lo morrer para aliviar seu sofrimento.
      Fique na paz!!

      Curtir

      Comentário por Iza — setembro 5, 2013 @ 11:15 | Resposta

      • VOCÊ PENSA QUE VAI PASSAR E NÃO PASSA, PENSA QUE UM DIA VAI ESQUECER MAS NÃO ESQUECE. EU SONHO E VEJO O TIOZIM TODAS AS NOITES ME PEGO CHORANDO, ESTOU ENTRANDO EM DEPRESSÃO COM SENTIMENTO DE CULPA POR TER MANDADO SACRIFICAR O TIOZIM. NÃO DURMO MAIS, SE EU SOUBESSE QUE EU IRIA SOFRER TANTO ASSIM COM ESSA CULPA, EU TRIA ESPERADO MAIS. E SE DE REPENTE ACONTECESSE UM MILAGRE E EL SARASSE, E SE EU FUI ERRADA NA MINHA DECISÃO PORQUE ELE NÃO TEVE O DIAGNÓSTICO FINAL. E SE EU TIVESSE INTERNADO ELE, E SE EL TIVESSE SARADO COM ESSA INTERNAÇAO COM OUTRA MEDICAÇÃO. NÃO TEM JEITO, EU VOU ME CULPAR PARA SEMPRE ATÉ O MEU ULTIMO SUSPIRO DE VIDA. DIZEM QUE QUANDO A GENTE MORRE, NÃO ENCONTRA AQUELES QUE A GENTE AMA, QUE É BÍBLICO, EU NÃO ACREDITO NISSO! SE EU FOR PARA O CÉU, EU PEÇO A DEUS TODOS OS DIAS QUE EU QUERO RECONTRAR O MEU AMIGÃO…

        Curtir

        Comentário por ANIJOSE GONÇALVES DE OLIVEIRA — setembro 10, 2013 @ 8:06

  199. Olá amigos, este é realmente um assunto muito difícil, estou vivendo o terrível momento de tomar a decisão se praticamos ou não a eutanásia
    Fico pensando se estou sendo covarde ou egoísta. Tá dificil decidir. Minha cadela é uma poodle, tem agora 20 anos completos. Ela anda ainda que com dificuldade, come bem, bebe água e faz suas necessidades com regularidade. só tem um problema, nao consegue se levantar, então se ninguem o fizer ela faz tudo no mesmo lugar e o que é pior não come nem bebe, pois nao consegue sair de onde está. Quando está andando vai se abaixando devagarinho e ali fica com as pernas abertas, gritando de dor implorando por socorro, Tem sido horrível pois eu tenho que ficar o tempo todo a disposição dela e infelizmente isto não é possivel, ta muito complicado.
    Também penso nos momentos felizes que ela me proporcionou é muito triste pois ela chora demais, realmente acho que isto não é vida para um animal, comer, dormir e chorar, não sei o que fazer

    Curtir

    Comentário por santina — agosto 19, 2013 @ 17:12 | Resposta

    • Boa tarde Santina.
      Essa é uma decisão que ninguém pode tomar por você. Só posso lhe dizer que não é fácil e que o sentimento de culpa é muito grande. Pense bem. Força e fé.
      Abraços.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 19, 2013 @ 17:15 | Resposta

    • Santina,estou como vc, mas minha poodle tem 17 a 9 meses…Come e bebe na seringa,está com problemas neurológicos,cai direto, as vezes solta xixi e cai em cima e fica se debatendo.Toma n remédios (tem baixa de plaquetas e um tumor no fígado q parei de acompanhar pois nada pode ser feito nessa idade)..Enfim,meus pais cuidam dela há 9 meses por 24 horas,mas ela só cumpre a rotina alimentar, faz xixi de hora em hora com alguém apertando a bexiguinha, mas n brinca, n nos reconhece,acorda a noite e quer andar mas n consegue, aí chora….ufa, n sabemos até q ponto devemos deixá-la aqui pois n aproveita mais nada da vida….Estou só refletindo e choro toda hora……,muitos já falam q ela está sofrendo…Meu Deus, n sei o q faço…E vc, o q decidiu?bjs, força!!

      Curtir

      Comentário por Paula Bah — agosto 28, 2013 @ 20:58 | Resposta

  200. Bom dia, meu nome e Maria Stella Ramalho. Perdi meu filhinho Atila dia 23 de agosto de 2013 as 16 hs e pouco. Tive que mandar fazer eutanasia e me sinto culpada mas ao msm tempo aliviada por nao ve-lo sofrer.Ele tinha artrose, andava com dificuldade mas andava. Era hipertenso e cardiopata mas tomava seus remedinhos e estava bem, sempre foi um cachorrinho forte e parrudinho, Em apenas 1 semana ele começou a definhar e levei-o chorando pela rua ate a veterinaria dele. Ela disse que poderia ser rim, colheu sangue e esperamos o dia seguinte o resultado. Era, e começamos a fazer o tratamento q ue durou apenas 1 dia e meio pois ele piorou e eu e meu filho tomamos a dolorosa decisao de o deixarmos partir. Ficamos com ele o tempo todo e a ultima coisa que ele ouviu de nos ao pe de seu ouvidinho, foi que a mamae e o amigao dele o amavam muito. Ele veio pra nos com 45 dias de nascido. Fomos a casa de uma moça para compra-lo e de toda a ninhada , ele correu para o meu filho, entao com 10 anos. O meu Titila era um poodle branquinho e pequenino e sempre foi a alegria da casa.Foram muitas e muita coisa vivida que se possa colocar no papel ou dita num curto espaço de tempo.Foram 15 anos, 5 meses e 1 dia de vida. Hoje estou arrasada, queria poder abraçar e beijar meu bebe e esse vazio ta acabando comigo e sei que isso nao vai passar nunca pois ele fazia parte de mim. Tenho a Lola que tb e uma poodle de 6 anos, so que grande e e cinza e e tb uma fofura, uma gracinha e tenho o Robert, um gatinho preto e lindo que adotamos, de 2 anos, mas msm amando os dois, o meu bebe era meu xodo, meu tudo e agora a unica coisa que faço e chorar e lamentar sua ausencia..Queria me conformar mas nao sei como.

    Abraços

    Stella

    Curtir

    Comentário por Maria Stella Ribeiro Ramalho — agosto 25, 2013 @ 10:09 | Resposta

  201. .

    Curtir

    Comentário por charles — agosto 26, 2013 @ 20:53 | Resposta

  202. Olá, Augusto. Encontrei seu texto num momento em que me vejo perdida em relação ao que fazer com o meu amigo Dante, um cocker preto lindo que é minha família há 16 anos e dois meses. Ele estava ótimo até pouco mais de um mês atrás, apenas com a visão prejudicada, mas começou a emagrecer em ritmo acelerado, e agora a bolinha ativa da qual cuidei por tantos anos se transformou completamente. Está totalmente cego, pele e osso, extremamente anêmico, não come sozinho, respira com alguma dificuldade às vezes, e na maior parte do tempo vomita até a água que dou de seringa. Não levanta sozinho, e preciso mudar sua posição de vez em quando, pra diminuir o desconforto. Só reclama, e muito, quando quer fazer suas necessidades, porque se recusa a fazê-las na caminha. Então chora um choro sentido, angustiado. A veterinária pediu pra eu parar com a medicação, já que a tentativa de tratar o que sabemos não ter tratamento apenas causa mais sofrimento pra ele. Mas meu amor não desiste. Converso com ele, peço pra descansar, digo que vou ficar bem, com muita saudade, mas pra ele não se preocupar. Não sei se é o caso de humanizar o animal, apenas acredito de verdade que ele ama de volta, que entende de alguma forma, em algum nível. Nos últimos dias tenho notado que está pior (esse tempo frio não ajuda), e ando pensado em eutanásia. Tenho dois medos: interná-lo pra receber soro, o que prolongaria talvez um pouco sua vida, mas que ele venha a falecer estando internado, ou que ele fique comigo até o fim e sofra na hora de partir. Passei por ambos os casos anteriormente: meu gato Goró morreu internado, provavelmente se sentindo abandonado, e minha cachorrinha Capitu morreu em meu colo, lutando muito pra respirar. Você disse em seu texto que nunca esquecerá os olhos de Buba, que sabia o que estava por vir; eu nunca me esquecerei dos de Capitu, que morreu olhando pra mim, aterrorizada de dor e de medo. É uma decisão difícil, que não sei se conseguirei tomar a tempo de evitar dor pra ele. Passo as noites em claro porque tenho medo que ele esteja sozinho na hora. Rezo pra que se vá tranquilo, dormindo, sem dor, mas sei que isso eu não poderei controlar – a não ser que opte pela eutanásia. Mas como decidir se já é hora? Acho que nunca vai ser a hora…Enfim, desculpe o longo desabafo. Queria te agradecer por dividir sua história, e permitir que tantos o façam também. Um abraço.

    Curtir

    Comentário por Ana — agosto 27, 2013 @ 15:55 | Resposta

    • Oi Ana.
      Sei bem como está se sentindo. E lhe digo – se tiver forças para aguardar a partida do Dante por si só, aguarde. Sofremos muito, mas, ficamos a certeza que fizemos tudo pelo nosso companheiro. A eutanásia é uma decisão dolorosa também, e culposa na maioria das vezes.
      Força, fé e carinho.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 27, 2013 @ 17:00 | Resposta

  203. Olá Ana,
    Eu optei pela eutanásia na minha cachorra Gaby que foi pega por mim na rua em estado deplorável. Eu cuidei dela, ela se recuperou e ficou comigo durante 4 anos. Eu tenho certeza absoluta de que dei a melhor vida que podia para ela. Nem mesmo sozinha ela ficava, pois trabalho muito em casa e estava sempre com ela, passeava todos os dias e ela até mesmo viajava comigo.
    Depois de quatro anos de convivência ela teve linfoma que é uma doença incurável nos cães.
    No grau em que a doença estava, ela piorou muito, fiquei desesperado e acabei optando pela eutanásia.
    Não sei explicar, mas ficou um “buraco” em mim. Uma sensação estranha e de mal-estar de que não dei a ela o “tempo certo”.
    Acho que isso depende muita da pessoa, mas para mim foi uma experiência muito traumática.
    Dizem os veterinários que temos que escolher o “tempo certo” e saber quando é a hora do animal e não a nossa.
    Sinceramente, não sei dizer se isto é realmente possível, mas fiquei com uma dúvida que acho que nunca conseguirei sanar.
    Quanto à questão da “humanização dos animais” que você mencionou, tenho uma opinião formada em relação a isso.
    Creio que os seres humanos têm a arrogância de se acharem melhor do que um animal qualquer, uma planta, uma borboleta ou uma árvore.
    Na verdade, somos todos seres vivos no contexto desse mistério que é a vida, criado por uma força que, de fato, não conhecemos.
    O que tenho a lhe dizer, se é que posso te ajudar em alguma coisa, é que se você optar pela eutanásia, fique com ela no momento até que ela esteja completamente inconsciente e procure não chorar antes disso na frente dela. Neste caso, talvez eles não tenham a consciência de que irão embora e isto é com certeza melhor para eles. Leve-a como se fosse fazer uma cirurgia, ou algo parecido. Sei que é muito difícil se controlar nessa hora, mas teve uma atitude minha que me ajudou muito.
    Antes de levá-la. Vá para um local distante dela e chore o máximo que você puder. Em seguida, leve-a como se estivesse levando-a uma consulta no veterinário. Fique com ela no momento da anestesia. Quando ela estiver inconsciente chore tudo o que tiver que chorar fora do recinto. NUNCA NA FRENTE DELA.
    Apesar de estar muito traumatizado com a minha decisão, eu fiz exatamente isto e tenho certeza de que isto amenizou muito a minha culpa (que é inevitável).
    Nunca, em hipótese nenhuma, leve-a para fazer a eutanásia sem a sua presença. Isto ficou absolutamente claro para mim. O maior amor que você pode demonstrar na despedida dela será a sua presença.
    Essa atitude eu tive com o meu pai também. É duro para nós mas com certeza é muito mais ameno para eles.
    Espero ter ajudado.
    Pode manter contato pelo meu e-mail se quiser.
    Abraço e força.
    Mauro

    Curtir

    Comentário por Mauro — agosto 27, 2013 @ 18:08 | Resposta

  204. Bom dia.

    Meu nome é Fernanda e tenho um poodle chamado Big Boy de 15 anos e 2 meses. Interessante que apesar de saber essa idade, ao escrevê-la veio a lembrança de todo esse tempo em que ele passou comigo. Tenho plena consciência de que fiz tudo o que pude p/ melhorar o quadro do meu cãozinho. Ele tem consulta hoje à tarde com o veterinário, o que poderá ser a última, pois é provável que se levante a hipótese da eutanásia. Todos dizem que fiz mais do que podia por ele, mas não consigo não me sentir culpada se realmente tiver que sacrificá-lo. Tenho a sensação de que posso fazer mais, de repente outros medicamentos …não sei. São apenas sintomas da velhice, seu veterinário diz que a tendência é piorar , que apesar de qualquer coisinha que ele tenha eu o leve ao veterinário, ele está ficando sem qualidade de vida… não consegue mais ficar em pé sozinho, andar e com isso diminuiu sua frequência acerca de suas necessidades fisiológicas, embora continue comendo. Começou a ter convulsões, controladas com Gardenal, está ceguinho devido ao glaucoma em uma vista e na outra, simplesmente devido à idade, além de outras coisas. Já faz algumas noites que não durmo, já que ele fica tentando levantar e por não conseguir, chora. Inclusive, ao escrever este texto, tive que pausar algumas vezes para ampará-lo. Na verdade, não sei se chora por querer levantar ou se está com alguma dor.
    Enfim, escrever me deu um certo alento. Contudo, estou muito triste tanto pela eutanásia, quanto continuar tratando e vendo seu sofrimento… é angustiante.

    Curtir

    Comentário por Fernanda — agosto 30, 2013 @ 8:02 | Resposta

    • Oi Fernanda.
      É sempre bom a gente verbalizar o que está passando. É uma situação realmente difícil de resolver, pois, estamos tomando uma decisão por um ser que consegue se expressar apenas com o olhar.
      Um abraço e que tudo fique bem.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — agosto 30, 2013 @ 8:27 | Resposta

      • Estava passeando pela internet na expectativa de “aliviar” a minha dor… Hoje meu esposo e eu decidimos pela eutanásia de nosso Golden Retriever de 6 anos. Descobrimos que ele tinha leishmaniose e insuficiência renal há 2 anos. Lutamos com tudo que estava ao nosso alcance nesse tempo… ele sofria com sangramentos no nariz várias vezes num mesmo dia (logo no início da doença), mas conseguimos salvá-lo com vários dias de soro, transfusões de sangue, medicamentos. Em consequência dessa doença devastadora, a leishmaniose, o Luke desenvolveu artrite… há 6 dias só gemia de dor e eu quem levantava o cão de 24kg para fazer as necessidades, tomar água e comer… nenhum medicamento fazia efeito. Era angustiante o sofrimento dele… meus outros 2 cães ficavam o tempo todo do lado dele “cuidando”. Optamos pelo sacrífico… uma das piores decisões da minha vida. Eu fui lá me despedir dele e nunca esquecerei sua expressão… ele se entregou a dor e parecia prever o que estava acontecendo.
        Eu era totalmente contra o procedimento da eutanásia, até passar por essa situação e ter que optar: ou eu seria egoísta e em detrimento disso faria meu cão sofrer ou aliviaria a sua dor e o deixaria ir.
        Suas palavras me trouxeram um pouco de conforto, obrigada! Que o Senhor nos abençoe!

        Curtir

        Comentário por Iza — setembro 4, 2013 @ 16:45

      • Oi Izadora.
        Sinto muito pelo passamento do seu pet.
        Abrs.

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — setembro 5, 2013 @ 9:09

  205. Olá Augusto.. eu estou passando por uma fase muito dolorida. Eu li seu depoimento e estou aqui querendo consolo. Tive uma cachorrinha com nome de July há 18 anos e 6 meses e ela tinha problemas nos rins. Na primeira crise eu cuidei bem dela e passou e voltou 2 anos depois e com o tempo ela não queria mais se alimentar e foi ficando muito magrinha. Logo em seguida ela foi perdendo a visão de um olho e. Mas estava andando normalmente e até subia no sofá., mas dentro de uma semana ela parou de comer tudo o que gostava e andava com suas pernas traseiras se arrastando e chegava a tropeçar e dentro de uns cinco dias , já não conseguia mais andar sozinha. Ela me chamava para eu levantá-la e levá-la para fazer suas necessidades…. So queria comer carne e eu comecei a complementar com papinha de legumes pela seringa. Depois já não estava conseguindo andar nem com minha ajuda.. e parou de me chamar para levanta-la. Começou a fazer as necessidades na cama dela.. Eu tinha muita dó.
    Estou inconsolada.. preciso de ajuda..
    Bem..o veterinário que já tratava dela me disse que não tinha jeito e se caso eu ficasse com ela viva em casa , era somente para eu assistir a agonia da minha princesinha. e me aconselhou a fazer a eutanázia, coisa que eu jamais pensei em fazer. Mas eu sofria muito de vê-la sofrendo. . Dias antes, eu levantava a cada 10 minutos para para trocar o lado que ela deitava, creio que ela sentia muita dor e ela choramingava e eu ja sabia que estava desconfortável. Não estava mais conseguindo ficar em pe. Tudo isso foi muito rápido, pois até uns 6 dias ou 7 dias atrás ela estava andando e subia no sofá.. como pode acontecer isso?
    Meu Deus.. agora estou sem chão, e estou sofrendo de saudade e culpa.
    Será que eu tinha que deixar minha princesa se agonizar até morrer?
    Será que ela sabia que eu fazer maldade com ela..?
    Cheguei ao veterinário e fique uns 30 minutos com ela no meu colo , na mesma posição que carrega um nenê e ela ficava olhando para mim todo o tempo…
    Mas a veterinária dise que era melhor eu não estar presente. E eu não sei se suportaria ver tudo.
    Fico pensando se ela sentia que eu ia fazer isso com ela, ao invés de suportar o sofrimento dela..
    Por favor escreva algo para mim..
    Muito obrigada pela atenção

    Curtir

    Comentário por Graça Soares — setembro 6, 2013 @ 3:01 | Resposta

    • Querida Graça,
      Pense sempre que fez o melhor por sua July e que abreviou o sofrimento dela. Como estava não era vida digna. Também fiquei muito mal depois do passamento da Bubba. Mas, tenho certeza que ela sofreria muito mais se a deixasse agonizar.
      Um abraço, fé e força.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — setembro 6, 2013 @ 8:22 | Resposta

    • Oh, Graça… acabei lendo seu depoimento. Perdi meu cão há 2 dias, tivemos que optar pela eutanásia. Ver nosso querido sofrer era terrível, nem ele aguentava mais. Mantê-la perto de você sofrendo não a faria bem e a “culpa” que sentimos é apenas pelo fato da saudade e ter que optar por algo que achávamos cruel, mas crueldade mesmo é deixa-los sentindo dor, sabendo que não havia qualquer tratamento ou cura. Abraços

      Curtir

      Comentário por Iza — setembro 6, 2013 @ 11:45 | Resposta

  206. Que linda historia da Buba, tenho certeza que ela se orgulhou muito do dono que teve…
    Infelizmente estou passando pela mesmo situação, descobri a 2 semanas que a minha cachorra Layla esta com tumor, ela já perdeu os movimentos das patas traseiras, mas o que me deixa triste além de saber que uma hora vou ter que sacrificar ela, é saber que ela não pode fazer as coisas que mais gosta e mesmo assim ela não deixa de me alegrar e me deixar feliz, é inacreditável a felicidade e força que ela tem, me orgulho tanto.
    Amanhã levarei ela no veterianario para ver se ela esta reagindo aos medicamentos e estou pensando em comprar uma cadeirinha de rodas daquelas para cães, ou se for o caso infelizmente aplicar a eutanásia na minha melhor amiga, fico triste so de pensar e as vezes não entendo, mas eu prometi cuidar dela ate o final e melhores amigos não abandonam.

    s2
    Obrigada pela sua historia se caso eu decidir a eutanásia(sei que vou me sentir culpada tbm) mas por um lado sera o melhor…

    Curtir

    Comentário por Samya — setembro 6, 2013 @ 15:50 | Resposta

    • Oi Samya.
      Estou aqui, torcendo por vc e pela Layla. Tomara que não seja preciso tomar uma decisão drástica.
      Abrs.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — setembro 6, 2013 @ 15:56 | Resposta

  207. NÃO CONSIGO MAIS CONVIVER COM ESSA CULPA, ESTOU SOFRENDO MUITO, NÃO DURMO MAIS, ESTOU ENTRANDO EM DEPRESSÃO COM SAUDADES DO MEU AMIGÃO, SE ELE TIVESSE IDO SEM TER QUE FAZER EUTÁNASIA, EU ESTARIA CONFORMADA. PORQUE QUE EU NÃO LUTEI MAIS PELO TIOZIM AUGUSTO??? PORQUE QUE EU NÃO TENTEI MAIS UMA VEZ???

    Curtir

    Comentário por ANIJOSE GONÇALVES DE OLIVEIRA — setembro 10, 2013 @ 8:20 | Resposta

    • Anijose, estou sentindo a mesma coisa. Está muito difícil pra mim conviver com isso também.
      Tenho até procurado grupos de ajuda presenciais para pessoas na mesma situação, mas parece que não existe nenhum.

      Curtir

      Comentário por Mauro — setembro 25, 2013 @ 12:03 | Resposta

  208. minha gata foi diagnosticada com pif e hoje tomei a decisao que mais doi no corpo e na alma na hr que o vet falou que era caso para eutanasia meu sangue gelou e meu corpo inteiro ttremia involuntariamente e isso foi na sexta passei o fim de semana cuidando da minha florzinha dando tudo que ela mais gostava de comer pois ainda comia mas ja estava bem quieta sendo que a duas semanas corria e brincava estou na depre total apesar de saber que era o certo a ser feito se faz tem culpa se nao faz e pior como agir to em choque

    Curtir

    Comentário por tere — setembro 18, 2013 @ 2:59 | Resposta

    • Olá.
      Fiquei alguns dias longe da internet. Meu afeto e carinho para com você. Espero que sua dor seja breve e que logo, logo só se lembre dos bons momentos com sua gatinha.
      Abrs.

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — setembro 21, 2013 @ 17:20 | Resposta

      • obrigado pela atencao seu blog foi de muita ajuda parabens pelo bonito trabalho a cada dia a dor diminui e vai restando a saudade e a lembranca dos bons momentos juntas

        Curtir

        Comentário por tere — setembro 25, 2013 @ 11:53

      • Eu é que agradeço sua visita. Abrs.

        Em 25 de setembro de 2013 11:53, A Simplicidade das Coisas — Augusto

        Curtir

        Comentário por Augusto Martini — setembro 25, 2013 @ 12:01

  209. Eu acho que tudo tem um tempo determinado por DEUS e devemos deixar a vontade de DEUS e não a nossa,quem tem o poder de tirar uma vida é só DEUS;porque só ele tem o poder de dá a vida alguém.

    Curtir

    Comentário por sirlene santos — setembro 22, 2013 @ 13:58 | Resposta

  210. Estou com meu coração na mão nem sei o que fazer , tenho um York com 8 anos , o mesmo vem sofrendo a 3 meses e eu correndo pra todo quanto é lado com ele , agora está internado a 5 dias o médico decidiu tentar a ultima cartada aplicação de imunoglobulina, más me disse caso não fazer efeito , ele disse para deixar meu bb descansar não sei mais o que faço…. Dói minha alma, será que é o melhor para ele , apesar de estar extremamente debilitado , nada que fiz adiantou… Está nas mãos de Deus !!!

    Curtir

    Comentário por Priscilla — setembro 25, 2013 @ 16:04 | Resposta

    • Olá Priscilla. Isso mesmo, entregue nas mãos de Deus. Ela saberá o que fazer!
      Um abraço.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — setembro 25, 2013 @ 16:26 | Resposta

  211. Boa noite. Estou completamente desesperada. A minha Pituxa (cadela), está quase a fazer 14 anos, e está muito doente. Tem um tumor muito grande na barriga, maior do que a minha mão fechada. Isto já acontece à pelo menos 2 anos, e hoje quando cheguei a casa ele não queria andar, e mal reagia. A minha mãe pegou nela e deu-lhe de comer com um pouco de aspirina misturada para as dores. Agora ela já anda, mas não deve ser por muito tempo. Estou com muito medo. A minha mãe quer ir à farmácia comprar a injeção para lhe dar. Ela diz que no veterinário é muito caro… não quero fazer isto a minha Pituxa. Não sei que faça… :'(

    Curtir

    Comentário por Liliana Bronze — setembro 26, 2013 @ 19:04 | Resposta

    • Bom dia Liliana.
      Se consegues diminuir a dor com as aspirinas, continue. Não abrevie a vida de sua Pituxa. É um ato muito dolorido para você.
      Abraços.
      Augusto

      Curtir

      Comentário por Augusto Martini — setembro 27, 2013 @ 8:27 | Resposta

  212. Foi ontem (1 de outubro de 2013), a veterinária disse que meu Bob (12 anos) não sobreviveria por muito tempo, os rins e o fígado pararam de funcionar e ela pediu para que eu tomasse uma decisão e eu decidi por aliviar a dor do meu filho. Tenho 16 anos e nunca senti uma dor tão forte! Eu acho que acabei matando meu próprio filho! A culpa é tão grande que não consigo pensar em mais nada! Eu matei meu próprio filho! Meu amor! Eu vi ele deitado com as patinhas inchadas de tanto tomar soro pra tentar se curar mas nada mais resolvia! Ele cresceu comigo, foi meu melhor amigo e a dor me corrói por saber que eu dei fim a vida do meu filho. Os anos ao lado dele foram os m

    Curtir

    Comentário por Catarina — outubro 3, 2013 @ 1:26 | Resposta

    • Oi Catarina.
      Não fique assim não. Pense que no momento foi a melhor decisão que poderia tomar para abreviar a dor do Bob.
      Abraços.
      Augusto